Objeções Céticas a Kant: Schulze e o Enesidemo

310 visualizações

Publicada em

Resumo: Em nossa apresentação, discutiremos brevemente a crítica de Schulze, um cético moderno de grande proeminência durante o período do idealismo alemão, à Crítica da Razão Pura, de Kant, e à filosofia crítica como um todo. Para tanto, buscaremos reconstituir e mostrar os principais argumentos de sua objeção, tal como ela é desenvolvida em seu Enesidemo, de que Kant, ao busca dar conta das objeções céticas levantadas por Hume, teria incorrido em petição de princípio. Nesse sentido, tratar-se-á de mostrar como, para Schulze, se a Crítica da Razão Pura busca fornecer um fundamento objetivo às nossas representações, ela necessariamente vai contra os seus próprios princípios, ao fazer um uso ilegítimo da relação de causalidade, e se, por outro lado, o fundamento que ela fornece é um fundamento meramente subjetivo, então, ele necessariamente falha enquanto fundamento, já que, precisamente por ser subjetivo, não pode nos fornecer nada de seguro e definitivo sobre a origem de nossas representações. Desse modo, esperamos poder delinear alguns dos motivos pelos quais a crítica de Schulze a Kant teve um profundo impacto no idealismo alemão, bem como discutir o que ela significou para esse período filosófico e suas aspirações.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
310
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

×