Jornal emba2 finalizado

384 visualizações

Publicada em

Jornal Universo Emba nº 2

Publicada em: Internet
2 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Parabéns professor Luciano pelo belo trabalho que coordenastes e por ter proporcionado aos nossos alunos experienciar novas e importantes aprendizagens.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Parabéns professor Luciano pelo belo trabalho que coordenastes e por ter proporcionado aos nossos alunos experienciar novas e importantes aprendizagens.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
384
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
2
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jornal emba2 finalizado

  1. 1. ESCOLA MUNICIPAL BAIRRO ANTENA CAXAMBU DO SUL, SC, DEZEMBRO DE 2014 Bem-vindo ao nosso mundo Comunidade escolar presta homenagem a Leandra Rohr pelo dia da diretora (12/11) ESTUDANTES DESTACAM-SE NA OLIMPÍADA DE LÍNGUA PORTUGUESA Estudantes da escola Municipal Bairro Antena foram selecio-nados na etapa escolar e municipal, competindo com outros alunos. Página 04 Escola Municipal Bairro Antena adere ao programa Mais Educação. Página 12 AMOSTRA DE TRABALHOS FEITOS PELOS ESTUDANTES É REALIZADA NA EMBA Maquetes trabalhadas com alunos do 6º ano. Página 03 ESCOLA BAIRRO ANTENA VISITA AS FAMÍLIAS DOS ALUNOS O projeto Educar para ser humano: escola da vida é vida na Emba tem como objetivo aproximar escola, família e estudan-tes. Página 02 Scarllety Bosco, Raquel De Lima, Tatieli Fátima Trentin Linha Laranjeira | Família Martiori
  2. 2. 2 UniversoEMBA n°2 Ano 1 CAXAMBU DO SUL, SC, DEZEMBRO DE 2014 Editorial Comunidade Escolar A 2ª edição do Universo Emba privilegia os projetos desenvolvidos na escola. Diante disso, tem um objetivo pedagógico. Ele é pensado juntamente com os alunos. O jornal é um veículo de comunicação que a escola tem para divulgar alguns dos trabalhos realizados. É mais um meio para estabelecer uma relação mais próxima com as famílias e colocar em discussão temas relevantes para a comunidade escolar. A escola possui grandes projetos em andamento: A Magia do Aprender, Rádio Escolar, Jornal Escolar, Educar para Ser Humano, Mais Educação. O intuito e o papel da escola é proporcionar experiências e espaços de convivência para que os alunos aprendam a lidar e encontrar soluções para situações cotidianas, em prol do bem comum. PROJETO EDUCAR PARA SER HUMANO: Escola da vida é vida na Emba Expediente Colaboradores dessa edição: Corpo docente e direção da Escola Municipal Bairro Antena. Alunos: Bruna Ferreira, Elton Luiz Mendes Da Silva, Emanuelly Treméa, Fabiane Cardoso Da Sil-veira, Gabriel Antonio Gnoatto Veloso, Gean Cléuer Ferreira, Josiane Nogueira, Juciéli Andresa De Lima, Kauan Antonio Rodrigues, Marcelo Moraes, Maria Eugenia Camargo, Mayara Moraes Da Silva, Micheli De Lima, Tatieli Fátima Trentin, André Fe-lipe Giacomelli, Charles Pinheiro Da Silva Leonardi, Diego Maraffon, Dionatan Gnoatto, Évelin Trentin, Fernanda Feliciano Dos Santos, Gabrieli Taffarel, Ivandro Sagais, Kassandra Da Rosa, Lucas Theodo-ro, Michele Dos Santos Da Silva, Tainara Marangoni Dallalibera, Vanessa Zancanaro, Weslley Assis De Meneses. Fotografia: Ana Paula Tomasi e alunos - Secretário da educação: Elio Vedovatto - Escola Municipal Bairro Antena - Direção: Leandra Rohr | - Contato: 49 3326 0093 - Projeto gráfico, coordenação e revisão: professor Luciano Luiz Aires A escola municipal Bairro Antena, em parceria com a Unoesc Chapecó, está desenvolvendo o referido projeto, que prevê diversas atividades de recreação, produção de conhecimento e interação na comunidade escolar. Entre elas, está a visita dos professores às famílias. Grande parte das famílias já foram visitadas. O projeto teve início em agosto de 2014 e vai até 2016. Atleta na escola A Escola Municipal Bairro Antena realiza atividades As atividades fazem parte do programa PDDE Qualidade, Atleta na Escola. Confira abaixo algumas das atividades desenvolvidas sob a organização da equipe pedagógica e acompanhamento da professora de Educação Física, Ana Paula Tomasi.
  3. 3. CAXAMBU DO SUL, SC, DEZEMBRO DE 2014 n°2 Ano 1 UniversoEMBA 3 Comunidade Escolar AMOSTRA DE TRABALHOS ENVOLVE ALUNOS E PROFESSORES Alunos e professores da Escola Municipal Bairro Antena realizam a amostra que apresenta trabalhos do 1º ano a 8ª série. Tendo em vista que todas as disciplinas fazem parte da amostra, os temas são variados. Os trabalhos mostram alguns dos resultados alcançados na escola e também alguns projetos implantados no decorrer do ano.
