1 edição

338 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
338
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1 edição

  1. 1. Chico-Zé BOLETIM INFORMATIVO 7.º E 1.ª EDIÇÃO - JANEIRO DE 2010 0 Apresentação do nosso boletim 35Ï;,0$ (,d­2 & d d K  K  d W W  W d Z AS NOSSAS DISCIPLINAS A nossa escola d , E AS NOSSAS REFEIÇÕES “EM ACÇÃO” E d “PASSATEMPOS” d
  2. 2. A Direcção Executiva Passatempos Descobre e ordena K W Z W W s D ^^ D / ^ Z E KW E W Descobre as 7 diferenças ^ Z Z WZ Z W / / d Em Acção Peça de teatro: «O cavaleiro da Dinamarca» E ^ Para rir W E E : D : : W d ^ :W K W h W ^ W D D : D D W D Z
  3. 3. Chico-Zé BOLETIM INFORMATIVO 7.º E 2.ª EDIÇÃO - FEVEREIRO DE 2010 0 A nossa cantina - entrevista à chefe de cozinha 35Ï;,0$ (,d­2 E E O SERVIÇO DE ENSINO d ESPECIAL DA ESCOLA E Y E ^ E D E W O SPO DA ESCOLA d ^ WE ^E Y E Y “EM ACÇÃO” E “PASSATEMPOS”
  4. 4. As nossas disciplinas Passatempos / W Jogo das Vogais^ WsE d E Y h E Y dD d s d Descobre as 7 diferenças , KEE d , D W D Z ^^ / / d Em Acção Visita de estudo à UTAD e à REBAT E : Para rir hd s Z W K: W Z E : E K E : : Z d K d d D : D D D Z
  5. 5. Chico-Zé BOLETIM INFORMATIVO 7.º E 3.ª EDIÇÃO - MARÇO DE 2010 Educação Especial - entrevista Prof. Eduardo Freitas PRÓXIMA EDIÇÃO A NOSSA BIBLIOTECAO nosso grupo de trabalho pretende dar a e socialização, ac vidades relacionadasconhecer, aos nossos Encarregados de Edu- com a memorização ... OS NOSSOS INTERVALOScação, o serviço da Educação Especial da Nós: Que materiais especí cos possuem? Pesquisa de camponossa escola. Para isso solicitou uma entre- Prof: Computadores com so wares pró-vista com o professor responsável pelo ser- prios, jogos educa vos e didác cos, brin-viço. quedos es mula vos... Nós: Que aspectos considera importantesNós: O que é a Educação Especial? melhorar neste serviço?Prof: É uma educação diferenciada, que vai Prof: Seria muito importante termos maisde encontro às caracterís cas individuais técnicos especializados (ex.: Terapeutasdos alunos e que requer um docente da Edu- da Fala, Psicoterapeutas...) e mais espaçoscação Especial. (ex.: piscinas cobertas...). Estes recursosNós: Por quem é formada a equipa da Edu- permi r-nos-iam desenvolver mais as ca-cação Especial? pacidades dos alunos que temos actual-Prof: É uma equipa mul disciplinar compos- mente na nossa sala.ta pelo Professor da Educação Especial, Te-rapeutas Especializados, Auxiliares da Acção O nosso agradecimento ao Prof: EduardoEduca va e Psicóloga do Agrupamento.Nós: Quantos alunos têm a bene ciar deste Freitas e às Auxiliares da Acção Educa va que nos receberam com carinho, assim “EM ACÇÃO” Eapoio? como aos nossos colegas da Educação Es- “PASSATEMPOS”Prof: Com apoio directo e diário, temos 5 pecial que se encontravam na sala, na altu-alunos. Indirectos são 38 alunos em todo o ra desta entrevista. Duas rubricas que teremos em todas as ediçõesAgrupamento.Nós: Que ac vidades realizam com os alu-nos?Prof: Ac vidades de linguagem expressiva, António, Cá a, Eduardo, Lucas e Luísac vidades direccionadas para a autonomia
  6. 6. Passatempos SPO da Escola - Entrevista à Dra. Telma Salgado Cúmulos No dia 9 de Março, o nosso Força: Dobrar a esquina.grupo de trabalho foi entre- Magreza: Andar à chuva e não se molhar.vistar a Drª Telma Salgado a Vadiagem: É a morte bater à porta e o sujei- m de dar a conhecer este to não estar em casa. Distracção: Comer o guardanapo e limpar aserviço aos nossos Encarrega- cara ao bifedos de Educação. Preguiça: Morrer de sede com água até ao pescoçoNós: O que signi ca a sigla Egoísmo: Não te digo!!!SPO?Dra. Telma: Signi ca Serviçode Psicologia e Orientação da Escola. É um serviço cons tuído por uma Descobre as 5 diferençaspsicóloga que assegura o acompanhamento de