FLÇ<I1I_A, .__ '
-I : E93 a Q-_Êa

     
      

*É IL,  .,  L 
. r ? Âqgtxmà à ;  
O *A "w O 

    
  

 
 
 

- 
 'Elalê...
m_ II f O14?”
 O 1  
ñ,  n.  T,  ._ o C5_ -

SAAM SAAD  I ›'   I 'A 'i4  IÊ 

:  _LÊ-s 1-. ; D" v  W ? EJ-t
T7' A  -I . .....
A _

. .'.  I¡

V

I›'5=IIASZ IIIIIÉ *íIITiIICIAIIIIIICI
HARDWARE E SOFTWARE
ERAM INDISSOCIAVEIS

“III” TAI;  1!* g-IIIII ÍSIÇIIPÍ ¡I!  I
A -IIIIIAIíIIIÍ

I 'VÍíIÍÍQ-ÍT: : g ; ISI...
'JIKIAA| LIVA1Q' A : sir “IIII^I1II_ ¡ IvIIIILIIIIIIII VCIÊIIIIÀMIÀ . CUIIIIIPLJ; *IIL: I?: I:%I: %2 

WIN' III. ” I MIIII...
_-
: r- . _.
O
_ "f A
A J 4:: : _ '

SOFTWARE AS A DEPLOYMENT SAA
IJH/ !L I É

'III/ Í 'V517'

'Ilgu ! T " 'll 'll 1' l ' r¡_; I._ um!  :te: 
1.7 Hifi' =  :z 141.231. 1:7.: 

i l'  ¡"tnr/ ...
*II “IIIIII›. I§:  v : AIÂHLIIIIIÃÍÊIIÊ ÊFIIvIIÍ; 'ÍA__IIII^. II'I A tiI_ I_. II_”_EÍFI; II. _ÇI_F'I: Í  73:33..  INIUÍÍÃÊ...
N¡

SOFTWARE AS A PRODUCT SAAP
MEADOS D05
ANOS 1970
Computadores portáteis

e de uso pessoal começaram
a pro/ iferar na Europa e
nos EUA.  Essas máquinas...
_M1 í

II CARREGAMENTO AO L.  uléíF-ÍÇIITIÉÉ?  1)? ?W'Iíltllgíqlg'IILSWÊIF/ ?iI

I¡ INVES DE INSTALAÇÃO

ITI:  íIIí” “lííI...
A REVOLUÇÃO DOS COMPUTADORES PESSOAIS ACELEROU VENDAS DE SOFTWARES

WII-ES A DÊSTRIBUIÇAO FAJCIII.  CRIOU A PIRATARIA
1rS7IIi L*ÍC_ IIr  I ICLItLIIÉAFàII   I IIIIIESLIII'°IÊEII; '
c:  iIIIiI: :1t_. <  ii: :
! IIIIII . .I r : II-JI E
'*I. .jif, I7l'Tiii-Ti'i: ;*ív tçfitáTurirgít~fét 
Lzzeitzilafizs iit...
h IIII-QWI IANCÍNC' : as:  I§I~íaítãIíIIí7ÃIfÊ. LILHIFIÊTIÃIIIII›¡'»-. ›ÍIT”II5VçáI'§! ?É~ LíIIÍÍI*T›'I5I*I+": ›ÍI? . I~...
SOFTWARE AS A SERVICE SALES
' : P7 ~= --“' ' 

REDUÇÃO DRÃSTICA NO
NUMERO DE FEATURES

A I Ii -: _: VII-II mu( ~
*Ií j. '^ 'f a AI ! Ii II.  .II III: ...
MENOS FEA TURES

Com a proliferação das
metodologias de startups
para a Criação de protótipos

e produtos,  o número de
"f...
!r 'gol j-. rmawilpii. ruircinnauoeuullzta
an¡ , WGI: LHI¡V^V›. VÁ^VHUIâlülâlül: 
l. |tlt'iil, Y4ãt| feh'ilãdIIMNA . NHVHW...
A ERA DO SOFTWARE COMO PRESTADOR DE SERVIÇOS ESTA EM SEU AUGE

