História breve da lua guião de leitura

28.670 visualizações

Publicada em

Proposta de abordagem de "História Breve da Lua" de António Gedeão- obra prevista pelas novas metas curriculares para Língua Portuguesa, 8º ano.

Publicada em: Educação
2 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
28.670
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
18.636
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
536
Comentários
2
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

História breve da lua guião de leitura

  1. 1. Agrupamento de Escolas de Ribeira de PenaGUIÃO DE LEITURAHistória Breve da Lua de António GedeãoI1. Lê, com atenção, a lenda indígena que se segue sobre a origem da Lua:Manduka namorava com a sua irmã. Todas as noites ia deitar-se com ela, masnão mostrava o rosto e nem falava, para não ser identificado. A irmã, paradescobrir quem era, passou tinta de jenipapo1no rosto de Manduka.Manduka lavou o rosto, porém a marca da tinta não saiu. Então ela descobriuquem era. Ficou com vergonha, muito zangada e chorou muito. Manduka tambémficou com vergonha pois todos passaram a saber o que ele tinha feito.Então Manduka subiu para uma árvore que ia até ao céu. Depois desceu e foidizer aos Jurunas2que ia voltar para a árvore e não desceria nunca mais. Levouuma cotia3para não se sentir muito só. Aí transformou-se na lua. E é por isso quea lua tem manchas escuras, por causa do jenipapo que a irmã passou emManduka. No meio da lua costuma aparecer uma cotia comendo coco. É a outramancha que a lua tem.http://contosdeadormecer.wordpress.com/2010/08/16/a-lenda-da-origem-da-lua-brasil-norte/(cons. dia 30/03/2013, com adaptações)1. Segundo a lenda que acabaste de ler, como surgiu a lua?2. Que consequências tiveram os atos irresponsáveis de Manduka na imagem da lua?IIEscuta a canção que se segue com atenção- “Lendas e Mistérios” de Maria Cecília e Rodolfo. Deseguida, responde às questões que te são colocadas:1. Que motivo fazia com que o casal do qual fala a canção se encontrasse àsescondidas?2. Quem foi a seu único aliado?2.1.Qual é a explicação dada para o facto de a Lua ficar cheia uma vez por mês?3. Na tua opinião, será esta história verídica? Justifica com uma expressão textual.1Fruto do jenipapeiro;2Indígena dos Jurunas, tribo tupi do Xingu;3Animal do Brasil, parecido com o coelho.1 http://textosintegrais.blogspot.pt
  2. 2. IIIVERIFICAÇÃO DA LEITURA:Para cada uma das situações apresentadas seleciona a opção correta:1. O cenário representaa) um ambiente marítimo.b) uma cena campestre.c) uma paisagem desértica.d) um meio urbano.2. A narradora ouviu a história da Luaa) à avó materna.b) a um tio.c) da mãe.d) de uma vizinha.3. A narradora, quando era criança, julgava que, na Lua, haviaa) um homem a apanhar lenha.b) um astrónomo a observar os planetas.c) uma coruja ou uma vaca.d) meninas a brincar.4. A figura que se vislumbra na Lua pertence a uma) lenhador.b) pescador.c) ferreiro.d) camponês.5. O pobre homem foi castigado pelo Senhor do Mundo pora) andar a trabalhar num domingo.2 http://textosintegrais.blogspot.pt
