escala de zarit

5.049 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.049
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
36
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

escala de zarit

  1. 1. ARTIGO DE INVESTIGAÇÃO Adaptação e validação da Escala de Sobrecarga do Cuidador de Zarit Adaptation and validation of Zarit Burden Interview Scale Carlos Alberto da Cruz Sequeira*Resumo AbstractO estudo da sobrecarga associada ao cuidar de idosos Study of the burden associated with taking care of dependentcom dependência, de causa “física” ou “mental”, constitui older people suffering from mental or physical disease shoulduma prioridade em termos de saúde pública, pelo facto be a priority in terms of public welfare because it enablesde possibilitar a avaliação das consequências negativas no evaluation of the negative repercussions on the informalcuidador informal. caregiver.Existem diversos instrumentos padronizados para avaliar a There are different instruments to evaluate burden, of whichsobrecarga, sendo o mais utilizado em termos internacionais the most used in international terms is the Zarit Burdena escala de sobrecarga do cuidador de Zarit (Burden Interview Interview Scale.Scale). Assim, elaboramos um estudo, no qual procedemos à Therefore we tried to adapt and validate this instrument for theadaptação e validação deste instrumento, para a população Portuguese population, centred on caregivers of dependentportuguesa, centrada em cuidadores de idosos com e sem older people suffering from physical and/or mental illness.demência, ou seja, com dependência de causa “física” ou The scale has a multidimensional structure based on four“mental”. factors: caregiving impact, personal relationship, expectationsAtravés da análise factorial verificamos que a escala apresenta of caregiving and perception of effectiveness.um constructo multidimensional constituído por quatro Using factor analysis, we concluded that the Caregiver Burdenfactores (impacto da prestação de cuidados; relação Scale had a multidimensional structure made up of four factorsinterpessoal; expectativas com o cuidar e percepção de auto- (impact of giving care; interpersonal relations; expectationseficácia). Revela uma boa consistência interna, quer de forma of care and perceptions of self-efficacy) and showed goodglobal, quer ao nível dos diferentes factores. Os cuidadores internal consistency both globally and in terms of the differentde idosos dependentes com demência apresentam níveis de factors.sobrecarga mais elevados. Carers of dependent older people with dementia presentedÀ semelhança de outros estudos, constatamos que a Escala very high levels of burden.de Sobrecarga do Cuidador é um instrumento válido e fiável Because of the similarity with other studies, we concluded thatpara ser utilizado na avaliação do impacto de doenças físicas the Caregiver Burden Scale is a valid and reliable instrumentou mentais nos cuidadores informais, pelo que sugerimos a for use in evaluating the impact of mental or physical diseasesua utilização na prática. on caregivers, and therefore we recommend its use.Palavras-chave: cuidadores, idoso fragilizado, demência. Keywords: caregivers; older people dependency, dementia.* Doutor em Ciências de Enfermagem, Mestre em Saúde Pública,Especialista em Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiatria. Professor Recebido para publicação em: 26.05.08adjunto da Escola Superior de Enfermagem do Porto. Aceite para publicação em: 25.01.10 II Série - n.°12 - Mar. 2010 pp.9-16
