O Conceito de rede no digital face aos media social

1.843 visualizações

Publicada em

O Conceito de rede no digital face aos media social
XI Forum «Communiquer et Entreprendre» Universidade Fernando Pessoa, Porto, Portugal
26 - Novembr 2009

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.843
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
90
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Conceito de rede no digital face aos media social

  1. 1. O Conceito de rede no digital face aos media social XI Forum «Communiquer et Entreprendre» Universidade Fernando Pessoa, Porto, Portugal Luis Borges Gouveia lmbg.blogspot.com | lmbg@ufp.edu.pt | @lbgouveia 26 de Novembro de 2009
  2. 2. sumário <ul><li>Contexto actual </li></ul><ul><li>A Sociedade da Informação </li></ul><ul><li>O digital e a rede </li></ul><ul><li>Web social e social media </li></ul><ul><li>Comentários finais </li></ul>O conceito de rede no digital face aos media social No contexto actual, a capacidade que cada indivíduo tem de explorar redes no digital é fulcral para a sociedade que integra. O digital e as interacções no âmbito destas novas redes revela-se determinante para promover e gerar conhecimento com valor económico e social.
  3. 3. Caracterizar o momento actual <ul><li>complexo </li></ul><ul><li>dinâmico </li></ul><ul><li>imprevisível </li></ul><ul><li>mas... </li></ul><ul><li>simples </li></ul><ul><li>constante </li></ul><ul><li>controlável </li></ul>Globalização Sociedade da Informação Desenvolvimento sustentável
  4. 4. Sociedade da Informação <ul><li>Uma sociedade que predominantemente utiliza o recurso às tecnologias da informação e comunicação para a troca de informação em formato digital e que suporta a interacção entre indivíduos com recurso a práticas e métodos em construção permanente (Gouveia e Gaio, 2004) </li></ul>
  5. 5. Sociedade da Informação <ul><li>Uso intensivo de tecnologias de informação e comunicação </li></ul><ul><li>Uso crescente do digital </li></ul><ul><li>Organização em rede </li></ul>
  6. 6. A rede (I) <ul><li>Promessas da sociedade da informação </li></ul><ul><ul><li>Partilha de informação (e do conhecimento) </li></ul></ul><ul><ul><li>Novas relações tempo-espaço concorrentes num mesmo local </li></ul></ul><ul><ul><li>Móvel, imediato, ubiquo, universal </li></ul></ul><ul><li>A relação e o relacionamento são elementos essenciais, realizados com recurso a computadores e redes (de telecomunicações) </li></ul><ul><ul><li>Apesar de tudo, um fenómeno social: Barry Wellman, Manuel Castells, … </li></ul></ul>
  7. 7. A rede (II) <ul><li>Fenómenos de transferência </li></ul><ul><ul><li>Altera as relações de poder </li></ul></ul><ul><ul><li>Redistribui e redefine custos de deslocação entre nós da rede </li></ul></ul><ul><li>Fomenta uma evolução contínua, mantendo a mudança como constante </li></ul><ul><ul><li>Diversidade </li></ul></ul><ul><ul><li>Mudança permanente </li></ul></ul><ul><ul><li>Acolhe inovação e criatividade </li></ul></ul>
  8. 8. A rede (III) <ul><li>Efeito de propagação </li></ul><ul><ul><li>Altera a proximidade/distância e influência mútua </li></ul></ul><ul><ul><li>Atracção e reconfiguração de espaços e fronteiras </li></ul></ul><ul><ul><li>Esferas de influência mais dinâmicas, com modelos mais complexos </li></ul></ul><ul><li>Favorece sistemas abertos e autónomos </li></ul><ul><ul><li>Sistema distribuído, com capacidade de auto-regulação </li></ul></ul><ul><ul><li>Escala resultado da interacção; quanto mais interacção, maior densidade </li></ul></ul>
  9. 9. COMO?
  10. 10. Pessoas, mais pessoas e... competência Capital Social Capital Humano Proposta de valor Balanço social Territórios inteligentes Aposta no cultural Envolver as pessoas Inovação e desenvolvimento Qualificação Competências Criatividade
  11. 11. De que forma?
  12. 15. Forças de coesão <ul><li>Proximidade </li></ul><ul><li>Escala humana </li></ul><ul><li>Confiança </li></ul>
  13. 16. A importância do indivíduo <ul><li>A(s) rede(s) aumentam o valor do indivíduo </li></ul><ul><li>Indivíduo aumenta valor da(s) rede(s) </li></ul>
  14. 17. Tendência I <ul><li>da oferta para a procura! (agora no digital!) </li></ul>
  15. 18. Tendência II <ul><li>Media sociais também nas empresas </li></ul>
  16. 20. Comentários finais <ul><li>Pensar o lado procura </li></ul><ul><li>Focar na interacção </li></ul><ul><li>Desenvolver novas competências de rede </li></ul><ul><li>Concentrar esforços no digital </li></ul><ul><li>Orientar para: </li></ul><ul><ul><li>a partilha do conhecimento </li></ul></ul><ul><ul><li>o conhecimento com valor social </li></ul></ul>
  17. 21. O Conceito de rede no digital face aos media social XI Forum «Communiquer et Entreprendre» Universidade Fernando Pessoa, Porto, Portugal Vivemos uma época de expectativa. No decurso da mudança do século e com a trindade formada pela sociedade da informação, a globalização e as questões do ambiente, novos e renovados desafios se colocam. O advento do digital e a crescente importância de computadores e redes permitiram a substituição da informação pela interacção como núcleo do conceito de rede actual. O artigo propõe uma reflexão sobre a elaboração do conceito de rede com recurso ao digital e a práticas em que a interacção e as ferramentas dos media social se tornam os elementos centrais. Palavras-chave: sociedade da informação; media social; redes Luis Borges Gouveia 26 de Novembro de 2009 lmbg.blogspot.com | lmbg@ufp.edu.pt | @lbgouveia
  18. 22. Nota Biográfica Luis Borges Gouveia <ul><li>homepage: http://homepage.ufp.pt/~lmbg </li></ul><ul><li>blogue: http://lmbg.blogspot.com </li></ul><ul><li>email: [email_address] </li></ul><ul><li>Twitter: @lbgouveia </li></ul><ul><li>Professor Universitário e Investigador na área dos Sistemas e Tecnologias de Informação, possui o Doutoramento em Ciências da Computação pela Universidade de Lancaster (UK), o Mestrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) e a Licenciatura em Matemáticas Aplicadas/ Informática pela Universidade Portucalense (UPT). Participou com responsabilidades de direcção em inúmeros projectos associados com os Sistemas e Tecnologias de Informação, sendo de destacar o Gaia Global, iniciativa de cidade digital de Vila Nova de Gaia (2001-2004): e a UFP-UV, iniciativa de e-learning da Universidade Fernando Pessoa (2005-2008). É actualmente Professor Associado na Faculdade de Ciência e Tecnologia da Universidade Fernando Pessoa, onde se encontra desde 1995. </li></ul><ul><li>Editou três volumes de textos, dois sobre a Sociedade da Informação e um sobre Cidades Digitais. É ainda Autor ou co-autor de 6 obras associadas com as suas áreas de interesse. É autor ou co-autor de cerca de duas centenas de trabalhos científicos em revistas, conferências e seminários nacionais e internacionais. </li></ul>

×