  3. 3. b) ter roubado maçãs de um pomar.c) ter mentido ao testemunhar em tribunal.d) não ir à missa nos dias santos.6. Após ouvirmos a história breve da Lua, contada pela Narradora, entram em cena duaspersonagens- Agapito e Jerónimo- que se caracterizam por serema) gémeos autênticos.b) saloios azarados.c) muito diferentes.d) entendidos em astronomia.7. Entre Agapito e Jerónimo nasceu uma discussão porque tinham opiniões diferentes sobrea) a fase em que a Lua se situava naquela noite.b) a explicação das manchas da Lua.c) a interferência da Lua nas marés.d) a existência de lobisomens.8. Para observar a Lua, o Astrónomo traz consigo que objetos?a) Uns binóculos de longo alcance.b) Um tripé e um óculo comprido.c) Um mapa do céu no mês de maio.d) Uns óculos com poderes especiais.9. Ao observar a Lua, Jerónimoa) ficou tão satisfeito que quis repetir.b) pediu ao astrónomo que lhe ensinasse mais sobre a Lua.c) afirmou que via uma figura humana.d) quase desmaiou com as tonturas.10. Os dois amigos ficam a saber que o luara) é próprio da Lua.b) vem da luz das estrelas.c) resulta da luz dos planetas.3 http://textosintegrais.blogspot.pt
  4. 4. “LITERATURA composição dramáticade cunho moral ou pedagógico” (InDicionário da Língua Portuguesa 2011,Porto Editora)“LITERATURA composição dramáticade cunho moral ou pedagógico” (InDicionário da Língua Portuguesa 2011,Porto Editora)d) se verifica por causa da luz do Sol.11. Ao saber que o Homem já foi à Lua, Jerónimoa) fica surpreendido.b) quer saber como se chamava o primeiro homem a chegar lá.c) diz que desejaria ter sido ele.d) permanece incrédulo.12. Jerónimo pensa quea) só há uma Lua.b) existem várias Luas.c) a Lua muda conforme a estação do ano.d) a Lua é um planeta habitado.13. A Rapariga coloca uma dúvida ao astrónomo, que tem a ver coma) a idade da Lua.b) as montanhas da Lua.c) as manchas da Lua.d) as fases da Lua.14. No fim desta peça de teatro,a) a ignorância é ultrapassada.b) algumas personagens não alteram as suas opiniões falsas sobre a Lua.c) a ciência revela-se inútil.d) o astrónomo sente-se desanimado por estar rodeado de ignorantes.IV1. Repara na definição de “auto” que se segue e refere quais as características apresentadas queidentificas em História Breve da Lua, de AntónioGedeão.1.1. Investiga e procura descobrir que outrafuncionalidade tem um “auto” e que se verifica nesta peça.4 http://textosintegrais.blogspot.pt
  5. 5. 2. História Breve da Lua, de António Gedeão, não está dividida em atos e cenas, como é comum notexto dramático.2.1. O que determina a mudança de cena?2.2. Qual é a utilidade das didascálias (ou indicações cénicas)?2.3. No início da peça são-nos apresentados figurantes e não personagens. Porquê?VAtenta no texto, entre os versos 250-356 e responde ao questionário que se segue:1. Na didascália inicial do excerto anterior, são-nos dadas informações sobre duas personagens.1.1. Identifica essas personagens e caracteriza-as, por palavras tuas.1.2. Os dois homens estão a “discutir a respeito da Lua” (vv. 252-253).1.2.1. Por que razão é a Lua motivo de disputa entre ambos?2. A meio da discussão que opõe Agapito a Jerónimo, “Entra o Astrónomo” (v. 266).2.1. Distingue os seus traços físicos das suas características psicológicas.2.2. O Astrónomo parece ser a pessoa indicada para resolver o desentendimento entreAgapito e Jerónimo. Justifica.3. Entretanto, o Astrónomo começa a “(…) montar o óculo sobre o tripé para a observação da Lua.”(vv. 320-322).3.1. De que modo explica a montagem e o funcionamento do óculo?3.2. Como caracterizarias o registo de linguagem por ele utilizado?3.3. Jerónimo e Agapito revelam atitudes totalmente opostas em relação a este instrumento?3.3.1. Explica-as, apoiando-te em elementos textuais.4. Em que estação do ano ocorrerá a ação deste texto dramático? Justifica, transcrevendo do textoelementos que comprovem a tua resposta.5. Que conclusões podemos tirar da leitura deste trecho? Classifica as seguintes alíneas comoverdadeiras (V) ou falsas (F) e justifica as tuas opções.a) A ciência vence a ignorância.b) O conhecimento científico consiste em ter uma visão espontânea da Lua, vendo na suamancha a sombra de uma figura humana.5 http://textosintegrais.blogspot.pt
