Situação de AprendizagemTexto: Avestruz – Mário PrataCapacidades de Compreensão•Ativação de conhecimentosprévios; antecipa...
Ativação de conhecimentos de mundo; antecipação ouprediçãoUma conversa inicial com os alunos, perguntando:Através do títu...
Leitura do texto e checagem de hipótesesAvestruzO filho de uma grande amiga pediu, de presente pelos seus 10anos, um avest...
Leitura do texto e checagem de hipótesesMas eu estava falando da sua criação por Deus. Colocou um pescoçoque não tem absol...
Leitura do texto e checagem de hipótesesPois um animal daquele tamanho deveria botar ovos proporcionaisao seu corpo. Outro...
Leitura do texto e checagem de hipótesesFoi quando descobri que eles comem o que encontram pelafrente, inclusive pedaços d...
Localização de informações; comparação deinformações; generalizaçõesSolicitar que os alunos identifiquem e organizem asinf...
Produção de inferências locais; produção deinferências globaisLevar o aluno a produzir inferências, a perceberinformações ...
Recuperação do contexto de produção; definição definalidades e metas da atividade de leituraRealizar o levantamento da esf...
Percepção das relações de intertextualidade;percepção das relações de interdiscursividadeLeitura do texto:A morte da Tarta...
Percepção das relações de intertextualidade;percepção das relações de interdiscursividadeO pai examinou a situação e propô...
Percepção das relações de intertextualidade;percepção das relações de interdiscursividade— Isso é que é funeral? Vamos faz...
Percepção das relações de intertextualidade;percepção das relações de interdiscursividadeFazer uma comparação (nível temát...
Percepção de outras linguagens; elaboração deapreciações relativas a valores éticos e políticosDebater com os alunos a que...
Percepção de outras linguagens; elaboração deapreciações relativas a valores éticos e políticos“X-tudo E O Avestruz”Hélio ...
Percepção de outras linguagens; elaboração deapreciações relativas a valores éticos e políticosArte com ovos de avestruz:
CréditosCurso Melhor Gestão, Melhor Ensino Língua PortuguesaMaio/junho de 2013Situação de Aprendizagem de LeituraTexto: ―A...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Situação de aprendizagem avestruz - cópia

475 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
475
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Situação de aprendizagem avestruz - cópia

  1. 1. Situação de AprendizagemTexto: Avestruz – Mário PrataCapacidades de Compreensão•Ativação de conhecimentosprévios; antecipação ou prediçãode conteúdos ou propriedades dostextos;•Checagem de hipóteses•Localização de informações;comparação de informações;generalizações•Produção de inferências locais;produção de inferências globaisCapacidades de apreciação e réplica doleitor em relação ao texto(interpretação, interação)•Recuperação do contexto deprodução; definição de finalidadese metas da atividade de leitura•Percepção das relações deintertextualidade; percepção dasrelações de interdiscursividade•Percepção de outras linguagens;elaboração de apreciaçõesestéticas e afetivas; elaboração deapreciações relativas a valoreséticos e políticosNesta Situação de Aprendizagem serãotrabalhadas as seguintes capacidades de leitura:
  2. 2. Ativação de conhecimentos de mundo; antecipação ouprediçãoUma conversa inicial com os alunos, perguntando:Através do título podemos ter uma ideia doassunto do texto? O que ele sugere? Despertasua atenção ou não? Por quê?Você já viu um avestruz?O que sabe sobre ele?Que tipo de animal ele é? Ele é um animal deestimação? Por quê?Você tem algum animal de estimação? Qual?Há pessoas que criam avestruzes? Para quê?Como seria ter um avestruz em casa comoanimal de estimação?Você conhece a expressão ―fulano tem umestômago de avestruz‖? O que quer dizer?
  3. 3. Leitura do texto e checagem de hipótesesAvestruzO filho de uma grande amiga pediu, de presente pelos seus 10anos, um avestruz. Cismou, fazer o quê? Moram em um apartamentoem Higienópolis, São Paulo. E ela me mandou um e-mail dizendo que aculpa era minha. Sim, porque foi aqui ao lado de casa, em Floripa, que omenino conheceu os avestruzes. Tem uma plantação, digo, criaçãodeles. Aquilo impressionou o garoto.Culpado, fui até o local saber se eles vendiam filhotes de avestruz. E seentregavam em domicílio.E fiquei a observar a ave. Se é que podemos chamar aquilo de ave. Oavestruz foi um erro da natureza, minha amiga. Na hora de criar oavestruz, Deus devia estar muito cansado e cometeu alguns erros. Deveter criado primeiro o corpo, que se assemelha, em tamanho, a um boi.Sabe quanto pesa um avestruz? Entre 100 e 160 quilos, fui logoavisando a minha amiga. E a altura pode chegar a quase 3 metros - 2,70para ser mais exato.
