O uso do gênero literário Crônica no cotidiano escolar<br />• é publicada geralmente em jornais ou revistas; • relata de f...
A crônica:<br />• pode apresentar elementos básicos da narrativa - fatos, tempo, personagens e lugar – com tempo e espaço ...
Os cronistas expõem seus ponto de vista, seus comentários e deduções, suas ironias e interpretações a respeito de fatos (n...
Partilha fatos do cotidiano com seu leitor, dando singularidade a eles.<br />Cobrança – Moacyr Scliar<br />Ela abriu a jan...
    ― Não paguei porque não tenho dinheiro. Esta crise...<br />        ― Já sei ― ironizou ele. ― Você vai me dizer que po...
Traz aspectos de oralidade para a escrita: expressões de conversa familiar e íntima, repetições e o pronome “você”.<br />―...
Emprega verbos flexionados na primeira e terceira pessoas.<br /> Neste momento começou a chuviscar.<br />        ― Você va...
Ela agora estava irritada:<br />       ― Acabe com isso, Aristides, e venha para dentro. Afinal, você é meu marido, você m...
Vale-se do discurso direto no diálogo, verbos de dizer.<br />― Sou seu marido ― retrucou ele ― e você é minha mulher, mas ...
Usa marcas de tempo e lugar que revelam fatos do cotidiano.<br />  Chovia mais forte, agora. Borrada, a inscrição tornara-...
Copie e responda as questões.<br />1- O autor é observador ou personagem( foco narrativo)?<br />2- Como o narrador introdu...
Discurso direto:<br />O narrador reproduz textualmente as palavras, falas, as características da personagem. Ao construir ...
Discurso indireto<br />O narrador “conta” o que a personagem disse. Conhecemos suas palavras indiretamente. Há uma intensa...
Discurso indireto livre ou misto<br />O narrador incorpora na sua linguagem a fala das personagens e assim nos transmite a...
Leia novamente a crônica e encontre e copie o que se pede:<br />1- uma passagem com discurso direto:<br />2- uma passagem ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Gênero Cronica

39.087 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
12 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
39.087
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
90
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.073
Comentários
1
Gostaram
12
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gênero Cronica

