Orações esquema-síntese

33.360 visualizações

Publicada em

Esquema-síntese das orações coordenadas e subordinadas.

Publicada em: Educação
2 comentários
16 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
33.360
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5.616
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.592
Comentários
2
Gostaram
16
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Orações esquema-síntese

  1. 1. FICHA INFORMATIVA SOBRE A FRASE COMPLEXA- ORAÇÕES COORDENADAS E SUBORDINADAS ORAÇÕES COORDENADAS COPULATIVAS DISJUNTIVAS ADVERSATIVAS CONCLUSIVAS EXPLICATIVASC adição alternativa oposição conclusão explicaçãoe ou mas logo poistambém já…já porém poisnem ora…ora todavia portantonão só…mas ou…ou contudo assimtambém/como quer…quer entretanto por conseguinte por consequênciatambém seja…seja não obstantenem…nem seja…ou apesar disso por issotanto…como ainda assim no entanto ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS ADJETIVAS ADVERBIAIS Causais (Não vou contigo porque estou cansado.) Finais (Ele respeita as regras de trânsitoCompletivas Relativas para não ser multado.)(A testemunha declarou que tinha (Traz-me o casaco que comprei Temporaisassistido ao acidente.) ontem.) (Choro sempre que vejo este filme!) Relativas sem antecedente Explicativas Concessivas(Eles comem onde lhes agrada.) (A mãe da noiva, que chorou (A Eva, mesmo estando zangada, durante toda a cerimónia, estava é bonita.) vestida de azul.) Condicionais (Se estás cansado, senta-te!) Comparativas (Ele canta tão bem como dança.) Consecutivas (A poluição é tanta que o rio cheira mal!)  ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS COMPLETIVAS RELATIVAS SEM ANTECEDENTESão introduzidas pelas conjunções que e se* e podem São introduzidas por advérbios relativos (onde, como),desempenhar diferentes funções sintáticas. pelo pronome relativo quem e pelo quantificador relativoExemplos: quanto (tendo ou não preposição antes), usados semAs pessoas desejam que amanhã esteja sol. (C.D.) antecedente, ou seja, sem nenhum nome ou expressão àEspanta-me que ele não tenha vindo. (sujeito) sua esquerda a que estejam associados.Ele esqueceu-se de que tinha deveres de casa. (C.O.)Perguntou-me se eu estava bem. (CD) Exemplos:Etc… Quem desdenha quer comprar. (sujeito) Respeito quem trabalha. (C. Direto)Podem ser infinitivas, isto é, terem o verbo no Este não é quem se pinta. (predicativo do sujeito)infinitivo. Nem sempre se dá valor a quem o merece. (C. Ind)Exemplos: Este jogo foi ganho por quem mereceu. (Compl. Agente daO professor disse para fazerem os exercícios. Passiva)Os alunos admitem ter-lhes corrido bem o exame. Ele precisa de quem o ajude. (Compl. Oblíquo) Ele come a comida onde lhe apetece. (Modificador do NOTA-*Interrogativas indiretas com verbos que grupo verbal) marcam a interrogação: Perguntei-te onde vais. Sabes como correu? Perguntei quanto custou. Etc…
  2. 2. ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS Desempenham funções sintáticas próprias de um adjetivo: são modificadores do nome. Estas orações são introduzidas por palavras relativas (determinantes- cujo; quantificadores- quanto; pronomes- o qual; advérbios- onde, como) e são associadas a um antecedente, ou seja, a uma palavra que vem antes na frase. RESTRITIVAS EXPLICATIVASOs jogadores que terminaram os treinos dirigem-se Estas orações situam-se obrigatoriamente entre vírgulas, pois dão apenas um esclarecimento adicional: Os jogadores, que terminaram os treinos, dirigem-separa os balneários.NOTA:A oração subordinada relativa restritiva segue- para os balneários.se a um nome e restringe o seu sentido,particularizando-o (exerce a função de modificador →Neste caso, todos os jogadores vão para o balneário.restritivo). Com efeito, apenas os jogadores queterminaram os treinos se dirigem para os balneários, NOTA: Exerce a função sintática de modificadornão todos. apositivo (antigo “aposto”).Estas orações podem ser gerundivas:Os artigos que têm defeitos são rejeitados.Os artigos tendo defeitos são rejeitados. ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS CONJUNÇÕES E LOCUÇÕES CONJUNTIVAS (e outras palavras que exercem as mesmas funções - estas estão assinaladas com asterisco) CAUSAIS: TEMPORAIS: FINAIS: CONDICIONAIS: COMPARATIVAS: porque quando que se como que mal para a não ser que conforme como apenas para que a menos que assim como…assim visto que enquanto a fim de salvo se como…assim já que logo que que contanto que também pois que assim que para* desde que bem como por* primeiro que a fim de* caso mais(menos)…do que visto* sempre que … exceto se tão (tanto)…como dado* todas as no caso de* … vezes que … desde que antes que depois que antes de* depois de* … CONCESSIVAS: CONSECUTIVAS: embora que conquanto (de tal modo)…que se bem que (tão)…que ainda que (tanto)… que mesmo que (de tal maneira)… mesmo se que posto que nem que por mais que malgrado* não obstante* apesar de* …
  3. 3. Ficha informativa baseada na Gramática Prática de Português, Lisboa Editora (adap.)A PROFESSORA: Lucinda Cunha
  4. 4. Ficha informativa baseada na Gramática Prática de Português, Lisboa Editora (adap.)A PROFESSORA: Lucinda Cunha
  5. 5. Ficha informativa baseada na Gramática Prática de Português, Lisboa Editora (adap.)A PROFESSORA: Lucinda Cunha

×