  2. 2. Introdução A sobrecarga subjectiva consiste na percepção pessoal do familiar cuidador sobre as consequências doO termo “sobrecarga” vem de uma tradução do termo cuidar.inglês “burden”. A sua definição refere-se ao conjunto Conscientes que a dependência tem inevitavelmentedas consequências que ocorrem na sequência de repercussões negativas no cuidador, sentimosum contacto próximo com um doente, neste caso necessidade de adaptar e validar um instrumentoum idoso dependente com/sem demência. Numa de medida que nos permita identificar/monitorizarabordagem intuitiva, parece um termo de fácil a sobrecarga, de modo a edificar uma matriz, acaracterização, contudo na prática constata-se que a partir da qual se estruturem respostas capazes desua definição é complexa. Habitualmente este termo minimizarem as consequências negativas associadasé referido apenas em sentido negativo, ou seja sob à relação de prestação de cuidados (Sequeira,a forma de “peso”, “fardo”, pelo que alguns autores 2007).chamam à atenção para a insuficiência do mesmo, naeventualidade de se pretender com este caracterizar asconsequências associadas ao cuidar (Pereira, 1996). Material e MétodosEm 1985, Platt define-a como um conjunto deproblemas, dificuldades ou acontecimentos adversos Trata-se de um estudo em que se pretende validar umque afectam a vida daqueles que têm uma relação instrumento de medida, pelo que se optou por umsignificativa com o doente psiquiátrico. desenho de investigação essencialmente quantitativa,De facto, as repercussões negativas constituem do tipo analítico e correlacional, uma vez que seum foco de atenção privilegiado na investigação, pretende analisar as relações estatísticas das variáveisevidenciado pelos trabalhos desenvolvidos nesta área envolvidas (Ribeiro, 1999).e pela necessidade de implementação de estratégias Deste modo, pretende-se averiguar se o facto de opreventivas. Por outro lado, a sobrecarga está “receptor de cuidados” ser uma pessoa dependente,associada a uma deterioração da qualidade de vida constitui um factor acrescido de repercussões, emdo cuidador e a uma maior morbilidade, pelo que a termos negativos (sobrecarga).sua caracterização é fundamental para uma prevenção A recolha de informações foi efectuada com osefectiva. seguintes instrumentos (Sequeira, 2007; 2007a;No domínio da sobrecarga objectiva, a literatura tem 2007b):privilegiado a sobrecarga apresentada pelo “dador” de Questionário (informações sócio-demográficas,cuidados (“caregiver burden”), também designado psicossociais e clínicas);por cuidador ou prestador de cuidados. O elemento CADI - índice de avaliação de dificuldades domais investigado tem sido o cuidador principal cuidador. Trata-se de um índice que avalia 30ou cuidador primário (“primary caregiver”). A potenciais dificuldades. Permite ao cuidador referir sesua “posição” principal na relação de prestação determinada dificuldade se aplica ao seu caso e o seude cuidados tem como consequência lógica a de grau de intensidade.destinatário das principais repercussões associadas ao CASI - índice de avaliação da satisfação do cuidador.cuidar (Scazufca, 2002). É um índice com 30 potenciais fontes de satisfação.O componente objectivo da sobrecarga ocorre O cuidador refere se determinada fonte de satisfaçãoem consequência da natureza e da necessidade de está presente no seu caso e o grau de satisfação quecuidados, em função dos sintomas e sinais orgânicos lhe proporciona.e psíquicos. O CADI e o CASI foram utilizados para avaliar o grauSchene (1990), afirma que a sobrecarga objectiva de concordância entre a sobrecarga, as dificuldades erepresenta as consequências no familiar, como a satisfação.resultado da interacção com os sintomas e os ESC (escala de sobrecarga do cuidador de Zarit).comportamentos do doente, que se concretizam Os dados foram recolhidos, numa amostra consecutivaem alterações no quotidiano, na vida doméstica, nas e acidental de 184 cuidadores de idosos comrelações familiares e sociais, no lazer, na saúde física e dependência de causa “mental (demência) ou commental do cuidador. dependência de causa “fisica”, que recorreram a um Revista Referência - II - n.°12 - 2010 Adaptação e validação da Escala de Sobrecarga do Cuidador de Zarit 10
