Os Germanos entram no mundo Romano - 7o ano

16.262 visualizações

Publicada em

Material do Professor Humberto da EMEB Coronel Francisco Orlando - em Orlândia SP

7º ano - 1º Bimestre

Publicada em: Educação
2 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
16.262
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4.562
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
187
Comentários
2
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Os Germanos entram no mundo Romano - 7o ano

  1. 1. OS GERMANOS ENTRAM NO MUNDO ROMANO
  2. 2. UM IMPERIO ESFACELADO A PARTIR DO SÉCULO III, O IMPÉRIO ROMANO CONHECEU UM LONGO PROCESSO DE DESESTRUTURAÇÃO
  3. 3. ENTRE OS PRINCIPAIS FATORES DA CRISE DO IMPÉRIO ROMANO ESTAVA A GRANDE EXTENSÃO DAS SUAS FRONTEIRAS
  4. 4. MANTE-LAS PROTEGIDAS DAS CONSTANTES INVASÕES DOS BARBÁROS EXIGIA MUITO DINHEIRO PARA PAGAR EXÉRCITO E OS FUNCIONÁRIOS ADMINISTRATIVOS E PARA MANTER A INFRA-ESTRUTURA(ESTRADA, MUROS, FORTES ETC.)
  5. 5. PARA OBTER ESSES RECURSOS, O GOVERNO COBRAVA MAIS E MAIS IMPOSTOS
  6. 6. DIFICULDADE DE GUARDAR AS FRONTEIRAS ERA TÃO GRANDE QUE O IMPÉRIO DEIXOU DE INVESTIR NA CONQUISTA DE NOVOS TERRITÓRIOS.
  7. 7. A PRINCIPAL CONSEQUÊNCIA FOI A REDUÇÃO DO NÚMEROS DE NOVOS ESCRAVOS
  8. 8. OS ESCRAVOS VINHA DOS POVOS DOMINADOS PELOS ROMANOS, COM O FIM DAS GUERRA DE CONQUISTA E A CONCORRÊNCIA ECONÔMICA AFETARAM AS PROPRIEDADES ESCRAVISTAS DA PENÍNSULA, QUE SE VIRAM COM POUCOS MERCADOS E REDUZIDA MÃO-DE-OBRA
  9. 9. A PRODUÇÃO DIMINUIU E OS PRODUTOS FICARAM MAIS CAROS.
  10. 10. ESSE QUADRO AFETOU A ECONOMIA DA PENÍNSULA ITÁLICA, A PRINCIPAL REGIÃO ESCRAVISTA DO IMPÉRIO
  11. 11. RURALIZAÇÃO DO IMPÉRIO
  12. 12. UMA IMPORTANTE CONSEQUÊNCIA DA CRISE DO IMPÉRIO ROMANO FOI O ESVAZIAMENTO DAS CIDADE
  13. 13. DIMINUIÇÃO DA ATIVIDADE ECONÔMICA LIMITOU A POSSIBILIDADE DE OBTER TRABALHO NAS CIDADES
  14. 14. BARBÁROS E ASSALTANTES PASSARAM A SAQUEAR AS CIDADES, TORNANDO-AS INSEGURAS
  15. 15. POR ESSE MOTIVO MUITOS CITADINOS FORAM PARA O CAMPO PROCURAR ABRIGO TRABALHO E SEGURANÇA. ALÉM DA POPULAÇÃO LIVRE UM GRANDE NÚMERO DE ESCRAVOS FUGITIVOS E LIBERTOS BUSCOU REFUGIO NAS ÁREAS RURAIS
  16. 16. A FORMAÇÃO DO COLONATO
  17. 17. NO CAMPO, A GRANDE MAIORIA DAS TERRAS PERTENCIA A ALGUM PROPRIETÁRIOS.SENDO ASSIM NÃO ERA POSSÍVEL SE ESTABELECER LIVREMENTE EM QUALQUER LUGAR.