  4. 4. Leitura do texto e checagem de hipótesesMas eu estava falando da sua criação por Deus. Colocou um pescoçoque não tem absolutamente nada a ver com o corpo. Não devia mais terestoque de asas no paraíso, então colocou asas atrofiadas. Talvez atésabiamente para evitar que saíssem voando em bandos poraí, assustando as demais aves normais.Outra coisa que faltou foram dedos para os pés. Colocou apenas doisdedos em cada pé. Sacanagem, Senhor!Depois olhou para sua obra e não sabia se era uma ave ou um camelo.Tanto é que, logo depois, Adão, dando os nomes a tudo o que via pelafrente, olhou para aquele ser meio abominável e disse: Struthiocamelus australis. Que é o nome oficial da coisa. Acho que o struthiodeve ser aquele pescoço fino em forma de salsicha.
  5. 5. Leitura do texto e checagem de hipótesesPois um animal daquele tamanho deveria botar ovos proporcionaisao seu corpo. Outro erro. É grande, mas nem tanto. E me explicava ocriador que os avestruzes vivem até os 70 anos e se reproduzemplenamente até os 40, entrando depois na menopausa. Nãotêm, portanto, TPM. Uma fêmea de avestruz com TPM é perigosíssima!Podem gerar de dez a 30 crias por ano, expliquei ao garoto, filho daminha amiga. Pois ele ficou mais animado ainda, imaginando aquelebando de avestruzes correndo pela sala do apartamento.Ele insiste, quer que eu leve um avestruz para ele de avião, nodomingo. Não sabia mais o que fazer.
  6. 6. Leitura do texto e checagem de hipótesesFoi quando descobri que eles comem o que encontram pelafrente, inclusive pedaços de ferro e madeiras. Joguinhoseletrônicos, por exemplo. Máquina digital de fotografia, times inteirosde futebol de botão e, principalmente, chuteiras. E, se descuidar, ummouse de vez em quando cai bem.Parece que convenci o garoto. Me telefonou e disse que troca oavestruz por cinco gaivotas e um urubu.Pedi para a minha amiga levar o garoto a um psicólogo. Afinal, tenhomais o que fazer do que ser gigolô de avestruz.Mário Prata
  7. 7. Localização de informações; comparação deinformações; generalizaçõesSolicitar que os alunos identifiquem e organizem asinformações fornecidas sobre o avestruz :Nome científicoPesoAlturaReproduçãoExpectativa de vida
  8. 8. Produção de inferências locais; produção deinferências globaisLevar o aluno a produzir inferências, a perceberinformações do texto que não estão explícitas nele.Perguntar:Por que os animais têm nomes científicos?Que localidades são essas: Floripa e Higienópolis?O que sabemos sobre o personagem-narrador? Éhomem ou mulher? Adulto ou criança? Comocomprovamos isso no texto?Por que você acha que o garoto desistiu de ter oavestruz? Por que na troca ele quer gaivotas e urubuspor um único avestruz?
  9. 9. Recuperação do contexto de produção; definição definalidades e metas da atividade de leituraRealizar o levantamento da esfera de produção do texto: Quem é o autor? Qual sua posição social? Para quem ele julgaque escreve? Com qual finalidade? A que gênero da tipologianarrar pertence esse texto? Aponte as característicasdesse gênero no texto queconfirmem sua resposta.
  10. 10. Percepção das relações de intertextualidade;percepção das relações de interdiscursividadeLeitura do texto:A morte da TartarugaO menininho foi ao quintal e voltou chorando: a tartaruga tinha morrido.A mãe foi ao quintal com ele, mexeu na tartaruga com um pau (tinha nojodaquele bicho) e constatou que a tartaruga tinha morrido mesmo. Dianteda confirmação da mãe, o garoto pôs-se a chorar ainda com mais força. Amãe a princípio ficou penalizada, mas logo começou a ficar aborrecida como choro do menino.— Cuidado senão você acorda seu pai!Mas o menino não se conformava. Pegou a tartaruga no colo e pôs-se aacariciar-lhe o casco duro. A mãe disse que comprava outra, mas elerespondeu que não queria, queria aquela, viva! A mãe lhe prometeu umcarrinho, uma bicicleta, lhe prometeu uma surra, mas o pobre meninoparecia estar mesmo profundamente abalado com a morte do seuanimalzinho de estimação.Afinal, com tanto choro, o pai acordou lá dentro, e veio, reclamando, verde que se tratava. O menino mostrou-lhe a tartaruga morta. A mãe disse:— Está aí assim há meia hora, chorando que nem maluco. Não sei mais oque eu faço. Já lhe prometi tudo, mas ele continua berrando desse jeito.