  3. 3. serviço de Psicogeriatria e a dois serviços de Medicina nortear qualquer investigação, dos quais se destaca(Sequeira, 2007). a obtenção de autorização das comissões de éticaA avaliação da sobrecarga foi efectuada com o dos hospitais onde decorreu a colheita de dados e arecurso à escala de sobrecarga do cuidador (ESC), obtenção do consentimento informado por parte dostraduzida e adaptada para a população portuguesa cuidadores/idosos dependentes.a partir da Burden Interview Scale (Zarit e Zarit,1983; Martín, 1996; Scazufca, 2002), procedendo-se àanálise e à descrição das características psicométricas Processo de tradução da escala de sobrecargaencontradas. do cuidador de ZaritEsta escala, na versão original, era constituída por 29questões, onde se incluíam aspectos relacionados No processo de tradução seguiu-se, de forma genéricacom a saúde física e psicológica, recursos económicos, a metodologia habitual (Ribeiro, 1999). Inicialmentetrabalho, relações sociais e a relação com o “receptor obteve-se a respectiva permissão para tradução ede cuidados”. Posteriormente, este instrumento foi utilização em Portugal. O seu autor (Steve Zarit),revisto e reduzido o número de questões para 22 autorizou o processo de validação para a população(Zarit e Zarit, 1983; Martín, 1996; Scazufca, 2002). portuguesa, bem como a possibilidade de ser utilizadaÉ um instrumento que permite avaliar a sobrecarga quer ao nível da investigação, quer ao nível da práticaobjectiva e subjectiva do cuidador informal e que clínica.inclui informações sobre saúde, vida social, vida Assim, a ESC foi traduzida para português, a partir da suapessoal, situação financeira, situação emocional e tipo versão original inglesa, sendo posteriormente efectuadode relacionamento. o processo inverso para a língua (inglesa). ForamCada item é pontuado de forma qualitativa/quantitativa analisados os aspectos convergentes/divergentes comda seguinte forma: nunca = (1); quase nunca = (2); outros investigadores e com o seu autor (Steve Zarit).às vezes = (3); muitas vezes = (4) e quase sempre Este foi um processo fácil, uma vez que esta escala se= (5). Também existem versões em que a pontuação encontra traduzida e validada em Espanha e no Brasil,quantitativa varia em cada item entre 0 e 4 (Scazufca, pelo que foi efectuada uma análise comparativa das2002). Contudo, a maioria dos estudos utiliza a versão versões existentes nestes países, atendendo a algumascom pontuações de1 a 5. semelhanças linguísticas e até culturais.Na versão utilizada (1 a 5), obtém-se um score global Em termos de léxico é uma escala simples pelo queque varia entre 22 e 110, em que um maior score não se verificaram dúvidas significativas. A sua análise,corresponde a uma maior percepção de sobrecarga, no que respeita à equivalência semântica, foi efectuadade acordo com os seguintes pontos de corte: de modo a que esta versão se enquadrasse na realidadeInferior a 46 = Sem sobrecarga; sociocultural portuguesa. Vários estudos a nívelEntre 46 a 56 = Sobrecarga ligeira; europeu apontam claramente para um elevado númeroSuperior a 56 = Sobrecarga intensa. de aspectos comuns relacionados com a sobrecargaNo estudo de validação da escala de sobrecarga, dos cuidadores de idosos dependentes devido a umaa consistência interna foi avaliada através do alfa doença mental ou a uma doença crónica (Faison et al.,de Cronbach e a determinação