Educação ambiental codern_coleta seletiva solidária_2010

454 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
454
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Educação ambiental codern_coleta seletiva solidária_2010

  1. 1. COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA Responsabilidade sócio-ambiental no serviço públicoEducação Ambiental Educação na Empresa Lucila K.F.L. de Brito Educação Ambiental
  2. 2. COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA • DECRETO Nº 5.940, DE 25 DE OUTUBRO DE 2006 – Institui a separação dos resíduos recicláveis descartados pelos órgãos e entidades da administração pública federal direta e indireta, na fonte geradora, e a sua destinação às associações e cooperativas dos catadores de materiais recicláveis, e dá outras providências; – Instrumento: Termo de Compromisso (6 meses).Educação Ambiental Educação na Empresa Lucila K.F.L. de Brito
  3. 3. COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA • Execução – Comissão de Coleta Seletiva Solidária: Portaria DP 033/10 • Diagnóstico da geração de resíduos; • Planejamento de ações (processo de coleta, divulgação, conscientização, etc.); • Execução de ações (processo de coleta, divulgação, conscientização, etc.); • Acompanhamento estatístico da coleta, destinação e comercialização. • Elaboração e remessa de relatório semestral a Comitê Interministerial de Inclusão Social dos Catadores de Materiais Recicláveis.Educação Ambiental Educação na Empresa Lucila K.F.L. de Brito
  4. 4. COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA • Condições para habilitação de associações (art. 3º) – estejam formal e exclusivamente constituídas por catadores de materiais recicláveis que tenham a catação como única fonte de renda; – não possuam fins lucrativos; – possuam infra-estrutura para realizar a triagem e a classificação dos resíduos recicláveis descartados; e – apresentem o sistema de rateio entre os associados e cooperados.Educação Ambiental Educação na Empresa Lucila K.F.L. de Brito
  5. 5. COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA • Possíveis Associações a serem atendidas – Associação de Catadores de Materiais Recicláveis (ASCAMAR) – Associação de Trabalhadores com Resíduos Sólidos (ABRESOL) – Associação dos Agentes em Coleta Seletiva de Natal (ACERRN) – Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis e Desenvolvimento Sustentável do Rio Grande do Norte (COOCAMAR )Educação Ambiental Educação na Empresa Lucila K.F.L. de Brito
  6. 6. COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA • Antigo Lixão de Cidade Nova Unidade de Triagem de material reciclável da ASCAMAR Esteira de Triagem de material reciclável (desativada)Educação Ambiental Educação na Empresa Lucila K.F.L. de Brito
  7. 7. COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA • Diagnóstico inicial de geração de resíduos no Porto de Natal Papel Papelão e PlásticoPilhas e baterias Lâmpadas fluorescentes*Educação Ambiental Educação na Empresa Lucila K.F.L. de Brito
  8. 8. COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA • Processo de coleta seletiva Papel, papelão e plástico.Coletores primários Coletores centrais Contêineres de armazenamento Central de triagem (CODERN) (CONECTA) (CONECTA) (Assoc.) Periodicidade: semanal.Educação Ambiental Educação na Empresa Lucila K.F.L. de Brito
  9. 9. COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA • Processo de coleta seletiva Pilhas e baterias. – Destinar as pilhas e baterias a COORMA para, após um semestre, serem destinados a Associação. • Agentes: funcionários em geral. (Mem 006/2010 – LKFLB, 21/01/10)Educação Ambiental Educação na Empresa Lucila K.F.L. de Brito
  10. 10. COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA • Processo de coleta seletiva – Armazenar lâmpadas fluorescentes local adequado e, após um trimestre, contratação de serviço de descontaminação. • Agentes: manutenção. (MEM 057/2010 – COORMA, 06/04/10)Educação Ambiental Educação na Empresa Lucila K.F.L. de Brito
  11. 11. COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA • Acompanhamento estatístico – Quantificação de material recolhido nos diferentes setores; – Pesagem de material destinado as associações; – Monitoramento da destinação (qtd. Recebida, qtd. Triada, valor monetário, etc.).Educação Ambiental Educação na Empresa Lucila K.F.L. de Brito
  12. 12. COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA • Ações executadas – Aquisição de contêineres e coletores; – Habilitação da associação (sessão pública - reunião 30/06/10) Coordenação de Meio Educação Ambiental Brito Lucila K.F.L. deEducação Ambiental Educação na Empresa Ambiente e Segurança
  13. 13. COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA • Ações previstas • Treinamento de pessoal da CONECTA; • Firmar termo de compromisso com a associação habilitada; • Lançamento do programa; • Remessa de relatório semestral.Educação Ambiental Educação na Empresa Lucila K.F.L. de Brito
  14. 14. COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA Coletores primários Contêiner de armazenamento Coletores centrais (CODERN) (CONECTA) (CONECTA)Educação Ambiental Educação na Empresa Lucila K.F.L. de Brito
  15. 15. COLETA SELETIVA SOLIDÁRIAEducação Ambiental Educação na Empresa Lucila K.F.L. de Brito
  16. 16. Só com a participação de todos atingiremos bons resultados! Secretaria Especial de Portos da Presidência da República do Brasil - SEP Companhia Docas do Rio Grande do Norte Lucila K. F. L. de Brito meioambiente@codern.com.br www.codern.com.brEducação Ambiental Educação na Empresa Lucila K.F.L. de Brito

×