Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 27-28

793 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
793
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
568
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 27-28

  1. 1. Conjugações 1.ª — verbos em -ar (vogal temática -a) 2.ª — verbos em -er (vogal temática -e) 3.ª — verbos em -ir (vogal temática -i)
  2. 2. • Verbo regular — respeita o modelo da conjugação a que pertence • Verbo irregular — o seu tema verbal sofre modificações ao longo da conjugação
  3. 3. • verbo defetivo — não possui algumas formas (conjugação é incompleta) abolir falir
  4. 4. • verbo impessoal — só se flexiona na 3.ª pessoa do singular e no infinitivo chover nevar gear
  5. 5. • verbo unipessoal — só e flexiona no infinitivo e na 3.ª pessoa (singular e plural) ladrar miar zurrar
  6. 6. A vocação cinematográfica do realizador foi despertada por uma oferta do pai: uma máquina de filmar e rolos de filme virgem. Dedicando-se raramente à escrita, Manoel de Oliveira destaca aspectos vivenciais que relata na primeira pessoa verbal, pelo que é possível afirmar que se expressa, no seu texto, um narrador autodiegético. Assim sendo, e uma vez que o autor do relato é o seu narrador, estamos perante um texto de natureza autobiográfica.
  7. 7. Um verbo é regular quando segue o modelo da sua conjugação (a primeira, de tema em a; a segunda, em e; a terceira, em i). Se o verbo apresentar modificações no radical (exemplo: «ouço», apesar de «ouvir») ou na flexão das pessoas («estou» [cfr. «canto»]; «estás» [cfr. «cantas»]), é irregular.
  8. 8. Verbos defetivos são os que, na sua flexão, não se apresentam em algumas pessoas ou tempos (por exemplo, os verbos «abolir» e «falir» não têm 1.ª pessoa do singular do Presente do Indicativo).
  9. 9. Há também verbos impessoais — exemplo: «chover», «haver», «amanhecer» —, que são os que não têm sujeito.
  10. 10. Há ainda os verbos unipessoais, os que, dado o seu sentido, só se costumam usar na 3.ª pessoa (exemplo: «cacarejar», «grasnar»).
  11. 11. Por fim, pode igualmente aparecer o termo «verbo abundante», que designa os verbos que têm mais que uma forma possível (em geral, duas formas no particípio passado — «pago» / «pagado»; «aceite» / «aceitado» —, ou, mais raramente, em outros tempos: «ele constrói» / «ele construi»; «comprazesse» / «com-prouvesse »; «requere» / «requer»; «diz» / «dize»).
  12. 12. Em «Debate sobre malbaratar», a estranheza de certas formas verbais não se deve apenas aos seus sons — como diz o comentador que, a dada altura, intervém —, antes se pode atribuir ao facto de se tratar de verbos que, na língua actual, se fossilizaram em poucas expressões idiomáticas, em fórmulas circunscritas a registos e contextos específicos («alijar responsabilidades»; «colmatar falhas»; «enveredar por (maus) caminhos ou por uma carreira»; «untar as mãos»).
  13. 13. Acabamos por estranhar a flexão desses verbos, sempre que surjam fora daquelas frases feitas e, ainda por cima, em diálogo (em registo literário, seria diferente). Sem as palavras que os costumam acompanhar, esses verbos parecem-nos quase agramaticais.
  14. 14. Em «Não faleci nada», o caso é parecido. O verbo «falecer» não é defetivo (tem as várias pessoas e tempos), mas, utilizado como verbo intransitivo e em situação de conversa banal, a sua flexão na 1.ª e na 2.ª pessoas do Pretérito Perfeito do Indicativo («faleci», «faleceste») torna-se inverosímil.
  15. 15. Há vantagens em conhecer os três tempos primitivos, uma vez que estes nos permitem chegar à flexão dos tempos derivados.
  16. 16. Presente do Conjuntivo Colmatar / Colmato / Colmat-/ Colmate Malbaratar / Malbarato / Malbarat- / Malbarate Intuir / Intuo / Intu- / Intua Falecer / Faleço / Faleç- / Faleça
  17. 17. Exceções: ser, dar, estar, haver, ir, querer, saber (cujas primeiras pessoas do singular do Presente do Conjuntivo são: «seja», «dê», «esteja», «haja», «vá», «queira», «saiba»).
  18. 18. Imperativo Alijar / Alijas / Alija Untar / Untas / Unta Enveredar / Enveredais / Enveredai Esbanjar / Esbanjais / Esbanjai
  19. 19. Mais-que-Perfeito Fazer / Fizemos / Fize- / Fizera Ir / Fomos / Fo- / Fora Colmatar / Colmatámos / Colmata- / Colmatara
  20. 20. Imperfeito do Conjuntivo Trazer / Trouxemos / Trouxe- / Trouxesse Vir / Viemos / Vie- / Viesse Ver / Vimos / Vi- / Visse
  21. 21. Futuro do Conjuntivo Poder / Pudemos / Pude- / Puder Caber / Coubemos / Coube- / Couber Vislumbrar / Vislumbrámos / Vislumbra- / Vislumbrar
  22. 22. Futuro [do Indicativo] Untar / Untar / Untarei Vislumbrar / Vislumbrar / Vislumbrarei
  23. 23. Condicional (ou Futuro do Pretérito) Intuir / Intuir / Intuiria Almejar / Almejar / Almejaria
  24. 24. Imperfeito do Indicativo Almejar / Almejar / Almej- / Almejava Falecer / Falecer / Falec- / Falecia Intuir / Intuir / Intu- / Intuía
  25. 25. Exceções: ser, ter, vir, pôr (cujas 1.ªs pessoas do Imperfeito são: «era», «tinha», «vinha», «punha»).
  26. 26. TPC — [Está em curso «trabalho grande» (microfilme autobiográfico). É também conveniente ir revendo gramática (em Gaveta de Nuvens, pus lista de conteúdos — os que demos até agora — que valeria a pena rever).] (Ter sempre entre as folhas que tragam para a aula aquela onde está o modelo de conjugação de verbo, com «Fazer».)

×