O REAL EDIFÍCIO DE MAFRA
O      Real        Edifício      de
Mafra, construído entre 1717 e
1737, é constituído por um
convento, um palácio e uma
b...
A localização do edifício foi escolhida pelo próprio rei, privilegiando o contacto com a
Natureza e a caça, seguindo a ten...
Panorâmica aérea
Com a construção desta obra, que ocupou               de forma permanente 13.000
operários, chegando aos 30.000 no final, ...
Com os seus 220m de comprimento, a fachada principal domina todo o conjunto.




“O edifício tem 45.000 portas e janelas, ...
É possível identificar,
nos elementos
arquitectónicos, as
seguintes influências:
1. os torreões cobertos
por cúpulas bolbo...
Torreão norte (aposentos do rei)
Torreão sul (aposentos da rainha)
2. o frontão triangular na
fachada da basílica, de
influência clássica;
Frontão triangular (fachada da basílica)
3. a grande cúpula
(zimbório) da basílica, que
segue o modelo
renascentista da Basílica de
S. Pedro;
Zimbório (vista a partir do cruzeiro)
Vista para o altar-mor a partir da varanda interior do zimbório
4. o edifício de três andares, segundo a matriz do palácio barroco;
5. os janelões com a presença de elementos das ordens clássicas – pilastras e frontões.
Ladeada pelas alas do palácio, a basílica organiza-se em três naves (onde impera a
ordem coríntia da nave central) e trans...
Um dos órgãos da basílica
O edifício, no seu
conjunto, transmite
uma certa “frieza” e
      algum
racionalismo, mas
   não deixa de
seduzir pelos jo...
Claustro (e jardim central) do convento
Uma das celas dos frades (franciscanos)
Uma das salas do palácio
A Sala de Audiências (ou Sala do Trono)
A “real” sanita…
A biblioteca (com cerca de 40.000 volumes)
Da imponência arquitectónica à magnificência escultórica, da sumptuosa decoração
à dignidade dos materiais, o Real Edifíci...
Produção:
                                                               Professor José Couto/2008
                       ...
Real Edificio De Mafra
Real Edificio De Mafra
Real Edificio De Mafra
Real Edificio De Mafra
Real Edificio De Mafra
Real Edificio De Mafra
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Real Edificio De Mafra

3.726 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Tecnologia
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.726
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.892
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
88
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Real Edificio De Mafra

  1. 1. O REAL EDIFÍCIO DE MAFRA
  2. 2. O Real Edifício de Mafra, construído entre 1717 e 1737, é constituído por um convento, um palácio e uma basílica. Mandado construir pelo rei D. João V , como pagamento de promessa pelo nascimento de um herdeiro ao trono, o edifício foi o maior empreendimento económico e artístico do seu reinado. Foi projectado pelo arquitecto alemão Ludovice , ocupou uma área de 40.000m2 e assumiu-se como uma obra de regime.
  3. 3. A localização do edifício foi escolhida pelo próprio rei, privilegiando o contacto com a Natureza e a caça, seguindo a tendência das cortes europeias que tinham como referência o Palácio de Versalhes.
  4. 4. Panorâmica aérea
  5. 5. Com a construção desta obra, que ocupou de forma permanente 13.000 operários, chegando aos 30.000 no final, vindos de todas as partes do reino, como conta José Saramago, na sua obra Memorial do Convento (1982), D. João V transformou a pequena localidade numa cidade de milhares de habitantes.
  6. 6. Com os seus 220m de comprimento, a fachada principal domina todo o conjunto. “O edifício tem 45.000 portas e janelas, 880 salas, 2 torres de 68 metros de altura e 144 sinos, 1 zimbório e 2 torreões tão vastos que no andar de qualquer deles se aloja a família real quando vai caçar a Mafra”. Ramalho Ortigão
  7. 7. É possível identificar, nos elementos arquitectónicos, as seguintes influências: 1. os torreões cobertos por cúpulas bolbosas, que mostram traços da influência barroca alemã e austríaca;
  8. 8. Torreão norte (aposentos do rei)
  9. 9. Torreão sul (aposentos da rainha)
  10. 10. 2. o frontão triangular na fachada da basílica, de influência clássica;
  11. 11. Frontão triangular (fachada da basílica)
  12. 12. 3. a grande cúpula (zimbório) da basílica, que segue o modelo renascentista da Basílica de S. Pedro;
  13. 13. Zimbório (vista a partir do cruzeiro)
  14. 14. Vista para o altar-mor a partir da varanda interior do zimbório
  15. 15. 4. o edifício de três andares, segundo a matriz do palácio barroco;
  16. 16. 5. os janelões com a presença de elementos das ordens clássicas – pilastras e frontões.
  17. 17. Ladeada pelas alas do palácio, a basílica organiza-se em três naves (onde impera a ordem coríntia da nave central) e transepto, apresentando vasta decoração de mármores policromos.
  18. 18. Um dos órgãos da basílica
  19. 19. O edifício, no seu conjunto, transmite uma certa “frieza” e algum racionalismo, mas não deixa de seduzir pelos jogos de luz e sombra.
  20. 20. Claustro (e jardim central) do convento
  21. 21. Uma das celas dos frades (franciscanos)
  22. 22. Uma das salas do palácio
  23. 23. A Sala de Audiências (ou Sala do Trono)
  24. 24. A “real” sanita…
  25. 25. A biblioteca (com cerca de 40.000 volumes)
  26. 26. Da imponência arquitectónica à magnificência escultórica, da sumptuosa decoração à dignidade dos materiais, o Real Edifício de Mafra concretiza o conceito de “obra de arte total”, convergindo todas as artes num mesmo discurso estético, plástico e conceptual, contribuindo para a mais extraordinária manifestação de glória e absolutismo do soberano.
  27. 27. Produção: Professor José Couto/2008 Música: «Allegro», 1º tempo do Concerto de Brandenburgo nº 4 (BWV 1049), de Johann Sebastian Bach HNH International, 1985

×