Resgatar uma história (Luis Felipe Ulloa)

403 visualizações

Publicada em

Aplicação do método de Revisão de Experiências com vista ao futuro (REI-F) na aula de História de América III, na Universidade Federal do Paraíba (UFPB/Joâo Pessoa, Brasil). A trilha por o Professor: Luis Felipe Ulloa

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
403
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resgatar uma história (Luis Felipe Ulloa)

  1. 1. Resgatar uma história Insumo metodológico #02- America III. UFPB João Pessoa, PB, Brasil Prof. Luis Felipe Ulloa F. luisfelipeulloa@gmail.com Orig: 07 Fevereiro 2013 Novo:.....................
  2. 2. LEMBRANÇASLuis Felipe Ulloa
  3. 3. (RE-)CONSTRUIR um DESENVOLVIMENTO HISTÓRICO Uma Situação (Sx) Aprendizagem Um Proceso (Px) Um Tema (Tx) Teorização Ferramentas do método REI-F (Revisão de Experiências com Como parte do curso … vista ao Futuro)Luis Felipe Ulloa
  4. 4. A tarefa é resgatar umahistoria O “origem” Etapas Hoje Futuro bonitinhoLuis Felipe Ulloa
  5. 5. Linha da vida F P E1 E1 E2 E3 H EnLuis Felipe Ulloa
  6. 6. Palavraria • Etapa: Cada uma das partes em que podemos dividir o desenvolvimento de uma Sx, um Px, um Tx o uma história. • Ocorrência: Suceso não producido diretamente por a ação das pessoas • Palavraria: Espaço para disponer^/ eferecer das palavras criadas durante uma experincia • Sentilógica: Rezões e sentimentos que podem explicar os atos dos diversos SIJOs • Setor com intereses em jogo (SIJO). Um conjunto de pessoas que coincidem nas razões e/ou intenções dentro de uma Sx, um Px, um Tx o uma históriaLuis Felipe Ulloa
  7. 7. Todos os passos 1. O Futureo 2. A Olhadela aos Atores e tempos. 3. A Coleta 4. A Seleção de sinais de passo. 5. A Descrição do contexto 6. A Aprofundação por etapa. 7. A Contração cerebral. 8. A Perguntaria/Respondaria 9. O Fechar-abrindo e Relatorio.Luis Felipe Ulloa
  8. 8. Passo 1: FUTUREAR Já começaram  Humano SONHAR UM FUTURO  Resiliente  Sinergico  Bonitinho  ………Luis Felipe Ulloa
  9. 9. Idéias de Conteúdo para o 1er futureo (Descrição geral da dinâmica então)(1) Que fazem? e Que fazem diferente?(2) A articulação internacional e nacional com relações horizontais;(3) Os Setores com interesses em jogo e seus protagonistas (Perguntar ao professor);(4) Como é a relação unidade e diversidade;(5) Como é a inclusão?(6) Como incorporam o afetivo?(7) O papel da CELAC.(8) …E vocês? Luis Felipe Ulloa F.
  10. 10. Os outros passos 1. O Futureo 2. A Olhadela aos Atores e os tempos. Determinar a Origem da Sx, Px ou Tx e os Setores com intereses em jogo (SIJOs) 3. A Coleta: Compilar os atos (ações sobre os SIJOs, ações dos SIJOs , reações deles) e as ocorrências pertinentes e relevantes desde a origem até hoje 4. A Seleção de sinais de passo. Ocorrências, ações sob os SIJOs, ações dos SIJOs, ou reações deles, que marcam o fin de um periodo e a entrada a outro definitivamente diferente. Sinais de muda de etapa. 5. A Descrição do contexto dinâmico e pertinente em cada etapa 6. A Aprofundação por etapa. Reordenamento em cada etapa de dos atos e as ocorrências buscando sentilógicas distintas 7. A Contração cerebral. Produção de Afirmações concludentes (Conclusões); Afirmações não concludentes (Hipóteses); Perguntas; descrições de processos; descrições de objetos, perfiles e situações e recomendações direitas. 8. A Perguntaria/Respondaria: Respostas a 2 perguntas dois docentes e minimo dois da equipe. 9. Fechar-abrindo (+Celebração + Relatorio)Luis Felipe Ulloa
  11. 11. Passo 2. UMA OLHADELA AOS ATORES E TEMPOS. 1. Determinar a Origem da Sx, Px ou Tx 2. Estabelecer os Setores com intereses em jogo (SIJOs) Registar as perguntas que os participantes producemLuis Felipe Ulloa
  12. 12. Passo 3: A Coleta 1. Compilar os atos :ações sobre os SIJOs, ações dos SIJOs , reações deles 2. Compilar as ocorrências pertinentes e relevantes desde a origem até hoje Registar as perguntas que os participantes producemLuis Felipe Ulloa