  4. 4. 4 UniversoEMBA n°2 Ano 1 CAXAMBU DO SUL, SC, DEZEMBRO DE 2014 Vitrine EMBA SCARLLETY BOSCO, RAQUEL DE LIMA E TATIELI FÁTIMA TRENTIN CHEGAM ATÉ A ETAPA ESTADUAL NA OLIMPÍADA DE LÍNGUA PORTUGUESA. A Olimpíada de Língua Portuguesa acontece nos anos pares. As categorias disputadas através de oficinas e produção no ensino fundamental são: Poema (para 5º e 6º ano); Memórias Literárias (7ª série); Crônica (8ª série). As estudantes foram selecionadas na etapa escolar, onde competem com alunos da escola; e foram selecionadas também na etapa municipal, onde competem com alunos das outras escolas do município. Na escola Municipal Bairro Antena, as oficinas foram ministradas pelo professor de Língua Portuguesa, Luciano Luiz Aires (6º ano, 7ª série e 8ª série); e por Ivete Gottardi (no 5º ano). É selecionado apenas um texto entre o 5º e 6º ano, um na 7ª série e um na 8ª série. Leia aqui os textos selecionados nas duas etapas Scarllety Bosco 6º ano Categoria: Poema Raquel De Lima 7ª série Categoria: Memórias Literárias Tatieli Fátima Trentin 8ª série Categoria: Crônica MINHA CIDADE QUERIDA Minha cidade querida, Com cheiro de menina, Com o sol se ilumina. Tudo é mudo e divertido. Quando escuto Caxambu, Penso em música e alegria. O som do vento me anima, Tem festa da melancia. Oh, minha cidade com vida, Feita com pessoas e avenidas. Caxambu é o som dos tambores, Pessoas novas a cada dia. Oh, Caxambu, beleza espontânea, Sempre estarei contigo. Minha cidade querida, com cheiro de menina. Os pássaros voam em ziguezague no céu azul, no pôr-do-sol laranja-avermelhado. Minha cidade é assim, Com flores, árvores e jardins. Estradas, casas e jasmins. Coração, sangue, dentes, olhares... Minha cidade é assim: É um arco-íris que vejo todo dia, no ritmo dessa melodia: Caxambu do Sul! Skarllety Bosco | 6º ano | Poema OS DESERTORES DO RIO GRANDE DO SUL (Chimangos) Entrevistada: Palmira Linhares (Bia) | Ajudou a contar a história: Afonço Linhares e Regina Linhares. Por volta dos anos 1910 a 1935, se não me falha a memó-ria, aconteceu, no Rio Grande do Sul, uma revolta. Havia os Chimangos e os Maragatos. Eram inimigos. Quando eram chamados para batalha, muitos não queriam ser-vir, escondiam-se: mulheres, filhos, famílias inteiras. Caso fossem descobertos, eram ditados de “desertores”. Aí, os próprios com-panheiros de cor os perseguiam. E se achassem matavam. Não perdoavam. Quando os líderes saíam para convocar as pessoas para a batalha, chegavam às casas invadindo. Se fossem da cor contrária, abusavam das mulheres e chegavam a matar as crianças para não servirem contra eles mais tarde. Naquela época, quem não servisse na guerra, tinha que fugir e passar a viver nos matos ou, então, servir e correr o risco de morrer, porque não tinha outra escolha. Ou servia ou morria! Minha família fugiu de Nonoai, migraram para Santa Catarina, porque aqui não tinha guerra. Os “desertores” do Rio Grande do Sul atravessaram rios a cavalo para não serem encon-trados. Subiram o rio Tigre a cavalo e com cargueiros. Onde era raso, passavam; onde era fundo, desviavam por dentro da mata.
  5. 5. CAXAMBU DO SUL, SC, DEZEMBRO DE 2014 n°2 Ano 1 UniversoEMBA 5 Vitrine EMBA CONCENTRADOS Mas, não podiam fazer fogo para comer e nem fumar de medo de serem perseguidos. De rio em rio, de mata em mata fechada, com paredões de pedra, onde se sentiam seguros, acampavam e faziam mora-das. Hoje, esse lugar tem por nome Pinhalzinho. A família, por vários anos, se sentiu insegura, trabalhavam na lavoura. Faziam até 8 quilômetros longe da morada para não serem descobertos. Faziam tudo em sigilo. Um dia, quando estavam estabelecidos, tranquilos, achando que era vida nova... Minha mãe estava grávida de mim, estava secando canjica e foi surpreendida por soldados com fuzil em punho. Eram soldados do nosso lado, vieram para contar que a guerra tinha acabado. Chegaram pela mata por medo que aquele vilarejo fosse de inimigos. Nasci naquela semana. Meus irmãos e meus pais sobrevi-veram a tudo. Depois de tanto sofrimento, na brincadeira, diziam que eu nasci de um susto. O tempo passou. Tinha por volta de 5 anos de idade. Morávamos na comunidade Humaitá, Caxambu do Sul. Hoje, aquele lugar está debaixo d´água. Tive e tenho muitas lembranças desse lugar, só que passam como balas de revólver, apenas vultos que se embaçam pelo meu olhar. Depois de lá, vie-mos para a linha Loureiro, nas terras dos finados Erasmo e Ercílio Mello, em Caxambu do Sul. Nesse lugar, as brincadeiras eram poucas. Brincava sozi-nha, porque os irmãos eram maiores e trabalhavam. Os vizinhos moravam muito longe, de 10 a 12 quilômetros de distância. Quando brincava era de casinha, fazia fogão e comidinha de folhas picadas, ficava entretida o dia inteiro. Lembro que as comunicações eram muito complicadas, porque não tinha como se comunicar por telefone ou coisa assim. Apenas havia mensageiros que iam levar as