Apa Workshop Nov 08 Claudio Monteiro

743 visualizações

Publicada em

SmartWatt

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
743
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
14
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
71
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apa Workshop Nov 08 Claudio Monteiro

  1. 1. Potencial de aproveitamento de recursos energéticos no meio edificado Cláudio Monteiro www.SmartWatt.pt
  2. 2. As mudanças de paradigma Descentralização da produção
  3. 3. As mudanças de paradigma  Perspectiva da Oferta – O objectivo é vender energia e serviços – Preocupação com Imagem: ambiente, qualidade e serviços (top-down) – Maior comunicação com o consumidor – Utilização dos recursos distribuídos – Receptividade a mudanças tecnológicas – Intensificação de acções DSM “Demand Side Management”  Perspectivas do Consumidor – O objectivo é consumir o mínimo de energia  Eficiência energética (melhores equipamentos e comportamentos)  Conservação de energia (sacrificar o conforto) – Preocupações: ambiental, qualidade e conforto – Necessidade de serviços energéticos (ESCO button-up) – Utilização dos recursos do próprio edificado – Tendência para participar activamente com oferta com novas tecnologias – Acções do tipo “Demand Reponse”
  4. 4. Novas Perspectivas para o “Demand Side” Geração Consumo
  5. 5. Microgeração  Definição – Produção em pequena escala de electricidade e/ou calor utilizando recursos renováveis ou tecnologias de geração eficiente – As tecnologias podem ser: sistemas fotovoltaicos, água quente solar, bombas de calor, micro-hídricas, micro-eólicas, células de combustível e micro-cogeração.  Motivação – Tem potencial para reduzir 15% do consumo domestico até 2050 – Utiliza os recursos distribuídos evitando dependência energética – É uma oportunidade para novas tecnologias e novos paradigmas no sector energético – “power from the people”
  6. 6. Microgeração  Requisitos para uma integração bem sucedida – Tem que se tornar tão fácil integrar a microgeração como instalar qualquer equipamento de consumo. – Terão que existir tecnologias de equipamentos fiáveis, eficientes e economicamente acessíveis – Terão que existir serviços técnicos e financeiros adequados à pequena dimensão e ao elevado número de sistemas – Deverá existir uma adaptação das redes eléctricas e instalações eléctricas actuais (novos regulamentos, telecontagem, inteligências de gestão distribuída)
  7. 7. Recurso energético no edificado  Recursos sustentáveis – Solar fotovoltaica e térmica (depende da área e orientação de superfície disponível) – Eólica (depende da área de varrimento disponível: dimensão e nº de unidades. – Geotérmica (não é recurso, é eficiência)  Recurso sustentados – Biomassa conforto (pellets, biometano) – Armazenamento (electricidade e calor) – Cogeração (transferência entre formas de energia) – Veículos eléctricos (energia móvel)  Conservação de energia – Consumos deslastráveis (desperdício) – Consumos transferíveis (gestão) – Consumos sacrificáveis (conservação)  Recursos de vizinhança – Micro-redes – Sistemas centralizados – District heating and cooling
  8. 8. Microgeração com sistemas fotovoltaicos  Primeira Geração – Células de Silício cristalino (mono, poli) – ≈ 90 % do mercado actual – 3,5 €/Wp no fabrico, 6 €/Wp no pequeno produtor  Segunda Geração – Tecnologias de Películas finas sobre substractos rígidos (Si amorfo, CIS, GaAs). – ≈ 10 % do mercado – 1 €/Wp no fabrico  Terceira Geração – Nanotecnologias para formação de películas finas sobre substratos flexiveis (células multijunção, células orgânicas). – Tecnologias ainda em laboratório – 0,5 €/Wp no fabrico
  9. 9. Microgeração com sistemas fotovoltaicos Sistema fotovoltaico Prot. Inversos monofásico com MPP Prot. de interligação
  10. 10. Sistemas montados nos telhados inclinados
  11. 11. Sistemas montados em coberturas planas
  12. 12. Sistemas integrados em telhados
  13. 13. Telhas fotovoltaicas
  14. 14. Outros sistemas integrados Tela Placas para telhado plano, com isolamento
  15. 15. Sombreamento “Shadow-Voltaic”
  16. 16. Recursos solares no edificado
  17. 17. Microgeração com micro eólicas
  18. 18. Microgeração com micro eólicas
  19. 19. Microgeração com micro eólicas  Uma micro eólica produz com metade do factor de capacidade (P/Pmax) de um grande aerogerador e tem um custo elementar custa cinco vezes superior (€/kW) Big wind generator Small wind generator
  20. 20. Microgeração com micro eólicas
  21. 21. Micro-produção com micro-hídrica  Elevado custo (da ordem dos 8.000 €/kW), o dobro do fotovoltaico ou micro-eólico. Produzem menos de 100 Wh/m3.
  22. 22. Conclusões  As novas problemáticas ambientais do sector da energia estão a criar novos paradigmas dos sistemas de energia, orientados para a participação e requisitos dos consumidores.  O recurso energético do edificado está condicionado pelos aspectos construtivos, arquitectónicos e comportamentais dos edifícios.  Estão a surgir novas tecnologias de geração distribuída, algumas delas já com nível de maturidade aceitável.  O edificado tem características de consumo, pelo que as prioridades são mais as acções de Demand Side e menos as acções de Supply Side.

×