ApresentaçãO Para DéCimo Primeiro Ano, Aula 13

861 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
861
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
82
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ApresentaçãO Para DéCimo Primeiro Ano, Aula 13

  1. 2. <ul><li>100 regularizar ordenar / regulamentar </li></ul><ul><li>126 pastoris bucólicas / rústicas / pastorais </li></ul>
  2. 3. <ul><li>Finalidades da leitura da imprensa: </li></ul><ul><li>informação </li></ul><ul><li>ter acerca de acontecimentos </li></ul><ul><li>opinião </li></ul>
  3. 4. <ul><li>Distinção a fazer no texto jornalístico: </li></ul><ul><li>informação objectiva </li></ul><ul><li>há comentário pessoal </li></ul>
  4. 5. <ul><li>Diversos níveis de leitura </li></ul><ul><li>(em termos de minúcia ) </li></ul>
  5. 6. <ul><li>títulos, ilustrações, caixas , assinaturas, sumário </li></ul><ul><li>legendas, subtítulos, aberturas e conclusões dos artigos </li></ul><ul><li>leitura crítica dos artigos escolhidos </li></ul>
  6. 7. <ul><li>que implica </li></ul><ul><li>retenção da informação relevante </li></ul><ul><li>avaliação </li></ul><ul><li>problematização das opiniões </li></ul>
  7. 8. <ul><li>Em geral, num artigo misturam-se </li></ul><ul><li>informações objectivas </li></ul><ul><li> explícitas </li></ul><ul><li>opiniões do autor </li></ul><ul><li> implícitas </li></ul>
  8. 9. <ul><li> opiniões explícitas </li></ul><ul><li>Marcas linguísticas </li></ul><ul><li> opiniões implícitas </li></ul>
  9. 10. <ul><li>verbos de opinião na 1.ª pessoa ( e.g. «acho», «considero»); expressões assertivas («é certo»), meliorativas («é admirável» e pejorativas («é vergonhoso») </li></ul><ul><li>condicional ; verbos como «parecer»; certos advérbios ( e.g. «talvez»); algumas perífrases («a ser verdade») </li></ul><ul><li>enumerações , exclamações, frases nominais </li></ul>
  10. 11. <ul><li>subentendidos </li></ul><ul><li>ironias </li></ul><ul><li>alusões </li></ul><ul><li>metáforas </li></ul><ul><li>comparações </li></ul>
  11. 12. <ul><li>Trata-se de um cartoon que teria de ser enquadrado no contexto dos acontecimentos de Agosto de 2003, os incêndios / fogos que então assolavam / devastavam o país. </li></ul>
  12. 13. <ul><li>Mostra-se-nos, já no século XXII, as consequências dos incêndios (e do mau ordenamento florestal): Portugal ter-se-ia tornado desértico . O efeito da imagem é potenciado por ser o leitor a estabelecer essa causalidade (descodificação que decorreria da situação vivida na altura, e seria também favorecida pela notícias que recheariam as páginas do mesmo jornal). </li></ul>
  13. 14. <ul><li>O cartoonista retira efeitos humorísticos, por um lado, do exagero do cenário criado, por outro, do absurdo que resulta da coexistência de elementos paradoxais/anacrónicos ( as tabuletas no deserto; os portugueses conduzidos por camelos ). </li></ul>
  14. 15. <ul><li>Em termos pictóricos, Luís Afonso aposta na representação minimalista / da simplicidade do desenho / da estilização caricatural da paisagem e recorre quase só a uma cor . </li></ul>
  15. 16. <ul><li>No sketch «À média e à belga», brinca-se com uma característica das expressões idiomáticas (expressões que adquiriram um significado comum, não literal, que já não resulta da soma dos lexemas originais). </li></ul>
  16. 17. <ul><li>Na verdade, estas expressões figuradas comportam-se já como um lexema (palavra) único, independente. Por isso, se pretendermos encontrar equivalentes com base na troca de algum dos elementos que a constituíram originalmente, o resultado será absurdo / desastroso / risível . </li></ul>
  17. 18. <ul><li>Neste caso, uma das personagens pretende graduar as expressões, julgando chegar assim a acepções atenuadas da expressão inicial. Em vez de «à grande e à francesa», que significa ‘ abundantemente; com pompa ’, executaria as acções « à média e à belga », expressão que não está dicionarizada (e, claro, não tem existe). </li></ul>
  18. 19. <ul><li>Como a expressão «do bom e do melhor» significa ‘ da mais alta qualidade; de categoria ’, a personagem cria um «do mais ou menos e do razoável », que corresponderia a ‘ assim-assim, de qualidade aceitável ’. </li></ul>
  19. 20. <ul><li>Finalmente, em vez de «és boa!» (que corresponde à acepção n.º 14 no verbete de «bom»), exclama « és mais ou menos! ». </li></ul>
  20. 21. <ul><li>Outro idiomatismo que surge no episódio é «tirar a barriga de misérias», que significa ‘ comer muito, depois de ter passado fome’ [‘auferir grandes vantagens, após um período de dificuldades’] . Não existe, entretanto, a expressão «ter a barriga remediada », que, supostamente, teria o sentido de ‘ter comido razoavelmente’. </li></ul>

×