informações. Os pe-didos de remédios eram por encomenda. Enquanto iam buscar, o tempo era tão demorado, as pessoas podiam até morrer, enterra-rem e rezarem a missa do sétimo dia. Na minha época de namoro, não era fácil, quer dizer, não existia namoro. O casamento era arranjado. Os pais arranjavam, isso quando aparecia algum rapaz nas redondezas. Quando os pais arrumavam um namorado para os filhos, não podia nem sen-tar perto, só ia ter intimidade depois de casados. Quando acon-tecia de algum rapaz e moça se conhecerem e se gostarem, sem autorização dos pais, se descobrissem, faziam casar, porque tinha que se “amparar”. O tempo foi passando, fui crescendo e amadurecendo. Agora, tenho 103 anos, quase completando 104. Quero completar bem mais! Do meu passado só me restam lembranças e agora eu só penso em aproveitar. Eu participava do clube dos idosos na comunidade, agora o grupo acabou e foi para a cidade. Por condições de locomoção, não participo mais. Sempre morei do interior, nunca quis mudar para a cidade, moro com meu sobrinho há vários anos. O local onde moro é sossegado em dias de semana. Recebo visita de mui-tos amigos nos finais de semana. Por incrível que pareça, não tenho muitos amigos idosos, a maioria jovens. Moro junto com quatro pessoas, gosto muito da natureza, gosto de pescar, tem dois açudes que já pesquei muitas carpas. Gostava de tratar os animais (porco, galinha), hoje só consigo debulhar milho para as galinhas. Resumindo, gosto de sombra e água fresca! Raquel de Lima | 7ª série 1 | Memórias Literárias Caxambu do sul, cidadezinha calma, banhada pelas águas do Rio Uruguai. Mesmo com sol, esta seria mais uma manhã fria de julho, na escola municipal Bairro Antena. Todos nós, alunos, nos concentrávamos na aula, conteúdo novo, importantíssimo. TOC... TOC... TOC... Todos os olhos se voltam para a porta. Espantados, grandes, dilatados na porta, cada movimento era de grande observação. O professor, então, resolve abrir a porta. Salta na porta um menininho: - Professor, eu posso falar com o meu irmão? Neste momento, os olhos do professor ficam espantados como os de um elefante ao ver um ratinho. - Seu irmão? - É, meu irmão! – concorda o menino. - Mas, quem é seu irmão? O menino aponta o braço para seu irmão, com um sorri-so escaldante no rosto. - Você tem certeza que ele é seu irmão? - Pergunta o professor. - Sim, sim! O professor pergunta o que iriam fazer. O menino ligeiro responde que iriam ensaiar uma apresentação que aconteceria no próximo sábado, na escola. Feliz, animado, o professor permite a rápida saída do aluno, pois isso também era de seu interesse. Tatieli Trentin | 8ª série | Crônica
  6. 6. 6 UniversoEMBA n°2 Ano 1 CAXAMBU DO SUL, SC, DEZEMBRO DE 2014 Bem-estar SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA LEVADAS A SÉRIO 3 Rs REDUZIR RECICLAR REUTILIZAR Paulina, Marina, Vanice As mesmas trabalham na cozinha da escola há anos, chegam diariamente com um sorriso no rosto. ALIMENTAÇÃO NA ESCOLA Ao longo da vida, as necessidades nutricionais modificam-se e sofrem alterações, de acordo com a nossa idade e estilo de vida. Sendo assim, a equipe do jornal “Universo EMBA” conversou com as cozinheiras da EMBA (Paulina Salete Giacomelli e Vanice Pigatto). Uma alimentação saudável e de qualidade é direito de todos, sendo assim, a nutricionista Marina Pizzi, relata que a lei da alimentação escolar surgiu com a resolução 38, em 2009, levando a alterações no ano passado. A profissional também visa à segurança alimentar e à atenção dietética, em todas as áreas do conhecimento em que a alimentação e nutrição se apresentam fundamentais para a saúde e para a prevenção de doenças de indivíduos. O cardápio para os alunos é definido a partir da legislação, levando em consideração alimentos que são hábito de consumo em casa. As entrevistadas afirmam que não há aproveitamento de alimentos, tudo é feito na hora e com excelente qualidade. Em questão da separação do lixo, a escola abrange a compostagem orgânica. Sendo assim, restos de alimentos vão para este destino. Com relação ao lixo reciclável na escola, ele é separado, mas o município não abrange separação do mesmo. Vivemos em um mundo capitalista, com pessoas cada vez mais consumistas e com menos conscientização de seus atos com o meio ambiente. Somos um dos países mais poluentes do mundo. Em consequência, temos rios sem existência de vida, impróprio para consumo, matas, mares, cidades com grades quantidades de lixo. Podemos reverter está situação se reduzirmos o consumo de coisas supérfluas, reduzirmos o consumo de água e de energia elétrica, etc. Ainda, podemos reutilizar o lixo como matéria-prima para diversos meios. Reduzir, reutilizar e reciclar, assim é possível estabelecer relações harmônicas entre consumidor e meio ambiente. Com essas práticas adotadas, é possível diminuir o custo de vida, além de favorecer o desenvolvimento sustentável.