do número de 1999; Schneider et al., 1999; Sequeira, 2007).factores efectuada com o recurso à análise dos A sua aplicação a um grupo experimental permitiucomponentes principais com rotação ortogonal aferir que os termos utilizados eram facilmentesegundo o método Varimáx (Pestana e Gageiro, compreendidos, pelo que não foi necessário efectuar2000). A determinação do número de componentes alterações ao nível do léxico.por factores de cada escala é efectuada de acordo A ESC, com 22 itens, tem apresentado uma boacom o preconizado por Poli e Hungler (1997), que consistência interna (0,79 a 0,92) nos múltiplossugere a exclusão de cargas factoriais inferiores a estudos de investigação em que tem sido utilizada0,30 e considera os valores próprios (Eigenvalues) (Martín, 1996; Montorio et al., 1998; Scazufca, 2002).superiores a 1. Relativamente à validade de constructo, alguns autoresAo longo do processo de investigação foram apenas a utilizam de forma global (Zarit e Zarit, 1983;respeitados todos os princípios éticos que devem Scazufca, 2002). Carlos Alberto da Cruz Sequeira Revista Referência - II - n.°12 - 2010 11
  4. 4. Resultados com a relação entre o cuidador e a pessoa dependente alvo de cuidados. Estes itens avaliam o impactoPrincipais características psicométricas interpessoal que resulta da relação de prestação de cuidados, essencialmente associado às dificuldadesÀ semelhança da maioria dos estudos de validação com a interacção. É constituído por cinco itens, que(Martín, 1996; Montorio et al., 1998; Scazufca, 2002), explicam 8,69% da variância total da ESC e apresentaeste instrumento apresenta uma boa consistência uma consistência interna de 0,83 (alfa de Cronbach).interna avaliada através do alfa de Cronbach (α = O terceiro factor, intitulado de “expectativas com0,93). o cuidar” (EC) é constituído por quatro itens,A análise factorial no presente estudo permite relacionados com as expectativas que o cuidadoridentificar quatro factores que explicam 62% da tem relativamente à prestação de cuidados, centra-sevariância total. Os factores criados empiricamente essencialmente nos medos, receios e disponibilidades.estão de acordo com os constructos que estiveram Este factor explica 7,15% da variância total ena sua génese e são semelhantes aos encontrados apresenta uma consistência interna de 0,67 (alfa deem outros estudos (Martín, 1996; Montorio et al., Cronbach).1998). O quarto factor, intitulado de “percepção deO primeiro factor, intitulado de “impacto da prestação auto-eficácia” (PA) é constituído por dois itens,de cuidados” (IPC), aglutina os itens que se referem à sobre a opinião do cuidador relativamente ao seusobrecarga relacionada com a prestação de cuidados desempenho.directos, dos quais se destacam: alteração no estado Este factor explica 4,90% da variância total ede saúde, elevado número de cuidados, alteração apresenta uma consistência interna de 0,80 (alfa dedas relações sociais e familiares, escassez de tempo, Cronbach).desgaste físico e mental. Nesta categoria encontram- Da análise da correlação entre os factores da ESC e ose os itens relativos ao impacto dos cuidados directos somatório da escala global, constata-se que existe umano contexto do cuidador. É constituído por onze itens, correlação estatisticamente significativa (p < 0,01)explica 41,2% da variância total e apresenta uma boa entre todos os factores e a escala total (tabela n.º 1).consistência interna (alfa de Cronbach de 0,93). Os factores “Impacto da prestação de cuidados”O segundo factor, intitulado de “relação interpessoal” e “Relação interpessoal” apresentam correlação(RI), aglutina itens associados à sobrecarga relacionados significativa com a escala global (0, 96 e 0,83). Tabela n.