O

líàfííã O TJYÂTQR  : ESTES É E3335! VEZ @ITEAÍOR

SAAS
SOFTWARE AS A CHANNEL SJ-AC
USUÁRIO EM BUSCA DE *A NEM PRODUTO

PROOUTO OU SERVIÇO E NEM SERV/ ça

 , S O *Â _ S S Í ,  A percepçao de valor em

relaç...
CLIENTE CORPORATIVO E 0 ,  CATE-DO “NNE-DW
ASSWANTES ¡NDMDUAJS software criado pelo Linkedin
não possui va/ or,  mas é cad...
COMPRA DO ITEM
IMPRESSO PELO CLIENTE

t

IMPRESSÃO DOS
MODELOS

t

CRIAÇÃO DE MODELOS
EM SOFTWARES 3D

IMPRESSÃO 3o

As pe...
E O QUE PODEMOS ESPERAR DE UM FUTURO AINDA MAIS DISTANTE QUE ESSE? 

Í-"IÁJÍUIÊIIÍI . ARRISCA.  UIVÍI BOM PÂXLPITE POI”.  ...
CONTATO

CARLOS@STARTUPEANDO. COM. BR

II NEGÓCIOS DIGITAIS
CIRCUITO DE ENCONTROS EMPRESARIAIS:  OPORTUNIDADES m stanuPe°n...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação Carlos Matos - II Negócios Digitais - "As Startups e a Reinvenção da Indústria do Software"

2.474 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre a evolução dos modelos de negócio na indústria de software até a chegada do SAAS e o que mais está por vir, bem como a importância das startups na renovação e reinvenção dos modelos de geração de receita e negócio no setor.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
11 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.474
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
887
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
44
Comentários
0
Gostaram
11
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação Carlos Matos - II Negócios Digitais - "As Startups e a Reinvenção da Indústria do Software"

