Conceitos inteligencia artificial

7.438 visualizações

Publicada em

Conceitos inteligencia artificial

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.438
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
241
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Conceitos inteligencia artificial

  1. 1. Introdução O campo da inteligência artificial, ou IA, vai ainda mais além: ele tenta não apenas compreender, mas também construir entidades inteligentes.
  2. 2. O que é IA?As definições do lado esquerdo medem o sucesso em termos de fidelidadeao desempenho humano, enquanto as definições do lado direito medem osucesso em termos de fidelidade ao desempenho humano, enquanto asdefinições do lado direito medem o sucesso comparando-o a um conceitoideal de inteligência, que chamaremos racionalidade. Um sistema é racionalse “faz tudo certo”, com os dados que tem.
  3. 3. Sistemas que penam como seres humanos Sistemas que pensam racionalmente“O novo e interessante esforço para fazer os computadores pensarem ... “O estudo das faculdades mentais pelo uso de modelos computacionais.”máquinas com mentes, no sentido total e literal.” (Haugeland, 1985) (Charniak e McDermott, 1985)“[Automatização de] atividades que associamos ao pensamento “O estudo das computações que tornam possível perceber, raciocinar ehumano, atividades como a tomada de decisões, a resolução de agir.” (Winston, 1992)problemas, o aprendizado ...” (Bellman, 1978)Sistemas que atuam como seres humanos Sistemas que atuam racionalmente“A arte de criar máquinas que executam funções que exigem “A Inteligência Computacional é o estudo do projeto de agentesinteligência quando executadas por pessoas.” (Kurzweil, 1990) inteligentes.” (Poole et al. 1998)
  4. 4. Agindo de forma humana: a abordagem do teste de TuringO teste de Turing, Processamento de linguagemproposto por Alan natural para permitir que ele seTuring(1950), foi projetado comunique com sucesso em umpara fornecer uma idioma natural.definição operacional Representação desatisfatória de inteligência. conhecimento para armazenarEm vez de propor uma lista o que sabe ou ouve.longa e talvez controversa Raciocínio automatizado parade qualificações exigidas usar as informaçõespara inteligência, elesugeriu um teste baseado armazenadas com a finalidadena impossibilidade de de responder perguntas e tirardistinguir entre entidades novas conclusões.inegavelmente inteligentes Aprendizado de máquina para– os seres humanos. se adaptar a novas circunstâncias e para detectar e extrapolar padrões.
  5. 5. Aplicação de IA em projetos Tipo de agente Sistema de diagnóstico médico Sistema de análise de imagens de satélite Robô de seleção de peças Controlador de refinaria Instrutor de inglês interativo
  6. 6. Aplicação de IA em projetos Tipo de agente Sistema de diagnóstico médico Sistema de análise de imagens de satélite Robô de seleção de peças Controlador de refinaria Instrutor de inglês interativo
  7. 7. Aplicação de IA em projetos Tipo de agente Sistema de diagnóstico médico Sistema de análise de imagens de satélite Robô de seleção de peças Controlador de refinaria Instrutor de inglês interativo
  8. 8. Aplicação de IA em projetos Tipo de agente Sistema de diagnóstico médico Sistema de análise de imagens de satélite Robô de seleção de peças Controlador de refinaria Instrutor de inglês interativo
  9. 9. Aplicação de IA em projetos Tipo de agente Sistema de diagnóstico médico Sistema de análise de imagens de satélite Robô de seleção de peças Controlador de refinaria Instrutor de inglês interativo
  10. 10. IA fraca: as máquinas podem agir cominteligência? Além disso, tradicionalmente eles formulam a questão de outra maneira, perguntando: “Máquinas podem pensar?” Infelizmente, essa pergunta esta mal definida. Para entender por que, considere as questões a seguir:  Máquinas podem voar?  Máquinas podem nadar?
  11. 11. IA forte: as máquinas podemrealmente pensar?Turing chama esse argumento de consciência – a máquina tem de estarciente de seus próprios estados mentais e de suas ações. Embora aconsciência seja um assunto importante, o ponto fundamental destacadopor Jefferson se relaciona na verdade à fenomenologia, ou o estudo daexperiência direta – a máquina precisa realmente sentir emoções. Outros seconcentram na intencionalidade – ou seja, a questão de saber se as crenças,os desejos e outras representações da máquina são realmente “sobre” algoque existe no mundo real.
  12. 12. Seven Zoom Ed – o robôHUMANO: In the first line of your sonnet which reads “shall I compare theeto a summer’s day”, would not a “spring day” do as well or better?MÁQUINA: It wouldnt scan.HUMANO: How about “a winter’s day”. That would scan all right.MÁQUINA: Yes, but nobody wants to be compared to a winter’s day.HUMANO: Would you say Mr. Pickwick reminded you of Christmas?MÁQUINA: In a way.HUMANO: Yet Christmas is a winter’s day, and I do not think Mr.Pickwickwould mind the comparison.MÁQUINA: I don’t think you’re serious. By a winter’s day one means atypical winter’s day. Rather than a special one like Christmas.
  13. 13. IA forte: as máquinas podemrealmente pensar?
  14. 14. A ética e os riscos de desenvolver a inteligência artificial• As pessoas poderiam perder seus empregos para a  As pessoas poderiam perder uma parte de seu direito à automação. privacidade.• As pessoas poderiam ter muito (ou pouco) tempo de  O uso de sistemas de IA poderia resultar na perda de lazer. responsabilidade.• As pessoas poderiam perder seu sentido de identidade.  O sucesso da IA poderia significar o fim da raça humana.
  15. 15. Bibliografias Sendo usadas
  16. 16. Bibliografias À serem usadas

×