Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia – INPA                            Coordenação de Biodiversidade – CBIO        ...
Introdução    Estoques pesqueiros ¹Os estoques pesqueiros são limitadose renováveis ³.Diversos são os fatores que podem re...
Introdução   Métodos para verificar as condições biológicas dos estoques pesqueiros estão   sendo utilizados ⁴.           ...
Introdução                             Relação peso-comprimento                   Estimativa do peso correspondente à um d...
Introdução             A relação peso-comprimento indica diferentes tipos de incremento.   alométrico                     ...
Introdução             6
Introdução             7
Justificativa  O crescimento entre indivíduos da mesma espécie pode ser diferente?        A relação peso-comprimento entre...
Objetivos               Determinar a relação peso-comprimento de  Geral        espécimes de peixes jovens e adultos captur...
Área de Estudo        Jaitêua (03˚13’901’’ S e 60˚44’326’’ W)        São Lourenço (03˚17’555’’ S e 60˚43’759’’ W)         ...
Material e métodos                      Mensalmente de julho de 2006 a julho de 2007 e bimestralmente de 2007 até    Colet...
Material e métodos   Relação peso-comprimento                                          W = peso total dos peixes;         ...
Material e métodos   Seleção e análise das espécies de peixes         Serão selecionadas as espécies de peixes mais abunda...
Material e métodos Seleção e análise das espécies de peixes                                     ?                         ...
Objetivos específicos1                 Metas2                                  Indicadores3Determinar a curva da relação p...
MêsAtividade                                                     A   S   O   N   D   J   F   M   A   M   J   JRevisão e el...
Referências citadas   FAO (Food And Agriculture Organization). 2012. Defining fishery stocks. Disponível em:              ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Relação peso-comprimento de espécies de peixes de lagos de várzeas, Amazonas, Brasil

2.426 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.426
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relação peso-comprimento de espécies de peixes de lagos de várzeas, Amazonas, Brasil

