Romantismo às avessas: o amor na pós-modernidade e
em tempos de Spotted
Cabral, Luma; Titulação; Pontifícia Universidade C...
Considerações sobre a pós­modernidade
        O primeiro ponto a ser considerado para compreensão do tema é apresentado po...
laço humano estaria encaixado no conceito romântico de amor, onde um compromisso com a pessoa
amada é firmado e se espera ...
 exemplo de postagem na página Spotted PUC­Rio
 mais comentários referentes à postagem da mensagem da imagem anterior
Nas ...
diversas visões sobre aquilo que é postado, provenientes de seu repertório pessoal. Essa postura entra                    ...
Inclusive, a mesma pessoa pode mandar mensagem para diversas outras e o anonimato da página o
protegerá de um possível jul...
Referências
HARVEY, David. Condição pós­moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural.
13ed. São Paulo: Loyol...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Artigo spotted e pós modernismo corrigido

244 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
244
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Artigo spotted e pós modernismo corrigido

  1. 1. Romantismo às avessas: o amor na pós-modernidade e em tempos de Spotted Cabral, Luma; Titulação; Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro lumacabralfarias@gmail.com Resumo Este artigo visa a analisar como a busca pela relação amorosa na contemporaneidade se altera a partir da mudança do registro privado para público. O objeto de estudo é a página “Spotted PUC­Rio” e a análise foi feita a partir das reflexões de David Harvey no livro “Condição pós­moderna” e de uma entrevista de 2011 concedida pelo sociólogo Zygmunt Bauman, onde fala sobre alguns pontos da pós­modernidade. A análise se focará no porquê e no tipo de conteúdo enviado pelo público para ser postado em anônimo na página. Também foi analisada, de forma breve, como a reação do público manifestada através de comentários na respectiva mensagem postada se assemelha à visão do filósofo Theodor Adorno sobre a experiência estética do sujeito perante a arte contemporânea considerada autônoma. Palavras Chave: Spotted; pós­modernidade; privacidade e auto­imagem.
  2. 2. Considerações sobre a pós­modernidade         O primeiro ponto a ser considerado para compreensão do tema é apresentado por Harvey, no capítulo 17 do livro “Condição pós­moderna”. Ele aborda que a tecnologia alterou a compreensão de tempo e espaço, nitidamente percebida pelos trabalhadores na intensificação dos processos de trabalhos que resultam em uma desqualificação do serviço. Também foi alterado o modo como o homem sente e age dentro desse novo contexto, sobretudo pelo aperfeiçoamento dos sistemas de informação e diversificação dos produtos oferecidos. As alterações no sistema de produção refletem em diversos aspectos subjetivos, como por exemplo, a virtuosidade do instantâneo e volátil que se apresenta em diversos aspectos da vida cotidiana: modas, pensamentos, relacionamentos, dentre outros, atingindo o que é descrito por “a experiência cotidiana comum do indivíduo”. A fragmentação do sujeito é um dos aspectos mais proeminentes no pós­modernismo e perpassa por âmbitos variados e, juntamente com a propagação de novos meios de socializar através da internet, como será exemplificado através da página Spotted. No vídeo de Bauman(2011), essa fragmentação é exemplificada através do conhecido “projeto de vida” que hoje em dia soa anacrônico, visto que os jovens se sentem na liberdade de transitar e escolher novos caminhos o tempo todo, ou seja, o propósito e significado da própria vida são renovados constantemente. Já na questão do público e privado, Bauman fala sobre os talk­shows (que facilmente podemos traçar uma analogia com o “Spotted”) onde as pessoas dão sua opinião, interferem na dinâmica e, com essas interferências, se tornam autores do resultado final compreendido pelo grande público. Tanto nos talk­shows quanto no “Spotted”, há uma transmutação do sentido de público e privado. Coisas até então que pertenciam ao particular e íntimo agora são confessadas para milhares de pessoas, ainda que protegidas pelo anonimato. É o chamado “microfone no confessionário”. As relações amorosas no mundo pós­moderno          A reflexão de Bauman sobre o conceito de redes e laços humanos também ajuda a exemplificar o Spotted no contexto do relacionamento amoroso. Os laços humanos são criados a partir do contexto no qual o indivíduo vive e suas experiências reais. Já as amizades e relacionamentos gerados a partir da internet têm a característica da facilidade de “conectar” e “desconectar”. É fácil iniciar algo assim como encerrar. Nessa perspectiva, podemos compreender a efemeridade das “paixões” que são divulgadas através de mensagens na página. Caso a pessoa desejada não se identifique ou não demonstre interesse, o remetente precisa apenas “desconectar” daquela situação e seguir em frente, possivelmente, investindo em alguma outra pessoa que tenha lhe chamado a atenção pelos corredores da PUC­Rio. O