  18. 18. A MAIORIA DESSES PROPRIETÁRIOS NÃO POSSUIA RECURSOS PARA MANTER ESCRAVOS OU PAGAR ALGUEM PARA TRABALHAR NA TERRA.DESENVOLVEU-SE ENTÃO, A INSTITUIÇÃO DO COLONATO.
  19. 19. <ul><li>O COLONO CUIDAVA DE UMA PEQUENA PARCELA DE TERRAS , DE ONDE TIRAVA O SEU SUSTENTO E DE SUA FAMÍLIA. </li></ul><ul><li>COMO PAGAMENTO, ENTREGAVA PARTE DA PRODUÇÃO AO PROPRIETÁRIO DAS TERRAS </li></ul>
  20. 21. <ul><li>FORMOU-SE ENTÃO, NO INÍCIO DA IDADE MÉDIA UMA ECONOMIA BASEADA NO TRABALHO AGRÍCOLA DE SUBSISTÊNCIA , ISTO É, AS PROPRIEDADES RURAIS BUSCAVAM PRODUZIR TUDO O QUE ERA NECESSÁRIO Á SOBREVIVÊNCIA DOS MORADORES. </li></ul>
  21. 23. A QUEDA DO IMPÉRIO ROMANO
  22. 24. A QUEDA DEFINITIVA DO IMPÉRIO <ul><li>DURANTE O SÉCULO V, O IMPÉRIO ROMANO AGONIZOU. </li></ul><ul><li>O GOLPE FINAL VEIO COM A INVASÃO DOS HÉRULOS , POVO QUE VIVIA FORA DOS LIMITES DO IMPÉRIO QUE DERRUBOU O IMPERADOR RÔMULO AUGÚSTULO NO ANO DE 476. </li></ul>
  23. 25. HÉRULOS
  24. 26. RÔMULO AUGÚSTULO ABDICANDO A COROA ROMANA.
  25. 27. OS HISTORIADORES USAM ESSA DATA PARA MARCAR O INÍCIO DA CHAMADA IDADE MÉDIA NA EUROPA OCIDENTAL – UM PERÍODO QUE VAI DO SÉCULO V ATÉ O SECULO XV.
  26. 28. O PODER POLÍTICO E JURÍDICO DOS BÁRBAROS
  27. 29. O FIM DO GRANDE IMPÉRIO ROMANO (DO QUAL RESTOU A PARTE ORIENTAL O IMPÉRIO BIZANTINO) FEZ DESAPARECER O PODER CENTRALIZADO E HIERARQUIZADO QUE EXISTIA
  28. 30. IMPÉRIO BIZANTINO
  29. 31. SURGIRAM VÁRIOS ESTADOS GERMÂNICOS, GOVERNADOS POR REIS E SEUS AUXILIARES
  30. 32. OS REINOS BARBÁROS NÃO POSSUIAM INSTITUIÇÕES COMO AS ROMANAS QUE INCLUÍAM. SENADO, TRIBUNO DA PLEBE, LEIS ESCRITAS.
  31. 33. AS LEIS BASEAVAM-SE EM COSTUMES E TRADIÇÕES, TRANSMITIDAS ORALMENTE AO LONGO DAS GERAÇÕES - DIREITO CONSUETUDINÁRIO
  32. 34. NA FALTA DE LEIS ESCRITAS, AS RELAÇÕES ENTRE REI E SEUS SÚDITOS ERAM BASEADAS EM OBRIGAÇÕES MORAIS, COMO LAÇOS DE FIDELIDADE E HONRA.
  33. 35. NO DIREITO GERMÂNICO, A JUSTIÇA NÃO ERA APLICADA PELA INTERPRETAÇÃO DA LEI.
  34. 36. O ACUSADO DE ALGUM DELITO PROVAVA A SUA INOCÊNCIA POR MEIO DE UMA DISPUTA FISÍCA
  35. 37. UM DUELOS DE ESPADAS, POR EXEMPLO.SE ELE VENCESSE A DISPUTA, SERIA INOCENTADOS DAS ACUSAÇÕES
  36. 38. A VITÓRIA INDICAVA QUE ELE ERA PROTEGIDO PELO DEUSES

×