Perfeição - cap. 16

326 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
326
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
62
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Perfeição - cap. 16

  1. 1. PERFEIÇÃO/ CAPÍTULO 016 PÁGINA 01Recanto das Capítulo 016Letras PERFEIÇÃO novela de: LUCAS VINÍCIUS escrita por: LUCAS VINÍCIUS PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO: Cláudio Leninha Constantino Lisa Desirré Maria Ermelita Marizete Ester Mirela Eunice Pedro Júnior Fátima Raquel Geovane Rosana Jeca Simone Júlio Carmélia Leandro Bartolomeu Jurema
  2. 2. PERFEIÇÃO/ CAPÍTULO 016 PÁGINA 02 CENA 1. RESTAURANTE JAPONÊS DE SP. EXT. FACHADA. DIA. CONTINUIDADE.Continuidade do cap. Anterior. ROSANA E JÚLIO FRENTE A FRENTENA PORTA DO RESTAURANTE. JÚLIO —— Gostou do nosso almoço? ROSANA —— (rindo) É, não me dei bem com o hashi e algumas coisinhas, mas o resto tá valendo! JÚLIO —— (rindo) É. Prometo que da próxima vez levo a gente numa boa pizzaria, ou então, numa churrascaria. ROSANA —— Ah, aí sim!O ASSUNTO ACABA E AMBOS COMEÇAM A DISFARÇAR. ROSANA —— Bom... então, vamos voltar ao serviço, né. JÚLIO —— Isso. Ao serviço. As damas primeiro. ROSANA —— Ah, obrigada.ROSANA VAI NA FRENTE E ABRE A PORTA DO CARRO DE JÚLIO,ESTACIONADO ALI. ELA ENTRA. EM SEGUIDA ENTRA JÚLIO. FECHAM APORTA E JÚLIO DÁ PARTIDA, SAINDO DE CENA.Corta para: CENA 3. HOTEL DE SP. RESTAURANTE DO HOTEL. INT. NOITE.À MESA, DESIRRÉ E SIMONE JANTANDO. SIMONE ESTÁ ENCARANDO OSALMÓN COM RECEIO. SIMONE —— Credo! Traga-me uma feijoada, Deus me livre comer esse troço enfeitado. DESIRRÉ —— (ri) Ai, Simone. Esse seu jeito nunca muda, não é mesmo? SIMONE —— Amiga, uma vez pobre, sempre pobre. DESIRRÉ —— (ri) Ah, mas eu também fui muito pobre, você sabe disso porque convivia comigo na época. Mas... a vida ensina ser fina. SIMONE —— Ah, eu não ligo com isso. Quero mesmo é agarrar um homem logo duma vez, casar, ter meu ninho de amor. Sabe, já
  3. 3. PERFEIÇÃO/ CAPÍTULO 016 PÁGINA 03 que não tem ele, vai ele mesmo. DESIRRÉ —— Quem? SIMONE —— O garçom aqui do restaurante. DESIRRÉ —— Ai, Simone, você não tem jeito. Ah! Me esqueci, porque você não se inscreve num desses sites vagabundos de encontros? SIMONE —— Ah, não. Você lembra do Raimundo, aquele homi feio bigodudo? Foi num desses sites que conheci esse infeliz. Prefiro me afastar de trapos! DESIRRÉ —— Bom, você que sabe. SIMONE —— Não, mas amiga, vamo falar brasileiro. Melhor morrer encalhada do que conhecer esses ogros da internet. DESIRRÉ —— É. Vamos mudar de assunto, vamos? (T) Fazendo uma busca aqui na internet, descubro o quê? Que o Padre Onório, aquele que ficou cuidando da minha filhinha, ele hoje reside na Zona Norte de São Paulo. SIMONE —— (esperançosa) Sério, Desi? Ué, então, vamos pra Zona Norte! DESIRRÉ —— Não, Simone, não é tão simples assim. Não é só chegar lá e achar o padre. SIMONE —— É. DESIRRÉ —— Descobri que ele tem uma clínica lá na Zona Norte. SIMONE —— Fé, amiga, fé. Vamos pesquisar mais afundo e se Deus quiser vamos achar esse padre. DESIRRÉ —— Deus te ouça, Simone. Deus te ouça!Corta para:CENA 3. CASA DOS FUNDOS DE LENINHA. INT. SALA/COZINHA. NOITE.LENINHA ESTÁ COLOCANDO SUCO DE MARACUJÁ NA TAÇA DE CHAMPANHE.A MESA, QUE ESTÁ NA PEQUENA SALA, ESTÁ TODA ARRUMADAROMANTICAMENTE, PRATOS BEM COLOCADOS, LUZES APAGADAS EALGUMAS VELAS SOBRE A MESA. LENINHA EMPOLGADA. LENINHA —— (empolgada) Ai! É hoje! Ai, é hoje que o Geovane não me escapa! Já até
  4. 4. PERFEIÇÃO/ CAPÍTULO 016 PÁGINA 04 preparei a cama!OLHA EM VOLTA E VÊ SUA BONECA GARDÊNIA JOGADA NO SOFÁ. LENINHA —— (espanta-se) Gardênia! Tu precisa presenciar tudo, menina! Ó, seguinte, vou me aprontar toda, toda, vou ficar linda-linda, e você vai ficar só espiando o “Love”. Que tal?BONECA SEM MOVIMENTOS. EMPOLGADA E AOS GRITINHOS, LENINHACORRE ATÉ A BONECA.Corta imediatamente para: CENA 4. APÊ DE LISA E MIRELA. INT. COZINHA. NOITE.LISA E MIRELA JANTANDO à MESA. PORÉM, O SILÊNCIO PAIRA. LISAESTRANHA. LISA —— Mirela. Quer conversar? MIRELA —— Não. LISA —— Por quê? Só por causa do que aconteceu hoje de manhã? Já passou, você disse que não vai se repetir. Não é? MIRELA —— Não vai. Mas tô sem ânimo pra conversa. LISA —— Ai, minha irmã! Então por causa disso você vai ficar de cara amarrada, emburrada pro resto da vida? MIRELA —— (chateada) E se eu quiser? Eu posso, ué! LISA —— Eu só disse aquelas coisas porque me disseram. E eu soube esperar a hora pra namorar, Mirela. E até hoje, eu sou solteira. MIRELA —— Mas namorou com 19 anos. LISA —— 19 não é 16. saiba esperar seus 3 anos chegarem que vai ficar tudo bem. MIRELA —— Ai... (se levanta) prefiro ir pro meu quarto a ficar discutindo uma coisa que vem do particular. Boa noite. LISA —— (corta) Ei, ei, ei! Coma tudo. MIRELA —— Vai me obrigar a comer agora, é? Isso você não pode me obrigar. Boa
  5. 5. PERFEIÇÃO/ CAPÍTULO 016 PÁGINA 05 noite.MIRELA SAI DA MESA E DEIXA LISA SEM PALAVRAS. MIRELA SAI. LISA —— (boquiaberta, p/ si) Gente! Essa menina tá cada vez mais rebelde. O que eu faço? Já sei. (se levanta) O papai e a mamãe vão saber o que fazer.LISA FICA INDECISA.Corta para: Manhã Seguinte CENA 5. FAVELA. CASA RAQUEL. INT. DIA. SALA.RAQUEL ASSUSTADA, AGARRADA à CAIXA DE JOIAS, AFOBADA DE PÉ. RAQUEL —— Droga! Eu preciso me desfazer dessa joia! Antes que alguém fareje e descubra que é da mansão dos Almeida. (T) Não, eu não preciso só disso! A Ester tá me enganando, tá me enrolando.TENSÃO. RAQUEL CAMINHA E PEGA O CELULAR EM CIMA DA ESTANTE.DISCA E ALGUÉM ATENDE. RAQUEL —— (séria, ao cel) Alô?Corta para: CENA 6. MANSÃO DE JÚLIO. INT. QUARTO HÓSPEDES. DIA.ESTER ACABA DE ATENDER AO CELULAR. DETALHE: ELA ESTÁ COM OVESTIDO DE NOIVA E A COSTUREIRA ARRUMA A CAUDA DO VESTIDO. ESTER —— (ao cel) Alô? (T) Raquel?ESTER DISFARÇA PRA COSTUREIRA. ESTER —— (p/ costureira) Querida, pode me dar licença um instante? É particular. Mas não se preocupa, tô amando esse vestido, tá?