  11. 11. Percepção das relações de intertextualidade;percepção das relações de interdiscursividadeO pai examinou a situação e propôs:— Olha, Henriquinho. Se a tartaruga está morta não adianta mesmo vocêchorar. Deixa ela aí e vem cá dentro com o pai.O garoto depôs cuidadosamente a tartaruga junto do tanque e seguiu opai, pela mão. O pai sentou na poltrona, botou o garoto no colo e disse:— Eu sei que você sente a morte da tartaruguinha. Eu também gostavamuito dela. Mas vamos fazer pra ela um grande funeral. (Empregou depropósito a palavra difícil).O menininho parou imediatamente de chorar.— O que é funeral?O pai lhe explicou que era um enterro.— Olha, nós vamos à rua, compramos uma caixa bem bonita, muitasbalas, bombons, doces e voltamos para casa. Depois botamos a tartaruga nacaixa em cima da mesa da cozinha e rodeamos de velas, cantamos ――Parabéns pra você‖ para a tartaruguinha morta e você assopra as velas.Depois pegamos a caixa, abrimos um buraco no fundo doquintal, enterramos a tartaruguinha e botamos uma pedra em cima com onome dela e o dia em que ela morreu
  12. 12. Percepção das relações de intertextualidade;percepção das relações de interdiscursividade— Isso é que é funeral? Vamos fazer isso!O garotinho estava com outra cara.— Vamos, papai, vamos! A tartaruguinha vai ficar contente lá do céu, nãovai? Olha, eu vou apanhá-la.Saiu correndo. Enquanto o pai se vestia, ouviu um grito no quintal.— Papai, vem cá, ela está viva!O pai correu pro quintal e constatou que era verdade. A tartaruga estavaandando de novo, normalmente.— Ela está viva! - disse o pai – Não vamos ter que fazer o funeral!— Vamos sim, papai! – disse o menino ansioso, pegando uma pedra bemgrande – Eu mato ela!!!MORAL: "O importante não é a morte, é o que ela nos tira."Millôr Fernandes -Fábulas fabulosas
  13. 13. Percepção das relações de intertextualidade;percepção das relações de interdiscursividadeFazer uma comparação (nível temático) entre os textos : que há emcomum entre eles? O que dá o tom de humor aos dois textos?Assistir ao video sobre uma fazenda de avestruzes e compararinformações e descrições já feitas no texto:http://www.youtube.com/watch?v=JL2CafXC0Kg
  14. 14. Percepção de outras linguagens; elaboração deapreciações relativas a valores éticos e políticosDebater com os alunos a questão da criança e o animal de estimação: oenvolvimento, a afetividade e a responsabilidade.Ler o texto e ouvir a música : “ X- Tudo e o Avestruz”de Hélio Ziskindhttp://www.youtube.com/watch?v=c2FE8WTCKQY :
  15. 15. Percepção de outras linguagens; elaboração deapreciações relativas a valores éticos e políticos“X-tudo E O Avestruz”Hélio ZiskindPapagaio, beija-flor, galinha, urubu, são avesNa África vive a maior ave do mundo.É grande dá pra montar; com um chute pode matar;quando corre, chega a 70 Km por hora;É capaz de comer pedra, arame, galho, grama,relógio, anel, bola de gude...COME TUDO! X - Tudoé pernudo, pescoçudo, tem pena macia,põe um ovo enorme que parece melanciaÉ ave mas não voa; quem sabe o nome dela?Nunca fala nada, come X-tudo.A-ves-truz é mu-do.
  16. 16. Percepção de outras linguagens; elaboração deapreciações relativas a valores éticos e políticosArte com ovos de avestruz:
  17. 17. CréditosCurso Melhor Gestão, Melhor Ensino Língua PortuguesaMaio/junho de 2013Situação de Aprendizagem de LeituraTexto: ―Avestruz‖Mário PrataProfas.:Luciana Isaac Assuani GutterresMarisa Bueno de Camargo e OrrúRoberta Vallim Hoffmann MarconSilvia Helena AndradeD.E. de São João da Boa Vista

×