  13. 13. CONTEÚDO DE CADA ETAPA 1. Quem-fiz o a-quem-fizeram que, 2. Como, para que, por que 3. Países/ lugares marcantes 4. Relação dos conceitos de dominação (hegemonia) e resistências. Tensões entre SIJUs 5. Conseqüências 6. Potencialidades 7. Etapas 8. …? …Luis Felipe Ulloa Luis Felipe Ulloa F.
  14. 14. Passo 4. A SELEÇÃO DE SINAIS DE PASSO 1. Também podemos nomear este passo “Definição das sinais de muda de etapa”. 2. Podem ser sinais de passo de uma etapa a otra: 1. Uma Ocorrência 2. Uma Açãe sobre um o mais SIJOs 3. Uma ação dos SIJOs 4. Uma reação deles 5. Uma situação do contexto O importante é que marque o fin de um periodo e a entrada a outro definitivamente diferente.. Registar as perguntas que os participantes producemLuis Felipe Ulloa
  15. 15. Passo 5. A DESCRIÇÃO DO CONTEXTO •Evidenciar os aspectos do contexto pertinentes para “nossa “ Sx, Px ou Tx •Pode haber situações do contexto no político, no económico, no ambiental, no social, no cultural •Uma situação relevante do contexto pode chegar de repente e irse. Ej: Uma doença inesperada e grave de uma protagonista-líder, um terremoto, um assalto à mão armada, um golpe militar. etc •Uma situação relevante do contexto pode permanecer muito tempo, trascender etapas, mais é importante descobrir as mudanzas importantes nela (Ex: O bloqueo a Cuba, Uma ditadura) •Uma situação do contexto pode ser tão relevante que dá o seu nome a uma etapa o é definida como uma sinal de passo da etapa. Registar as perguntas que os participantes producemLuis Felipe Ulloa
  16. 16. Passo 6. A APROFUNDAÇÃO POR ETAPA • Reordenamento em cada etapa dos atos e das ocorrências buscando sentilógicas distintas para as ações e reações dos distintos SIJUs (para-ques´e porque´s desde a lógica e desde os sentimentos) •Nomear as etapas. Nomes com senso, sabor e ritmo (Nós constituimos uma Palavraria). Registar as perguntas que os participantes producemLuis Felipe Ulloa
  17. 17. Passo 7. A CONTRAÇÃO CEREBRAL 1. Momento para os participantes refletir a partir de todas as informações coletadas. 2. Vão produzir: 1. Afirmações concludentes (Conclusões). 2. Afirmações não concludentes (Hipóteses); 3. Perguntas; 4. Descrições de processos; 5. Descrições de objetos, perfiles e situações 6. recomendações diretas. 3. focLuis Felipe Ulloa
  18. 18. Passo 8. A PERGUNTARIA/RESPONDARIA • Também podemos nomear este passo “Perguntatório- Respondatório” –Perguntatório: Tempo e processo para fazer experiências de questonamento e preparar perguntas coletivas –Respondatório: Proceso para encontrar/construir/preparar as respostas para as perguntas priorizadas • Respostas a 2 perguntas dois docentes e minimo 2 da equipe.Luis Felipe Ulloa
  19. 19. Passo 9. O FECHAR-ABRINDO E RELATORIO•Reconhecer a relevancia da experiência, seusresultados e aprendizagens•Devolução dos resultados aos SIJUs pertinentes•Incrementar as possibilidades de convertir osproductos em insumos•Abrir novas opções para os SIJOs participantes•Inclui a celebração
  20. 20. Todos os passos 1. O Futureo 2. A Olhadela aos Atores e tempos. 3. A Coleta 4. A Seleção de sinais de passo. 5. A Descrição do contexto 6. A Aprofundação por etapa. 7. A Contração cerebral. 8. A Perguntaria/Respondaria 9. O Fechar-abrindo e Relatorio.Luis Felipe Ulloa
  21. 21. Temos trabalho!Luis Felipe Ulloa
  22. 22. Outros dois aportes sob REI-F (Etapa I*)• Perguntar a SIMAS : http://www.simas.org.ni/publicacion/cidoc/5807/haciendo-procesos-de-geston-de- riesgo-colectivamente): – Ruiz Mendieta, Beatriz. 2010. Aprendizajes y experiencias sistematizadas del Programa Regional de Gestión de Riesgo y Emergencias: Uma mirada regional 2008-2010. Managua, Programa Regional de Gestión del Riesgo y Emergencias. CAFOD Oficina Centroamérica y México. 29p – Ulloa.F , Luis F. 2010. Lecciones para un Programa Regional de Gesatión de Riesgo (A partir de proyectos de Hinduras, El Salvador y Nicaragua. Managua, Programa Regional de Gestión del Riesgo y Emergencias. CAFOD Oficina Centroamérica y México. (Ver: Metodología Utilizada para sistematización pp 25-31) *Na etapa I: O REI-F posicionou o futuro de maneira clásica occidental: post. Na Etapa II trabalhamos o futuro pre e post.

×