  6. 6. c) O conhecimento científico elimina a beleza que envolve os corpos celestes.d) A realidade é mais bela do que a fantasia produzida pelo desconhecimento.VIObserva o vídeo com atenção e, de seguida, responde se as afirmações são verdadeiras ou falsas. Depois,corrige as afirmações falsas.1. A lua é um satélite da Terra.2. Ela realiza dois movimentos principais: derotação em torno do seu próprio eixo e detranslação em torno do Sol.3. Para dar uma volta em torno do seu eixo, a luademora 28 dias.4. A parte visível da lua a partir da Terra vaivariando conforme a altura do mês.5. Se a lua não girasse em torno do seu eixo veríamos todas as suas fases.6. O que determina a fase em que a lua se encontra é a sua distância da Terra.7. Quando a lua está entre a Terra e Vénus está na fase da lua nova porque não se vê.8. Sete dias após o início do ciclo a lua está na fase do quarto minguante.9. Mais sete dias e a lua fica completamente iluminada, o que corresponde à fase da lua cheia.10. Vinte e oito dias depois, quando a lua está na fase nova, o ciclo recomeça.VIIAtenta no texto, entre os versos 485-597 e responde ao questionário que se segue:1. Quantos atores seriam precisos para representar esta peça de teatro?2. Embora o texto se intitule Lição de astronomia, sabemos que não se passa numa escola.Porquê?3. Que lição de astronomia é aqui dada? Explica os ensinamentos do astrónomo por palavras tuas.6 http://textosintegrais.blogspot.pt
  7. 7. 4. Por que razão, na segunda fala de Agapito, surge uma palavra entre aspas?5. Lê, no quadro a seguir, as principais características do texto dramático. De seguida, retira doexcerto textual exemplos de algumas dessas características.O TEXTO DRAMÁTICOPrincipais características:a. É um texto para ser lido, mas que se destina a ser representado para um público, isto é, a ser visto eouvido. Pode ser escrito em prosa ou em verso.b. Porque se destina à representação, conte, indicações cénicas (ou didascálias), descrevendo o cenário oudando sugestões sobre o tom de voz, os gestos, as movimentações no palco, o comportamento daspersonagens. Estas indicações surgem entre parênteses e/ou em itálico.c. O diálogo é o modo de expressão dominante, estando, geralmente, ausente a narração. Podem ainda surgirapartes e monólogos.d. Está dividido em atos (embora haja obras constituídas por un só ato). Entre cada ato há, geralmente, umapausa na representação (um intervalo). Por sua vez, os atos podem dividir-se em cenas. Estas começam eacabam com a entrada e a saída das personagens em palco.VIII1. Já reparaste que há na língua portuguesa muitas palavras e expressões relacionadas com a lua?1.1.Faz corresponder, no quadro abaixo, cada expressão do quadro A ao seu significadoequivalente.A Ba) Andar no mundo da lua; 1) Fazer promessas muito difíceis de cumprir.b) Cara de lua cheia; 2) Lugar imaginário onde “vivem” os lunáticos.c) Ser de luas; 3) Andar distraído, alheio ao que se passa à sua volta.d) Lua de mel; 4) Primeiros tempos após o casamento.e) Lua; 5) Exaltar.f) Nascer com o rabo virado para a lua; 6) Pedir o impossível.g) Peixe-lua; 7) Ter variações de humor.h) Ladrar à lua; 8) Ter sorte.i) Luarento; 9) Insultar quem está ausente, em vão.j) Pedir à Lua; 10) Espécie de peixe.k) Pôr nos cornos da lua; 11) Satélite da Terra.l) Prometer à lua; 12) Querer o impossível.m) Querer a lua; 13) Lugar ou período de tempo em que há luar.n) Reino da lua; 14) Rosto arredondado.7 http://textosintegrais.blogspot.pt
