metabolismo de Lipideos

1.714 visualizações

Publicada em

Digestão de lipídios.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.714
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
68
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

metabolismo de Lipideos

  1. 1. Zootecnia
  2. 2. Funções Estrutural Fornecimento de energia
  3. 3. • Sistema endócrino é constituído pelo conjunto de glândulas endócrinas que produzem secreção hormonal
  4. 4. • Hipófise • Hipotálamo • Tireóide • Supra - renais • Pâncreas • Gônadas (ovários e testículos) Órgãos Principais
  5. 5. • Glândulas salivares • Pâncreas • Fígado • Vesícula biliar Anexos
  6. 6. - Sistema nervoso central e endócrino - Sistema único para a TGI Sistema Gastrointestinal
  7. 7. • Secreção Salivar • Secreção Gástrica • Secreção Pancreática • Secreção Biliar Secreção do TGI
  8. 8. Secreção Pancreática e Biliar • CONFORME O DESENHO ?
  9. 9. Motilidade São as Contrações e os Relaxamentos das paredes e do esfíncter da TGI
  10. 10. Tipos de motilidade • Motilidade Esofágica • Motilidade Gástrica • Motilidade do Intestino Delgado e Grosso
  11. 11. Ingestão Nada mais é do que o ato em que se ingere o em alimento, cujo o substrato questão estará presente.
  12. 12. Digestão *Na Boca *No Estomago *No intestino
  13. 13. Fases: * Emulsificação * Hidrólise
  14. 14. Absorção
  15. 15. Enterócitos
  16. 16. Secreções Secreção Salivar Secreção gástrica Secreção do fator Intrínseco( entérico ) Secreção Pancreática Secreção Biliar
  17. 17. Secreção Pancreática Secreção Biliar Secreção Hormonal
  18. 18. Excreção Secreção dos lipídeos através de sais biliares. Atuarão no intestino delgado Voltarão para o fígado
  19. 19. Boca • A digestão não começa na boca. • Os lipídeos estimulam uma glândula serosa secreção de lipase que se localiza na base da língua. • Mas como não permanece na boca sua função é quase nula.
  20. 20. Estômago • 1º processo 1- Emulsificação Ação detergente Pepsina
  21. 21. Intestino Delgado 2- Emulsificação. Mais eficaz torna mais hidrofílica. A vesícula biliar vai liberar a bile. Torna-se hidrofílica e Menos hidrofóbica
  22. 22. 3 processo *Hidrólise *Quebra efetiva das cadeias de gorduras *Participam dessa quebra lípase pancreática, fosfolipase e o colesterol. *Ácido graxo Intestino Delgado
  23. 23. Intestino Delgado- fígado Lipase-co-lipase Afasta os sais biliares para lipase entrar na gotícula de gordura e fazer a quebra dos triglicerideos. Produtos finais ácidos graxos e glicerol. Colesterol-colesterase- AG Fosfolipideos-fosfolipase- lipofosfolipideos
  24. 24. Micelas 4º processo Todos os produtos finais vão originar as micelas de acido graxos, glicerol , lisofosfolipideos, colesterol. Difusão e absorção dos enterócitos
  25. 25. *Mecanismos de Liberação *Local de produção *Mecanismo de Ação
  26. 26. Ruminantes Rúmen Ocorre a hidrólise, hidrogenação, isomerização, ramificação e encurtamento de cadeias. Hidrolisados pelas bactérias, protozoários e fungos Lipídeos esterificados - Triacilglicerídeos (Sementes) - Fosfolipídeos - Galactolipídeos (Folhas) Sem ação enzimática Retículo, Omaso e Rúmen não contém ação enzimática
  27. 27. Abomaso *Glândulas que secretam suco gástrico *Suco gástrico é formado por quimosina/coalho, pepsina, esterase/lipase, ácido clorídrico
  28. 28. Boca: Lipase lingual (Lipídeos de cadeia curta e média) Estômago: Lipase Estomacal/Gástrica (Lipídeos de cadeia curta e média) Duodeno: Colipase + Esterase = Colipase Pancreática Esterase não tem sítio ativo :( Não age sozinha Colipase se liga a esterase e ativa seus sítios Isomerase quebra TAG para que a colipase pancreática possa agir Monogástricos
  29. 29. Triacilglicerídeos de cadeia curta e média são quebrados por lipases ácidas preferencialmente e lipases básicas. Já os triacilglicerídeos de cadeia longa, passam direto pro duodeno, não sofrem ação nenhuma no estomago, onde são quebrados necessariamente por lipases básicas.
  30. 30. • A fase Luminal da digestão de lipídios • Enzimas de origem nas glândulas gastrointestinais • hidrólise incompleta • TG, ésteres de glicerol e fosfolipídios • lípases, esterases e fosfolipases A2 pancreáticas.
  31. 31. • secreção pancreática • digestão das gorduras • suco pancreático • células epiteliais do intestino delgado contêm lípase entérica • inicialmente secretada como zimogênio • na presença dos sais biliares e colipase • uma mistura de ácidos graxos livres e uma pequena fração de triacilglicerol Lipáse Pancreática
  32. 32. Os sais biliares • anfifílico ou anfipático • emulsão das gorduras • co-fatores na hidrólise das gorduras
  33. 33. COLESTEROLESTERASE • originando colesterol livre e AGL • hidrolisar também ligações ésteres dos TG e fosfoglicerídeos • presença de sais biliares, particularmente o cloreto de sódio
  34. 34. • Pâncreas • pró-fosfolipase • luz intestinal • posição 2 da fosfatidilcolina, fosfatidiletanolamina e cardiolipina, produzindo AGL e lisofosfatídeos FOSFOLIPASE A2
  35. 35. *Lípase pancreática *Envolve 4 fases *Hidrólise ou digestão *Emulsificação *Absorção *Formação de Micelas
  36. 36. *Lipase gástrica *Peixes carnívoros apresentam *Maior atividade de lipases do que *Peixes onívoros e herbívoros *Atividade lipolítica *Secreções do estomago
  37. 37. • O sistema digestivo dos bovinos compreende a boca, faringe, esôfago, pré estômago (rumén reticulo, omaso) abomaso, intestinos delgado e grosso.
  38. 38. Ruminante Poligástrico • Rumem • Retículo • Omaso • Abomaso
  39. 39. Rúmen • Dividido em quatro áreas ou pilares ruminais. Há um saco dorsal, um ventral e dois sacos posteriores. Os pilares movem o alimento pelo rúmen em sentido rotatório, misturando o conteúdo sólido com o conteúdo líquido.
  40. 40. • O órgão movimenta-se continuamente, a um ritmo de um a três movimentos por minuto, proporcionando uma divisão física (conhecida pelo nome de estratificação da digestão)
  41. 41. • Sua parede contem papilas ruminais. Estas papilas variam em número e tamanho em função do tipo de alimento fornecido. • Os bovinos são alimentados com dietas ricas em alimentos concentrados, o número e o tamanho das papilas ficam maiores, para facilitar a absorção da grande quantidade de ácidos orgânicos produzidos durante a fermentação dos carboidratos.
  42. 42. Retículo Omaso
  43. 43. • São Monogástricos • Herbívoros • Atividade enzimáticas se alteram com...
  44. 44. • Intestino Delgado • Bílis • Atividade Lipolítica • Ceco
  45. 45. TGI do Coelho
  46. 46. Digestão e Absorção

×