Dicas sobre apresentacoes

794 visualizações

Publicada em

Dicas para quem tem de construir e/ou utilizar apresentações.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
794
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dicas sobre apresentacoes

  1. 1. Algumas dicas para quem trabalhacom software de apresentaçõesA finalidade deste documento consiste em salientar determinados aspectos que se consideram importantespara quem tem de conceber, executar e utilizar apresentações com objectivos pedagógico-didácticos, emsituações de formação, e também com fins informativos em encontros, seminários, etc.Um programa de apresentações ajuda-o a organizar ideias, optimiza as suas intervenções, potencia a suaacção enquanto formador/apresentador.Os seus layout, templates/modelos e clip art facilitam a criação de produtos visuais atraentes. No entanto, nãoé obrigado a usar os templates/modelos do PowerPoint/Microsoft. Uma grande percentagem de utilizadoresusa os que integram o programa. Seja original. Crie o seu próprio template/modelo.“Dê asas” à criatividade e imaginação, mas não faça coisas complicadas.OBJECTIVOS DAS APRESENTAÇÕESAs apresentações podem ser usadas para: • Informar, • Ensinar, • Influenciar, • Vender, • Criar situações de espectáculo.No entanto, para alcançar qualquer destes objectivos com eficiência, a apresentação deve ser adequadamentetratada a cada um dos seguintes níveis: • Planeamento, • Organização, • Design, e, por último, • Ser bem apresentada.MODELOS GLOBAISTudo o que seja inserido ou alterado nos modelos globais afecta todos os slides da apresentação (os que jáestão feitos e os novos). É no modelo global de diapositivos que devemos inserir um fundo ou, por exemplo,um logotipo, comum a todos os diapositivos. Também podemos inserir hiperligações/hyperlinks no modeloglobal. Deste modo a ordem de hiperligação será válida para todos os diapositivos da apresentação.Luis Relvas/Ago/2007 1
  2. 2. Algumas dicas para quem trabalha com software de apresentaçõesCONSTRUÇÃO DO CONTEÚDOTrês factores fundamentais para a qualidade e eficácia de qualquer diapositivo: • Síntese • Visibilidade • LegibilidadeAntes de começar a construir o conteúdo, pense qual vai ser o output : • Apresentação a partir do computador; • Papel; • Acetato para retroprojector (ainda há quem use)A escolha das cores, do layout e do tamanho dos tipos de letra, depende do output.Faça um guião com a estrutura do que pretende sem nunca esquecer o objectivo que definiu e tendo em conta: • Fundos • Tipos de letra • Número de diapositivos • Ordem de apresentação dos diapositivos • Títulos e sub-títulos • Blocos de texto • Imagens e/ou fotos para cada diapositivo • Ideias chave e palavras chave • Gráficos, etc.Para apresentações com hiperligações é fundamental criar uma estrutura tipo organograma para definir o queliga a quê. Se não o fizermos e se a apresentação tiver muitos diapositivos iremos gastar muito mais tempo ecorrer mais riscos de errar ao fazer as hiperligações. • Mantenha o aspecto geral simples e coerente. • Seleccione cores que funcionem bem; • Não ponha demasiado texto num diapositivo; • Use fotografias e desenhos relacionados com o que está a dizer. Devem ser simples/claros (não ponha a audiência a adivinhar o que significamLuis Relvas/Ago/2007 2
  3. 3. Algumas dicas para quem trabalha com software de apresentaçõesNunca esqueça: • Objectivo/s; • População alvo; • Estrutura do conteúdo; • Divisão do diapositivo em áreas funcionais; • Densidade da informação. • • Para diapositivos - Fundos escuros com texto em tons claros. • Para acetatos/papel - Fundos claros com texto em tons escuros. (gasta menos tinta/toner e não retira rendimento luminoso ao retroprojector). • Podem criar-se fundos em dégradé (gradiente) mas, cuidado na escolha das tonalidades (sobretudo as do texto que devem contrastar com o fundo). Aplicando shadow (sombra) ao tipo de letra esta, por vezes, destaca-se melhor em relação ao fundo. • Fundos muito claros numa sala às escuras fazem um grande contraste e podem incomodar a audiência. Também se podem usar-se fundos com texturas, em situações específicas. • Cuidado com os tipos de letra escolhidos. Não esqueça a legibilidade e visibilidade. Helvetica e Arial são dois dos tipos recomendados. Impact e Arial Black são bons para títulos. • Tamanho mínimo dos caracteres 24 (sempre que possível). • Não deve pôr demasiado texto num diapositivo. A parte visual está lá para apoiar o que está a dizer. • Para um diapositivo de texto use 8 a 10 palavras; • Para um texto com bullets/marcas não ultrapasse 4 ou 5 marcas com 6 a 8 palavras por marca. Não abuse dos bullets/marcas.Luis Relvas/Ago/2007 3