  3. 3. laço humano estaria encaixado no conceito romântico de amor, onde um compromisso com a pessoa amada é firmado e se espera que seja para sempre. No conceito de rede, segundo Bauman, estamos ao mesmo tempo sozinhos, por não possuir alguém em quem depositar toda a confiança, mas também cercados por uma multidão, composta de “cliques” na rede, que podem ser facilmente revertidos caso a relação não se mostre interessante. Esse conceito também pode ser relacionado ao apresentado por Beatriz Sarlo no livro “Cenas da vida pós­moderna: intelectuais, arte e videocultura na Argentina”. O conceito de “zapping” trazido pela autora diz quanto à volatilidade com a qual experienciamos imagens, pessoas e informações, deixando de ter um grande impacto na nossa vida e compreensão e passando a ser apenas “mais uma na multidão”. Essa experiência acaba por baixar o senso crítico e a capacidade de admiração ou susto da pessoa. Tal fenômeno é visto no Spotted, onde as pessoas não se incomodam mais com cantadas que poderiam soar absurdas do ponto de vista moral e de valores. A geração Spotted não se surpreende com o que pode vir a ser postado na página, mas ainda assim, julga o conteúdo a partir do seu repertório de valores. O Spotted PUC­Rio O “Spotted PUC­Rio” é uma página no Facebook cujo foco é o envio de mensagens com conteúdo                                majoritariamente romântico, que são postados, deixando o remetente em anônimo. Sendo assim, a                        “cantada” é lançada para o público (atualmente, com mais de 13mil seguidores na página) e eles se                                encarregam de identificar o destinatário e julgar a mensagem. É possível perceber que a dinâmica do                              relacionamento sofreu nítidas mudanças. A pessoa que envia não está procurando um amor duradouro,                          está atrás de uma relação efêmera, que é intermediada por uma multidão. As pessoas que comentam no                                post são responsáveis por criar julgamentos e interpretações para o mesmo, fazendo com que, quando o                              destinatário perceber que aquela mensagem é endereçada para ele, leia os comentários e, mesmo que                            subjetivamente, “filtre” a mensagem original a partir da perspectiva apresentada por terceiros. No vídeo,                          Bauman cita o termo prosumer que diz respeito ao indivíduo social que é produtor e consumidor,                              criticando e consumindo informações ao mesmo tempo. Esta terminologia se aplica ao modo como os                            usuários da página interagem com o conteúdo: muitas vezes, comentam de forma divertida a “cantada”                            lançada, mas também assumem posturas moralistas quanto à manifestação de outrem. Abaixo, um                        exemplo de mensagem publicada na página onde as opiniões dos usuários ora corrorboram ora criticam o                              conteúdo. Neste exemplo, podemos ver valores moralistas sendo colocados, assim como piadas com a                          situação.
  4. 4.  exemplo de postagem na página Spotted PUC­Rio  mais comentários referentes à postagem da mensagem da imagem anterior Nas imagens acima, podemos perceber como os comentários se distanciam e alteram o sentido original                            da mensagem postada. Fazendo uma analogia com o pensamento do filósofo Theodor Adorno sobre a                            experiência estética na arte contemporânea, o sentido da obra é criado a partir dela própria, a partir de                                  um contato sensorial que possibilita inesgotáveis sentidos e interpretações do objeto em questão. Esta                          visão está diretamente relacionada com o fato de que as pessoas que comentam na mensagem possuem                             
  5. 5. diversas visões sobre aquilo que é postado, provenientes de seu repertório pessoal. Essa postura entra                            em contraponto com a contemplação da chamada “arte tradicional” que possui funções claras e                          determinadas, assim como as antigas cartas de amor. Não apenas cartas podem ser usadas em                            comparação com Spotted, os torpedos (SMS) que se popularizaram na virada do milênio, ainda                          possuíam características semelhantes, pois, mesmo se tratando de uma mensagem curta, ainda era um                          contato direto com a pessoa desejada. Uma carta de amor ou uma mensagem no Spotted? A postura do remetente tem características peculiares, que, quando comparadas com o modo tradicional de relacionamento amoroso, se mostram bastante marcadas pelos efeitos do pós­modernismo. Na tabela esquemática apresentada por David Harvey (página 48) podemos identificar itens que se alteram do modernismo para o pós­modernismo. Abaixo, estão listados os mais relevantes para a análise: Na relação amorosa tida como tradicional, o ser amado era mantido a certa distância e longas cartas apaixonadas, onde se desejava casamento e prometia o amor eterno era a forma de comunicação. No Spotted, percebemos que a multidão participa do processo de “flerte” onde uma pessoa anônima tenta conquistar outra descrevendo suas características (que podem ser físicas ou até mesmo usar a descrição de bens materiais, como marca de celular, de carro, roupa dentre outras). Um fato interessante é que, mesmo quando o remetente sabe o nome da pessoa para quem deseja enviar a mensagem, ele não revela, seja para não expor o destinatário, seja para participar do jogo de adivinha que impulsiona os membros da página a comentarem e participarem da cantada.. A pessoa amada como centro da relação também é uma característica que caiu por terra nas relações pós­modernas exemplificadas neste artigo. Hoje, o sujeito pode estar apaixonado e em pouco tempo, se desencantar.