  1. 1. Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia – INPA Coordenação de Biodiversidade – CBIO Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica – PIBIC Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq Relação peso-comprimento de espécies depeixes de lagos de várzeas, Amazonas, BrasilAluno: Luigi Dieb Magalhães (Engenharia de Pesca – UFAM), bolsista INPA/CNPqOrientadora: Maria Gercilia Mota Soares – INPA/CBIO Manaus, Amazonas - 2012
  2. 2. Introdução Estoques pesqueiros ¹Os estoques pesqueiros são limitadose renováveis ³.Diversos são os fatores que podem reduziros estoques pesqueiros. sawmengzhi.blogspot.com.br/2011/01 reprodução Interações biológicas crescimento Os recursos pesqueiros possuem importância ecológica e econômica. comercial Pesca subsistência¹ FAO 2012; ² Latine 2002 2
  3. 3. Introdução Métodos para verificar as condições biológicas dos estoques pesqueiros estão sendo utilizados ⁴. Estimativas biológicas Dinâmica populacional Biologia reprodutivaEstimativa de crescimento; Período de reprodução; Taxa de mortalidade; Maturação gonadal; Recrutamento por pesca. Índices. Relação peso-comprimento⁴ Sparre e Venema 1997 3
  4. 4. Introdução Relação peso-comprimento Estimativa do peso correspondente à um dado comprimento ⁶. Os parâmetros são usados com diferentes propósitos. Índice de bem-estar Equação de ajuste do crescimento ⁶ Froese 2006 4
  5. 5. Introdução A relação peso-comprimento indica diferentes tipos de incremento. alométrico isométrico alométrico negativo positivo b=3 b<3 b>3 5
  6. 6. Introdução 6
  7. 7. Introdução 7
  8. 8. Justificativa O crescimento entre indivíduos da mesma espécie pode ser diferente? A relação peso-comprimento entre os sexos é diferente? 8
  9. 9. Objetivos Determinar a relação peso-comprimento de Geral espécimes de peixes jovens e adultos capturados em lagos de várzea, Lago Grande de Manacapuru, AM. Determinar a curva da relação peso- comprimento de acordo com o sexo e tamanho dos peixes de cada espécie (jovens e adultos); Específicos Determinar o tipo de crescimento das espécies selecionadas. 9
  10. 10. Área de Estudo Jaitêua (03˚13’901’’ S e 60˚44’326’’ W) São Lourenço (03˚17’555’’ S e 60˚43’759’’ W) 10
  11. 11. Material e métodos Mensalmente de julho de 2006 a julho de 2007 e bimestralmente de 2007 até Coletas abril de 2008. “Biologia e ecologia de peixes de lago de várzea: subsídios para a conservação e uso dos recursos pesqueiros da Amazônia” Expostas por 24 h Uso de Chaves ⁷ ⁸ Malhadeiras Malhas de 20 a 100 mm Despescas a cada 6 hrs Comprimento padrão (cm) Peso (gr)⁷ Géry 1977; ⁸ Ferreira et al. 1998 11 Fotos: LEPA/INPA
  12. 12. Material e métodos Relação peso-comprimento W = peso total dos peixes; L= comprimento padrão. a = coeficiente aritmético da relação peso-comprimento; b = expoente da forma aritmética da relação peso-comprimento. ⁹,⁶, ;: a é o intercepto da forma logarítmica da relação peso-comprimento; b torna-se a inclinação da regressão linear da função na forma logarítmica. ⁹,⁶, ;: Teste t de Student (b=3), nível de significância de 5% ¹¹.⁹ Keys 1928 apud ⁶ Froese 2006; ;: Le Cren 1951; ¹¹ Zar 2010. 12
  13. 13. Material e métodos Seleção e análise das espécies de peixes Serão selecionadas as espécies de peixes mais abundantes nos lagos analisados; Categorias: jovens e adultos, machos e fêmeas; Estimativa do índice de primeira maturação gonadal, L50 ¹²; Comparação através de análise estatística¹¹ para saber se existe diferença significativa na relação peso-comprimento dos diferentes estágios de vida e sexo.¹² Vazzoler 1996 13
  14. 14. Material e métodos Seleção e análise das espécies de peixes ? 14
  15. 15. Objetivos específicos1 Metas2 Indicadores3Determinar a curva da relação peso- 1 semestre. Seleção das espécies.comprimento de acordo com o sexo e 1 semestre. Curvas da relação peso-tamanho dos peixes de cada espécie comprimento, conforme o sexo e(jovens e adultos); tamanho de metade das espéciesDeterminar o tipo de crescimento das selecionadas.espécies selecionadas 1 semestre. Tipo de crescimento de metade das espécies selecionadas 2 semestre. Curvas da relação peso- comprimento, conforme o sexo e Número de espécies selecionadas; tamanho de outra metade das espécies selecionadas. Numero de curva da relação peso- 2 semestre. Tipo de crescimento de comprimento; outra metade das espécies selecionadas Tipos de crescimento para as espécies 2 semestre. Apresentações em selecionadas; congresso até o final do projeto (Agosto de 2013). Apresentação dos resultados em congresso. Apresentação dos resultados em congressos. 15
  16. 16. MêsAtividade A S O N D J F M A M J JRevisão e elaboração de um arquivo bibliográfico R R R R X X X X X X XTabulação de dados R R R RAnálise e determinação da relação peso-comprimento R R X Xdas espécies de peixes selecionadas.Análise e determinação da relação peso-comprimento X X X Xdas outras espécies de peixes selecionadas.Elaboração do relatório parcial X XElaboração do relatório final X XApresentação em congresso R 16
  17. 17. Referências citadas FAO (Food And Agriculture Organization). 2012. Defining fishery stocks. Disponível em: http://www.fao.org/fishery/en Ferreira, E.J.G.; Zuanon, J.A.S.; Santos, G.M. 1998. Peixes comerciais do médio Amazonas: Região de Santarém, Pará. IBAMA. Brasília. 211pp. Froese, R. 2006. Cube law, condiction faxtor and weight-length relationships: history, meta-analysis and recommendations. Journal of Applied Ichthyology, 22: 241-253. Géry, J. 1977. Characoids of the world. T.F.H. Publications, Inc., N.J. 672 pp. Le Cren, E.D. 1951. The length-weight relationship and seasonal cycle in gonadal weight in the perch (Perca fluviatilis). Journal Of Animal Ecology, 2: 201-219. Keys, A.B. 1928. The weight-length relationship in fishes. Proceedings of the National Academy of Science. XIV (12): 922-925. Sparre, P.; Venema, S.C. 1997. Introdução à avaliação de mananciais de peixes tropicais. Parte 1: Manual. FAO, Roma. Vazzoler, A.E.A.M. 1996. Biologia da reprodução de peixes teleósteos: Teoria e prática. EDUEM, Maringá, SBI, São Paulo. Zar, J.H. 2010. Bioestatical analysis, Fifth edition. New Jersey: Prentice-Hall. 945 pp. TÁ FALTANDO LATINI, 2002. 17

×