alunos, individualmenteou em grupo. Para além disso o SPO colabora com os professores e com aDirecção da Escola em inicia vas que promovam o sucesso e o bem-estardos alunos.Nós: O acompanhamento envolve também a família ou aplica-se apenasaos alunos?Drª Telma: Envolve (quase) sempre a família, pois ela é fundamental paracompreender o que se passa com o aluno e na resolução dos problemas.Se a família não se envolver é di cil veri carem-se resultados posi vos.Nós: Se um aluno sen r necessidade pode recorrer a este serviço pesso-almente?Drª Telma: Sim, ou pode fazê-lo através do seu Director de Turma.Nós: Os pais podem recorrer a este serviço?Drª Telma: Sim, desde que o mo vo se prenda com as necessidades dos lhos que frequentem este Agrupamento. Ana Catarina, Ana Isabel, Inês, Fá ma e Tiago Em Acção Eucaristia Pascal À semelhança de anos anteriores, o gru- Para rir po de EMRC realizou, no passado dia 26 de Na escola: Março, a Eucaris a Pascal da Comunidade Prof: João, podes dizer-me o nome de 5 Escolar. coisas que contenham leite? A esta Eucaris a assis ram alunos do Aluno: Claro professor: 1 queijo e 4 va- nosso Agrupamento, desde o 1º ciclo ao cas. Ensino Secundário. Esta Eucaris a é muito animada, porque Prof: O que devo fazer para repar r 11 tem cân cos muito juvenis, mas não per- batatas por 7 pessoas, Luisinho? de o seu carácter re exivo e religioso. Aluno: Puré de batata, senhor professor. Nesta Eucaris a os alunos par cipam em variadas ac vidades, o que nos faz sen r Aluno: “S’tora” alguém pode ser cas ga- que a ac vidade é feita para nós e por do pelo que não fez? nós. Profª: Claro que não.O tema deste ano era: ”Ser Sacerdote” que signi ca “servir” e a mensa- Aluno: Fixe. É que eu não z o TPC.gem que cou é que todos devemos servir a comunidade em que vivemoscom os nossos dons. Ana Cris na, Ana Margarida, José, Marta e Carlos, Cris na, Diogo, Márcio e Rita Miguel
  7. 7. Chico-Zé BOLETIM INFORMATIVO 7.º E 4.ª EDIÇÃO - ABRIL DE 2010 A nossa biblioteca - entrevista com a Dª Iolanda PRÓXIMA EDIÇÃO O NOSSO BAR Ar go de opiniãoNeste número, do nosso “Chico-Zé”, decidi- quando veri co uma situação dessas infor-mos dar-vos a conhecer um pouco da nossa mo o aluno que se não quer trabalhar deve A PAPELARIABiblioteca. ceder o lugar a outro aluno ou simplesm- Entrevista oas responsáveis mente sair dos computadores.Nós:Como de niria este espaço? Nós: Os alunos costumam requisitar livrosDª Iolanda: A Biblioteca é um espaço cultu- para levar para casa?ral e pedagógico, no qual os alunos podem Dª Iolanda: Sim. Vão fazendo-o com algu-realizar trabalhos e estudarem. ma frequência. Penso que os alunos aindaNós: Quantos funcionários trabalham aqui? vão gostando de ler!Dª Iolanda: Apenas eu, embora tenha o Nós: Gosta de trabalhar neste espaço?apoio de quatro professores que dinamizam Dª Iolanda: Sim. É agradável contactar di-aqui ac vidades. rectamente com os alunos e também por-Nós: Em média, quantos alunos frequentam que nos chegam alguns trabalhos por partea Biblioteca por dia? de alguns professores para expormos aqui,Dª Iolanda: É di cil precisar...mas talvez á e se eu não trabalhasse cá certamente nãovolta de 120 alunos. os conheceria. A Biblioteca é também umNós: Que po de ac vidades costumam rea- espaço agradável e bem aproveitado porlizar os alunos na Biblioteca?Dª Iolanda: Normalmente vêm aqui para re- quem o trabalha e frequenta. “EM ACÇÃO” Ealizar trabalhos em grupo, pesquisar na Net, “PASSATEMPOS”e estudar.Nós: O uso da Net, por parte dos alunos, é Duas rubricas que teremos em todas as ediçõesum serviço direccionado para temas escola-res?Dª Iolanda: Por vezes não...alguns alunos António, Cá a, Eduardo, Lucas e Luísquerem usá-la para jogos e brincadeiras,mas também é para isso que aqui estou...