  6. 6. Inclusive, a mesma pessoa pode mandar mensagem para diversas outras e o anonimato da página o protegerá de um possível julgamento por terceiros. A profundidade do conteúdo das cartas de amor e dos ‘spotteds’ também difere nitidamente. As mensagens na página do facebook são recheadas de humor, piadas e trocadilhos com músicas, livros e gostos populares, muitas vezes utilizados para se aproximar da pessoa desejada. Por exemplo, o remetente sabe que a pessoa é fã de alguma banda e envia uma mensagem composta por trocadilhos com os nomes das músicas dessa banda. Já a indeterminação e fugacidade do desejo podem ser analisadas sob a perspectiva de Bauman e comparadas com o tipo de relacionamento amoroso recorrente no Spotted. Os laços humanos são criados a partir do contexto no qual o indivíduo está. Já as amizades e relacionamentos gerados a partir da internet possuem a facilidade do ato de “conectar” e “desconectar”. Iniciar ou encerrar uma relação se torna fácil e corriqueiro. Nessa perspectiva, podemos compreender a efemeridade das “paixões” que são divulgadas através de mensagens na página. Caso a pessoa desejada não se identifique ou não demonstre interesse, o remetente precisa apenas “desconectar” daquela situação e seguir em frente, possivelmente, investindo em alguma outra pessoa que tenha lhe chamado a atenção pelos corredores da PUC­Rio. O laço humano estaria encaixado no conceito romântico de amor, onde um compromisso com a pessoa amada é firmado e se espera que seja para sempre. O sujeito que envia uma mensagem no Spotted dificilmente está interessado em algo mais profundo ou que dure eternamente. O objetivo e desejo são efêmeros, podendo ter o seu fim em um dia ou duas semanas. Conclusão A partir da análise feita, é possível identificar alguns pontos de diferença entre o relacionamento amoroso antigamente e atualmente, oriundo de um mundo pós­moderno onde as visões e expectativas perpassam diversos elementos da vida, como por exemplo, o uso das tecnologias e a velocidade com a qual a informação é difundida. A partir do momento em que o amor vai de encontro ao mundo tecnológico (considerando o Spotted como um exemplo de dinâmica amorosa inserida neste contexto), precisa se adequar às dinâmicas que envolvem esta esfera além de criar as suas próprias, visto que se trata de uma atividade relativamente nova. Se, no campo da cultura a troca promovida pelos meios de comunicação e a fragmentação do sujeito pós­moderno possuem inúmeros pontos positivos, no âmbito das relações humanas se torna questionável, pois a interferência da multidão e anonimato do remetente pode estar escondendo, dificultando ou transmutando intenções boas ou até mesmo ruins. A ideia de fragmentação soa interessante na perspectiva individual do sujeito, visto que o torna multifacetado e mutável, mas ao se tratar de relações humanas, pode vir a ser um sintoma de uma geração com dificuldades para construir laços duradouros e, sobretudo, construir a capacidade de confiar verdadeiramente em alguém.
  7. 7. Referências HARVEY, David. Condição pós­moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. 13ed. São Paulo: Loyola, 2004. SARLO, Beatriz. Cenas da vida pós­moderna: intelectuais, arte e videocultura na Argentina. 3ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2004. Spotted PUC­Rio. Disponível em: http://facebook.com/SpottedPUCRio Acesso em 21 jun.2013 Entrevista exclusiva: Zygmunt Bauman. Disponível em: <http://vimeo.com/27702137> Acesso em 21 jun.2013

×