Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 25-26

795 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
795
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
585
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 25-26

  1. 1. • Alguns esqueceram-se de verbete do dicionário ou de alguns tempos (por vezes, os tempos compostos; por vezes, gerúndio, infinitivo, particípio passado) • Há verbos que são defetivos (falir) • Acentos: tínhamos, tínheis, …
  2. 2. • Alguns verbos interessantes: 8.ª Xeretar Abarbatar Malbaratar Azabumbar Bazar Constitucionalizar
  3. 3. Engraçar Falir Transmudar Atrofiar Entranhar Espargir Lamber
  4. 4. 1.ª Charlatanear Macambuziar Procrastinar Desensoberbecer Pichar Catrapiscar Zurzir Lourejar Papaguear
  5. 5. Abobadar Pipilar Macaquear Labializar Cambalear Bisbilhotar Anglicizar Gaguejar
  6. 6. 7.ª Desenfastiar Redesenhar Azucrinar Procrastinar Requerer Inovar Abalizar Zurzir Girar
  7. 7. 12.ª Zanzar Ziziar Fuxicar Amealhar Obturar Desenraizar Amarelecer Engraçar Xerocar
  8. 8. Esmiuçar Zumbir Abagaçar Paparrotear Declanchar Empanar Atrapalhar
  9. 9. 5.ª Xingar Exaurir Bitolar Ricochetear Paparicar Enamorar Jazer Quadruplicar Entorpecer Lapidar
  10. 10. Nuclear Deambular Fanfarrear Reboar Vituperar Zumbir Espargir Polir Desvaler Recauchutar
  11. 11. Em vez do relato meramente cronológico («Ontem levantei-me. Tomei o pequeno-almoço. Vesti-me. [...]», salientar momentos de embevecimento.
  12. 12. Começar cada novo parágrafo com uma margem de parágrafo (até o primeiro parágrafo). As margens de parágrafo devem estar alinhadas.
  13. 13. Nem todos os períodos devem corresponder a novo parágrafo.
  14. 14. • à • há um bocado; há três anos; há pouco • andámos, olhámos, falámos • esdrúxulas sempre com acento – fazíamos, máximo, andávamos
  15. 15. • Os rios da vida • Segurar a vida • Sete vidas • A arte da fuga • A poeira das palavras • Revoluções em «view-master» • 71 anos • Uma lupa de ver o mundo
  16. 16. • Lembranças, lembranças… • Um egípcio em Portugal • A ‘droga’ da escrita • Vida • Física da comunicação • O rapaz que sonhava com fugas • Nascer no paraíso • Memória resumida
  17. 17. • O registo dos dias • Na escada rolante • Fragmentos de um tempo • O milagre é a vida • Historinha de vida • O labirinto do exílio • Começar outra vez • Observado na 3.ª pessoa • História incompleta
  18. 18. Lê «Na prisão escrevem-se cartas» (p. 127), para, no final, continuares o texto, num registo semelhante. Não podes, porém, usar palavras que tenham a letra A (o que decerto impõe que experimentes frequentemente, e escrutines, o que fores escrevendo, em espécie de controlo contínuo do que no teu texto fique inscrito). Neste segmento entre parênteses, eu próprio não usei nunca a letra A.
  19. 19. Não há limite de linhas, mas, é claro, não será provável que avances muito, se estiveres mesmo a conseguir uma sintaxe gramatical (e, idealmente, quase natural). A partir de certa altura — que assinalarás com dois fortes traços verticais (||) —, o texto poderá prosseguir com a letra A, mas, em compensação, sem E (é mais fácil, apesar de tudo).
  20. 20. b. v o c a t i v o Minha querida Doutora Lurdes, sol desta instituição, minha verdadeira mãe modificador apositivo modificador apositivo
  21. 21. 1. Quem se expressa é uma mulher, que está presa numa cadeia.
  22. 22. 1. Quem se expressa é uma mulher, que está presa numa cadeia. 1.1. «[eu] podia», «[eu] perdi»; «minha; «me».
  23. 23. 1. Quem se expressa é uma mulher, que está presa numa cadeia. 1.1. «[eu] podia», «[eu] perdi»; «minha; «me». 1.1.1 verbos; determinante possessivo; pronome pessoal.
  24. 24. 1. Quem se expressa é uma mulher, que está presa numa cadeia. 1.1. «[eu] podia», «[eu] perdi»; «minha»; «me». 1.1.1 verbos; determinante possessivo; pronome pessoal. 1.2 O narrador é autodiegético (é o herói, o protagonista, da história que narra, usando, naturalmente, a 1.ª pessoa).
  25. 25. TPC — Durante os próximos tempos, evitarei passar tepecês. Deves aproveitar para ir tratando da «tarefa grande», de expressão oral, um microfilme autobiográfico (é essencial ver as instruções para este trabalho em Gaveta de Nuvens). Também é útil ires revendo gramática e verificares se não há trabalhos atrasados que pudesses ainda entregar.

×