º 1 – Correlação entre as pontuações dos factores e a pontuação global da escala de sobrecarga do cuidador FACTORES E ESC GLOBAL IPC RI EC PA Impacto da prestação de cuidados; 1 Relação interpessoal ,729(**) 1 Expectativas com o cuidar ,584(**) ,429(**) 1 Percepção de auto-eficácia ,098 ,065 ,125 1 ESCALA GLOBAL ,962(**) ,833(**) ,690(**) ,208(**)** Correlação significativa para um nível de significância de p < 0,01 (bilateral).Legenda: IPC – impacto da prestação de cuidados; RI – Relação interpessoal; EC – Expectativas face ao cuidar; PA – Percepção deauto-eficácia;Níveis de sobrecarga de sobrecarga, uma vez que apenas 12 (14,5%) dos cuidadores de idosos com demência e 33 (32,7%)Da análise dos níveis de sobrecarga, de acordo com cuidadores de idosos sem demência obtêm valoresos pontos de corte para a ESC, constata-se que compatíveis com a ausência de sobrecarga.estamos perante uma amostra com elevados níveis Por outro lado, verifica-se que 55 (66,3%) cuidadores Revista Referência - II - n.°12 - 2010 Adaptação e validação da Escala de Sobrecarga do Cuidador de Zarit 12
  5. 5. de idosos com demência e 46 (45,5%) cuidadores sugerem a existência de sobrecarga intensa, de acordode idosos sem demência apresentam valores que com a tabela n.º 2. Tabela n.º 2 – Níveis de sobrecarga de acordo com os pontos de corte CUIDADORES DE IDOSOS CUIDADORES DE IDOSOS TOTAL SEM DEMÊNCIA COM DEMÊNCIA Níveis de sobrecarga N % N % N %Sem sobrecarga (< 46) 33 32,7 12 14,5 45 24,4Sobrecarga ligeira (47 – 55) 22 21,8 16 19,3 38 20,7Sobrecarga intensa (>56) 46 45,5 55 66,3 101 54,9Total 101 100,0 83 100,0 184 100,0Da análise do gráfico n.º 1, constata-se que os os itens, à excepção do item “pensa que poderiacuidadores de idosos com demência apresentam cuidar melhor do seu familiar”.níveis médios mais elevados de sobrecarga em todos Gráfico n.º 1 – Níveis médios de sobrecarga apresentados pelos cuidadoresNos itens 7, 14 e 20 os valores médios de ambos os que habitualmente se denominam de sobrecargagrupos são praticamente sobreponíveis. É no domínio (Martín, 1996; Montorio, et al., 1998; Scazufca, 2002;das expectativas (itens 7 e 14) e da percepção de Santos, 2005; Sequeira, 2006; 2007) e que têm obtidoauto eficácia (itens 20 e 21) que se verificam menos a primazia da atenção na maioria dos estudos.diferenças entre os grupos em estudo, pelo que A escala de sobrecarga do cuidador de Zarit constitui,se depreende que os factores que contribuem de em termos internacionais, um dos instrumentos maisforma mais significativa para os valores elevados de utilizados para avaliar as repercussões associadas aosobrecarga apresentados pelos cuidadores de idosos cuidar de pessoas com doença mental, na qual se incluemcom demência estão relacionados com a relação as demências (Zarit e Zarit, 1983; Martín, 1996; Scazufca,interpessoal e o impacto da prestação de cuidados. 2002; Alonso et al., 2004; González et al. 2004) Alguns estudos, apenas recorrem à pontuação global como forma de avaliação da sobrecarga (Zarit eDiscussão Zarit, 1983; Scazufca, 2002; González, et al., 2004). Contudo, os dados deste trabalho sugerem umA prestação de cuidados a pessoas idosas dependentes carácter multidimensional do conceito de sobrecarga,no domicílio está frequentemente associada a uma que é corroborado por outros autores (Martín, 1996;série de repercussões pessoais, sociais e económicas, Montorio et al., 1998; Alonso et al., 2004). Carlos Alberto da Cruz Sequeira Revista Referência - II - n.°12 - 2010 13