  8. 8. Passatempos Os intervalos - pesquisa de campo Para rir ... ou talvez não!! No dia 20 de Abril, o nosso grupo de trabalho andou a pesquisar no pá o da escola sobre a opinião dos alunos em re- lação aos intervalos. Entrevistamos 22 alunos. Ques námo-los sobre o que costumam fazer nos intervalos. Oito alunos a rma- ram que normalmente passam os inter-valos a conversar com os colegas. Cinco alunos dizem que aproveitam otempo para jogar e outros cinco referem que namoram. Três alunos di-zem que não fazem nada e apenas um a rma que passa o tempo no bar.Em relação à segunda pergunta que pedia que indicassem o que mais gos-tavam que se zesse nos intervalos, sete dizem que gostavam de pra carjogos dinamizados por alguém, cinco a rmam que gostavam que se pu-desse fumar, um gostaria de pra car corridas, dois pra car basquete ecinco referem que gostavam que houvesse autorização para sairem daescola nos intervalos.Por m, pedimos que nos referissem um aspecto nega vo que se passenos intervalos. Cinco alunos falam nas agressões sicas entre alunos, umrefere que é uma altura em que existem muitas pessoas no bar e que nãodá jeito nenhum, três referem que os “grandes” não se relacionam muitocom os mais pequenos, quatro referem que os intervalos não deveriamser controlados por funcionários e os restantes não referiram nenhumaspecto.Independentemente do que se possa fazer no intervalo, ele deveria seressencialmente um espaço de convívio são e fraterno. Ana Catarina, Ana Isabel, Inês, Fá ma e Tiago Em Acção No passado dia 26 de Abril, na aula de EMRC, Anedotas foi-nos proposto a realização de um traba- lho para o dia da mãe. Alguém me sabe dizer donde vem a luz Foi-nos dado um azulejo e frases ou quadras eléctrica?-Pergunta o professor? para usarmos. A decoração cou por nossa -Da Selva! - responde o João. conta. Quem fosse poé co, também podia -Da Selva? - Pergunta o professor. personalizar mais o trabalho. - Pois, ainda esta manhã o meu pai dis- Acolhemos bem a ideia. É sempre impor- se, quando estava a tomar banho: “Estestante, nestas datas, fazermos nós mesmos qualquer coisa para a pessoa macacos cortaram outra vez a luz...”em causa. Sempre é fruto do nosso trabalho... e afec vamente tem maisvalor! Está bem, eu tomo nota... O Luisinho nãoPara todas as nossas mães um imenso obrigada por tudo!!! pode vir às aulas hoje, porque está com gripe... Já agora, quem é que está ao te- lefone? - É o meu paizinho Sra. Professora! Ana Cris na, Ana Margarida, José, Marta e Carlos, Cris na, Diogo, Márcio e Rita Miguel
  9. 9. Chico-Zé BOLETIM INFORMATIVO 7.º E 5.ª EDIÇÃO - MAIO DE 2010 A nossa sala de convívio e o nosso bar - artigo de opinião ÚLTIMA EDIÇÃO FÉRIAS...O QUE FAZER? Ar go de opinião Neste penúl mo número, do nosso “Chi- considerassem importante: um ar go deco-Zé”, decidimos falar-vos do serviço do re exão, uma no cia, um desenho, qua- ?????nosso bar/sala de convívio. dras, ideias...qualquer coisa! Supresa A nossa sala de convívio e o nosso bar são Claro que estas nossas ideias só funcio-locais agradáveis. Temos bastante espaço nariam se os alunos vessem respeito ecom mesas e cadeiras, televisão, o serviço demonstrassem interesse pelo esforço dede bar e até uma máquina com alguns pro- quem dinamizasse estas ac vidades, masdutos, para aquelas horas nas quais o bar talvez tenha que se semear hoje para co-não está a funcionar. lher um dia!!!No bar podemos comer pão com variadissi-mos recheios, bolos e chocolates. As bebi-das passam por leite e sumos. Todos os ar- gos são frescos e higienicamente servidos.No entanto somos da opinião de que