  1. 1. O uso do gênero literário Crônica no cotidiano escolar<br />• é publicada geralmente em jornais ou revistas; • relata de forma artística e pessoal fatos colhidos no noticiário jornalístico e no cotidiano; • consiste em um texto curto e leve, que tem por objetivo divertir e/ou fazer refletir criticamente sobre a vida e os comportamentos humanos; <br />
  2. 2. A crônica:<br />• pode apresentar elementos básicos da narrativa - fatos, tempo, personagens e lugar – com tempo e espaço não limitados; • o narrador pode ser observador ou se constituir em personagem; • emprega a variedade informal da língua;• pode apresentar discurso direto, indireto e indireto livre. <br />
  3. 3. Os cronistas expõem seus ponto de vista, seus comentários e deduções, suas ironias e interpretações a respeito de fatos (notícias ou dia-a-dia pessoal). <br />Ele não tem, no entanto, por finalidade apenas a informação, mas sua universalização para que as pessoas aprendam alguma coisa com o que é, aparentemente, corriqueiro. O que faz desse gênero ser um dos melhores para se trabalhado em sala de aula. <br />
  4. 4. Partilha fatos do cotidiano com seu leitor, dando singularidade a eles.<br />Cobrança – Moacyr Scliar<br />Ela abriu a janela e ali estava ele, diante da casa, caminhando de um lado para outro. Carregava um cartaz, cujos dizeres atraíam a atenção dos passantes: "Aqui mora uma devedora inadimplente".<br />        ― Você não pode fazer isso comigo ― protestou ela.<br />      ― Claro que posso ― replicou ele. ― Você comprou, não pagou. Você é uma devedora inadimplente. E eu sou cobrador. Por diversas vezes tentei lhe cobrar, você não pagou.<br />
  5. 5.     ― Não paguei porque não tenho dinheiro. Esta crise...<br />        ― Já sei ― ironizou ele. ― Você vai me dizer que por causa daquele ataque lá em Nova York seus negócios ficaram prejudicados. Problema seu, ouviu? Problema seu. Meu problema é lhe cobrar. E é o que estou fazendo.<br />
  6. 6. Traz aspectos de oralidade para a escrita: expressões de conversa familiar e íntima, repetições e o pronome “você”.<br />― Mas você podia fazer isso de uma forma mais discreta...<br />       ― Negativo. Já usei todas as formas discretas que podia. Falei com você, expliquei, avisei. Nada. Você fazia de conta que nada tinha a ver com o assunto. Minha paciência foi se esgotando, até que não me restou outro recurso: vou ficar aqui, carregando este cartaz, até você saldar sua dívida.<br />
  7. 7. Emprega verbos flexionados na primeira e terceira pessoas.<br /> Neste momento começou a chuviscar.<br />        ― Você vai se molhar ― advertiu ela. ― Vai acabar ficando doente.<br />        Ele riu, amargo:<br />        ― E daí? Se você está preocupada com minha saúde, pague o que deve.<br />        ― Posso lhe dar um guarda-chuva...<br />        ― Não quero. Tenho de carregar o cartaz, não um guarda-chuva.<br />
  8. 8. Ela agora estava irritada:<br />       ― Acabe com isso, Aristides, e venha para dentro. Afinal, você é meu marido, você mora aqui.<br />
  9. 9. Vale-se do discurso direto no diálogo, verbos de dizer.<br />― Sou seu marido ― retrucou ele ― e você é minha mulher, mas eu sou cobrador profissional e você é devedora. Eu avisei: não compre essa geladeira, eu não ganho o suficiente para pagar as prestações. Mas não, você não me ouviu. E agora o pessoal lá da empresa de cobrança quer o dinheiro. O que quer você que eu faça? Que perca meu emprego? De jeito nenhum. Vou ficar aqui até você cumprir sua obrigação.<br />
  10. 10. Usa marcas de tempo e lugar que revelam fatos do cotidiano.<br />  Chovia mais forte, agora. Borrada, a inscrição tornara-se ilegível. A ele, isso pouco importava: continuava andando de um lado para outro, diante da casa, carregando o seu cartaz.<br />                                      O imaginário cotidiano. São Paulo: Global, 2001.   <br />
  11. 11. Copie e responda as questões.<br />1- O autor é observador ou personagem( foco narrativo)?<br />2- Como o narrador introduz as personagens?<br />3- Existe um elemento surpresa? Qual?<br />4- Que aspectos do cotidiano são narrados? De que forma?<br />5- Como é o diálogo das personagens?<br />6-É possível localizar o conflito? E o desfecho?<br />
  12. 12. Discurso direto:<br />O narrador reproduz textualmente as palavras, falas, as características da personagem. Ao construir discurso direto, o autor atualiza o acontecimento, tornando viva e natural a personagem, a cena. Usa-se o travessão e certos verbos especiais “de dizer” (falar, dizer, responder, retrucar, indagar, declarar, exclamar).<br />
  13. 13. Discurso indireto<br />O narrador “conta” o que a personagem disse. Conhecemos suas palavras indiretamente. Há uma intensa identidade, quase se misturam narrador e personagem. <br />
  14. 14. Discurso indireto livre ou misto<br />O narrador incorpora na sua linguagem a fala das personagens e assim nos transmite a essência do pensamento ou sentimento. No discurso indireto livre existe a inserção sutil da fala da personagem sem as marcas do discurso direto, porém com toda sua força e vivacidade.<br />
  15. 15. Leia novamente a crônica e encontre e copie o que se pede:<br />1- uma passagem com discurso direto:<br />2- uma passagem com discurso indireto:<br />3- uma passagem com discurso indireto livre.<br />Ouça mais algumas crônicas para a seguir escrever a sua.<br />

×