  4. 4. Algumas dicas para quem trabalha com software de apresentações • Não deve usar muitos diapositivos seguidos, só com texto (máximo 3/4). Sempre que possível ilustre, com imagens, as ideias-chave/pontos fortes que pretende transmitir. • Diapositivos (ou acetatos) só devem ter ideias-chave. Tudo o mais deve ser acrescentado verbalmente e/ou através da actuação do formador/apresentador. • Realce as palavras-chave. • Som e vídeo criam ficheiros grandes e necessitam de muita RAM no computador, para serem reproduzidos em perfeitas condições. • O uso de demasiados efeitos visuais, sonoros e transições distrai, e pode chegar a incomodar a audiência. • Lembre-se das pessoas na última fila da audiência. Conseguirão elas ler o seu texto? • Uma vez organizada a estrutura da apresentação pode planear onde as fotos irão realçar a sua mensagem. • Decida depois o tamanho (dimensões) que as fotos irão ter. Pode decidir 1 ou 2 tamanhos e determinar precisamente onde cada uma delas será posicionada no respectivo diapositivo. • De seguida, junte todas as imagens/fotos que decidiu usar numa nova pasta, a que pode chamar ORIGINAIS. • Crie mais uma pasta que pode ter o nome da apresentação onde irá colocar os ficheiros, redimensionados e manipulados, que vai inserir na apresentação. • Mantenha sempre os seus ficheiros originais de imagem intactos. • Sempre que fôr necessário modificar um ficheiro, guarde a versão modificada como um novo ficheiro, de preferência noutra pasta. • Deste modo pode voltar sempre ao original no caso de precisar de mais resolução para, por exemplo, fazer uma impressão.Luis Relvas/Ago/2007 4
  5. 5. Algumas dicas para quem trabalha com software de apresentações • De preferência faça o redimensionamento ou transformação num software de manipulação de imagem e não no PowerPoint. • Quando usar várias fotos numa apresentação tente usar um ou dois enquadramentos e uma ou duas dimensões (retrato e/ou paisagem, portrait e/ou landscape). O que dará à sua apresentação uma aparência coerente e poupa-lhe o trabalho de repensar nas variáveis de cada uma das imagens. • Use as guias para precisar e repetidamente estabelecer a posição das imagens. Isto reforça o aspecto coerente da apresentação e as imagens não parecerão deslocar-se sempre que muda de um diapositivo para outro (surgirão sempre no mesmo local). • Só porque pode usar fotos nas apresentações não exagere. • Clareza e simplicidade são muito importantes. • Uma foto grande é mais facilmente observada e memorizada pela audiência do que várias pequenas. • Quanto maior a resolução, maior o tamanho do ficheiro e mais demorado será o “carregamento” e mudança dos diapositivos quando estiver a fazer a apresentação. • Diapositivos com muita informação podem tornar-se confusos e não conduzir ao reconhecimento visual instantâneo necessário a um bom apoio verbal.APRESENTAÇÕES INTERACTIVAS (COM HIPERLIGAÇÕES/HYPERLINKS) • No caso de construir apresentações com hiperligações e, como já foi referido, faça um guião tipo organograma que lhe vai poupar tempo e facilitar o trabalho, quando atribuir as ordens de hiperligação. • Não esqueça que, se os ficheiros aos quais fez hiperligação mudarem de local no computador ou quando a grava noutro suporte (CD, Pen, disco duro externo, etc.) as hiperligações terão de ser refeitas. Se não o fizer as hiperligações não acontecerão. • Se transportar a apresentação para outro PC diferente daquele em que a apresentação foi construida deve-se certificar que esse PC tem os programas que vai necessitar bem como as fonts/tipo de letra que utilizou. No caso de ter uma hiperligação a um ficheiro PDF o PC com que vai fazer aLuis Relvas/Ago/2007 5