  6. 6. PERFEIÇÃO/ CAPÍTULO 016 PÁGINA 06A COSTUREIRA SE LEVANTA E SAI. ESTER ABALADA, TORNA PARARAQUEL AO CELULAR. ESTER —— (ao cel) Escuta aqui! Para de me ligar, tá legal?! Nosso plano é: eu ajudo você a conquistar o meu sogro e você some da minha vida! RAQUEL —— (OFF, ao cel) E é exatamente isso que eu quero, sua falsa! ESTER —— (ao cel) O que você quer? RAQUEL —— (OFF, ao cel) Ah, não sabe? Arma um plano pra mim salvar o doutorzinho-pai e eu ser tachada de heroína. Do contrário eu faço o Leandro te abandonar no altar. ESTER —— (se espanta, ao cel) Não! Não, não empata a minha vida. Tá legal, eu vou dar um toque nuns amigos meu. RAQUEL —— (corta OFF, ao cel) Psiu! Eu não quero saber os detalhes! Eu quero salvar o Júlio de um acidente hoje, quero que ele me agradeça, e que nós dois comecemos um lindo romance. (irônica) Bem lindo, não? ESTER —— (ao cel) Tudo bem. Tudo bem, você já deu suas exigências. Agora eu preciso desligar. RAQUEL —— (OFF, ao cel) Ma/ESTER NÃO ESPERA, DESLIGA O CELULAR E JOGA ELE NA CAMA. ESTER —— (p/ si) Inferno! Maldita hora que essa cachorra foi surgir na minha vida!NERVOSA, ELA ANDA DUM LADO PRO OUTRO. PARA. ANDA. PARA. ANDA.DEPOIS VIRA-SE E SE OLHA NO ESPELHO, DESLUMBRADA. ESTER —— (ri) Pra que ficar me preocupando com ela? Eu subi na vida, ela não subiu. Eu me dei bem, ela com umas peças de joias se acha a dondoca. (p/ reflexo) Ester, Ester... (grita p/ costureira) Ednaldaaaaaaaaa!VOLTA A SORRIR. ENTRA A COSTUREIRA.
  7. 7. PERFEIÇÃO/ CAPÍTULO 016 PÁGINA 07Corta para: CENA 7. CASA DE JUREMA. INT. COZINHA. MANHÃ. DIA.JUREMA E ERMELITA À MESA, TOMANDO CAFÉ DA MANHÃ. ERMELITA COMRECEIO DO MERO PÃOZINHO COM MANTEIGA. ERMELITA —— Ai, Jurema, que miséria! Isso lá é comida? JUREMA —— Ah, mas eu num fui na feira hoje. ERMELITA —— Feira? Padaria também vende pão, presunto, queijo... sabia? JUREMA —— (irônica) Ah! Mas é claro, uma padaria, óbvio que vende pão! ERMELITA —— Então vá lá e compra pra gente! JUREMA —— Como assim, “compra pra gente”?!INDIGNADA, JUREMA SE LEVANTA. JUREMA —— Você está faz dias e não contribui com as despesas, só me dá gastos, arruma confusão e se esfrega nesse... você sabe! ERMELITA —— (se levanta boquiaberta) Ai! Ai, chega até doer de tantas barbaridades que você está inventando sobre minha pessoa, minha irmã. JUREMA —— Ah, pois então! Arrume um emprego, ou dê um jeito de trazer dinheiro pra dentro de casa! ERMELITA —— Ai... me chateou, agora. Me chamou de vagabunda, satanás, cadela no cio, biscate de botequim e ainda quer que eu/ JUREMA —— (corta) O quê?! Quando eu te chamei disso?! ERMELITA —— Agorinha. JUREMA —— Mas eu não disse isso! ERMELITA —— Pensou, mas no fundo não disse porque sou a irmã mais bondosa de nossa família. E pra mim provar a minha bondosidade...ERMELITA QUEBRA UM PEDAÇO DE PÃO COM AS MÃOS, CAMINHA EENTREGA PRA JUREMA, QUE NÃO SABE O QUE DIZER.