  1. 1. FLÇ<I1I_A, .__ ' -I : E93 a Q-_Êa *É IL, ., L . r ? Âqgtxmà à ; O *A "w O - 'Elalêlaíüllílblàiàggj V l I m_ . _ ~IPJ . LII. ›;É¡. ¡.¡, J " ""'“~"1I$~I-Isxme
  2. 2. m_ II f O14?” O 1 ñ, n. T, ._ o C5_ - SAAM SAAD I ›' I 'A 'i4 IÊ : _LÊ-s 1-. ; D" v W ? EJ-t T7' A -I . ..k l _ . ..Ilí- r: - - L»- É¡ 1.x «A I I 2;_ P_ . '“ _ví l _ | * _a É. .., ;é- ' _, _ ___I _ _ É J -, x °¡j': :-r-__ › "Aí . .. s' __ - . IF _ -4- -. .gb ta, ,a . - 5._ M¡ - ; ggrzgIíIlêgãElzâ-fãiâ a** I T7 _S3 A . V A? a¡ 1m, . SIÊLHÉLÍÊJ” ' O. ; . F _ Íf_z A _i 4:. I J I ; Ê AQC P: I f_ . . . › _ I _ _ 'Ai ' I
  3. 3. A _ . .'. I¡ V I›'5=IIASZ IIIIIÉ *íIITiIICIAIIIIIICI
  4. 4. HARDWARE E SOFTWARE ERAM INDISSOCIAVEIS “III” TAI; 1!* g-IIIII ÍSIÇIIPÍ ¡I! I A -IIIIIAIíIIIÍ I 'VÍíIÍÍQ-ÍT: : g ; ISI ÃRÇJEIFlIIF¡ I (IMI I , w «"I'E. IE“ 5155x551. IHAI: ICT¡ mu. › 'AÍ'_¡_', Í"_'7j í Í '_“A'; °'”_Í'; ';"' Í'“'ÍÍI : Ífí MAQUINAS COMPARÂVEIS . ' . LÍ . L. : J ul Í "JJ , : c, . Í jtízvp' A <¡! fr: ('! “¡. ,1': - 6.217s” ur/ .jIt-'c '71"= QÍIJ°II. TIÍÍ, ,EÇ" 7 I M, ?i1 III |
  5. 5. 'JIKIAA| LIVA1Q' A : sir “IIII^I1II_ ¡ IvIIIILIIIIIIII VCIÊIIIIÀMIÀ . CUIIIIIPLJ; *IIL: I?: I:%I: %2 WIN' III. ” I MIIII; .I; .2I-g; .TIII« _IIIL-Jrxfisí CÍITP"II~'_I, ÍAAEL~¡É'ÍIEI n u 'ínILI~§IICIIII
  6. 6. _- : r- . _. O _ "f A A J 4:: : _ ' SOFTWARE AS A DEPLOYMENT SAA
  7. 7. IJH/ !L I É 'III/ Í 'V517' 'Ilgu ! T " 'll 'll 1' l ' r¡_; I._ um! :te: 1.7 Hifi' = :z 141.231. 1:7.: i l' ¡"tnr/ .Ir: ~., “lyff : rt: :: trt 'H ÍTTILÉIIÍ' -I I. : . í/_JIÍJJ '. ' "ISV-JEI. ; sl. - i1# “ “IJ fat-f. . rali. I. 1;. 1 If IIvl ii' 17' 'IÍÍÍL , :'ê; ¡:I. ' mir! si! ! . I ; Jul : f “ 1*í§f. ,'l; f'lLÍlc-'Í' L1% '; )”nm]K 5 1;. l. l "L III-I' Tr! “I(: II_, '.. 'I. T RlÚJl'W1Í . l. l_ I. , Il 'L 'l i! !! ÍII-I 1T: MÁQUINAS NOVAS RODANDO I SOFTWARES ANTIGOS , AIJ-l . w“, "'_ií*aw -VIÃIÂÍÍPA ÍEÊÍIIÃEÀIIF- 'a I: .I ICI; ? A I! 'Í' "IIIT ;1412 'e f'- Q I jlélr
  8. 8. *II “IIIIII›. I§: v : AIÂHLIIIIIÃÍÊIIÊ ÊFIIvIIÍ; 'ÍA__IIII^. II'I A tiI_ I_. II_”_EÍFI; II. _ÇI_F'I: Í 73:33.. INIUÍÍÃÊIÍÉÊÀII; ÉÊIIÊTÉÍÊÉ, 9 IIIIW; IIIIIIII. fíIvIIfãII'T'AIIg_. ¡II *A-ÃIIIISIÉI! ” ; AM í1I“w'1IfSI›. !II (E IA¡ A-IIÊ
  9. 9. N¡ SOFTWARE AS A PRODUCT SAAP
  10. 10. MEADOS D05 ANOS 1970 Computadores portáteis e de uso pessoal começaram a pro/ iferar na Europa e nos EUA. Essas máquinas geraI/ am uma enorme demanda por softwares, que inicia/ mente eram desenvolvidos pelos próprios fabricantes, para conhecer startups na área de software no final da década e nos anos 80. I: ;gIIvI IL: :IÍ'IIE: I"; I'I IEZIIII . = -IÁI ITAIM FIÉ à í-. aí aíí_ MíDIAS DE DISTRIBUIÇÃO EM CRESCIMENTO I ÍIIIIIFII ' FIC¡ ' IF ÍVIIIIIIÍ * FEI? 'INI ? IÊIÂIIIIJÉCíMICÍIAIL SAAP