  8. 8. BOM TRABALHO!!!!A PROFESSORA: Lucinda CunhaPROPOSTA DE CORREÇÃOI1. Manduka namorava com a irmã, em segredo, e deitava-se com ela sem que ela percebesse quem eraele. A irmã, para descobrir quem era o namorado, esfregou tinta de um fruto que custava muito asair na cara dele. Manduka lavou-se, mas a tinta não desapareceu e, assim, toda a gente soube o queacontecera. Então, envergonhado, subiu para uma árvore muito alta e decidiu não voltar a descer.Foi assim que acabou por se transformar na lua.2. A lua tem manchas por causa da tinta que a irmã de Manduka esfregou na sua cara e, como levouuma cotia consigo, a outra mancha da lua representa esse animal a comer um coco.IILetra da canção “Lendas e Mistérios” (Maria Cecília e Rodolfo):Diz a lenda que muitos e muitos anos atrásUm casal que se amava contra a vontade dos paisSe encontravam escondidos na escuridãoEram guiados pela força da sua paixão8 http://textosintegrais.blogspot.pt
  9. 9. Era o amor vencendo o medo,Eles guardavam o segredo a sete chaves em seu coraçãoDeus ouvindo as preces daquele jovem casalResolveu, lá do céu, lhe mandar o mais lindo sinalE nesse instante uma luz iluminou o céuE ele prometeu olhando em seus olhos de melO mundo inteiro vai saber que foi o nosso amor que fez nascerA lua cheia no céuPra iluminar quem quiser amarUma vez por mês a lua cheia vai brilharLendas e mistérios de um amor eternoQue nem mesmo o tempo foi capaz de apagarFoi assim que aconteceuUm amor que não morreuDeus ouvindo as preces daquele jovem casalResolveu, lá do céu, lhe mandar o mais lindo sinalE nesse instante uma luz iluminou o céuE ele prometeu olhando em seus olhos de melO mundo inteiro vai saber que foi o nosso amor que fez nascerA lua cheia no céuP’ra iluminar quem quiser amarUma vez por mês a lua cheia vai brilharLendas e mistérios de um amor eternoQue nem mesmo o tempo foi capaz de apagarPra iluminar...Uma vez por mês a lua cheia vai brilharLendas e mistérios de um amor eternoQue nem mesmo o tempo foi capaz de apagarFoi assim que aconteceuUm amor que não morreu1. O casal encontrava-se às escondidas pois namoravam contra a vontade dos pais.2. Foi Deus que, ao ouvir as suas preces, decidiu ajudá-los.2.1 A Lua fica cheia todos os meses para iluminar todos os casais que se amam.3. Como o próprio título indica, trata-se de uma Lenda que inventaram há muito tempo atrás para explicarum fenómeno que desconheciam, isto é, a mudança das fases da Lua.III1-b; 2-c; 3-c; 4-d; 5-a; 6-c; 7-b; 8-b; 9-d; 10-d; 11-d; 12-b; 13-d; 14-aIV1. História Breve da Lua é uma peça de teatro que tem um cunho pedagógico, pois transmite-nosmuitos conhecimentos sobre a Lua.1.1.Além da função pedagógica, os autos têm uma intencionalidade lúdica, isto é, ensinar enquantodivertem.2.1.A entrada e saída de personagens.9 http://textosintegrais.blogspot.pt