  8. 8. PERFEIÇÃO/ CAPÍTULO 016 PÁGINA 08 ERMELITA —— (debochada) Fique... está precisando mais que eu!TRAVADA FICA JUREMA, ERMELITA SAI. JUREMA —— (para si) Mas...Corta imediatamente para: CENA 8. CASA DE JUREMA. EXT. FACHADA. DIA.ERMELITA VEM SAINDO AOS SORRISOS MALICIOSOS DE CASA. ABRE EFECHA O PORTÃO, PARA E DIZ. ERMELITA —— Ai, eu sou muito boa de teatro. Agora que provei ser generosa, a Jurema vai continuar me sustentando. (ri)QUANDO ELA VÊ CONSTANTINO SAIR DA CASA DELE COM SEU CÃOBALDUCO NA COLEIRA. OS DOIS SE OLHAM DE LONGE E SORRIAM. CONSTANTINO —— (p/ seu cão) Ui, Balduco, hoje nossa casa vira um bataclã! (ri)ERMELITA DIZ LÁ DO OUTRO LADO DA RUA: ERMELITA —— (sorrindo) Ô seu Constantino, hoje tem ou não tem?! CONSTANTINO —— (baixinho p/ cão) Essa muié é o cão chupando pimenta! Mas fazer o quê, se é a única que tem na redondeza?O CÃO EXPRIME TRISTEZA E CONSTANTINO ENTENDE. CONSTANTINO —— (p/ cão) Tá tristinho? Já sei, já sei. Você quer uma diversão também. (a sorrir) Eu vou dar um jeito nisso, amigão. Se acalma!CONSTANTINO E ERMELITA CONTINUAM A SORRIR E ACENAR,DISFARÇADAMENTE.Corta para: CENA 9. FAVELA DE SP. EXT. CASA DE RAQUEL, FACHADA. DIA.
  9. 9. PERFEIÇÃO/ CAPÍTULO 016 PÁGINA 09JECA SEGURA RAQUEL PELO BRAÇO PERTO DE SUA CASA. DEPOISSOLTA. RAQUEL —— Seu idiota! JECA —— Escuta, escuta o que eu tenho pra dizer. RAQUEL —— Me obrigue! JECA —— Você quer mesmo que eu obrigue? RAQUEL —— Não, não. Desembucha logo. JECA —— Eu sei que você não tá querendo se unir a mim pra acabarmos com o casamento do Leandro/ RAQUEL —— E num quero mermo, já tô cheia da grana! JECA —— E eu quero saber onde você conseguiu. Mas continuando. Você pode ficar rica, é de vez! RAQUEL —— Ah, é? (interessada) Vem cá, e como que é esse negócio aí? JECA —— Simples. Olha, além da Ester ficar chupando o dedo, tu vai faturar. E a professorinha na certa vai levar umas bolachas na cara! RAQUEL —— Pula a parte dos detalhes. Como que tu vai fazer isso? JECA —— Bom, eu já tenho fotos do Leandro e da professora se beijando. O que falta é um vídeo! RAQUEL —— Um vídeo, é? JECA —— É, um vídeo, mais fácil o povo acreditar num vídeo do que numa foto! RAQUEL —— Hum, até agora tá bem explicado. Seguinte: vamo entrar, tu senta no meu sofá novo de couro, que eu comprei com a bolada que eu ganhei não vou dizer onde, você toma um suco, apesar de eu achar que você prefere uma 51. JECA —— É, uma pinga 51 já é o necessário! Vamos entrar. RAQUEL —— Tá, deixa eu entrar primeiro pra garantir.OS DOIS ENTRAM NA CASA DE RAQUEL, FECHAM A PORTA EM SEGUIDA.Corta para:
  10. 10. PERFEIÇÃO/ CAPÍTULO 016 PÁGINA 010 CENA 10. HOTEL DE SP. SUÍTE DESIRRÉ. INT. DIA.NO MOMENTO APENAS SIMONE. ELA AJEITA VÁRIOS CARTAZES QUE FEZSOBRE “MARIA HELENA” PRA COLAR POR AÍ. ESTÃO ESPALHADOS PELACAMA, E ELA CONFERE. SIMONE —— Hum... 5, 6, 7...DESIRRÉ CHEGA E FICA SURPRESA AO VER. DESIRRÉ —— Simone? O que isso? SIMONE —— Não te contei? DESIRRÉ —— Não! SIMONE —— Resolvi ir na tua! Colei já uns 200 pelos postes afora de Sampa! DESIRRÉ —— O quê? Você endoidou, Simone? SIMONE —— Ué, como assim? DESIRRÉ —— Ai, meu Santo Antônio! SIMONE —— Credo! O que eu fiz de errado? DESIRRÉ —— Tudo! A começar por colar cartazes nas paredes e postes. Agora me diga... se nem foto tem, porque não temos foto da minha filha, quantas Marias Helenas não vão surgir por aqui dizendo que é minha filha? Nem sabemos se Maria Helena é o nome da minha filha, porque o padre pode muito bem ter registrado ela com outro nome! SIMONE —— (lamentando) Ui... (se senta) Lasquei com tua vida, né? DESIRRÉ —— É, lascou. SIMONE —— Bom... (constrangida) Agora é enfrentar as dezenas... talvez centenas... milênios de Maria Helenas que vão bater aqui!DESIRRÉ SUSPIRA “PREVENDO DESGRAÇA”, SIMONE ´DÁ SORRISOCONSTRANGIDO.Corta para: CENA 11. HOSPITAL DE JÚLIO. EXT. FACHADA. DIA.DÁ ENTRADA O SUSPENSE. JÚLIO SAI PELA PORTA DO HOSPITAL. PVDE RAQUEL, QUE ESTÁ DO OUTRO LADO DA RUA, ATRÁS DUMA ÁRVOREESPIANDO, COM O CELULAR LIGADO. PV DELA: JÚLIO CAMINHA ATÉ
  11. 11. PERFEIÇÃO/ CAPÍTULO 016 PÁGINA 011SEU CARRO ESTACIONADO ALI, E VAI TIRANDO CHAVES DO BOLSO. RAQUEL —— (p/ alguém ao cel) Ai, ele é mesmo! Isso, quando eu der o sinal tu vem com a moto. Eu vou passar pra quele lado da rua, tá, pra ficar mais fácil. (T) Tá.JÚLIO COM DIFICULDADES EM ACHAR A CHAVE NO SEU BOLSO,ENQUANTO ISSO RAQUEL ATRAVESSA A RUA E FICA CENTÍMETROSDELE, DISFARÇA MEXENDO EM SUA BOLSA. JÚLIO —— (p/ si) Droga, mas como eu fui perder a minha chave?! Onde tem um chaveiro por aqui?JÚLIO DESISTE DE PROCURAR. RAQUEL OLHA ATENTA. OLHA PRO LADOE PARA O MOTOQUEIRO QUE ESTÁ PREPARADO ELA ACENA COM ACABEÇA. O CARA DÁ PARTIDA, NA MESMA HORA QUE JÚLIO ESTAVAATRAVESSANDO. RAQUEL GRITA. RAQUEL —— (p/ Júlio) Cuidadooooooooo!