<ul><li>Exm.º Senhor </li></ul><ul><li>Presidente da Câmara  Municipal de  Lisboa </li></ul><ul><li>Sancho Dinis Pedro , n...
<ul><li>de 2000 ,  casado ,  agricultor , residente na  Avenida da Liberdade, 100, 3.º Esq.º, 1000-431 Lisboa , vem requer...
<ul><li>melhorar a acomodação de um ca-sal de ornitorrincos que comigo habita, por quem sinto grande afei-ção . </li></ul>...
<ul><li>Em folha solta, escreve um requerimento que apresen-tasses à ESJGF. Embora os requerimentos devam ser textos secos...
<ul><li>(Ou seja: sê o mais  inventivo  possível, sem melindrar o estilo burocrático exigido nem o tornar demasiado invero...
<ul><li>Vê na ficha no manual (p. 67) a Estrutura proposta:  </li></ul><ul><li>abertura  — com  identificação do destinatá...
<ul><li>Tal como fiz no requerimento à Câmara, deves pôr depois um  período adicional, justificativo , a mostrar a pertinê...
<ul><li>Como se diz no mesmo quadro, o requerimento deve usar um registo  cuidado , ser  denotativo  e estar na  3.ª pesso...
<ul><li>Vai até à p. 70 e lê a declaração no canto superior esquerdo. Tal como o requerimento, as  declarações  são textos...
<ul><li>Para os devidos efeitos / Para efeito de ... //   se declara que / declara-se que ...   identificação do declarant...
<ul><li>Na mesma folha em que fizeste o requerimento, escreve a declaração que é pedida no ponto 2 ( «Elabore uma Declaraç...
<ul><li>Esta declaração pode ser menos burocrática e sintética do que a que leste. Embora vás usar a  3.ª pessoa , quem su...
<ul><li>O parágrafo iniciado por «E, por ser verdade, ...» será substituído pelo esclarecimento, por parte do declarante, ...
<ul><li>TPC  — Ler (compreender) as pp. 62-63 (diário de Saramago).   </li></ul>
<ul><li>A  Biblioteca  vai dar continuidade à  Comunidade de Leitores  que nela tem funcionado.  </li></ul><ul><li>Assim, ...
<ul><li>as reunião são moderadas pela professora Maria Almira Soares e por um grupo de três alunos que com ela trabalharão...
<ul><li>Se quiseres inscrever-te, fala comigo (tenho um impresso — onde registarei o teu nome, turma e horário preferido —...
 
<ul><li>p. 65 </li></ul>
<ul><li>1. V;  </li></ul><ul><li>2.  F ;  </li></ul><ul><li>3. V;  </li></ul><ul><li>4. V;  </li></ul><ul><li>5.  F ;   </...
<ul><li>6. V;  </li></ul><ul><li>7. V;  </li></ul><ul><li>8. V;  </li></ul><ul><li>9. V;  </li></ul><ul><li>10.  F ;  </li...
<ul><li>11. V;  </li></ul><ul><li>12.  F ;  </li></ul><ul><li>13. V;  </li></ul><ul><li>14.  F ;  </li></ul><ul><li>15. V;...
<ul><li>16. V;  </li></ul><ul><li>17. V;  </li></ul><ul><li>18. V;  </li></ul><ul><li>19. V;  </li></ul><ul><li>20.  F ;  ...
<ul><li>21. V;  </li></ul><ul><li>22. V;  </li></ul><ul><li>23. V;  </li></ul><ul><li>24.  F ;  </li></ul><ul><li>25. V;  ...
<ul><li>26.  F ; </li></ul><ul><li>27. V;  </li></ul><ul><li>28.  F ;  </li></ul><ul><li>29. V;  </li></ul><ul><li>30. V. ...
 
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 57 58

485 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
485
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 57 58