estelocal poderia melhorar em alguns aspectos.Consideramos que poderia haver músicaambiente, o que educaria os alunos a esta-rem mais silenciosos e a apreciarem música;poderiam exis r ac vidades programadas “EM ACÇÃO” Epela Associação de Alunos, tais como con- “PASSATEMPOS”cursos de jogos (xadrez, cartas, puzzles...);placares para a xaremos trabalhos que aca- Duas rubricas que teremos em todas as ediçõesbam por car nas salas de aula e não sãoacessíveis a todos...Poderia também exis rem placares nas pa-redes onde de forma cria va e voluntária os António, Cá a, Eduardo, Lucas e Luísalunos pudessem expor alguma coisa que
  10. 10. Passatempos Papelaria - entrevista com os responsáveis Descobre as 8 diferenças Queremos dar-vos a conhecer o nosso serviço de papelaria. Fomos de caneta e papel falar com a dona Dulce e com o se- nhor Artur. Na altura o senhor Artur es- tava na hora de almoço...apanhamos lá a dona Dulce. Entre um cliente e outro disponibilizou-se para falar connosco.Nós: Dona Dulce, que po de serviços se prestam aqui?Dª Dulce: Temos o serviço de papelaria, com a venda de materiais escola-res; o serviço das senhas, já que alguns alunos ainda recorrem aqui para rar a senha e o serviço das fotocópias.Nós: Quantos alunos por dia necessitam deste serviço?Dª Dulce: Talvez à volta de uns 600 alunos.Nós: Na parte dos materiais o que é que costuma vender mais?Dª Dulce: Provavelmente lápis e canetas.Nós: Em relação às fotocópias, quem usa mais este recurso?Dª Dulce: Os professores, embora se tenha veri cado uma diminuição apar r do momento em que colocaram uma fotocopiadora na sua sala.Nós: Os alunos usam frequentemente o cartão ou ainda pagam em di-nheiro?Dª Dulce: Basicamente o cartão. Para pensar!Nós: Que aspectos considera importantes melhorare neste serviço?Dª Dulce: Ter as fotocopiadoras sempre a funcionar e que os alunos mar-cassem a senha para a semana toda e não quase dia-a-dia. Ana Catarina, Ana Isabel, Inês, Fá ma e Tiago Em Acção A nossa turma encontra-se atarefada! Anedotas Estamos a preparar os materiais para a A professora estava pelos cabelos: realização da nossa horta aromá ca. Este é -Mariana,pára de copiar o exercício pela um projecto que conta com a par cipação tua colega! dos nossos Encarregados de Educação, o que -Eu nao estou a copiar o exercício, se- nos deixa muito sa sfeitos. Cada aluno levou nhora professora.Eu estou a copiar a so- lução!para casa uma tábua em madeira, que será decorada pelo seu Encarre-gado de Educação e depois gravada com um “pirogravador” pela “DT”. O Paulo vai ao talho.As 20 tábuas farão a cerca da nossa horta, que irá conter algumas ervas -Bom dia.Por favor, dê-me 5 quilos dearomá cas, trazidas pelas nossas familias. Enquanto isso as disciplinas de carne de boi,7 quilos de perna de car-CN e ED.Tecnológica estão a colaborar com a “DT” na recolha de informa- neiro e 7 fa as de entrecosto com 150ção das ervas aromá cas e na realização do nosso “Chico-Zé” para colo- gramas cada.carmos de espantalho na horta. -Tudo isso?Tu tens um grande ape te! -Bem, na verdade o que me interessa é oEstamos entusiamados com o projecto...va- preço da carne.É para resolver um pro-mos ver se resulta! blema de matemá ca. Ana Cris na, Ana Margarida, José, Marta e Carlos, Cris na, Diogo, Márcio e Rita
