Abraão Batista
Xilogravurista e
Cordelista
Artes Visuais – 2º ano
Caio Hahn Agostinho
Jéssica Letícia de Pádua
Luana Colos...
Literatura de Cordel
 Origem Medieval, popularização no Renascimento com a
impressão dos relatos;
Chegou ao Brasil (sec....
Literatura de Cordel
Linguajar despreocupado, regionalizado e informal;
Estrutura e figuras de linguagem.
 Recitados e ...
Literatura de Cordel
Em linhas gerais, cordel é a “manifestação da opinião do autor
a respeito de algo dentro de sua soci...
Xilogravura
 Com o tempo xilogravura e poesia de cordel viraram artes
irmãs.
Antigamente era usada para estampar tecidos...
Xilogravura
• Sofreu forte concorrência da gravura de metal, e durante anos
foi perdendo sua função utilitária;
• E finalm...
Abraão Batista
Link Acervo:
• http://www.mauc.ufc.br/cgi-
bin/acervo/xilo/abraao.cgi?pagina=1
A anatomia do Frevo
No frevo se manifesta
por completa, a expressão
da alma, a categoria
fazendo manifestação
da foto, fre...
Como o frevo do abafo
é alegre competição,
cada bloco querendo ter
a melhor representação...
Nesse caso os passistas
tiram...
Abraão Batista
 Nasceu em Juazeiro do Norte – Ceará, em 4 de abril de 1935;
 É professor universitário aposentado, forma...
Abraão Batista
 Abraão Batista sempre foi um amante da literatura;
 Produziu mais de 190 títulos de cordel;
É uma das f...
Abraão Batista
E a xilogravura?
ABRAÃO – A xilogravura está para o cordel como a fotografia está
para a revista e a manche...
Abraão Batista
O cordel gera muitos empregos?
ABRAÃO – “Muitos empregos, não. Mas gera muita alegria,
muita felicidade e m...
Referências
 MIRANDA, Antônio. Abraão Batista. 2014. Disponível
em:http://www.antoniomiranda.com.br/poesia_brasis/ceara/a...
Abraão Batista
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Abraão Batista

519 visualizações

Publicada em

xilogravura, Abraão Batista, Brasil, artista

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
519
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Abraão Batista

  1. 1. Abraão Batista Xilogravurista e Cordelista Artes Visuais – 2º ano Caio Hahn Agostinho Jéssica Letícia de Pádua Luana Colosio
  2. 2. Literatura de Cordel  Origem Medieval, popularização no Renascimento com a impressão dos relatos; Chegou ao Brasil (sec. XVIII) através dos portugueses e se difundiu pelo nordeste (Pernambuco, Ceará, Alagoas, Paraíba, Bahia);  O nome “cordel” e venda;  Séc. XIX os livretos já possuíam características peculiares brasileiras, tornando-se a “poesia dos sertanejos”; Gênero literário popular, “eram o jornal e a novela do povo”, temas e objetivos;
  3. 3. Literatura de Cordel Linguajar despreocupado, regionalizado e informal; Estrutura e figuras de linguagem.  Recitados e declamados de forma cadenciada; Poetas repentistas; Pai do cordel brasileiro: Leandro Gomes de Barros (1865-1918);
  4. 4. Literatura de Cordel Em linhas gerais, cordel é a “manifestação da opinião do autor a respeito de algo dentro de sua sociedade”. “O cordel é a voz do povo” - Abraão Batista
  5. 5. Xilogravura  Com o tempo xilogravura e poesia de cordel viraram artes irmãs. Antigamente era usada para estampar tecidos, cartas de baralho e produzir imagens sacras; No renascimento utilizou-se muito dessa técnica para a impressão de livros;
  6. 6. Xilogravura • Sofreu forte concorrência da gravura de metal, e durante anos foi perdendo sua função utilitária; • E finalmente ressurgiu no campo artístico, como veículo de comunicação.
  7. 7. Abraão Batista
  8. 8. Link Acervo: • http://www.mauc.ufc.br/cgi- bin/acervo/xilo/abraao.cgi?pagina=1
  9. 9. A anatomia do Frevo No frevo se manifesta por completa, a expressão da alma, a categoria fazendo manifestação da foto, frente e verso corpo, cara e coração. O frevo surgiu da tribo da oca pernambucana banhado nos raios de sol, mamando caldo de cana com berço na mata virgem e no agreste bacana. No frevo ferve a vida como música ligeira no reboliço, o corpo dança com alma maneira extravasando do peito maluquice e canseira.
  10. 10. Como o frevo do abafo é alegre competição, cada bloco querendo ter a melhor representação... Nesse caso os passistas tiram fogo até do chão. Firmo nestes meus versos sobre a classificação; repito: o frevo de rua, bem como o frevo canção, têm com o frevo de bloco toda a representação. Como já disse: o frevo é criação de um povo nasceu de grande alegria isso eu digo de novo o frevo pernambucano tanto gosto que aprovo.
  11. 11. Abraão Batista  Nasceu em Juazeiro do Norte – Ceará, em 4 de abril de 1935;  É professor universitário aposentado, formado em farmácia;  Entrou no mundo das artes ainda na infância;  Em 1968, começou a trabalhar como poeta popular e xilogravador.
  12. 12. Abraão Batista  Abraão Batista sempre foi um amante da literatura;  Produziu mais de 190 títulos de cordel; É uma das figuras mais representativas da literatura de cordel, do artesanato popular tradicional e da cultura de raiz como um todo.
  13. 13. Abraão Batista E a xilogravura? ABRAÃO – A xilogravura está para o cordel como a fotografia está para a revista e a manchete está para o jornal. Uma é a imagem do outro. A xilogravura ajuda a vender o cordel, como a manchete e a fotografia ajudam a vender o jornal e a revista. Se você vê uma revista com uma foto bonita, ou um jornal com uma manchete atrativa, compra, mesmo sem saber o conteúdo. É o mesmo jeito com o cordel, quando você encontra uma xilogravura expressiva. (Entrevista feita por Roberto Homem em dezembro de 2004, para o blog “Sem Leriado”)
  14. 14. Abraão Batista O cordel gera muitos empregos? ABRAÃO – “Muitos empregos, não. Mas gera muita alegria, muita felicidade e muito descobrimento. É o nosso jornal, é a nossa trombeta, é o nosso palanque, é a nossa assembleia. Enquanto, no jornal, os escritores que são acadêmicos têm medo do ridículo, os cordelistas de verdade não têm esse medo. Enfim, o cordel dá mais do que emprego: dá a vida, a brasilidade e o reconhecimento do que somos”. (Entrevista feita por Roberto Homem em dezembro de 2004, para o blog “Sem Leriado”)
  15. 15. Referências  MIRANDA, Antônio. Abraão Batista. 2014. Disponível em:http://www.antoniomiranda.com.br/poesia_brasis/ceara/abraao_batista.ht ml. Acesso em: 01 de mar. de 2015.  HOMEM, Roberto. O Mundo Encantado do Cordel: Abrão Batista. 2004. Disponível em: http://zonasulnatal.blogspot.com.br/2004/12/entrevista- abraao-batista.html. Acesso em: 01 de mar. de 2015.  BATISTA, Abraão. A anatomia do frevo. Xilogravuras de Abraão Batista. Juazeira do Norte, CE: Edição do Autor, 2006. 120 p. ilus. p&b 16x26 cm. Impresso na Gráfica Nobre. Col. A.M. Edição alternativa.  Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=iv7SBLeC85A&list=PL8Ilb6VB hdQP6XJReQhutLo5G8HMVcT6B&index=37

×