  6. 6. A análise factorial permite identificar quatro factores, a nível social”. Outros estudos referem que cuidarà semelhança do processo de validação para Espanha de idosos com demência está associado a uma(Martín, 1996; Montorio et al., 1998; Roig et al., 1998), deterioração da saúde física e mental, que se traduzque no presente estudo são intitulados por: em termos de sobrecarga (Santos, 2003). Assim, a1 – “Impacto da prestação de cuidados”; prestação de cuidados a idosos com demência está2 – “Relação interpessoal”; associada a uma maior sobrecarga comparativamente3 – “Expectativas com o cuidar”; ao cuidar de idosos com dependência física, (Sotto4 – “Percepção de auto-eficácia”. Mayor, Sequeira e Paúl, 2006; Sequeira 2006; 2007).Os dois primeiros factores (1 e 2) estão direccionados Garrido e Almeida (1999) reforçam esta constataçãopara a sobrecarga objectiva e os dois últimos (3 e referindo que cuidar de idosos com demência é muito4) para a sobrecarga subjectiva, de modo similar desgastante, atendendo essencialmente às alteraçõesao apresentado por outros estudos, que também cognitivas e comportamentais que estes apresentam.atribuem um carácter multidimensional ao conceito Em termos dos factores da ESC, constata-se que asde sobrecarga (Martín, 1996; Montorio et al., 1998). principais fontes de sobrecarga estão relacionadasO primeiro factor pretende avaliar o impacto no com o “impacto da prestação de cuidados”, com acuidador, associado à prestação de cuidados, em “relação interpessoal” (cuidadores de idosos comtermos de tempo livre, saúde, limitação social, perda demência) e com as “expectativas com o cuidar”de controlo, etc. (cuidadores de idosos com demência e cuidadores deO segundo factor reflecte as implicações na relação idosos sem demência).entre o cuidador e o idoso dependente (vergonha, Os itens da ESC relacionados com o “impacto dairritação, tensão, etc.). prestação de cuidados” que apresentam um maiorO terceiro factor engloba as expectativas que o contributo para a sobrecarga global são:cuidador tem face ao cuidar, relativamente ao futuro, • “...escassez de tempo para realizar as tarefas;às suas capacidades para cuidar, etc. • “...tensão no cuidar”;O quarto factor está direccionado para avaliar a • “...afectar a sua saúde”;percepção de auto-eficácia do cuidador, ou seja, a • “...não ter uma vida privada”;percepção acerca do desempenho do seu papel. • “...sentir muito sobrecarregado em geral”.De um modo geral, constata-se que os cuidadores de A “relação interpessoal” também constitui umaidosos com demência referem níveis de sobrecarga fonte significativa de sobrecarga sendo os itens maismais elevados (66,3% com sobrecarga intensa) significativos para os cuidadores de idosos comcomparativamente com os cuidadores de idosos sem demência:demência (45,5% com sobrecarga intensa). Estes • “Sentir-se irritado...”;dados, resultam essencialmente de os cuidadores • “Sentir-se incapaz de cuidar por muito mais tempo”;de idosos com demência se encontrarem mais • “Sentir-se inseguro acerca do que fazer...”.sensíveis à sobrecarga em consequência da prestação Relativamente às “expectativas com o cuidar” verifica-de cuidados e da relação interpessoal, o que está se que esta constitui uma elevada fonte de sobrecargaassociado ao facto dos idosos com demência terem para ambos os cuidadores, onde se destacam:uma maior necessidade de cuidados. Cuidar de • “Terem receio pelo futuro...”;pessoas com alterações cognitivas, com alterações de • “...o familiar depender de si”;comportamento e alterações do humor está associado • “...ser considerada como a única pessoa paraa níveis mais elevados de sobrecarga (Scazufca, cuidar...”;2002). • “...não dispor de economias suficientes...”.Santos (2003) refere que, no contexto do idoso No estudo de Montorio et al. (1998) efectuado comdependente com demência, os aspectos que provocam 62 cuidadores de idosos dependentes, encontramos,uma maior sobrecarga estão relacionados com a de um modo geral, médias muito similares às“necessidade de repetir as mesmas coisas”, “dar encontradas para os cuidadores de idosos semfrequentementeasmesmasorientações”,“serpaciente”, demência do presente estudo, em que os valores“compreender as atitudes e comportamentos do de sobrecarga mais significativos se encontram noidoso” e “lidar com as alterações de comportamento domínio das “expectativas com o cuidar”, sendo os Revista Referência - II - n.°12 - 2010 Adaptação e validação da Escala de Sobrecarga do Cuidador de Zarit 14
