Classificação de orações e funções sintáticas

28.275 visualizações

Publicada em

Ficha de escolha múltipla, corrigida, sobre classificação de orações e funções sintáticas

Publicada em: Educação
3 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
28.275
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
19.801
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
965
Comentários
3
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Classificação de orações e funções sintáticas

  1. 1. CLASSIFICAÇÃO DE ORAÇÕES E FUNÇÕES SINTÁTICAS (25 questões de escolha múltipla) Lê o conto com atenção e responde às questões, selecionando as alíneas corretas. O caçador que falou demais 5 10 15 20 (Pela bocamorreo peixe,diz-se entrenós. Esta fábulado Benimvai um pouco maislonge:quem falasem pensarbem no que dizpodecausarmuito dano a si e aos outros.) Era tempo de escassez, como muitas vezesacontece em África,onde a fome e a sede visitam com frequência as aldeias. Um dia, de manhã cedo, apenas o galo cantou pela primeira vez,Koumba, o caçador, juntou as suas flechase o seu arcoe embrenhou-se pela floresta à procura de caça.Andou durante muito tempo, até o sol nascer, mas de caçanem o rasto… Koumba não se deixou vencere continuou a sua busca durante o dia, até ao pôr do sol. Estava a ficardesanimado por ter de regressar à aldeia de mãos a abanar quando, de repente, deparou com o sapo Ponta,que tecia algodão enquanto guardava o seu campo de milho. Uma coisa nunca vista: um sapo tecedor que cultivavaum campo de milho! O caçador aproximou-se devagar, com prudência, para cumprimentar o sapo. Ponta mostrou-se muito cordial e convidou-oa sentar-se e a comer uma espiga de milho, que entretanto ele mesmo acabara de assar nas brasas. O caçador comeu comgosto. Era tempo de escassez e há muito que não comia milho tão saboroso. Quando Koumba se levantou, para regressar a sua casa, Ponta recomendou-lhe: – Do que viste, não deves contar nada a ninguém. Recorda-te: «A boca de um homem pode dar-lhe a vida ou causar-lhe a morte!» Koumba tranquilizou-o: – Não te preocupes, não sou uma pessoa que dá coma língua nos dentes! E pôs-se a caminho para regressar à aldeia. […] Por:PAOLO VALENTE http://www.alem-mar.org/cgi-bin/quickregister/scripts/redirect.cgi?redirect=EEZpEVFlyliYvLYdrH (cons. dia 16/09/2014) 1. Atenta no título deste conto africano e classifica a oração subordinada aí presente: a) oração subordinada adverbial concessiva. b) oração subordinada adjetiva relativa restritiva. c) oração subordinada substantiva completiva. d) oração subordinada adverbial consecutiva. 2. As orações presentes na primeira frase do texto “Pela boca morre o peixe, diz-se entre nós.“ (linha 1) classificam-se como orações a) coordenadas copulativa. b) coordenadas explicativas. c) assindéticas. d) subordinantes. 3. A expressão “o peixe” (linha 1) desempenha a função sintática de a) sujeito. b) complemento direto. c) predicativo do sujeito. d) complemento oblíquo.
  2. 2. 4. O enunciado “quem fala sem pensar bem no que diz “ (linhas 1 e 2) classifica-se como a) oração coordenada explicativa. b) oração subordinada substantiva completiva. c) oração subordinada adverbial causal. d) oração subordinada substantiva relativa. 5. Qual é o sujeito do complexo verbal “pode causar” (linha 2)? a) “quem fala sem pensar bem no que diz”. b) “quem fala sem pensar”. c) “quem fala sem pensar bem”. d) “pensar bem no que diz”. 6. O grupo preposicional “a si” (linha 2), desempenha a função sintática de a) complemento oblíquo. b) sujeito. c) complemento indireto. d) modificador do grupo verbal. 7. Refere a função sintática desempenhada pela expressão “Era tempo de escassez” (linha 3). a) Sujeito. b) Vocativo. c) Modificador do grupo verbal. d) Predicado. 8. A oração “como muitas vezes acontece em África” classifica-se como oração subordinada a) adverbial causal. b) substantiva relativa. c) adjetiva relativa explicativa. d) adverbial comparativa. 9. O enunciado “onde a fome e a sede visitam com frequência as aldeias” (linhas 3 e 4) é uma oração a) coordenada temporal. b) subordinada adverbial final. c) subordinada adjetiva relativa explicativa. d) coordenada explicativa. 10. Como classificas a oração subordinada adverbial “apenas o galo cantou pela primeira vez” (linha 4)? a) causal. b) temporal. c) consecutiva. d) concessiva. 11. Relê a seguinte frase: “Koumbanão sedeixouvencere continuou a sua busca durante o dia, até ao pôr do sol.” (linha 7). A expressão sublinhada desempenha a função sintática de a) complemento direto. b) predicativo do sujeito. c) predicativo do complemento direto. d) complemento oblíquo. 12. Atenta na frase “Estavaaficar desanimado porterde regressaràaldeiademãos a abanar,quando de repente deparou com o sapo Ponta, que tecia algodão enquanto guardava o seu campo de milho.” (linhas 7-9). Quantas orações encontras? a) Quatro. b) Cinco. c) Seis. d) Sete.