É NESSA HORA QUE RAQUEL PUXA JÚLIO PRO SEU LADO E OMOTOQUEIRO PASSA ZARPANDO. JÚLIO CAI EM CIMA DE RAQUEL, PORÉMSALVO.Corta para: CENA 12. CASA DE MARIZETE E CLÁUDIO. EXT. DIA.MARIA, COM PEDRO JÚNIOR A SEU LADO BATE PALMA NA CASA DOSPAIS. PORÉM, DEPOIS DE UM TEMPO, SAI CLÁUDIO E CAMINHA ATÉ OPORTÃO. CLÁUDIO —— Veio trazer o menino, minha filha? MARIA —— (sem graça) Vim. CLÁUDIO —— Ah, tá. Entra, Pedro!O GAROTO HESITA E FICA TRISTE. MAS DEPOIS DÁ UM ABRAÇO EMMARIA, ABRE O PORTÃO E SE JUNTA DE CLÁUDIO. CLÁUDIO —— (p/ Maria) E você, minha filha, não quer entrar? MARIA —— Entrar?! Eu não entro nessa casa nem com os pés, as mãos amarradas! Nunca! CLÁUDIO —— Tudo bem, não vou forçar. MARIA —— Bem sua cara “não forçar”, né, pai?
  12. 12. PERFEIÇÃO/ CAPÍTULO 016 PÁGINA 012 (p/ Pedro) Tchau, querido. Semana que vem a mana volta! PEDRO JR. —— Tá bom.MARIA ENCARA CLÁUDIO E VAI SAINDO DALI.Corta para: CENA 12. ESCRITÓRIO DE GEOVANE. INT. SALA GEOVANE.GEOVANE OLHA PRA UM RETRATO, OU FOTO, SORRINDO MUITO. (Jamaisidentificar que foto é essa). QUANDO ESCUTA BATIDAS NA PORTA.GEOVANE DISFARÇA E RAPIDAMENTE ABRE A GAVETA, GUARDANDO AFOTO E DIZENDO. GEOVANE —— Quem é?! FÁTIMA —— (OFF) Sou eu, dr. Geovane, a Maria de Fátima! GEOVANE —— Ah... pode entrar, Fátima.FÁTIMA ENTRA . FÁTIMA —— Doutor, é que a sua namorada ligou/ GEOVANE —— (corta) Espera, espera! Namorada, Fátima? FÁTIMA —— (ri sem graça) Ah, desculpa! A Leninha disse que o jantar que vocês dois marcaram é hoje. GEOVANE —— (confuso) Eu hein. Jantar? Deve ser mais uma das armações dela pra me pegar. Diga a ela que não vou! FÁTIMA —— Então, mas ela até ameaçou-se com a faca da cozinha caso o senhor não fosse. GEOVANE —— Ih, então a coisa séria. Diga a ela que eu vou. Pra prevenir, vou guardar na cabeça o número do manicômio da zona leste de São Paulo. FÁTIMA —— Sim, senhor. GEOVANE —— Pode sair agora, Fátima. Muito obrigado. FATIMA —— Licença.FÁTIMA SAI. GEOVANE SE DESESPERA. GEOVANE —— Droga, droga! Jantar com a Leninha?
