Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 7-8

1.062 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.062
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
806
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 7-8

  1. 1. á
  2. 2. à
  3. 3. à (= a + a) às (= a + as) àquele, àqueles (= a + aquele, es) àquela, àquelas (= a + aquela, as) àquilo (= a + aquilo)
  4. 4. ia ias ia íamos íeis iam
  5. 5. estávamos dizíamos íamos
  6. 6. Nos dois sketches (de Monty Python Flying Circus), mostram-se casos em que o princípio de cortesia não foi cumprido, porque as formas de tratamento escolhidas pelo locutor fazem o seu interlocutor «perder a face» — a face é a imagem pública de cada falante.
  7. 7. No primeiro, «Sir Edward Ross», o tratamento escolhido não é suficientemente formal para uma entrevista na televisão: em vez de «Sir Edward», o apresentador começa por usar Edward (o que era aceitável), mas depois passa a Ted (já descabido, mas que o interlocutor ainda suporta), até chegar a Eddie Baby (Querido) (que desespera o realizador). O hipocorístico (nome de carinho) é, naquele contexto, ofensivo.
  8. 8. No segundo sketch («Arthur ‘Two Sheds’ Jackson»), o que faz que o compositor não possa preservar a face é a menção repetida da sua alcunha, «Dois barracões».
  9. 9. 2.ª pessoa do singular (tu) estás bom? 3.ª pessoa (singular e plural) (você) está bom? O Luís está bom? O senhor engenheiro está bom? (vocês) estão bons? 2.ª pessoa do plural estais bons?
  10. 10. 1 Levantai, hoje de novo, o esplendor de Portugal. B — 2.ª pessoa do plural 1 — Futebolista da seleção nacional para os heróis portugueses (ao cantar o hino).
  11. 11. 2 Pai Nosso, que estais no céu, livrai-nos do mal. B — 2.ª pessoa do plural 6 — Crente católico para Deus (em oração).
  12. 12. 3 O Luís tem gostado das turmas? G — artigo + nome + 3.ª pessoa do singular 8 — Professora para um colega que fora em tempos seu professor.
  13. 13. 4 Vossa Reverência não se importava de me dar mais uma hóstia? O — Vossa Reverência + 3.ª pessoa do singular 7 — Católico para o seu bispo ou para o seu padre.
  14. 14. 5 O D. Januário pode confessar-me agora? L — artigo + Dom/Dona + nome + 3.ª pessoa do singular 7 — Católico para o seu bispo ou para o seu padre.
  15. 15. 6 A Dona Fernanda tem aí o ofício da empresa de limpeza de cocós de cão? L — artigo + Dom/Dona + nome + 3.ª pessoa do singular 20 — Funcionário para outra funcionária, não licenciada e mais velha.
  16. 16. Dona Senhora Dona > Seudona
  17. 17. 7 Tens de trazer sempre o livro. A — 2.ª pessoa do singular 11 — Professor para aluno.
  18. 18. 8 Compra-me os ténis e eu prometo ter boas notas a Português. A — 2.ª pessoa do singular 9 — Rapaz para mãe.
  19. 19. 9 Compre-me os ténis e eu prometo ter boas notas a Português. C — 3.ª pessoa do singular 9 — Rapaz para mãe.
  20. 20. 10 Você é paulista ou carioca? D — você + 3.ª pessoa do singular 19 — Brasileiro para brasileiro (independentemente da classe social).
  21. 21. 11 Vossemecê, meu pai, permite que eu vá ouvir o MP3? F — vossemecê + 3.ª pessoa do singular 16 — Rosália para o seu pai, pequeno agricultor em Constantim (Trás-os- Montes).
  22. 22. Vossa Mercê > Vossemecê > Você
  23. 23. 12 Você tem de evitar comer tantos fritos. D — você + 3.ª pessoa do singular 2 — Médico para doente.
  24. 24. 13 Vossa Excelência deseja o quarto com vista para o mar ou a suite com vista para as latrinas? N — Vossa Excelência + 3.ª pessoa do singular 21 — Empregado de hotel para cliente.
  25. 25. 14 O Lopes da Silva já tratou do tal assunto? G — artigo + nome + 3.ª pessoa do singular 17 — Patrão para empregado.
  26. 26. 15 O engenheiro pode chegar aqui? J — artigo + título profissional + 3.ª pessoa do singular 18 — Patrão para funcionário licenciado.
  27. 27. 16 O senhor doutor já comeu o empadão? I — O senhor + título profissional + 3.ª pessoa do singular 3 — Criada para patrão.
  28. 28. 17 Estás bom? A — 2.ª pessoa do singular 13 — Jovem para outro jovem.
  29. 29. 18 Ide lavar-vos. B — 2.ª pessoa do plural 22 — Sexagenária de Vila Nova de Gaia para a canalha.
  30. 30. Vai tu (2.ª sing.) Imperativo Vá (3ª sing.) Pres. Conj. Ide vós (2.ª pl.) Imperativo Vão (3.ª pl.) Pres. Conj.
  31. 31. 19 O professor já viu os testes? J — artigo + título profissional + 3.ª pessoa do singular 12 — Alunos para professor da faculdade.
  32. 32. 20 Cê viu Ronaldinho? E — cê + 3.ª pessoa do singular 5 — Brasileiro de classe popular para outro da mesma classe.
  33. 33. Vossa Mercê > Vossemecê > Você Você > Ocê > Cê
  34. 34. 21 O stor vai dar-me positiva? I — O senhor + título profissional + 3.ª pessoa do singular J — artigo + título profissional + 3.ª pessoa do singular 4 — Aluno remelento da ESJGF para seu mestre.
  35. 35. Senhor Doutor > Soutor > Stor
  36. 36. 22 Vocês dão-me o carro hoje? Q — vocês + 3.ª pessoa do plural 15 — Cliente para empregado(s) da oficina.
  37. 37. 23 A menina estude, que eu prometo ver isso dos ténis. M — A menina + 3.ª pessoa do singular 10 — Pai para filha.
  38. 38. 24 Façam-me este exercício sobre formas de tratamento. P — 3.ª pessoa do plural 14 — Professor para turma.
  39. 39. 25 Passe, por favor. C — 3.ª pessoa do singular 23 — Professor para encarregado de educação.
  40. 40. 26 O senhor já pediu? H — O senhor + 3.ª pessoa do singular 24 — Empregado de restaurante para cliente.
  41. 41. Cria pequeno diálogo entre dois interlocutores que usem diferentes formas de tratamento. Quatro falas (duas de cada interveniente). Situação deverá ser suficientemente explícita para se possa adivinhar o estatuto de cada um dos participantes.
  42. 42. Cria outro, com outras formas de tratamento.
  43. 43. TPC — O texto reproduzido em baixo pertence à secção «Pequenos Prazeres», uma coluna que havia no Jornal de Letras, Artes e Ideias. Nesta secção, intelectuais ou figuras públicas eram convidados a revelar situações de que gostavam.
  44. 44. Repara que os parágrafos variam bastante na extensão e estilo. (O primeiro, à esquerda, não é grande exemplo do que pretendo.) Nos segundo, terceiro e quarto, os do meio, temos linhas quase fílmicas, que tentam agarrar, por pinceladas, um dado ambiente de que se gosta ou uma sensação que se quer rememorar. Os parágrafos à direita são breves, em cada um se sintetizando um motivo de pequena felicidade (por vezes, o importante é um pormenor apenas).
  45. 45. Escreve tu também alguns parágrafos assim, com os teus «Pequenos Prazeres».

×