  7. 7. CAXAMBU DO SUL, SC, DEZEMBRO DE 2014 n°2 Ano 1 UniversoEMBA 7 Eventos na escola I HALLOWEEN NA EMBA Ana Paula Tomasi O evento é tradicional e cultural nos países de língua inglesa, com especial relevância nos Estados Unidos. O halloween é celebrado no dia 31 de outubro e significa véspera do “Dia de Todos os Santos”, que no Brasil é conhecido como o “Dia das Bruxas”. O halloween nasce como uma preocupação simbólica onde a festa cercada por figuras estranhas e bizarras teria o objetivo de afastar a influência dos maus espíritos. É neste dia que as crianças saem pelas ruas fantasiadas, batendo na porta das casas para gan-har doces, dizendo a frase tradicional: trick or treat, que significa travessuras ou gostosuras. Neste mesmo dia é comemorado o Dia do Saci, símbolo do folclore brasileiro. Na Escola, os alunos participa-ram do desfile das fantasias, sendo que cada turma foi representada por dois alunos. Foram realizadas brincadeiras, danças, apresentações e entrega de do-ces. O evento foi organizado pela pro-fessora da disciplina de inglês, Caroline Klauck e contou com a participação e colaboração da direção, equipe peda-gógica e demais professores da Escola Municipal Bairro Antena. O evento foi organizado pela professora de língua inglesa, Caroline Klauck. Confira todas as fotos no blog da escola: https://embatdics.wordpress.com
  8. 8. 8 UniversoEMBA n°2 Ano 1 CAXAMBU DO SUL, SC, DEZEMBRO DE 2014 CORPO DOCENTE DA ESCOLA MUNICIPAL BAIRRO ANTENA EM 2014 Aqui você vai saber um pouco da trajetória de cada professor, contando ACTs e efetivos MARILDE GIONGO SEGATTO NELIDES EVA FILIPPIN JUSSARA ODETE CORRÊA CLARI STOCCO ZAMONER SALETE MORONI LUCAS IVETE ZILIOTTO SOLIMAN Começou sua carreira profissional em 6 de de-zembro de 1978, na comunidade de Linha Na-vegantes, São Carlos. Em 17 de dezembro de 1978, formou-se no ma-gistério, cursado no colégio Estadual Cardeal Arcoverde, em São Carlos. No início de 1979 foi fundada a escola da co-munidade de São Cristóvão e foi convidada para exercer a função de professora. Dois anos mais tarde, em 1981, no início do ano, exerceu a função na comunidade de Sanga Rosa, na Es-cola Municipal Sanga Rosa por 15 anos. Com a nucleação das escolas, em 1976 passou a tra-balhar na comunidade de Dom José por dois anos; depois, na Escola Municipal Bairro Ante-na, onde atua até hoje. Em 2004, formou-se em Pedagogia pela UDESC e em 2005 cursou graduação pela CELER Faculdades. Dos 37 anos de atuação, 36 anos foram dedicados à alfabetização de crianças. Também trabalhou com alfabetização de jovens e adultos. Nasci em 28 de junho de 1965, em Marau-RS. Minha escolarização iniciou em 1970. Estudei da 1ª a 4ª série em escola multisseriada. De 5ª a 7ª série estudei no Ginásio Gabriel Taborin, em Vila Maria. Cursei a 8ª série na Escola Básica Cândido Ramos em Caxambu do Sul. A formação de 2º grau foi em Assistente em Administração e em Magistério, ambas em escolas do CNEC. Curso Superior em His-tória e em Pedagogia. Pós -graduada em Teoria e Metodologia da Educação – Educação Infantil e Anos Iniciais. Atuo como professo-ra na rede pública municipal desde 1982. Desde o ano 2000 leciono História. Nessa trajetória trabalhei em diversos espaços educacio-nais: escola, sala de aula, departamento de educação, secretaria de escola e membro de equipe pedagógica. Considero todas as etapas de formação e atuação importantes, assim como a formação conti-nuada, uma vez que o/a profissional se constrói nas relações sociais cotidianas. Ressalto a importância da leitura e da pesquisa, vistas como imprescindíveis na vida do/a profissional professor/a. Trabalha na Escola Municipal Bairro Antena. Efetiva. Possui graduação e pós-graduação em Pedagogia/Orientação Educacional, pela Uni-versidade Comunitária da Região de Chapecó. Tem experiência na área de Educação, em edu-cação infantil, anos/séries iniciais e finais do ensino fundamental, ensino médio, ensino/ educação a distância (UDESC e UNIASSELVI/ CELER), maior ênfase em Orientação Educa-cional - atendimento a alunos, equipe pedagó-gica, técnica dos programas educacionais rela-cionados ao SIMEC/MEC/FNDE e designada coordenadora local do PNAIC (Pacto Nacional pela alfabetização na Idade Certa - 20013- 2014...). Trabalho como professora há 34 anos. Sou apaixonada pelo meu trabalho. Iniciei minha vida escolar na Escola Estadual Fábio Estevam de Mattos, em Planalto Alegre; cursei o ensino médio no Colégio Cenecista, primeiro como Auxiliar Adminis-trativo e depois o curso de Magistério. Minha formação na graduação foi em Pedagogia: Séries Iniciais e Educação Infantil, na UNOCHAPECÓ; e pós -graduação em alfabetização. Já trabalhei nas Escolas Municipais de Linha Caroba, Linha Bonita e Linha Taffarel; no Jardim de Infância Chapeuzinho Vermelho e na Escola Municipal Bairro Antena. Hoje trabalho com alunos do 1º ano, desenvolvendo o projeto “A Magia do Aprender”, onde desenvolvi sequências didáticas sobre Quadrinhas, Parlendas, rótulos, bilhete, entre outras ati-vidades, sempre na perspectiva da alfabetização e letramento, inclusive na matemática. Trabalho também como professora Orientadora do PNAIC (Pacto Nacional Pela Alfabetização na Idade Certa). Professora há 34 anos, graduada em pedagogia e pós-gra-duada. Iniciei a minha trajetória profissional como professora em 1980, na Escola Municipal Barra Bonita, onde trabalhei 16 anos com séries multisseriada. Depois, com a nucleação das es-colas, trabalhei 2 anos na Escola Julieta Pavão Simões. Como a matrícula foi reduzida, fui transferida para trabalhar na Escola Municipal Bairro Antena, onde estou atuado como professora até os dias de hoje. Neste ano estou desenvolvendo o projeto Magia do aprender, pois sabemos que todas as crianças têm a capacidade de aprender dentro de seu tempo e suas possibili-dades. Devemos acreditar no potencial delas. Profissional de Magistério do Ensino de 1º grau de 1ª a 4ª sé-rie, no Colégio Cenecista “Ilma Rosa De Nês”, na cidade de Chapecó-SC, diplomada no ano de 1989. Em 2004, pela uni-versidade do estado de Santa Catarina, centro de educação a distância, fiz a graduação em Pedagogia. Em 2008, concluí o curso de especialização “lato sensu” em Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental, no Centro de Ensino Su-perior de Chapecó, Faculdade Empresarial de Chapecó: Celer Faculdades. Atualmente, atuo como docente na Escola Munici-pal Bairro Antena, em caxambu do sul, SC.
  9. 9. CAXAMBU DO SUL, SC, DEZEMBRO DE 2014 n°2 Ano 1 UniversoEMBA 9 Profissão: Professora/Professor IVETE GOTTARDI POMPEU DA SILVA CLEUSA DE FÁTIMA CARDOSO MARIA JOCELI MUCELINI ANA PAULA TOMASI GICELA DE FÁTIMA GILIOLI MARTIORI CLEIDES FOIATO Brincar de escolinha era uma das preferidas, desde pequena sempre tive vontade de ser professora. Cursei o Ensino Fundamental na Escola de Educação Básica Cândido Ramos e nas dependências desse mesmo educandário cursei o Ensino Médio pela Instituição “Colé-gio Cenecista Caxambuense”. Em 1983, ini-ciei meu trabalho como professora na Escola Estadual Linha Pompeu, anos após atuei na Escola Básica Cândido Ramos e em 1997 efe-tivei- me na Escola Municipal Bairro Antena, onde permaneço até hoje. No mesmo ano que iniciei meu trabalho como professora, prosse-gui meus estudos cursando o Magistério (LO-GOS II – em Chapecó). Em 2002, formei-me Pedagoga na UNOCHAPECÓ e no ano seguin-te, fiz Pós-graduação: Interdisciplinaridade na Educação Infantil e Ensino Fundamental pela Universidade de Amparo – SP. Prossigo meus estudos realizando vários cursos de capacitação e realizando muitas leituras. Neste semestre, estamos trabalhando o Projeto interdisciplinar “A(cor)dar para a EMBA: Educar para ser hu-mano” (sub-tema “Meio ambiente: Problemas e soluções), com meus alunos (5º Ano 01 e 02). Possui graduação em Curso de Geografia pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (1999). 2003 – 2004: Especialização em Geografia e Gestão Ambiental pela Universidade Comuni-tária Regional de Chapecó, UNOCHAPECO. Graduação em Pedagogia pelo Centro Uni-versitário da Grande Dourados – UNIGRAN Dourados (2010). Atualmente, é professora 40 horas efetiva da Prefeitura Municipal de Ca-xambu do Sul. Iniciei meus estudos na Escola E.F. José Bevilaqua, hoje Ade-le Faccin e conclui o Ensino Fundamental (anos finais) na Escola de Educação Básica, hoje E. E. B. Cândido Ramos. Fiz o 2º grau no Colégio Estadual Arco Verde de São Carlos, San-ta Catarina, onde cursei o magistério. Comecei a trabalhar na Escola Professora José Bivilaqua com 15 anos de idade como professora dos anos inicias. Fiz o curso de Graduação em Pedagogia nas Séries Iniciais e Educação Infantil e pós-gra-duação em Séries Iniciais e Educação Infantil. Atuei como professora na Escola Adele Faccin Zanuzzo, onde trabalhei disciplinas afins e Anos Iniciais, incluindo o Projeto Ambial. Atuo na Escola Municipal Bairro Antena com anos Iniciais. Licenciada em Educação Física, pela Universidade Regional de Chapecó – Unochapecó (2006). Pós-graduada em em Edu-cação Física na Celer Faculdades (2007). Graduada em Jorna-lismo (2013). Atualmente, cursa pós-graduação em Jornalis-mo e Convergência Midiática, na Unochapecó e, em Educação na Cultura Digital, pela Universidade Federal de Santa Catari-na - UFSC. Trabalhou