Open innovation

748 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
748
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
15
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Múltiplasdisciplinas
  • estudosempíricosmostramquemuitosusuários – entre 10 e 40 por cento – se engajam no desenvolvimentooumodificação de produtos. Apesarquenão se tem, com clareza, a representatividade de modificações nesses produtosquerealmentesejainovadora, ninguémnegaofato de queusuáriosestãofazendomuitasmodificaçõesedesenvolvimento de produtosemmuitosmercados
  • Normalmente ele é formado com uma coordenação central, localizada em uma universidade ou em um ICT. A partir dessa coordenação, os outros membros passam a se aglomerar no entorno de uma situação, condição ou necessidade que usuários reais estejam enfrentando. Usuários, na forma usada aqui, não significa somente indivíduos ou cidadãos, mas também empresas-usuárias, que também precisam de produtos e serviços
  • Open innovation

    1. 1. Open Innovation eos Living Labs
    2. 2. Redes de Inovação• a corporação está olhando para fora dela mesma no intuito de buscar forças e inspiração para o desenvolvimento de produtos e processos que alavanquem seus resultados
    3. 3. Redes de Inovação • O fato de haver cada vez menos espaço para muitos ciclos de tentativa-errono desenvolvimento de inovações; • A necessidade de desenvolvimento de novos produtos em ciclos de tempo cada vez menores.
    4. 4. Redes de Inovação • A busca por processos e equipamentos mais eficientes; • Diminuição de custos de desenvolvimento tecnológico, de operação e de transação;
    5. 5. Redes de Inovação • Diminuição do risco inerente à inovação; • Para promover o desenvolvimento do conhecimento a respeito de mercados e tecnologias, dentre outras. TIDD etal, 2005; NOOTEBOOM, 2004; CASSIMAN & VEUGELERS, 2000 & WITZEMAN etal, 2007
    6. 6. Redes de Inovação• As tecnologias e o próprio ambiente de negócios se tornam cada vez mais complexos, com sistemas multi- integrados, plataformas tecnológicas e dispositivos que evoluem continuamente e em velocidades cada vez maiores.
    7. 7. Open Innovation
    8. 8. Open InnovationCom Modelos de oaumentodacompl desenvolvimento exidade, tanto das de inovações com tecnologiasquanto maiorsofisticação, dos modelos de maisabertosedistrib negócios uídos
    9. 9. Closed Innovation• “Devemoscontratar as melhoresemaisbrilhantesp essoas de forma que as pessoasmaisinteligentes do mercadotrabalhemparanó s”;• “Com oobjetivo de levarnovosprodutoseservi çosparaomercado, devemosdescobrí-los edesenvolvê-los pornósmesmos”;
    10. 10. Closed Innovation• “Se descobrimososprodutose serviçospornósmesmos, podemosentregá-los paraomercadoprimeiro”.• Temosqueprotegernossasi déias com patentes, dessa forma, nossoscompetidoresnãol ucrarão com nossasidéias.
    11. 11. Open Innovation • “Nemtodos as pessoasmaisinteligent es do mercadotrabalhampa ranós. Temosquetrabalhar com pessoasinteligentesde ntroeforadanossaemp resa”; • “P&D externopodecriar valor significativopara a empresa;
    12. 12. Open Innovation • P&D internoénecessáriopa raalavancar parte do valor”; • Podemosgerar valor a partir das nossaspatentes, através de licenciamentoepode moslicenciarpatentes de outrasempresas.
    13. 13. Criar valor ecapturar valorOs modelos de negóciosabertosajudam nacriação de valor, pormeiodaalavancagem de muitomaisidéias, frutodainclusão de possibilidadesprovenie ntes do ambienteexternoàemp resa.
    14. 14. Criar valor ecapturar valorModelos de negóciosabertostambé mpermitem a captura de valor maiorpormeiodaexplora çãode tecnologias, recursosouposicioname nto-chaves, queanteriormenteeram usadossomenteinterna mentepelaempresa, nosnegócios de outrasempresas
    15. 15. O Lidere a InovaçãoAberta Gerenteselíderes, acostumados com modelos de inovaçãomaisfechado s, demoramerelutamem desenvolver a habilidade de lidar com elementosecompone ntestecnológicose de
    16. 16. Parceria com osclientes PrahaladeRamaswamyB2B (Business to “Consumer to Business) e B2C Business to (Business to Consumer – Consumer) C2B2C”• as empresascriametrocam valor com osconsumidores• ambos co-criam valor empontos de interação
    17. 17. Parceria com osclientesPrahaladeRamaswamy
    18. 18. Parceria com osclientesPrahaladeRamaswamy
    19. 19. Parceria com osclientesPrahaladeRamaswamy
    20. 20. Parceria com osclientesPrahaladeRamaswamy
    21. 21. O ConsumidorModerno
    22. 22. O ConsumidorModerno• tem acessoàinformaçãoatravés de várioscanais;• possuemvisão global;• atuamemredesde contatosquetrocamposições, opiniões, críticas, experiênciaseinteressesem tempo real;• experimentame se lançamemnovidades com muitomenosmedoecritério;• sãoativistas, se envolvememocionalmentecom osprodutoseserviços, buscamencorajar amigos eoutrosconsumidores a agire a protestar;• fornecemfeedbackpara as empresasquandonãogostam de um determinadoprodutoouserviço; dentreoutros.
    23. 23. A democratizaçãodainovaçãoHippel (2006) A inovaçãoestádemo craticamenteabert a de forma queosusuárioseem presasestãocadave zmaisaptos a inovarparasimesm oseparaosoutros
    24. 24. A democratizaçãodainovaçãoHippel (2006)
    25. 25. A democratizaçãodainovação
    26. 26. Os Living LabsNiitamo et al (2006)Os Living Labs sãomodelosemergentes de ParceriasPúblicoPrivadasquebuscamodesenvol vimento de inovaçõespara a resolução de problemasreconhecidospor um grupo de usuários• User-driven• Open Innovation• Ecosystems
    27. 27. Os Living LabsNiitamo et al (2006)
    28. 28. Os Living LabsNiitamo et al (2006)
    29. 29. Archipelabo video
    30. 30. Living Labs emergentes no Brasil•Cidadania Digital, UFES, Espírito Santo•Responsabilidade Social, Unicamp, São Paulo•Inclusão, FPF, Amazonas• Well Being, INdT, Amazonas• Workplaces, INdT, Amazonas

    ×