Falta generalizada de perfusão tecidualcomFalta generalizada de perfusão tecidual . a      hemácias oxigenadas, que levame...
TEMPO DE ISQUEMIA QUENTECÉREBRO, CORAÇĀO E PULMĀO                4-6minFÍGADO, RINS e TRATO GASTROINTESTINAL    45-90minMÚ...
COMPONENTES NECESSÁRIOS PARA PERFUSÃO1 – Ligação do O2 às hemácias nos  pulmões2 – Chegada das hemácias às células3 – Pass...
METABOLISMO  AERÓBIO    METABOLISMO     ANAERÓBIO
METABOLISMO                 AERÓBIOPRINCIPAL PROCESSO DE COMBUSTÃOPRODUZ ENERGIA DE FORMA EFICIENTEUTILIZA UMA SÉRIE DE RE...
METABOLISMO           ANAERÓBIO     É INEFICIENTE NA PRODUÇÃO DE ENERGIAGERA SUBPRODUTOS COMO LACTATO E ÁCIDO PIRÚVICO    ...
Falência na produção de energia         Aumento de ácido         Sistema TampãoAumento da excreção renal   Aumento FR
Fase isquêmica – caracteriza-se pela redução do fluxo sanguíneo capilar e pela                  conversão para metabolismo...
• Fase de estagnação – abertura dos esfíncteres pré-capilares, resultando emaumento da pressão hidrostática, provocando a ...
• Fase de depuração – os subprodutos tóxicos acumulados nas duas primeirasfases são depurados para circulação sanguínea du...
   Perda da cor e da temperatura normais da pele   Pulso distal filiforme   Aumento do tempo de reenchimento capilar
Classe I        Classe II      Classe III      Classe IVPerda sangüínea (ml)      Até 750       750 - 1500     1500 - 2000...
CRISTALÓIDES               COLÓIDES
Expansão intravascularSolução       Volume      volemiaRinger lactato 1000 ml     240 mlAlbumina 5%   1000 ml    450-650 ml
ESQUEMA DE DECISĀO NA REANIMAÇÃO   Adultos em choque classe II e III ou IV    devem receber um bolo inicial de 1 a 2l    ...
POSSÍVEIS RESPOSTA A REPOSIÇÃO     VOLÊMICA   Resposta rápida –      Sinais vitais voltam ao normal e assim    permanecem...
Choque e Reposição volêmica
Choque e Reposição volêmica
Choque e Reposição volêmica
Choque e Reposição volêmica
Choque e Reposição volêmica
Choque e Reposição volêmica
Choque e Reposição volêmica
Choque e Reposição volêmica
Choque e Reposição volêmica
Choque e Reposição volêmica
Choque e Reposição volêmica
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Choque e Reposição volêmica

12.164 visualizações

Publicada em

Choque e Reposição volêmica.

1 comentário
5 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.164
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
269
Comentários
1
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Choque e Reposição volêmica

  1. 1. Falta generalizada de perfusão tecidualcomFalta generalizada de perfusão tecidual . a hemácias oxigenadas, que levametabolismo anaeróbio e diminuição daprodução de energia.
  2. 2. TEMPO DE ISQUEMIA QUENTECÉREBRO, CORAÇĀO E PULMĀO 4-6minFÍGADO, RINS e TRATO GASTROINTESTINAL 45-90minMÚSCULO, OSSO e PELE 4-6horas
  3. 3. COMPONENTES NECESSÁRIOS PARA PERFUSÃO1 – Ligação do O2 às hemácias nos pulmões2 – Chegada das hemácias às células3 – Passagem do O2 das hemácias para as células
  4. 4. METABOLISMO AERÓBIO METABOLISMO ANAERÓBIO
  5. 5. METABOLISMO AERÓBIOPRINCIPAL PROCESSO DE COMBUSTÃOPRODUZ ENERGIA DE FORMA EFICIENTEUTILIZA UMA SÉRIE DE REAÇÕES QUÍMICASA ENERGIA PRODUZIDA É ARMAZENADA NA MOLÉCULA DE ATP
  6. 6. METABOLISMO ANAERÓBIO É INEFICIENTE NA PRODUÇÃO DE ENERGIAGERA SUBPRODUTOS COMO LACTATO E ÁCIDO PIRÚVICO PROCESSO QUE TEM VIDA CURTA
  7. 7. Falência na produção de energia Aumento de ácido Sistema TampãoAumento da excreção renal Aumento FR
  8. 8. Fase isquêmica – caracteriza-se pela redução do fluxo sanguíneo capilar e pela conversão para metabolismo anaeróbio.
  9. 9. • Fase de estagnação – abertura dos esfíncteres pré-capilares, resultando emaumento da pressão hidrostática, provocando a saída de líquido dos capilarespara o espaço intersticial.
  10. 10. • Fase de depuração – os subprodutos tóxicos acumulados nas duas primeirasfases são depurados para circulação sanguínea durante o terceiro estágio.
  11. 11.  Perda da cor e da temperatura normais da pele Pulso distal filiforme Aumento do tempo de reenchimento capilar
  12. 12. Classe I Classe II Classe III Classe IVPerda sangüínea (ml) Até 750 750 - 1500 1500 - 2000  2000(%) Vol. Sangüíneo. Até 15% 15 – 30% 30 – 40%  40%Freqüência de pulso  100  100  120  140 Pressão arterial normal normal diminuída Diminuída Freqüência respiratória. 14 - 20 20 – 30 30- 40  35 Diurese (ml/h)  30 20 - 30 5 - 15 Desprezível moderada ansioso confuso Estado Mental levemente ansioso confuso letárgico (SNC) ansioso Cristalóide Cristalóide SangueReposição Volêmica cristalóide cristalóide sangue
  13. 13. CRISTALÓIDES COLÓIDES
  14. 14. Expansão intravascularSolução Volume volemiaRinger lactato 1000 ml 240 mlAlbumina 5% 1000 ml 450-650 ml
  15. 15. ESQUEMA DE DECISĀO NA REANIMAÇÃO Adultos em choque classe II e III ou IV devem receber um bolo inicial de 1 a 2l de solução cristalóide aquecida. Crianças devem receber um bolo inicial de 20mL/kg de solução cristalóide aquecida.
  16. 16. POSSÍVEIS RESPOSTA A REPOSIÇÃO VOLÊMICA Resposta rápida – Sinais vitais voltam ao normal e assim permanecem.paciente perdeu menos de 20% de seu volume e a hemorragia cessou. Resposta transitória – Inicialmente os sinais vitais melhoram, mas na evolução, estes doentes pioram e retornam em choque. Devem ter perdido de 20 a 40% de vol.e continuam sangrando. É necessário intervenção cirúrgica. Resposta mínima ou ausente - não apresentam nenhuma alteração nos sinais de gravidade do choque. Apresenta hemorragia interna maçiça exsanguinante e necessitam de cirurgia.

×