como professora estagiária no programa federal - Segundo Tempo, em Caxambu do Sul. Já formada, desen-volveu e aplicou um projeto de ginástica laboral com os ser-vidores públicos municipais de Caxambu do Sul. Atuou como professora de Educação Física no Departamento Social, minis-trando aulas nos grupos de idosos do município e no Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti). No Departamento de Esportes, ministrou aulas de handebol e futsal feminino. Ministrou aulas de Educação Física na Educação Infantil e nas séries iniciais do Ensino Fundamen-tal na Escola Municipal Bairro Antena, sendo que, desde 2007, ministra aulas de Educação Física nas séries finais do ensino fundamental na referida Escola. Cursei o Magistério nos anos de 1987 a 1989 na UCRE de Cha-pecó, SC. Já exercia a função de professora desde abril de 1986, com a carga horária de 20 horas, na Escola Isolada Municipal Linha Bonito, interior de Caxambu do Sul, lecionando para 1ª e 2ª séries. Em 1987, comecei a trabalhar na Escola Municipal Nossa Senhora de Fátima, até 1994. A partir de então, passei a trabalhar na Escola Municipal Bairro Antena, com carga horária de 20 horas e na Escola Básica Cândido Ramos, também 20 ho-ras, durante quatro anos. De 1996 a 1999 cursei Pedagogia – Ha-bilitação em Séries Iniciais e Educação Infantil, na cidade de Se-ara– SC, extensão da Universidade do Contestado - UnC (Projeto Magister). Em outubro de 1999, iniciei o curso de pós-graduação em Teoria e Metodologia da Educação na cidade de Caibi – SC, extensão da UNOESC de Chapecó. Conclui o curso no mês de abril do ano 2001. Continuo exercendo a função de professora na Escola Municipal Bairro Antena. Licenciatura em Matemática pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó – Unochapecó (2005). Pós-graduação em Educação: especialização em “Ação Interdisciplinar no Processo Ensino-Aprendizagem, ênfase em Paradigmas Atuais da Edu-cação”. Área de Concentração: Matemática e Ciências Naturais, pela FAI (2006). Atualmente cursando o 8º período de Ciências Contábeis na Uceff – Chapecó e Pós-graduação em Cultura Digi-tal pela UFSC. Iniciou como professora de matemática em 2003, na E. E. B. Cândido Ramos. Nos demais anos trabalhou nas segu-intes escolas: Escola de Ensino Fundamental Adele F. Zanuzzo, E. de E. B. Luiza Santin, E. M. Bairro Antena (E. F. anos finais). São 11 anos em sala de aula e muitas experiências, amizades, aprendizados, companheirismo, dedicação adquiridos. Nascimento: 15 de Junho de 1963, em Caxambu do Sul, SC. Cresci em um am-biente muito legal, com muitas respon-sabilidades desde pequena, mas com a oportunidade de mui-tas brincadeiras.
  10. 10. 10 UniversoEMBA n°2 Ano 1 CAXAMBU DO SUL, SC, DEZEMBRO DE 2014 Profissão: Professora/Professor IDIANE CLAUDETE PIZZI LUCIANO LUIZ AIRES LUIZ ANTONIO BEDIN REJANE DAL MORO BARTOLAMEI SOELI MENONCINI ELIZANDRA MORETO Tenho 32 anos, sou natural de Caxambu do Sul, Santa Catarina. Cursei Pedagogia pela universidade do estado de Santa Catarina- UDESC, pós-graduação em Educação-edu-cação infantil e anos iniciais, pela universidade de Itapiranga (FAI). Sou formada há dez anos e há nove trabalho como professora. Trabalhei em seis escolas aqui da nossa região, sendo elas: Escola de Educação Básica Cândido Ramos, Escola Municipal Bairro Antena, Esco-la de Educação Básica Lurdes Tonin, Escola Municipal Porto Chalana e na Escola Munici-pal Linha Killian. Nessa minha trajetória, trabalhei com a edu-cação infantil, anos iniciais e finais do ensino fundamental, ensino médio, educação de jo-vens e adultos e SAEDE. Atualmente, estou trabalhando em duas esco-las do município de Caxambu do Sul: na Escola Municipal Bairro Antena, com o 4º ano; e na Escola de Educação Básica Cândido Ramos, como segunda professora no ensino regular e matemática no EJA. Natural de Planalto (RS) | Nascimento: 1982 Possui graduação em Letras Português e res-pectivas Literaturas pela Universidade Co-munitária da Região de Chapecó (2006); é Pós-graduado em Letras: Língua e Literatura pela mesma universidade (2007); Pós-gradu-ado em Design e Gestão da Marca: Branding (UNOCHAPECÓ - 2013). Em andamento (2014): especialização em “Cultura Digital”, pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atua nos seguintes temas: poesia gauchesca; memória; figurações, sentidos e Literatura. Desenvolveu atividades no setor de cultura do Sesc – Chapecó em 2004 e 2005; fez estágio no la-boratório de línguas na Unochapecó (2005). Foi professor emergencial por um curto período nos cursos de direito e publicidade na Unochapecó (2009). Atuou como professor na Escola Fedelino