  11. 11. Chico-Zé BOLETIM INFORMATIVO 7.º E 6.ª EDIÇÃO - JUNHO DE 2010 Na voz dos Encarregados de Educação...Terminado o trabalho com o “Bole m Informa vo”, que foi criado para nos fazerem che- Espaço degar a casa no cias da escola, considero oportuno, na voz de representante dos encarrega-dos de educação, tecer alguns comentários sobre a turma dos nossos lhos. despedidas eDesde o quinto ano que os nossos lhos têm sido convidados a realizar ac vidades pecu-liares. Este ano supreenderam-nos com dois projectos bastante cria vos: a criação de uma agradecimentos“Horta Aromá ca” e a criação deste “Chico-Zé”. Mais um ano juntos... Em relação à primeira inicia va vale o esforço de todos nós que decorámos uma tábua Vós sabeis que foi um gosto para mim(que serviu de cerca) e levámos as ervas aromá cas que no dia plantámos. Vale o esforço receber os vossos lhos novamentedos alunos e da directora de turma que as gravaram, uniram e que nos prepararam o es- como alunos da minha direcção depaço. Vale ainda o esforço da professora de Ciências que recolheu informação sobre cada turma. Sabeis que cada recado, cadauma dessas ervas e no-la deu a conhecer. chamada de atenção, cada telefone-Em relação ao segundo projecto, vale acima de tudo o esforço dos nossos lhos que a cada ma, cada reunião, cada “correcção”mês nos davam a conhecer um “pedacinho” da escola e de quem na retaguarda permi a que fui fazendo ao longo do ano coma grá ca e a correcta composição dos textos. e por causa dos vossos lhos, foi por-É isto trabalho em equipa e é assim que as coisas resultam!!! que os vejo não só como alunos, masContudo e fazendo memória, esta turma realizou connosco, encarregados de educação, como amigos a quem muito carinhonos dois anos anteriores uma história, onde cada um de nós teve uma página de cria vida- dedico.de e de con nuidade do assunto tratado. Este projecto contou, mais uma vez, com a direc- A vós pais resta-me agradecer a con-tora de turma que o criou e de outros professores que a foram auxiliando com sugestões ança, o apoio que sempre ve datemá cas para a história e com a correcção dos textos. Resultou um livro muito cria vo, vossa parte e o contributo em todosengraçado e com muitas lições de vida (se o lermos com atenção). os projectos que já desenvolvemosConsidero que todos estes projectos foram bem sucedidos e mo vadores para os nossos ao longo destes três anos de traba- lhos. lho em equipa (e que de muito meEm nome de todos os pais agradeço todo o esforço, dedicação, paciência e atenção da di- orgulho).rectora de turma e dos professores que a ela se quiseram juntar ao longo destes três anos: Termina mais uma etapa para oso nosso muito obrigada por tudo! vosso lhos. Con nuem a apoiá-losFinalmente gostava de dizer que o trabalho dos professores, mesmo quando se relaciona sempre, porque sois, sem dúvida, ocom a correcção de a tudes e comportamentos dos nossos lhos, são para eles aprende- porto seguro deles.rem, para que sejam bem sucedidos no futuro... eles são o futuro e no futuro são precisos Em mim encontrem sempre umaHomens com conhecimentos, mas também Homens com a tudes correctas e justas.Umas amiga que estará na escola para oboas férias para todos! que precisarem... Aproveito também para agradecer aos professores da turma o apoio no bole m, de forma especial, à Profes- sora de Português que sempre corri- giu os nossos textos. Agradeço ainda à Professora de Ciências Naturais a parceria no projecto da “Horta Aro- Ana Sameiro Oliveira má ca”. A todos um sen do OBRIGADA! A Directora de Turma