  11. 11. _M1 í II CARREGAMENTO AO L. uléíF-ÍÇIITIÉÉ? 1)? ?W'Iíltllgíqlg'IILSWÊIF/ ?iI I¡ INVES DE INSTALAÇÃO ITI: íIIí” “lííIvlIâft LIITIIÍ7 . IIrxrr-z I HII-IIF' : vn 'rIÍ^IIvl! .^. ¡ SURGIMENTO DO | IIIVÍTEIÀ-Ií- ÍIIII 1T? " IJIIQ” SISTEMA DOS A III DISTRIBUIÇAO EM FITAS, *ÍIÍLI *AIC IE' JAF# DISQUETES E CARTUCHOS IvIIEII II~-; . .11 J~IÍ~5ÍÉ_ÍIÇIAIIÃ' SÀIAP
  12. 12. A REVOLUÇÃO DOS COMPUTADORES PESSOAIS ACELEROU VENDAS DE SOFTWARES WII-ES A DÊSTRIBUIÇAO FAJCIII. CRIOU A PIRATARIA
  13. 13. 1rS7IIi L*ÍC_ IIr I ICLItLIIÉAFàII I IIIIIESLIII'°IÊEII; '
  14. 14. c: iIIIiI: :1t_. < ii: : ! IIIIII . .I r : II-JI E '*I. .jif, I7l'Tiii-Ti'i: ;*ív tçfitáTurirgít~fét Lzzeitzilafizs iitslíl. : ããdlrêfãffa? :t: gm: :IJ: IÊITÍAÍIIÂZÉÍ_IIÍVÊ grife-Activa . ›I. .:. er;1»7iie:7 ' E iriai; f="'ssrc*ia 7:11 : it/ r: 26:41h: : . ÊOJS LÍIÍIT)SIÍLÇI'7 T1517, 7 A . fit/ lã í”i~s'ii~í'if_itjil. ii , risirb Í»ÍÉTQÍQAL_Ifçíláãu' : I: . Vi 'V-? LÍIÂIÍÍÍIB É ' Il›. ':. '='i; ;f: '.›': I ai! ? srtçí-ar, -ç , reiílqirfizl. a* l'! :;¡. =1L'i_; f7.'ri: I; -*I"'JI? I *7II: ;Í4L7Í$; '(Í wii? ! ? ITI-Crer : ter -wiç7igiatileritt: . : ai: *alí iàãtyir, mig! ! . fls MUITOS SOFTWAR5 DEMANDAM INSTAIAÇAO ": ;¡I'Í "ÍÉÉIIIIÀI TI": $131.: ¡Is ' I r ; ,I<"í>-ÇI; II__I^". * 'Í lLíl-ÍIAICII
  15. 15. h IIII-QWI IANCÍNC' : as: I§I~íaítãIíIIí7ÃIfÊ. LILHIFIÊTIÃIIIII›¡'»-. ›ÍIT”II5VçáI'§! ?É~ LíIIÍÍI*T›'I5I*I+": ›ÍI? . I~IÇIII; ;I: IIIIRETICÉIE IIIIÀÉ" JÊIIIISITII' I' IIIIIÇIIAI! ? II IíIçI~IIÍIiͧI_I! I “i7” III! ” EIÍIEIÉIÍÍILIIIJA 'Í If. II.
  16. 16. SOFTWARE AS A SERVICE SALES
  17. 17. ' : P7 ~= --“' ' REDUÇÃO DRÃSTICA NO NUMERO DE FEATURES A I Ii -: _: VII-II mu( ~ *Ií j. '^ 'f a AI ! Ii II. .II III: II PREDOMINÃNCIA DE SOFTWARES OPEN SOURCE Ii? Iãiêuhi )I_. IlI»iIfi5III ' IvlI' I [II I ^'. '.'. ^Ií-' IEIIIII# «S511 I: TÍÍIÇÍIIIIILÂI; ,T 'E IÉ-'LIL-ÍITIIIQ LIIIIIIIEZITI I : IIIII FRAMEWORKS E ENGINES 5-_31 I I .7 7._ ; g 7~7 : EIIpIIsIIgir ? IE-g “iÉF-ILIII-íaí IIIII ? Iza ç : A IEIfII II USO INTENSO DE APIS E INTEGRAÇOES I
  18. 18. MENOS FEA TURES Com a proliferação das metodologias de startups para a Criação de protótipos e produtos, o número de "features" ou funcionalidades em softwares Caiu drasticamente. Pode parecer contraditório, mas a verdade é que em softwares tradicionais há Centenas de features que nunca são utilizados. Ao lado, você pode ver alguns features presentes no Microsoft Word. KáEIIIIIIIIÇiS; QHAIÇAIIIIIEBIÍÍAIgñilrlã* _THBIÀIIJIJÉIÉT mma: :-SIA. Aluialvitültirsu›Iá: IE: I;: AI;1:I9II: « I «'¡'°HÍ5IC'I§I'I¡ÀIÍÍÍÍIIUQIIÍÍFQIWÍÊIEÍIÊIÊ IIIiIIvIlarielrfeísm: :!IIII: I!I; ¡pI; "Ig2cIs- INPI¡'ISHIIIÍFIPIIAIIPÃÍP IIIIJEJQÍÇINDIEÊMIII ÉíUIIVIIE-IIIIIQIÊ APESAR DE SER, TALVEZ, A APLICAÇÃO MAIS POPULAR E DIFUNDIDA NO MUNDO. POUCOS SABEMOS DA EXTTÊNCIA DESSES FEATURES E, CERTAMENTE JAMAIS USAREMOS ALGUNS DELES EM NOSSAS TAREFAS SÍ-LAS