  7. 7. itens mais significativos (nível 4 e 5) referidos pelos de sobrecarga/sobrecarga), quer como instrumento decuidadores: “...o familiar depender de si”, (55,9%) monitorização/avaliação de programas de intervençãoe “...ser considerada como a única pessoa para em cuidadores informais. Por outro lado, a utilizaçãocuidar...” (56%). da escala de sobrecarga em termos de investigação,O item relacionado com a “escassez de recursos permite avaliar as repercussões negativas associadaseconómicos”, apenas foi considerado por 8,6% dos ao cuidar numa determinada população e estabelecercuidadores como causadores de elevada (níveis 4 ou comparações com os dados internacionais, uma5) sobrecarga (Montorio et al., 1998), percentagem vez que este instrumento é utilizado na maioria dosmuito inferior à encontrada neste estudo, o que países com programas de intervenção dirigidos aossugere que os cuidadores portugueses têm maiores cuidadores.dificuldades económicas.Em alguns estudos efectuados no Brasil, verifica-seque os cuidadores de idosos com demência revelam Referências Bibliográficasuma menor sobrecarga relacionada com o facto de se ALONSO, A. [et al.] (2004) - Perfil y sobrecarga de los cuidadoressentirem “envergonhados”, “tensos”, e apresentam de pacientes con demencia incluidos en el programa ALOIS.mais sobrecarga relacionada com os “aspectos Atención Primaria. Vol. 33, nº 2, p. 61-68.económicos”, pois mais de 50% dos cuidadores BRITO, L. (2002) - A saúde mental dos prestadores de cuidadosreferem que, na maioria das vezes, não tem dinheiro a familiares idosos. Coimbra: Quarteto Editora.suficiente para cuidar de forma adequada (Scazufca, FAISON, K. J. ; FARIA, S. H.  ; FRANK, D. (1999) - Caregivers of2002; Garrido e Meneses, 2004). Contudo, em termos chronically ill elderly. Perceived burden. Journal Communityde sobrecarga global também atingem valores mais Health Nurses. Vol. 16, nº 4, p. 243-253.baixos. GARRIDO, R. ; ALMEIDA, O. P. (1999) - Distúrbios deRelativamente aos estudos efectuados em Espanha, comportamento em pacientes com demência: impacto sobre aconstata-se que os dados encontrados são muito vida do cuidador. Arquivos de Neuropsiquiatria. Vol. 57, nº 2B, p. 427-434.similares (Martín, 1996; Roig et al., 1998; González,2004; Alonso et al., 2004). Assim, em termos de GONZÁLES, F. [et al.] (2004) - Sobrecarga del cuidador de personassobrecarga e no presente estudo, encontramos con lesiones neurológicas. Revista del Hospital J. M. Ramos Méjia. Edición electrónica. Vol. 9, nº 4.resultados ligeiramente superiores aos encontradospor Martín (1996), que inclui idosos também com MARTÍN, M. (1996) - Adaptación para nuestro medio de la escala de sobrecarga del cuidador de Zarit. Revista Multidisciplinar deoutras patologias psiquiátricas e por Schneider et Gerontología. Vol. 6, nº 4, p. 338-346.al., (1999) no estudo EUROCARE, mas praticamenteidênticos aos encontrados no estudo ALOIS (Alonso MONTORIO, I. [et al.] (1998) - La entrevista de carga del cuidador. Utilidad y validez del concepto de carga. Anales de Psicología.et al., 2004). Este estudo, apenas inclui cuidadores Vol. 14, nº 2, p. 229-248.de idosos com demência e os itens referidos