  6. 6. Algumas dicas para quem trabalha com software de apresentações apresentação tem de ter o Acrobat Reader instalado. Caso contrário o ficheiro não abre, o que será muito desagradável sobretudo se já disse que vai mostrar um determinado ficheiro. • Se tiver muita RAM pode ter já abertos/activos os programas que irá usar com as hiperligações. Deste modo tudo aparecerá muito mais depressa. Por exemplo, se tiver hiperligações a URL deve ter o browser que vai usar já aberto. • Em ambiente Windows o PowerPoint tem um modo/opção de guardar as apresentações em que além dos ficheiros “hiperligados” também guarda as fonts/tipo de letra utilizadas na apresentação construída e ainda tem a opção de fazer download de uma aplicação chamada PowerPointViewer que lhe permite fazer a apresentação num PC em que o PowerPoint não esteja instalado. • Ao guardar o trabalho deste modo é criada uma pasta ou um CD com todos os ficheiros necessários a uma apresentação sem precalços. • Se tiver instalado o PowerPoint XP a opção chama-se “Apresentações portáteis”. No caso de ter o PowerPoint 2003 a opção chama-se “Compactar para CD”.PÚBLICO ALVO • As audiências gostam de ter cópias, em papel, dos conteúdos que estão a ver e, de preferência, com espaço para tomarem notas. • Para imprimir estas cópias use os modelos de folhetos do PowerPoint (6 por página ou 3 por página; neste último se quiser deixar espaço para notas). • Distribua os folhetos antes do início da sessão, (em congressos, seminários, etc.) juntamente com uma caneta. Se o fizer durante a essão, a audiência distrai-se. Em formação, dependendo dos seus objectivos, poderá ocorrer em momentos distintos. • Se achar conveniente, imprima também nessas folhas elementos identificativos - o logotipo da sua empresa ou da entidade para que está a trabalhar, a data, o local, o seu nome, etc. • Acrescente, ao modelo global de diapositivos, num canto ou em fundo, o logotipo da sua instituição ou empresa que, assim, irá aparecer em todos os diapositivos e provavelmente ficará na memória de todos os participantes. Pode utilizar a opção “Marca d’água” da barra de ferramentas de imagem.Luis Relvas/Ago/2007 6
  7. 7. Algumas dicas para quem trabalha com software de apresentações • A qualidade (visual, do conteúdo e da impressão) de toda a documentação que é entregue aos participantes é fundamental para um bom feedback e credibilidade. •Uma sala obscurecida durante muito tempo pode inibir a participação do grupo. • Se não souber uma resposta, seja honesto, diga que não sabe mas vai informar-se e, não tente fugir a respostas de questões que foram colocadas . • Se quer que a sua audiência assimile as suas ideias tem de fazer as suas apresentações “digeríveis”. • Fale para a audiência e não para o ecrã. Olhar para o ecrã pode ser interpretado como insegurança.ANTES DE APRESENTAR •Visite o espaço onde vai actuar e perceba-lhe as características. • Um apresentador profissional deve testar a sua apresentação in situ, conferir o som, a dinâmica de som, o hardware de projecção e todo o sistema onde vai correr a dita apresentação. • Deve pedir a sala vazia só para si durante alguns minutos por forma a conhecer os pontos do palco onde não deve elevar a vista para a plateia por forma a ser encandeado com eventuais projectores. • Se actuar sobre um estrado deve saber as marcações que escolheu por forma a saber quais as tábuas que rangem ou não. • Não pode (nem deve) em momento algum pensar "Ah, depois eu lá vejo isso". Já sabemos que não vê coisa nenhuma... • Cuidado com a combinação explosiva de um chão de mármore e umas solas de borracha... • Verifique onde se sentarão os que a/o vão julgar. • Não incorra no erro comum de fixar o olhar em apenas numa pessoa e lembre-se de olhar com naturalidade para várias pessoas.Luis Relvas/Ago/2007 7