Machado dos Santos e na Escola André Marafon, em Chapecó (2013). Atuou como ACT na Escola Municipal Bairro Antena em 2013; efetivou-se, através de concurso, na mesma escola em 2014. Desenvolveu o projeto rádio escolar (com apoio da direção e professores) e jornal na escola. Professor de arte da EMBA. Nascido em Caxambu do Sul, SC. Cresci nesta, estudei no ensino funda-mental na Escola Básica Cândido Ramos, o ensino médio cursei no CNEC (curso de Administração), hoje a EMBA. Formei-me no ensino superior no curso de Educação Artística - Licenciatura Plena, Habilitação Artes plásticas. Pós-graduação em Fundamentos e Metodologias da Arte na Edu-cação, ambas na UNOESC Xanxerê. Os Principais Projetos que participei na EMBA: Rádio Escolar, Magia Do Aprender (desenvolvidos com as turmas de primeiro ao quinto ano das sé-ries iniciais, através do curso do PNAIC). Nascida aos 27 de julho de 1975, em Caxambu do Sul, SC. Forma-da em Educação Física nas Faculdades Integradas de Palmas, PR. Pós-graduada em Educação Física na Celer Faculdades de Xaxim, SC. Iniciei minha carreira de Professora nas Escolas Estaduais Adele Fac-cin Zanuzzo e Cândido Ramos. Depois, passei a trabalhar na Escola Municipal Bairro Antena, onde me efetivei e continuo até hoje, um total já de 20 anos na profissão de professora. Trabalho com alunos do 1º ao 5º ano das séries iniciais. Nasci em 1978, sou natural de Caxambu do Sul, Santa Catarina. Frequentei o Ensino Fundamental na Escola de Educação Básica Cândido Ramos, conclui o Ensi-no Médio no CEJA. Em 2008, comecei o curso de Pe-dagogia na UNIGRAN, com habilitação em Educação Infantil e Anos Iniciais. Em 2014, fiz pós-graduação em Educação Especial e Inclusiva na Universidade do Contestado (UNC de Concórdia). Iniciei minha carrei-ra como professora na Escola Municipal Bairro Antena em 2012. Atualmente, trabalho 20 horas/aula na Esco-la de Educação Básica Professora Lourdes Tonin, onde sou segunda professora e acompanho uma jovem de 18 anos no 2º ano do Ensino Médio. Na Escola Municipal Bairro Antena, trabalho 20 horas/aula, sou auxiliar do 4º ano do Ensino Fundamental. Nascimento: 09/05/1963 Iniciei as atividades na prefeitura Municipal de Caxambu do Sul em 05/03/1963. Em 2000, iniciei o trabalho no magistério. Graduação: Pedagogia em Educação Especial e Aprendizagem Lenta (UPF – Passo Fundo). Pós-graduação em Teoria e Metodologia da Educação, Educação Infantil e Ensino Funda-mental (1ª a 4ª série).
  11. 11. CAXAMBU DO SUL, SC, DEZEMBRO DE 2014 n°2 Ano 1 UniversoEMBA 11 Profissão: Professora/Professor Mais Destaque CAROLINE KLAUCK LEANDRA ROHR ADRIANE FÁTIMA DA SILVA GRANDES PROJETOS REALIZADOS NAS ESCOLAS DO MUNICÍPIO DE CAXAMBU DO SUL ENVOLVEM ALUNOS E PROFESSORES Na Escola Estadual Cândido Ramos, o projeto idealizado pela professora de Língua Portuguesa e Literatura, Carla Maria Sgnaulin, já rendeu ótimas leituras. O projeto Vitrine Literária tem como tema a leitura da literatura. De acordo com a professora, uma vitrine atraente é o que chama o consumidor para dentro da loja. Assim, o projeto quer chamar os alunos para dentro do universo literário, único e contagiante. O projeto vem sendo desenvolvido desde 2013. Vitrine Literária Apresentação Natural de Caxambu do Sul | Nascimento: 1983 Possui graduação em Letras Inglês pela Universi-dade Comunitária da Região de Chapecó (2006); é Pós-Graduada em Letras na área da tradução. Atuou como professora nas escolas municipais do município de Guatambu e nas escolas estaduais do município de Caxambu do Sul, SC. Atuou como professora responsável na escola Young no mu-nicípio de Caxambu do Sul, SC. Atua como ACT na Escola Municipal Bairro Antena, desde o ano de 2002. Desenvolveu, entre outros projetos, o I Halloween na EMBA. Nasci em 10 de janeiro de 1973, em São Carlos, SC. Estudei na Escola Estadual Cardeal Arco Verde e Cândido Ramos para concluir o ensino fundamental. O ensino médio fiz no CNEC de Caxambu do Sul. Cursei o ensino superior na UNOESC de Joaçaba - Curso de Educação Artística - Habilitação em Artes Plásticas. Especialização pela UNOCHAPECÓ - Medotologia Superior do Ensino da Arte. Cursei o 1º grau na EEB Irineu Bornhausen em Águas de Chapecó/SC, ensino médio EEB Cardeal Arco Verde na Cidade de São Carlos /SC, fazendo habilitação profissional plena para magistério do ensino de 1ª a 4ª série; posteriormente, (1992) ha-bilitação de pré-escola em nível de ensino médio. Pós-graduação pela Faculdade de Ita-piranga (FAI) - Ação Interdisciplinar no Processo de Ensino e Aprendiza-gem, ênfase nos Paradigmas atuais da Educação - Área de concentração: Arte. Atuei na Rede estadual de ensino como professora de Arte durante o período de 1993 a 2000. Em 2001, iniciei na rede municipal como professora de Arte nas séries iniciais e mais tarde nas séries fi-nais. Estou na gestão escolar/ Professo-ra responsável desde 2011. (1994–1998) ensino superior (UNOESC Campus Chapecó/SC) e me formei em Bacharel e licenciada em Ciências Biológicas. (2000-2002), Especialização em mercado de trabalho e exercício do magistério em fitossanidade. Tive um trabalho publi-cado em anais, o Trabalho de estudos Alelopáticos da Adiantum cuneatum ( 1998) sobre a germinação da lactuca sativa em testes de laboratório, premiado no IV seminário integrado de iniciação científica. 