  1. 3. <ul><li>Exm.º Senhor </li></ul><ul><li>Presidente da Câmara Municipal de Lisboa </li></ul><ul><li>Sancho Dinis Pedro , nascido em 14 de Janeiro de 1960 , na freguesia de São Sebastião da Pedreira , con-celho de Lisboa , filho de Martim Gomes Pedro e de Urraca Mafalda Dinis , portador do BI n.º 123456789 , passado pelo Arquivo de Identifica-ção de Lisboa , em 29 de Fevereiro </li></ul>
  2. 4. <ul><li>de 2000 , casado , agricultor , residente na Avenida da Liberdade, 100, 3.º Esq.º, 1000-431 Lisboa , vem requerer a V. Ex.ª que autorize a demolição de duas paredes do apartamento supracitado, bem como a abertura de uma janela na parede de uma das casas de banho. A referida obra, cujo projecto se anexa, destina-se a </li></ul>
  3. 5. <ul><li>melhorar a acomodação de um ca-sal de ornitorrincos que comigo habita, por quem sinto grande afei-ção . </li></ul><ul><li>Pede deferimento. </li></ul><ul><li>Lisboa, 25 de Dezembro de 2007 </li></ul><ul><li>Sancho Dinis Pedro </li></ul>
  4. 6. <ul><li>Em folha solta, escreve um requerimento que apresen-tasses à ESJGF. Embora os requerimentos devam ser textos secos, tenta especi-ficar ao máximo a sua nature-za e a situação que leva o requerente a apresentá-lo. </li></ul>
  5. 7. <ul><li>(Ou seja: sê o mais inventivo possível, sem melindrar o estilo burocrático exigido nem o tornar demasiado inverosímil ou estapafúrdio. Faz que do requerimento se possa inferir um contexto, uma peripécia.) </li></ul>
  6. 8. <ul><li>Vê na ficha no manual (p. 67) a Estrutura proposta: </li></ul><ul><li>abertura — com identificação do destinatário (vê as formas de tratamento sugeridas no mesmo quadro). </li></ul><ul><li> encadeamento — identificação do requerente ; o objectivo do requerimento escolhê-lo-ás entre os que estão em Natureza (a que se seguirá porém maior especificação) e será precedido por «solicita a V. Ex.ª»/«requere a V. Ex.ª»/«vem requerer a V. Ex.ª». </li></ul>
  7. 9. <ul><li>Tal como fiz no requerimento à Câmara, deves pôr depois um período adicional, justificativo , a mostrar a pertinência do requerimento. </li></ul><ul><li>fecho — pedido de deferimento ; data ; assinatura . </li></ul>
  8. 10. <ul><li>Como se diz no mesmo quadro, o requerimento deve usar um registo cuidado , ser denotativo e estar na 3.ª pessoa (embora seja assinado por quem «narra»). </li></ul>
  9. 11. <ul><li>Vai até à p. 70 e lê a declaração no canto superior esquerdo. Tal como o requerimento, as declarações são textos estereotipados, seguem fórmulas burocráticas fixas (cujo sentido original, por vezes, já nem percebemos). A estrutura comum é esta: </li></ul>
  10. 12. <ul><li>Para os devidos efeitos / Para efeito de ... // se declara que / declara-se que ... identificação do declarante + facto sobre que incide a informação </li></ul><ul><li>E, por ser verdade e me ter sido pedido, emite-se esta declaração, que vai ... </li></ul><ul><li>local, data </li></ul><ul><li>responsável do serviço que certifica a informação </li></ul>
  11. 13. <ul><li>Na mesma folha em que fizeste o requerimento, escreve a declaração que é pedida no ponto 2 ( «Elabore uma Declaração, na qual manifeste a sua inocência num incidente ocorrido dentro da sala de aula» ). </li></ul>
  12. 14. <ul><li>Esta declaração pode ser menos burocrática e sintética do que a que leste. Embora vás usar a 3.ª pessoa , quem subscreve (assina) o documento será o próprio aluno envolvido no incidente (e não um serviço administrativo). </li></ul><ul><li>Inventarás todo o contexto ( nome do aluno e os seus dados essenciais, escola, turma, etc . ); o incidente a que o declarante aludirá terá de ser por ti criado. </li></ul>
  13. 15. <ul><li>O parágrafo iniciado por «E, por ser verdade, ...» será substituído pelo esclarecimento, por parte do declarante, das circunstâncias do incidente . </li></ul>
  14. 16. <ul><li>TPC — Ler (compreender) as pp. 62-63 (diário de Saramago). </li></ul>
  15. 17. <ul><li>A Biblioteca vai dar continuidade à Comunidade de Leitores que nela tem funcionado. </li></ul><ul><li>Assim, pede-se aos alunos que gostam de ler e de trocar as suas experiências de leitura com outros colegas que se inscrevam como membros desta comunidade. </li></ul>
  16. 18. <ul><li>as reunião são moderadas pela professora Maria Almira Soares e por um grupo de três alunos que com ela trabalharão; </li></ul><ul><li>o prazo de leitura de cada livro é de cerca de um mês; </li></ul><ul><li>a proposta do livro a ler é feita por escolha conjunta da professora e da comissão de alunos; </li></ul><ul><li>o dia e a hora das reuniões será concertado de acordo com a disponibilidade dos inscritos. </li></ul>
  17. 19. <ul><li>Se quiseres inscrever-te, fala comigo (tenho um impresso — onde registarei o teu nome, turma e horário preferido — que farei chegar à Professora M.ª Almira Soares / Biblioteca). </li></ul>
  18. 21. <ul><li>p. 65 </li></ul>
  19. 22. <ul><li>1. V; </li></ul><ul><li>2. F ; </li></ul><ul><li>3. V; </li></ul><ul><li>4. V; </li></ul><ul><li>5. F ; </li></ul>
  20. 23. <ul><li>6. V; </li></ul><ul><li>7. V; </li></ul><ul><li>8. V; </li></ul><ul><li>9. V; </li></ul><ul><li>10. F ; </li></ul>
  21. 24. <ul><li>11. V; </li></ul><ul><li>12. F ; </li></ul><ul><li>13. V; </li></ul><ul><li>14. F ; </li></ul><ul><li>15. V; </li></ul>
  22. 25. <ul><li>16. V; </li></ul><ul><li>17. V; </li></ul><ul><li>18. V; </li></ul><ul><li>19. V; </li></ul><ul><li>20. F ; </li></ul>
  23. 26. <ul><li>21. V; </li></ul><ul><li>22. V; </li></ul><ul><li>23. V; </li></ul><ul><li>24. F ; </li></ul><ul><li>25. V; </li></ul>
  24. 27. <ul><li>26. F ; </li></ul><ul><li>27. V; </li></ul><ul><li>28. F ; </li></ul><ul><li>29. V; </li></ul><ul><li>30. V. </li></ul>

×