  19. 19. !r 'gol j-. rmawilpii. ruircinnauoeuullzta an¡ , WGI: LHI¡V^V›. VÁ^VHUIâlülâlül: l. |tlt'iil, Y4ãt| feh'ilãdIIMNA . NHVHWAI Il; :6:fê1:. .'i! I2l! .^| ,ZÀÉUIHEJiKÉHG : :um iéi-'SFIFTHIUI : :mama Éh nvilzilãxvltx-x teimçielzlwltvie: MUKTOS DOS SOFTVJARES TRADICIONAIS E GRANDES EMPRESAS DO SEGMENTO AINDA OPERAM COM PROGRAMAS INSTALADOS EM HD, PORÉM JA OFERECEM UMA GAMA DE SERVIÇOS SUPLEMENTARES NA NUVEM OU PARA ACESSO REMOTO. LÓGICA oo SER VIÇO A popu/ arização dos sistemas de assinatura e "pay-per-use" criaram uma nova era para os softwares, com a adesão das maiores empresas do segmento e expansão da base de clientes 'lego/ tados', Softwares Caríssimos da era das licenças tendem a desaparecer gradativamente. SILAS
  20. 20. A ERA DO SOFTWARE COMO PRESTADOR DE SERVIÇOS ESTA EM SEU AUGE O líàfííã O TJYÂTQR : ESTES É E3335! VEZ @ITEAÍOR SAAS
  21. 21. SOFTWARE AS A CHANNEL SJ-AC
  22. 22. USUÁRIO EM BUSCA DE *A NEM PRODUTO PROOUTO OU SERVIÇO E NEM SERV/ ça , S O *Â _ S S Í , A percepçao de valor em relação ao software é cada vez menor - a cada dia, « e/ e deixa de ser o produto CANAL DE ENTREGA OU ou serviço buscado pelo usuãrio. SOFTWARE 0 software passa a ser apenas um canal que possibi/ ita a entrega de um valor ao _ ç ç usuãrio. 0 diente? Agora é PROPOSTA DE VALOR OU qua/ que' “m q” tem” “m pRODUTO/ SERWÇO produto ou SEF viço a oferecer Jiang-c
  23. 23. CLIENTE CORPORATIVO E 0 , CATE-DO “NNE-DW ASSWANTES ¡NDMDUAJS software criado pelo Linkedin não possui va/ or, mas é cada vez mais um canal para a Í comercialização de serviços canso/ tivos na área de RH, REDE SOCIAL E recrutamento e seleção. ALGORITMOS SERVIÇOS CONSULTIVOS DE RECURSOS HUMANOS SAAC
  24. 24. COMPRA DO ITEM IMPRESSO PELO CLIENTE t IMPRESSÃO DOS MODELOS t CRIAÇÃO DE MODELOS EM SOFTWARES 3D IMPRESSÃO 3o As pessoas adquirem objetos impressoas em 3D, confeccionados a partir de mode/ os criados por designers em softwares especificos. Hardware e software, o partir dos mode/ os, trabalham para entregar ao cliente o item que ele adquiriu. Novamente, o software atua como apenas um cana/ para a entrega de va/ or ao cliente final. SAAC
  25. 25. E O QUE PODEMOS ESPERAR DE UM FUTURO AINDA MAIS DISTANTE QUE ESSE? Í-"IÁJÍUIÊIIÍI . ARRISCA. UIVÍI BOM PÂXLPITE POI”. AQUI? SAJ-LC
  26. 26. CONTATO CARLOS@STARTUPEANDO. COM. BR II NEGÓCIOS DIGITAIS CIRCUITO DE ENCONTROS EMPRESARIAIS: OPORTUNIDADES m stanuPe°nd° EM E . ' . ¡níoimaçâo e (animado com (ara de sunup

×