Metabolismo de Lagos

836 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre Metabolismo de Lagos no I Curso de Verão em Limnologia

Publicada em: Meio ambiente
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
836
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
208
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Metabolismo de Lagos

  1. 1. Metabolismo de lagos Denise Tonetta Bióloga Doutoranda do PPG Ecologia - UFSC Curso de Verão em Limnologia Um mergulho na ecologia de águas continentais Florianópolis, SC Fevereiro de 2015
  2. 2.  Apresentar os conceitos de produtividade primária e respiração,  Entender o que é o metabolismo líquido dos ecossistemas aquáticos,  Mostrar a origem e destino do carbono nos ambientes aquáticos,  Falar sobre alguns resultados obtidos até o momento. Objetivos:
  3. 3. O que são Ecossistemas??? ...abrange todos os organismos que funcionam em conjunto, em uma determinada área, interagindo com o ambiente físico, de tal modo que haja fluxo de matéria e energia através dos diferentes componentes bióticos e abióticos dos sistemas.
  4. 4. O que são Ecossistemas??? ...abrange todos os organismos que funcionam em conjunto, em uma determinada área, interagindo com o ambiente físico, de tal modo que haja fluxo de matéria e energia através dos diferentes componentes bióticos e abióticos dos sistemas.
  5. 5. A nível de indivíduos... Modelo Geral
  6. 6. Energia Respiração a a Respiração RespiraçãoRespiração Fotossíntese Decomposição Nutrientes Fluxo de Matéria e Energia Capturam a energia solar incorporando o CO2 no ecossistema Transferem matéria e energia Decompõem a MO, liberando CO2 para a atmosfera e nutrientes para o solo. Produção primária Produção secundáriaProdução secundária Produção secundária
  7. 7. A nível de ecossistemas... ...abrange todos os organismos que funcionam em conjunto, em uma determinada área, interagindo com o ambiente físico, de tal modo que haja fluxo de matéria e energia através dos diferentes componentes bióticos e abióticos dos sistemas.
  8. 8. Ciclos Biogeoquímicos
  9. 9. Energia Respiração a a Respiração RespiraçãoRespiração Fotossíntese Decomposição Nutrientes Fluxo de Matéria e Energia Capturam a energia solar incorporando o CO2 no ecossistema Transferem matéria e energia Decompõem a MO, liberando CO2 para a atmosfera e nutrientes para o solo. Produção primária Produção secundáriaProdução secundária Produção secundária Vamos pensar no metabolismo aquático
  10. 10.  304 milhões de lagos (estimativa)  Cobrem3% da superfície continental (Downing et al. 2006)
  11. 11. O Ciclo do Carbono Altamente energético Produção primária Respiração Decomposição Ambientes: terrestre, aquático e atmosfera
  12. 12. Produção Primária Estoque de energia através da formação de matéria orgânica a partir da matéria inorgânica organismos autotróficos Luz, nutrientes, temperatura Restrita a horas do dia
  13. 13. Produção Primária Bruta • Energia potencial para biomassa • Parte é gasta na respiração Produção Primária Líquida PPB-R • Energia armazenada em biomassa
  14. 14. Remineralização Plantas**, fitoplâncton**, bactérias, macrófitas, zooplâncton, peixes Respiração Dia ≠ noite
  15. 15. Decomposição • Degradação da matéria orgânica Ephemeroptera OdonataDiptera Trichoptera Plecoptera Hemiptera Coleoptera Megaloptera Lepidoptera
  16. 16. Variação diária Variação temporal
  17. 17. Variação horizontal Variação vertical
  18. 18. Produtividade líquida do ecossistema • Ambiente heterotrófico • Ambiente autotrófico GPP>R GPP=R GPP<R (Staehr et al., 2010)
  19. 19. OutputsInputs OutputsInputs OutputsInputs Evolução dos modelos Respiration Sedimentation Burial Sedimentation Burial
  20. 20. OutputsInputs OutputsInputs OutputsInputs Evolução dos modelos Respiration Sedimentation Burial Sedimentation Burial
  21. 21. OutputsInputs OutputsInputs OutputsInputs Evolução dos modelos Respiration Sedimentation Burial Sedimentation Burial
  22. 22. (Cole et al., 2007; Tranvik et al., 2009)
  23. 23. (Cole et al., 2007; Tranvik et al., 2009)
  24. 24. CO2 Litoral CO2 Pelágico CO2 PelágicoLitoral CO2 Fontes ou depósitos de Carbono???
  25. 25. (Cole et al., 2007; Tranvik et al., 2009)
  26. 26. Controle ascendente: • Luz • Temperatura • Nutrientes Controle descendente: • Competição • Predação - Herbivoria Bactérias Controles
  27. 27. Interações tróficas Cascata trófica Interferência na produtividade do ecossistema Nutrientes
  28. 28. Entrada direta de CO2 Influências externas
  29. 29. (Kosten, 2010)
  30. 30. Temperatura Aumento da temperatura Lagos quentes emitem mais CO2 (Kosten et al., 2010) Os organismos heterotróficos respondem mais rápido ao aumento da temperatura do que os organismos autotróficos
  31. 31. Temperatura Aumento da temperatura Lagos quentes emitem mais CO2 (Kosten et al., 2010) Os organismos heterotróficos respondem mais rápido ao aumento da temperatura do que os organismos autotróficos Respiração na água e no sedimento
  32. 32. • CO2 e CH4 Reservatório da Pampulha (MG) Eutrofização
  33. 33. Se os lagos emitem CO2 naturalmente, então qual é o problema?
  34. 34. Se os lagos emitem CO2 naturalmente, então qual é o problema?
  35. 35. através da incubações em garrafas Como estimar o metabolismo aquático?
  36. 36. Pressão parcial do CO2 direto ou indireto
  37. 37. Alta frequência e tempo real
  38. 38. PP= OD final – OD inicial R= OD inicial – OD final
  39. 39. OxigênioDissolvido(mg/L) 6,5 7,0 7,5 8,0 8,5 9,0 Litoral Pelágico ____________ ____________________ __________ 18-02-2014 19-02-2014 20-02-2014 Temperaturadaágua(ºCelsius) 25,5 26,0 26,5 27,0 27,5 28,0 28,5 29,0 29,5 Litoral Pelágico ____________ ____________________ __________ 18-02-2014 19-02-2014 20-02-2014
  40. 40. Obrigada! Contato denisetonetta@yahoo.com.br

×