  10. 10. 2.2.As didascálias servem para fornecer informações, quer ao encenador, quer ao leitor, que dizemrespeito aos efeitos de luz e de som, às expressões e sentimentos das personagens, ao cenário e aosadereços.2.3.As personagens envolvidas nesta peça são chamadas de figurantes porque a verdadeira personagemcentral, e em torno da qual roda toda a ação, é a Lua.Vversos 250-356: (Ficha retirada do manual “Paratextos”, 7º, Porto Editora)1.1 As personagens são Jerónimo e Agapito. Jerónimo é um homem simples e ignorante, ao contrário deAgapito, que é mais esperto.1.2.1. Os dois homens discutem sobre a Lua, pois Jerónimo diz que esta é, na verdade, um homem. Agapitonão acredita e tenta fazê-lo ver que está errado.2.1. Retrato físico: figura de sábio, velho, despenteado, traz um óculo e um tripé; retrato psicológico: bem-disposto, divertido e simpático.2.2. É a pessoa indicada, precisamente por ser um astrónomo e por dizer que conhece o céu de ponta aponta, e todos os astros (vv. 289-290).3.1. O Astrónomo descreve os componentes e o modo e utilização do óculo de uma forma clara para queAgapito e Jerónimo o compreendam.3.2. O Astrónomo utiliza uma linguagem técnica, embora de fácil compreensão.3.3.1. Jerónimo refere-se ao óculo como “coisa”, “canudo”, esquisitice (“parece-me isto esquisito”) e receiaque dispare (“ Achas que isto não dispara?”). Agapito censura a sua ignorância (vv. 330-331).4. Na primavera (vv. 276-277).5. a) V- Através do óculo vê-se a Lua como ela é, desfazendo as ilusões; b) F- O conhecimento cinetíficocontradiz o que à primeira vista a sombra parece; c) F- A Lua vista pelo óculo ém na opinião do astrónomo,um homem de ciência, extremamente bela (v. 354); d) V- A Lua tal como é na realidade supera em beleza oque o desconhecimento fez Jerónimo imaginar.VI2. Falsa: a lua realiza três movimentos, os referidos na afirmação e ainda em torno da Terra;4. Falsa: a face visível da lua é sempre a mesma;6. Falsa: o que determina a fase em que a lua se encontra é a sua posição em relação à Terra e aoSol;7. Falsa: quando a lua está entre a Terra e o Sol não se vê porque não está iluminada;8. Falsa: sete dias após o início do ciclo a lua está na fase do quarto crescente;VIIversos 485-597(grupo retirado do manual Diálogos 7º ano, Porto Editora, p. 157-158)10 http://textosintegrais.blogspot.pt
  11. 11. 1. São necessários quatro atores, de modo a poderem desempenhar os papéis de Astrónomo, Rapariga,Agapito e Jerónimo.2. Atente-se nas seguintes palavras do astrónomo: “Deve lembrar-se da escola/ que a Lua é ‘ma grandebola” (vv. 523-524).3. O astrónomo explica por que razão a Lua apresenta formas diferentes. As quatro fases da Lua explicam-se pelo facto de aquele astro girar à volta da Terra e sobre si próprio (“como se fosse um pião”). Assim, aparte visível da Lua varia conforme o Sol e com a posição em que a Lua e a Terra se encontram.4. Para assinalar uma palavra errada - “astrónimo” (alteração de “astrónomo” que, para além de permitircaracterizar a personagem, rima com “Jerónimo”).5. Exemplos: a. É um texto dramático em verso (e com rimas);b. Descrição do cenário – última indicação cénica; sugestões sobre o tom de voz; os gestos daspersonagens…c. Ao longo do excerto está presente o diálogo. Há ainda a indicação de um aparte de Jerónimo paraAgapito (v. 530).d. Este excerto corresponde a uma mesma cena, visto que não há entrada nem saída de personagens.VIIIExercício adaptado do manual “Plural 7”, da Lisboa Editora (p. 146)a) 3b) 14c) 7d) 4e) 11f) 8g) 10h) 9i) 13j) 6k) 5l) 1m) 12n) 211 http://textosintegrais.blogspot.pt

×