O Ensino em Roma 10ºAno

359 visualizações

Publicada em

O Ensino em Roma
Escola Alfredo dos Reis Silveira

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
359
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Ensino em Roma 10ºAno

  1. 1. Inicialmente os romanos foram influenciados pela cultura grega, rapidamente deixaram de o ser, graças ao povo latino que se adaptou e assimilou os costumes de outras civilizações.
  2. 2. A mãe tinha os direitos sobre a educação dos seus filhos ate aos 7 anos, a partir daí, era o pai que tinha a responsabilidade de proporcionar ao filho a educação cívica e moral. Frequentavam a escola até os 12 anos (ensino primário). Deviam ampliar os seus conhecimentos dos textos latinos e gregos sobre diversos assuntos. Depois disso, passavam a estudar retórica - a arte de bem falar e argumentar. As raparigas deviam ficar em casa, a partir dos 12 anos, aguardando pelo casamento. (As raparigas, porém não tinham liberdade de escolha, era o pai que escolhia com quem elas deveriam casar).
  3. 3. • Eram acompanhadas por um escravo (pedagogo) para irem à escola (este poderia, em determinadas circunstâncias, ascender ao papel de explicador ou até mesmo de mentor). • Eram também acompanhadas por uma mulher, chamada de nutriz. • Entregavam os filhos a uma escola privada fundada por profissionais.
  4. 4.  A Lei das Doze Tábuas constitui a origem do direito romano.  As leis eram aplicadas na República Romana pelos pontífices e representantes da classe dos patrícios que as guardavam em segredo.  No ano em que o grupo formou se para elaborar as leis, foram publicados dez códigos. No ano seguinte, foram incluídos mais dois. Assim formaram se as Doze Tábuas, nome utilizado porque as leis foram publicadas em doze tabletes de madeira, os quais foram afixados no Fórum Romano para que todos pudessem ler.
  5. 5.  Relativamente ao desporto, os romanos ao contrário dos gregos, valorizavam mais o treino.  O ensino da música, do canto e da dança, peças chave da educação grega, tornaram-se objeto de contestação por parte de alguns setores mais tradicionais visto que eram toleráveis apenas para fins recreativos.  A mesma oposição surge contra o atletismo, tão essencial à Paideia. As competições atléticas só entravam em Roma por volta do século II a.C sob a forma de espetáculos, sendo praticada por profissionais. Os romanos chocavam-se com a nudez do atleta, por isso optaram por praticar nas termas em detrimento do ginásio que consideravam exclusivamente um “jardim de recreio” ou um “parque de cultura”.  O Programa educativo romano privilegia assim uma aprendizagem sobretudo literária, em detrimento da Ciência, da Educação Musical e do Atletismo.
  6. 6.  Na literatura, a poesia era um dos géneros literários mais praticados pelos Romanos, a influência grega era bem evidente. O poeta Virgílio, autor de “Eneida”, foi um poema épico onde o autor exalta as origens e os feitos Romanos.
  7. 7.  A historiografia também desempenhou um papel importante na glorificação e na legitimação das conquistas e na própria ideia do Império Romano como Império Universal.  A história dos romanos recorre à língua e aos moldes dos outros povos, em particular os gregos. Os romanos não copiaram mecanicamente os gregos, procuraram dar forma própria, moldaram os ensinamentos gregos atribuindo-lhes forma própria. Deste processo resultou a produção de uma história tipicamente romana, assente na íntima relação com o passado.
  8. 8.  A origem constituição do império romano deu-se a partir da conquista de vários estados na Europa, Ásia e norte de África. Ora, este facto sugere uma miscelânea de povos, costumes, formas de vida, num só estado que é o império romano. Desta situação resulta em Roma um desenvolvimento social, do qual se inclui o âmbito do pensamento, bastante influenciado pelas outras civilizações.  Portanto a história é em geral, para os romanos, era uma exaltação da cidade e do império, adquirindo um carácter nacional e patriótico. É uma história apologética e pragmática. Isto demonstra bem o seu carácter nacional.
  9. 9.  http://www.pedagogia.com.br/historia/romano.php  http://pt.wikipedia.org/wiki/Civis_romanus_sum  http://www.infoescola.com/direito/lei-das-doze-tabuas/  http://pt.wikipedia.org/wiki/Lei_das_Doze_T%C3%A1buas  http://imperioromano-marius70.blogspot.pt/2008/04/o-ensino-no-imprio-romano.html  http://pt.slideshare.net/pedromiguelcarvalho/o-modelo-romanoeducao  http://pt.slideshare.net/sartorio/a-educao-grega?related=2  http://www.historia.templodeapolo.net/civilizacao_ver.asp?Cod_conteudo=290&value=Literatura%20Romana&civ=Civiliza%C3%A7%C3%A3 o%20Romana&topico=Artes  http://liboriocosta.blogspot.pt/2011/11/roma-antiga-educacao-para-rapazes-e.html  http://pt.slideshare.net/pedromiguelcarvalho/o-modelo-romanoeducao  http://repensand.blogspot.pt/2013/06/a-historiografia.html  http://pt.slideshare.net/historiaagml/o-modelo-romano-a-afirmao-de-uma-cultura-urbana-e-pragmtica-28934338  http://www.educ.fc.ul.pt/docentes/opombo/hfe/momentos/escola/ensinoroma/

×