Hardware apresentação 5 - cpu e sockets

3.361 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.361
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
18
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
113
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Hardware apresentação 5 - cpu e sockets

  1. 1. Características Técnicas do Processador 1ª ) Front Side Bus (FSB) – Clock Externo É a comunicação do processador com a memória RAM por intermédio de um chipset localizado na Placa Mãe chamado “ ponte norte ”, esse chipset é responsável pelo controlador de memória, portanto, quanto maior o FSB (também conhecido como barramento externo) mais eficaz será a vazão de informações entre processador e memória . Logo, quando efetuamos a escolha de um processador, deve-se levar em consideração o barramento externo para obter um melhor desempenho.
  2. 2. Características Técnicas do Processador 1ª ) Front Side Bus (FSB) – Clock Externo Chipset “ponte norte” responsável pelo barramento externo – comunicação entre o processador e a memória
  3. 3. Características Técnicas do Processador 1ª ) Front Side Bus (FSB) – Clock Externo Processadores com FSB maior apresentam maior vazão de informações em relação à memória, beneficiando os aplicativos (principalmente os aplicativos gráficos)
  4. 4. Características Técnicas do Processador 2ª ) Frequência da CPU – Clock Interno É responsável pela capacidade matemática do processador, quanto maior a frequência (em processadores de mesma geração), maior será sua capacidade de cálculos. Os aplicativos são beneficiados com processadores de clock mais elevado, portanto, na escolha de processadores deve-se analisar o clock. Ex: alguns aplicativos como os jogos, necessitam de requisitos mínimos de clock devido a utilizarem intensivamente os cálculos matemáticos.
  5. 5. Características Técnicas do Processador 2ª ) Frequência da CPU – Clock Interno Processadores de maior frequência apresentam maior capacidade matemática, beneficiando os aplicativos (principalmente aplicações do Office)
  6. 6. Características Técnicas do Processador 3ª ) Memória Interna do Processador – Cache L1 / L2 / L3 A memória cache é responsável por armazenar arquivos que são acessados constantemente, se os mesmos fossem acessados pelo barramento externo (FSB), ficariam com o desempenho reduzido. Atualmente, temos três níveis de memória cache, sendo cada uma responsável pela melhoria de desempenho em um aspecto. Porém, a cache L2 é a principal a ser observada na hora da escolha de um processador.
  7. 7. Características Técnicas do Processador 3ª ) Memória Interna do Processador – Cache L1 / L2 / L3 Cache L2
  8. 8. Características Técnicas do Processador 3ª ) Memória Interna do Processador – Cache L1 / L2 / L3 <ul><li>Cache L1 : a memória cache nível 1, normalmente está associada ao núcleo (core) do processador , a quantidade dessa memória não é o fator “chave” no seu desempenho, mas sim, o tempo de acesso (conhecido também como latência) , a latência pode variar de 2 ns a 4 ns. </li></ul><ul><li>A cache L1 é responsável pelo desempenho matemático do processador devido a sua associação com o núcleo. A maioria dos modelos possuem valores semelhantes de cache L1, por isso, esse fator não pode ser utilizado para diferenciar os processadores. </li></ul>
  9. 9. Características Técnicas do Processador 3ª ) Memória Interna do Processador – Cache L1 / L2 / L3 <ul><li>Cache L2 : a memória cache nível 2 é utilizada para a melhora do processamento interno do processador. Pois, estando disponível as informações dentro dessa memória interna o processamento se torna mais rápido e efetivo do que se estivesse na memória RAM, sendo o acesso à memória cache realizado com latência bem menor e frequência de operação muito maior. </li></ul><ul><li>Outra vantagem é a característica de não precisar de novas cargas elétricas para atualização de mudanças de estado (ligado-desligado) , o que leva a cache L2 a apresentar um desempenho incomparável ao da memória RAM. </li></ul><ul><li>A cache nível 2 deve ser levada em consideração ao se adquirir um processador, sendo a principal diferença entre “primeira linha” e “segunda linha” de processadores. </li></ul><ul><li>Obs: otimiza todos os aplicativos, mas fundamentalmente, melhora o acesso à disco e aplicativos gráficos do tipo AutoCAD, portanto, em um servidor devemos considerar a quantidade de cache como fator primordial. </li></ul>