22 anos de atuação: Águas de Chapecó, professora efetiva de educação infantil. Posteriormente, efetivei-me no estado, na EEB Irineu Bornhausen. Pedi remoção para Caxambu do Sul, para a EEB Cândido Ramos e na EM Bairro Antena. Atuei na Escola da UNOESC, Técnica Agrícola 25 de Julho, em São Carlos. Fui tutora da UDESC, UNIASSELVI e FURB aqui em Caxambu do Sul. Alunos do ensino fundamental e médio participam do projeto, através de sor-teio. Os alunos sorteados leem as obras expostas na vitrine e apresentam em um deter-minado momento para a comunidade escolar. Uma das estudantes que já participaram do projeto é Karolina Ziliotto (1ª ensino médio): “Apresentei o livro ‘A Guerra’, de Patrick Ness. Adorei a oportunidade de expor uma leitura minha e de falar de literatura, que é essencial para nossas vidas”. Na escola de Ensino Fundamental Adele Faccin Zanuzzo, ganha destaque o projeto desenvolvido pela pro-fessora Juliete Pacassa, com o apoio da diretora Eliana Fur-lanetto Di Domenico. Segundo a professora, o projeto foi realizado para mostrar e conscientizar os alunos sobre as consequências do aqueci-mento global em nosso país e no mundo. O projeto Aqueci-mento global, não! foi trabalhado de agosto a setembro.
  12. 12. 12 UniversoEMBA n°2 Ano 1 CAXAMBU DO SUL, SC, DEZEMBRO DE 2014 Sala de Professores ESCOLA IMPLANTA O MAIS EDUCAÇÃO A Escola Municipal Bairro Antena, através da direção (Leandra Rohr) e equipe pedagógica (Jussara Odete Corrêa, Nelides Eva Filippin), não mediu esforços para aderir e implantar o Programa do Governo Federal – Mais Educação, que tem como objetivo principal a arti-culação e a integração entre escola, família, estudantes e comunidade. A educação básica em tempo integral é regulamentada pela Lei nº 11.494, de 20 de junho de 2007. Assim, com o objetivo de desenvolver habilidades, até então não estimuladas, a Escola Municipal Bairro Antena oferece aos alunos as seguintes oficinas: Leitura e Orientação de Estudos; Jornal; Teatro; Desenho; Violão. Para o coordenador do Programa Mais Educação na Escola, professor Luciano Luiz Aires, possibilitar situações reais e cotidianas é o papel da escola para que o estudante coloque em prática tudo aquilo que tem acesso e constrói em sala. Ainda segundo o coordenador, “é assim que o conhecimento vai sendo construído, através da prática, fundamentado em leituras, orientações e com base nos elementos básicos de determinadas áreas”. A educação integral visa um estudante autônomo, sujeito da própria história, em constante interação com o mundo em que vive. A importância está no fato de o estudante ser protagonista de um projeto que tem como intuito proporcionar novas experiências de uma forma dinâmica, lúdica e interativa. Confira mais no blog da escola: https://embatdics.wordpress.com Oficina: Violão Oficina: Jornal Tá na internet Oficina: Orientação de estudos Oficina: Desenho Intervalo das oficinas Oficina: Orientação de estudos A internet está cada vez mais presente na vida de crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos, tornando possível a comunicação e o conhecimento mais amplos. Sabemos que nem tudo que está na internet é verdade. Por isso, na hora de pesquisar, sites confiáveis ajudam muito. Por outro lado, a internet também permite/proporciona a qualquer pessoa um “encontro” com informações além do que o livro didático ou o professor/a traz. São imagens, vídeos, músicas, livro digitais, biografias... A internet nos ajuda na busca de fontes diversificadas, conceituadas, divulgação de artigos científicos, textos históricos, atividades, novas teorias que possibilitam uma metodologia variada, novas leituras, opiniões que subsidiam o trabalho em sala de aula. A interatividade é maior, amplia as relações em outros espaços, e precisamos nos adaptar a esse novo contexto que influencia no nosso cotidiano, nas nossas vidas. Além de tudo, contribui para o currículo escolar, tornando as aulas mais produtivas.

×