  8. 8. Algumas dicas para quem trabalha com software de apresentações • Evite uma outra situação comum a muitos/as apresentadores/as que deambulam pelo espaço, e que é a de esgotarem o tempo de um dado diapositivo e de repente "saltarem" para a máquina para fazer avançar a apresentação. • Peça, caso não tenha, um comando remoto, que lhe permitirá passar slides naturalmente. Se o usar, não aponte o comando como se estivesse em casa a ver TV (porque um comando decente não precisa de ser apontado). Compre pilhas para o mesmo, caso seja emprestado. Compre duas, uma que usará e outra que terá guardada para a eventualidade de andar com o comando ligado dentro da mala de encontro a outras coisas e ter esgotado a pilha. • Não leia os diapositivos. • Não vire as costas à plateia e muito menos aos que estão a julgar o seu trabalho. • Não se desloque “às arrecuas”, em estrados ou palcos isso pode ter consequências dramáticas. Se o espaço for apertado e escuro (e tiver hipótese de o fazer); faça marcas no chão do palco (umas pequenas fitas coladas) para, quando recua, perceber que chegou ao limite da marcação. • Se puder faça uma autoscopia. Monte uma câmara de vídeo num tripé durante os ensaios e filme-se. É a melhor forma de encontrar as falhas de uma apresentação e controlar a duração da mesma. • Não peça opinião sobre a apresentação a familiares. Tendem a ser TODAS fantásticas as opiniões e não ajudam muito... Escolha pessoas de espírito crítico e prepare-se para sofrer... • No dia da apresentação NÃO USE sapatos novos ou roupa apertada. Pode parecer uma estupidez mas é mais um elemento de desconforto, e quem já tem uma carga de ansiedade grande em cima, dispensa bem mais uma dose de incomodidade.Luis Relvas/Ago/2007 8
  9. 9. Algumas dicas para quem trabalha com software de apresentaçõesEQUIPAMENTO E SUA OPERAÇÃO • Use a seta do rato como ponteiro. Alguns modelos de projectores de data/vídeo têm comandos à distância que podem substituir o rato e, por vezes, têm ponteiros laser. • Visite antecipadamente o local onde irá actuar. Pense na colocação/disposição dos diferentes elementos que terá de usar, tanto os que existem em sala como os que irá levar. • Ao adquirir/escolher um projector de vídeo deve ser o mais luminoso possível (+ de 1200 ansilumens) para não ter de se obscurecer a sala. Para a reprodução de vídeo quanto maior a relação de contraste melhor a qualidade da imagem. • Trabalhe, de preferência, com o seu equipamento ou com outro que conheça bem e, no qual confie, para evitar dissabores. • Em formação, quando não dominamos o equipamento audiovisual com que temos de trabalhar, este pode transforma-se num “complicador”, em vez de facilitador do processo ensino-aprendizagem. • Se vai usar equipamento alugado ou emprestado verifique, previamente, se as performances são adequadas ao seu trabalho (espaço em disco, ram, tipos de letra instalados, software, cabos, bateria do portátil, etc). • No caso de a apresentação ser feita com um portátil/laptop ligado a um projector de data/vídeo deve testar, com antecedência, as ligações e configurações dos aparelhos. • Só vale a pena ligar o PC portátil/laptop a um televisor/monitor se este for de grandes dimensões, caso contrário, a visibilidade/legibilidade pode ficar prejudicada. • Se fizer apresentações com banda sonora para uma audiência razoável (15 a 20 formandos/ participantes) é conveniente usar um conjunto de colunas de som amplificadas ligado à saída de som do laptop. Se o grupo for mais numeroso deve recorrer a um sistema de amplificação sonora, ligado à saída de som do PC portátil, bem como um microfone, para que todos oiçam adequadamente a sua mensagem. • Após fazer as ligações de cablagem entre o PC portátillaptop e o projector de data/vídeo deve ligar (power on) primeiro o projector e só depois o computador. Procedendo deste modo, em princípio, oLuis Relvas/Ago/2007 9
  10. 10. Algumas dicas para quem trabalha com software de apresentaçõesBOA APRESENTAÇÃO ! Nunca esqueça a famosa “Lei de Murphy“ Se algo puder correr mal, correrá mal. (If anything can go wrong, it will)Agradecimentos: António Nobre e Pedro AnicetoLuis Relvas/Ago/2007 10

×