  10. 10. Características Técnicas do Processador 3ª ) Memória Interna do Processador – Cache L1 / L2 / L3 <ul><li>Cache L3 : a memória cache nível 3 é utilizada em alguns modelos de processadores com objetivo de maximizar o desempenho em jogos e aplicativos gráficos destinados a usuários avançados, portanto, a mesma se encontra nos modelos de processadores mais caros. Em outras aplicações a performance é pouco perceptível, pois a cache L3 possui latência alta. O primeiro processador a utilizá-la foi o Pentium 4 Extreme Edition. </li></ul><ul><li>Obs: Usualmente, a memória cache L3 necessita de cooler “robusto” para dissipação do calor gerado pelo processador devido ao alto consumo de energia elétrica. </li></ul>
  11. 11. Características Técnicas do Processador 4ª ) Arquitetura do Processador (Tecnologia e Família) Mesmo dentro de uma mesma geração, os processadores sofrem aperfeiçoamento, o tamanho de cada transistor sofre redução com objetivo de aumentar o número de transistores ocupando uma mesma área. Como consequências: os processadores tornam-se mais econômicos (consumo de energia elétrica), suportam frequências mais altas de operação e possibilita o aumento da cache L2. Quanto menor o transistor, melhor a arquitetura do processador. A essa redução de transistor é atribuído o nome de família, como podemos observar na tabela a seguir:
  12. 12. Características Técnicas do Processador 4ª ) Arquitetura do Processador (Tecnologia e Família) Processadores Celeron de mesma geração
  13. 13. Características Técnicas do Processador Hyper - Threading Technology No final do ano de 2002, a Intel introduziu no mercado a tecnologia HT. A partir desse momento, a maioria dos modelos do Pentium 4 passaram a utilizar essa tecnologia. Processadores com HT são reconhecidos pelo Sistema Operacional como se fossem dois processadores, porém, não se trata de dois núcleos reais (Cores). O HT consiste em aproveitar partes momentaneamente ociosas do processador para executar outras tarefas. No Pentium 4 este fator representava uma grande vantagem devido ao seu baixo aproveitamento do clock. O aumento de desempenho obtido com o HT gira em torno de 10% a 20%, sendo mais perceptível em aplicações do tipo compressão e edição de vídeo e processamento de áudio em geral.
  14. 14. Características Técnicas do Processador Hyper - Threading Technology Observações: Os processadores com essa tecnologia necessitam de placa mãe especialmente desenhadas para reconhecimento desse recurso e chipset compatível com o sistema. Além, de um Sistema Operacional que reconheça o processamento simétrico. Uma desvantagem dessa tecnologia é seu alto consumo elétrico, provocando um aumento da temperatura do processador quando habilitada no SETUP ocasionando “travamento” quando o gabinete não apresenta bom sistema de refrigeração.
  15. 15. Componentes da Motherboard Socket O socket é um dispositivo , no qual, introduzimos o processador. Através desse dispositivo é possível identificar quais processadores são compatíveis com a placa mãe. As gerações de placa mãe são classificadas pelos fabricantes de Hardware de acordo com o socket. Portanto, é importante identificarmos o modelo de socket presente na placa mãe, para que seja possível selecionar um processador compatível e também para efetuar adequadamente o download dos drivers referente aos diversos componentes integrados na placa mãe, disponibilizados nos sites dos fabricantes .
  16. 16. Componentes da Motherboard Socket O utilitário CPU-Z possibilita a coleta de diversas informações referentes ao processador e placa mãe do PC. De acordo com o exemplo, o modelo do socket apresentado é o 775LGA, ainda pode-se observar o modelo do processador, a frequência de operação, a quantidade de cache L2, o número de “ cores” e etc.
  17. 17. Componentes da Motherboard Socket
  18. 18. Componentes da Motherboard Relações de Socket e processadores compatíveis Socket 370
  19. 19. Componentes da Motherboard Relações de Socket e processadores compatíveis Socket 423
  20. 20. Componentes da Motherboard Relações de Socket e processadores compatíveis Socket 478
  21. 21. Componentes da Motherboard Relações de Socket e processadores compatíveis Socket 775
  22. 22. Componentes da Motherboard Relações de Socket e processadores compatíveis Socket LGA1366
  23. 23. Componentes da Motherboard Relações de Socket e processadores compatíveis Socket A (462)
  24. 24. Componentes da Motherboard Relações de Socket e processadores compatíveis Socket 754
  25. 25. Componentes da Motherboard Relações de Socket e processadores compatíveis Socket 939
  26. 26. Componentes da Motherboard Relações de Socket e processadores compatíveis Socket AM2 (940)
  27. 27. Componentes da Motherboard Relações de Socket e processadores compatíveis Socket AM2+

×