por PEARLIN, L. I. [et al.] (1990) - Caregiving and the stress process:mais de 60% dos cuidadores como responsáveis pela an overview of concepts and their measures. The Gerontologist.sobrecarga (nível 3 a 5) estiveram relacionados com Vol. 30, nº 5, p. 583-594.a “falta de tempo”, com a “tensão”, com o facto do PEREIRA, M. G. (1996) – Repercussões da Doença Mental naidoso com demência “depender do familiar”, “ter Família. Lisboa: Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa. Tesereceio relativamente ao futuro” e “restrições na vida de Mestrado.social”. PESTANA, M. H. ; GAGEIRO, J. N. (2000) - Análise de dados para as ciências sociais: a complementaridade do SPSS. 2ª ed. Lisboa: Edições Sílabo.Principais conclusões POLIT, D. ; HUNGLER, B. (1997) - Investigación científica en ciencias de la salud. 5ª ed. México: McGraw-Hill Interamericana.A escala de sobrecarga do cuidador de Zarit constitui RIBEIRO, J. L. P. (1999) - Investigação e avaliação em psicologiaum instrumento fiável, com boas características e saúde. Lisboa: Climepsi Editores.psicométricas para avaliar a sobrecarga associada ao ROIG, M. V. ; ABENGÓZAR, M. C. ; SERRA, E. (1998) - La sobrecargacuidar. Assim, sugere-se a sua utilização quer ao nível da en los cuidadores principales de enfermos de Alzheimer. Analesprática clínica como instrumento de diagnóstico (risco de Psicologia. Vol. 14, nº 2, p. 215-227. Carlos Alberto da Cruz Sequeira Revista Referência - II - n.°12 - 2010 15
  8. 8. SANTOS, P. A. (2005) - O familiar cuidador em ambiente SEQUEIRA, C. (2007) - Cuidar de idosos dependentes. Coimbra:domiciliário: sobrecarga física, emocional e social. Lisboa: Escola Quarteto Editora.Nacional de Saúde Pública da Universidade Nova de Lisboa. Tese SEQUEIRA, C. (2007a) - Impacto da doença mental no familiarde mestrado. cuidador. In Unidade de Investigação em Saúde e Qualidade deSCAZUFCA, M. (2002) - Versão brasileira da escala Burden Interview Vida, ed. lit. - Livro de Actas do 2º Congresso Saúde e Qualidadepara avaliação de sobrecarga em cuidadores de indivíduos com de Vida. Porto: Escola Superior de Enfermagem de S. João.doenças mentais. Revista Brasileira de Psiquiatria. Vol. 24, nº 1, SEQUEIRA, C. (2007b). Instrumentos de medição: sobrecargap. 12-17. do familiar cuidador do idoso demenciado. In Unidade deSCHENE, A. H. (1990) - Objective and subjective dimensions of Investigação em Saúde e Qualidade de Vida, ed. lit. - Livro defamily burden. Towards an integrative framework for research. Actas do 2º Congresso Saúde e Qualidade de Vida. Porto: EscolaSocial Psychiatry and Psychiatric Epidemiology. Vol. 25, nº 6, p. Superior de Enfermagem de S. João.289-297. SOTTO MAYOR, M. ; SEQUEIRA, C. ; PAÚL, C. (2006) - Um espaçoSCHNEIDER, J. [et al.] (1999) - EUROCARE: a cross-national study de intervenção com os cuidadores, num serviço de Psicogeriatriaof co-resident spouse carers for people with Alzheimer’s disease: - A consulta de enfermagem. In LEAL, I. ; RIBEIRO, J. P. ; JESUS,I-factors associated with carer burden. International Journal of S. N., ed. lit. - Actas do 6º Congresso Nacional da Psicologia daGeriatric Psychiatric. Vol. 14, nº 8, p. 651-661. Saúde – Saúde Bem-estar e Qualidade de Vida. Lisboa: ISPA.SEQUEIRA, C. (2006) - Da necessidade do cuidado às ZARIT, S. H. ; ZARIT, J. M. (1983) - The memory and behaviourconsequências do cuidar. In LEAL, I.; RIBEIRO, J. P. ; JESUS, S. N., problems checklist – and the burden interview. Technicaled. lit. - Actas do 6º Congresso Nacional da Psicologia da Saúde report. Pennsylvania State University.– Saúde Bem-estar e Qualidade de Vida. Lisboa: ISPA. Revista Referência - II - n.°12 - 2010 Adaptação e validação da Escala de Sobrecarga do Cuidador de Zarit 16

×