  3. 3. 13. Classifica as orações presentes na frase da questão anterior pela ordem em que surgem no texto: a) oração subordinada adverbial temporal; oração subordinada adverbial causal; oração subordinada adverbial temporal; oração subordinada adjetiva relativa restritiva. b) oração subordinante; oração subordinada adverbial causal; oração subordinada adverbial oração subordinada adverbial temporal; oração subordinada adjetiva relativa restritiva. c) oração subordinante; oração subordinada adverbial causal; oração subordinada adverbial temporal; oração subordinada adjetiva relativa explicativa; oração subordinada adverbial temporal. d) oração subordinante; oração subordinada adverbial comparativa; oração subordinada adverbial temporal; oração subordinada adjetiva relativa restritiva; oração subordinada adverbial temporal; oração subordinante; oração coordenada copulativa. 14. Como classificas a oração iniciada pela preposição “para” em “O caçador aproximou-se devagar, com prudência, para cumprimentar o sapo.” (linha 11)? a) oração subordinante. b) oração subordinada adverbial final. c) oração coordenada explicativa. d) oração subordinada adjetiva relativa explicativa. 15. Ainda sobre a frase constante na questão 14 ̶ “O caçador aproximou-se devagar, com prudência, para cumprimentar o sapo.” (linha 11) ̶ assinala a única alínea falsa: a) Nesta frase temos duas expressões que desempenham a função sintática de modificador do grupo verbal: “devagar” e “com prudência”. b) A forma verbal “ aproximou-se”, quanto à subclasse, neste contexto, é um verbo transitivo indireto pois está a selecionar o complemento oblíquo “devagar”. c) O uso das vírgulas, que isolam a expressão “com prudência”, justifica-se pelo facto de se tratar de um modificador. d) O grupo nominal “o sapo” é substituível por um pronome. 16. Identifica a função sintática desempenhada pelo constituinte sublinhado em “Ponta mostrou-se muito cordial e convidou-o a sentar-se” (linhas 11 e 12): a) complemento direto. b) complemento oblíquo. c) modificador de frase. d) predicativo do sujeito. 17. Classifica a oração “que entretanto ele mesmo acabara de assar nas brasas” (linhas 12 e 13): a) oração subordinada adjetiva relativa explicativa. b) oração coordenada conclusiva. c) oração subordinada substantiva completiva. d) oração subordinada adverbial condicional. 18. O verbo “comer” encontra-se nas linhas 12, 13 e 14. Assinala a opção correta: a) Na primeira vez em que surge, na linha 12, o verbo seleciona um complemento direto. b) Na segunda vez, o verbo é transitivo indireto, pois o constituinte “com gosto” desempenha a função sintática de complemento oblíquo. c) Na linha 14, o verbo em causa seleciona um complemento oblíquo ― “milho tão saboroso”. d) Nos três contextos, o verbo exige a presença de um complemento direto. 19. O pronome “lhe” (linha 16) desempenha a função sintática de a) complemento direto. b) complemento indireto. c) complemento agente da passiva. d) vocativo. 20. A oração sublinhada em “Do que viste, não deves contar nada a ninguém.” (linha 17) classifica-se como oração subordinada a) adverbial causal.
  4. 4. b) adverbial temporal. c) substantiva relativa. d) adjetiva relativa explicativa. 21. Na advertência do sapo em “A boca de um homem pode dar-lhe a vida ou causar-lhe a morte!” (linhas 17 e 18) verificamos a existência de uma oração coordenada a) copulativa. b) conclusiva. c) adversativa. d) disjuntiva. 22. O pronome “o” (linha 19) encontra-se a substituir um a) sujeito. b) complemento agente da passiva. c) complemento direto. d) complemento indireto. 23. Atenta no enunciado “não souumapessoaquedácom a língua nos dentes “ (linha 20) e assinala a única opção correta: a) todo o excerto desempenha a função sintática de predicado. b) a forma verbal “sou” está a seleccionar o complemento direto “uma pessoa”. c) verificamos, neste enunciado, a existência de uma oração subordinada adjetiva relativa explicativa. d) a forma verbal “dá” está a seleccionar um modificador do grupo verbal. 24. A oração “para regressar à aldeia” (linha 21) trata-se uma oração subordinada adverbial a) condicional. b) final. c) comparativa. d) temporal. 25. O grupo preposicional “à aldeia” (linha 21) desempenha a função sintática de a) modificador do grupo verbal. b) complemento agente da passiva. c) complemento oblíquo. d) modificador do nome. BOM TRABALHO!!! A DOCENTE: Lucinda Cunha CORREÇÃO: 1-b 2-c 3-a 4-d 5-a 6-c 7-d 8-d 9-c 10-b 11-a 12-b 13-c 14-b 15-b 16-d 17-a 18-a 19-b 20-c 21-d 22-c 23-a 24-b 25-c

×