Iso22000

7.697 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.697
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
36
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
292
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Iso22000

  1. 1. O objectivo desta Norma é harmonizar, a nível global, os requisitos para gestão da segurança alimentar pelos operadores da cadeia alimentar Destina-se particularmente à aplicação por parte das organizações que procuram um sistema de gestão da segurança alimentar focalizado, coerente e integrado no que geralmente é requerido pela legislação Requer que a organização, através do seu sistema de gestão da segurança alimentar, vá ao encontro de todos os requisitos estatuários e regulamentares aplicáveis, relacionados com a segurança alimentar A sua aplicação obriga ao respeito pelos 7 princípios de HACCP do Codex Alimentarius
  2. 2. A ISO 22000:2005 cobre pontos importantes na garantia da segurança de alimentos, tais como: Controlo de Comunicação A comunicação ao longo da Perigos Os Sistemas devem ser cadeia produtiva de eficientes e capazes de alimentos, que garante que controlar os perigos até todos os perigos relevantes níveis considerados sejam identificados e aceitáveis nos produtos controlados em cada etapa finais, sendo desta cadeia necessário, para alcançar esse objectivo, a integração dos pré-requisitos e o A comunicação com os Sistema clientes e fornecedores APPCC/HACCP, adoptando deve basear-se em análises os requisitos de gestão sistemáticas dos perigos e baseados nos princípios de requer que seja planejada melhoria contínua de mantida
  3. 3. Divide-se em três requisitos: Boas Práticas de Higiene e Fabrico ou Programa de Pré- Requisitos HACCP de acordo com os princípios HACCP enunciados no Codex Alimentarius Sistema de Gestão (tendo por base o formato da ISO 9001 que este standard também adopta)
  4. 4. Harmonização Internacional - existem muitos standards internacionais de certificação da segurança alimentar Promoção de um Sistema de Gestão (BRC - British Retail, Consortium, IFS - Integrado - por ter um formato Internacional Food idêntico ao das restantes normas ISO Standard, EurepGap), o que torna o processo confuso e complexo Vantagens Adaptada a toda a cadeia - standard com aplicação da produção até à Diminuição de custos - a adopção de distribuição diferentes normas multiplica os referidos custos de implementação
  5. 5. Esta Norma Internacional especifica requisitos para um sistema de gestão da segurança alimentar em que uma organização, que opere na cadeia alimentar, necessita de demonstrar a sua aptidão para controlar os perigos para a segurança alimentar, de modo a garantir que um alimento é seguro no momento do consumo humano É aplicável a todas as organizações, independentemente da dimensão, que estão envolvidas em qualquer aspecto da cadeia alimentar e querem implementar sistemas que, de forma consistente, permitam fornecer produtos seguros Os meios para ir ao encontro dos requisitos desta Norma Internacional podem ser realizados pela utilização de recursos internos e/ou externos
  6. 6. Esta Norma Internacional específica requisitos que permitem a uma organização: • planear, implementar, operar, manter e actualizar um sistema de gestão da segurança alimentar destinado a fornecer produtos que, de acordo com a utilização prevista, são seguros para o consumidor; • demonstrar a conformidade com os requisitos estatutários e regulamentares aplicáveis à segurança alimentar; • avaliar e apreciar os requisitos do cliente e demonstrar a conformidade com os requisitos relativos à segurança alimentar acordados mutuamente, de modo a melhorar a satisfação do cliente; • comunicar eficazmente as questões relativas à segurança alimentar, aos seus fornecedores, aos clientes e às partes mais relevantes interessadas na cadeia alimentar; • assegurar que actua em conformidade com a sua política declarada sobre segurança alimentar; • demonstrar esta conformidade junto das partes interessadas mais relevantes; • procurar certificar ou registar o seu sistema de gestão da segurança alimentar, por uma organização externa, ou fazer uma auto-avaliação ou auto-declaração da conformidade com esta Norma Internacional.
  7. 7. A organização deve estabelecer, documentar, implementar e manter um sistema eficaz de gestão da segurança alimentar e actualizá-lo, quando necessário, de acordo com os requisitos desta Norma Internacional. Deve também definir o campo de aplicação do sistema de gestão da segurança alimentar, especificando os produtos ou categorias de produto, processos e locais de produção, contemplados pelo sistema de gestão da segurança alimentar Caso uma organização escolha subcontratar qualquer processo que possa afectar a conformidade do produto acabado, deve assegurar o controlo sobre tais processos O controlo de tais processos subcontratados deve ser identificado e documentado dentro do sistema de gestão da segurança alimentar
  8. 8. • Assegurar que perigos para a segurança alimentar, de ocorrência razoavelmente expectável em produtos abrangidos pelo campo de aplicação do sistema, são identificados, avaliados e controlados de forma a que os produtos da organização não causem dano, directo ou indirecto, ao consumidor; • Comunicar a informação apropriada ao longo da cadeia alimentar relativamente a questões de segurança relacionadas com os seus produtos; A organização • Comunicar a informação relativa ao desenvolvimento, implementação e actualização do sistema de deve gestão da segurança alimentar ao longo da organização, na extensão necessária para assegurar a segurança alimentar requerida por esta Norma Internacional; • Avaliar periodicamente e actualizar, quando necessário, o sistema de gestão da segurança alimentar para assegurar que o sistema reflecte as actividades da organização e incorpora as informações mais recentes sobre os perigos para a segurança alimentar a controlar.
  9. 9. Princípios HACCP Etapas de aplicação ISO 22000:2005 HACCP - Designar a equipa HACCP - Equipa da segurança alimentar - Descrever o produto - Características do produto - Descrição das etapas do processo e das medidas de controlo - Identificar a utilização - Utilização prevista prevista - Elaborar o fluxograma -Fluxogramas - Confirmar o fluxograma no local Princípio 1: Conduzir uma - Listar todos os perigos - Análise de perigos análise de perigos potenciais - Identificação de perigos e - Conduzir uma análise de determinação de níveis de aceitação perigos - Avaliação do perigo - Considerar as medidas de - Selecção e avaliação controlo Princípio 2: Determinar os PCC - Determinar os PCC - Identificação dos PCC Princípio 3: Estabelecer os - Estabelecer os limites - Determinação de limites críticos para limite(s) crítico(s) críticos para cada PCC os pontos críticos de controlo
  10. 10. Princípios HACCP Etapas de aplicação HACCP ISO 22000:2005 Princípio 4: Estabelecer um - Estabelecer um sistema de - Sistema de monitorização dos sistema para monitorizar o monitorização para cada PCC pontos críticos de controlo controlo dos PCC Princípio 5: Estabelecer a acção - Estabelecer as acções - Acções a empreender quando correctiva a empreender correctivas existirem desvios aos limites quando a monitorização indica críticos que um determinado CCP não está sob controlo Princípio 6: Estabelecer - Estabelecer os procedimentos - Planeamento da verificação procedimentos de verificação de verificação para confirmar se o sistema HACCP a funcionar eficazmente Princípio 7: Estabelecer - Estabelecer a documentação - Requisitos da documentação documentação acerca de todos e conservar os registos - Actualização da informação os procedimentos e registos preliminar e dos documentos apropriados a estes princípios e que especificam o(s) PPR(s) e o sua aplicação plano HACCP

×