  12. 12. Passatempos Entrevista à Directora do Agrupamento Descobre as 4 diferenças É do conhecimento da Direcção da Escola a realização do nosso “Bole mInforma vo” e os seus objec vos. Terminados os seis meses de vida que teve, aturma considerou digno concluir, o úl mo bole m da mesma forma que come-çou: interagindo com a Direcção Execu va. Solicitámos para isso uma entrevistacom a Directora da Escola.Nós: Srª Directora tendo presente os objec vos do bole m informa vo da nossaturma, considera que este projecto foi válido para dar a conhecer a nossa escolae aproximá-la das nossas famílias? Directora: Claro. Foi uma forma posi va e personalizada de aproximar a escola da família e vice-versa. Nós: Considera que os assuntos escolares que tratámos, ao longo dos úl mos cinco bole ns, foram apropriados para darmos a conhecer a realidade da nossa escola, aos encarre- gados de educação? Anedotas Directora: Muito. Os temas tratados conseguiram transmi r a realidade da nossa escola, embora tenham cado alguns Matemá ca aspectos/serviços por dar a conhecer, uma vez que o ano ter-mina. Depois de uma longa demonstração noNós: Estando no úl mo número do nosso bole m, gostaria de deixar algum co- quadro, a professora de matemá ca conclui:mentário ou uma palavra aos nossos encarregados de educação? - ...E assim chegámos ao seguinte resultado:Directora: Gostei da forma como cooperaram com os vossos educandos e com X = 0.a escola em geral. Numa altura em que se diz que muitos pais estão divorciados - Incrível! Exclama uma aluna, trabalhámosda escola, que não acompanham os seus educandos, o vosso exemplo é louvável durante uma hora para nada!e espero que tenha efeitos posi vos na postura de outros encarregados de edu-cação. Cem anos O diminuto espaço grá co, infelizmente, condiciona-nos a escrita.Por isso, demos por encerrada esta breve entrevista com a Directora da – Carlitos, diz-nos duas coisas que há cemEscola,agradecendo a sua disponibilidade e acompanhamento na nossa vida es- anos não exis am...colar. – Eu e o senhor professor! Ana Catarina, Ana Isabel, Inês, Fá ma e Tiago Bruxa Em Acção - A nossa “Horta Aromática” Um empregado que se acha dominado pela mania da perseguição entrega a uma bruxa uns os de cabelo do seu chefe e No passado dia 9 de Junho, os nossos encarregados de edu- pergunta-lhe: cação responderam posi vamente ao nosso convite e vieram à - Esta pessoa gosta de mim ou odeia-me? escola para construírmos a nossa “Horta Aromá ca”. Os prepa- - Ama-o loucamente e será sua esposa!!! ra vos foram muitos e trabalhosos, mas no dia deu gosto ver tudo a resultar. A família contribuiu com a decoração das tábu- Cansaço as que serviram de cerca e com as ervas aromá cas que plan- támos. Trouxeram salsa, coentros, louro, oregãos, hortelã... - Pai, como correu hoje o seu dia, na fábrica? No m da ac vidade, cada aluno ofereceu ao seu encarregado de educação uma rosa - Nem me fales! Foi um dia tão cansa vo,como gesto de gra dão, pelo apoio que nos deram em todas as ac vidades que desen-volvemos ao longo do ano. que não tenho forças nem sequer paraFica também o nosso agredecimento à directora de turma por apostar em nós e desen- levantar um braço!volver connosco este po de ac vidades, á professora de Ciências Naturais e ao pro- - Então, pai, veja a caderneta com as minhasfessor de Geogra a que, neste dia ,es veram presentes na plantação. Na disciplina de notas do período!Ciências Naturais foi elaborada uma recolha das caracterís cas/ nalidades das plantasque temos na nossa horta. Em Área de Projecto, Ferroencadernamos essa recolha e cada encarregadode educação recebeu um livro. Estamos muito sa- Médico – Precisa de tomar fósforo e ferro. sfeitos com o resultado e com a par cipação das Doente – Valha-me Deus, senhor Doutor:nossa familias nos nossos projectos: um bem-hajapara todos! eu mal posso mas gar pão! Ana Cris na, Ana Margarida, José, Marta Carlos, Cris na, Diogo, Márcio e Rita e Miguel

×