  13. 13. PERFEIÇÃO/ CAPÍTULO 016 PÁGINA 013Corta para:CENA 13. HOSPITAL DE JÚLIO. EXT. CALÇADA. DIA. CONTINUIDADE.JÚLIO SE LEVANTA MEIO ASSUSTADO, E RAQUEL NO CHÃO, DEPOIS DE“SALVÁ-LO”. JÚLIO —— Meu Deus, o que houve? RAQUEL —— (simpática) O senhor ia ser atropelado! JÚLIO —— E... você me salvou. (sorrindo) Muito obrigado, moça.RAQUEL SORRIA E OS DOIS SE OLHAM. RAQUEL —— De nada.É QUANDO JÚLIO COMEÇA FICAR ESTRANHO. TENSÃO. JÚLIO ENCARARAQUEL. Ele começa a se lembrar no seguinte...-------------------LEMBRANÇA---------------------------------CENA 14. FLASHBACK. MESES ATRÁS. MANSÃO DE JÚLIO. INT. SALA. DIA.JÚLIO ACABA DE CHEGAR EM CASA E VÊ ESCONDIDO RAQUEL E EUNICESENTADAS AO SOFÁ, SÉRIAS. PARA OUVIR A CONVERSA, JÚLIO SÓAPONTA A CABEÇA E FICA A ESPIAR. EUNICE —— O que você tá dizendo?! RAQUEL —— (séria) Escuta, eu só quero o bem pro seu filho, e por isso tenho que contar uma coisa. EUNICE —— Que coisa, garota? RAQUEL —— É sobre sua nora, a Ester!EUNICE SE ASSUSTA. RAQUEL —— (séria) Só que pelo visto você é uma pessoa arrogante, que odeia pobres. Faz favor, outro dia eu conto!RAQUEL SE VIRA E QUANDO VAI EMBORA NEM REPARA QUE PASSOU PORJÚLIO.Corta para REALIDADE: JÚLIO —— Me desculpa a pergunta, mas eu acho
  14. 14. PERFEIÇÃO/ CAPÍTULO 016 PÁGINA 014 que te conheço. RAQUEL —— (séria) A mim? JÚLIO —— Eu já te vi conversando com a minha falecida esposa, sobre a Ester!RAQUEL FICA PÁLIDA, FRIA. RAQUEL —— (sem saída) Ah... éramos... amigas, sua esposa e eu. Falávamos do lindo casamento de Ester e Leandro. CENA 16. ESCOLA PÚBLICA DE SP. EXT. FACHADA. NOITE.NINGUÉM A VISTA, APENAS O CARRO DE LEANDRO ESTACIONADO NAESCOLA ONDE LISA DÁ AULA. TENSÃO. ATRÁS DO CARRO DELE, METROSLONGE ESTÁ O DE JECA. JECA POSICIONA A CÂMERA PRA FILMAR. JECA —— (p/ si) Vamos lá, tem que sair um beijo! Um beijo!LISA VAI SAINDO DA ESCOLA COM SEUS CADERNOS. JECA FILMA TUDO.LISA SURPREENDE-SE AO VER LEANDRO ALI. LISA —— De novo, Leandro?ELA SE APROXIMA DO CARRO DELE. LEANDRO —— Ué, eu não consigo viver longe de você.ELE VAI ABRINDO A PORTA DO CARRO E SAINDO. LISA —— Não, você consegue sim. Você é noivo, Leandro. Eu sou moça certa! LEANDRO —— Ah, Lisa, hoje em dia quem não trai? E você também sente algo por mim, porque senão me expulsaria daqui a vassouradas!LISA SORRI. LEANDRO —— Ainda mais que você é a garota mais linda desse mundo. LISA —— (sem graça) Leandro! LEANDRO —— É verdade. Você é linda... charmosa... inteligente... doce...
  15. 15. PERFEIÇÃO/ CAPÍTULO 016 PÁGINA 015OS ROSTOS VÃO SE APROXIMANDO. Lá atrás, JECA SORRI ANIMADO,FILMANDO TUDO ESCONDIDO. LEANDRO E LISA ACABAM SE BEIJANDO NOMEIO DA CALÇADA, APAIXONADAMENTE. JECA RI ANIMADO. JECA —— (p/ si) Ah, moleque! Consegui!CLOSES ALTERNADOS EM LEANDRO E LISA SE BEIJANDO E JECAFILMANDO.Corta para: FIM DO CAPÍTULO.

×