Migração animal

394 visualizações

Publicada em

Migração animal

Publicada em: Ciências
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
394
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Migração animal

  1. 1. DISCIPLINA DE SEMINÁRIOS AVANÇADOS Docente: Prof. Dr. Evaldo Martins Pires 2012
  2. 2. MIGRAÇÃO ANIMAL Orientadora: Profª. Drª. Lucélia Nobre Carvalho Discente: Liliane Stedile de Matos 2012
  3. 3. Migração: - Deslocamento populacional periódico de animais para longe de uma região e seu retorno posterior a esta mesma região. (Orr, 2000) - Sentido amplo, migrações são movimentos direcionais em massa de um grande número de indivíduos de uma determinada espécie de uma localidade para a outra. (Begon et al, 1990) - Sentido estrito, a migração se caracteriza pelo deslocamento realizado anualmente e que se repete, de forma estacional, por uma determinada população animal que se desloca da sua área de reprodução para áreas de alimentação e descanso, em uma determinada época do ano, retornando a sua área de reprodução original. (Alerstam e Hedenström, 1998)
  4. 4. Irrupções, Invasões e dispersão (Orr, 2000): Deslocamento populacional repentino, não rítmico, e não incluem retorno, como exemplo o Rhynchopsitta pachyrhyncha (papagaio do bico-grosso). 01 Deslocamento populacional lento, provocam mudanças na distribuição das espécies, estão relacionadas a mudanças ambientais, como exemplo a Bulbucus ibis (garça-do-gado). 02 Deslocamento populacional gradual, para territórios recentemente desenvolvido ou não ocupados, como exemplo o Thomomys bottae (roedores). 03
  5. 5. Alimento Nucifraga columbiana 04 Reprodução Brycon amazonicus 05 Clima 06 07 Porquê migrar?
  6. 6. Hipotálamo Gametas ↑GonadotropinaHipófise Neurohormônios Dopamina Gonadotropina Hormônios Sexuais Gônadas Maturação final Desova ↑ Estímulos ambientais Brycon amazonicus 05 06 07 Migração reprodutiva dos peixes (piracema) 08 Estímulos Ambientais: -Temperatura, -Fotoperíodo, -Disponibilidade de alimento, -Cheias, -Migração.
  7. 7. Figura 01: Relação entre ciclo hidrológico, a dinâmica sazonal das áreas alagáveis e seus efeitos sobre as comunidades ictiofaunísticas e a pesca. Fonte: Biologia e diversidade dos recursos pesqueiros da amazônia (Barthem & Fabré, 2003)
  8. 8. Migração de vertebrados de sangue frio: Peixes -Anádromos (Oncorhynchus keta), -Catádromos (Anguilla anguilla), - Potádromos (Piaractus mesopotamicus), - Oceanódromos (Sardinella brasiliensis). Anfíbios Répteis terrestres - Reprodução, - Refúgio. - Alimentação, - Reprodução. -Alimentação, -Reprodução, -Refúgio, -Vertical ↔ Horizontal. Salamandra salamandra 09 Eretmochelys imbricata 10
  9. 9. Aves Migratórias: - Alimentação, - Clima, - Reprodução. Mamíferos Migratórios: - Alimentação, - Clima, - Reprodução. Insetos Migratórios: - Alimentação, - Clima, - Reprodução, - Refúgio, larvas Chaoborus brasiliensis, (Neto & Coelho, 2002). Mas se os animais não possuem calendário... Quais são as pistas migratórias? Puffinus griseus 11 Equus burchelli, Connochaetes taurinus e Gazella thomsoni 12 Danaus plexippus 13
  10. 10. Mudanças Fisiológicas: -Acúmulo de gordura no corpo de vertebrados.(Firme et al, 2008) -Muda de pena nas aves, em Charadriiformes há plumagem de reprodução, eclipse e intermediária. (Azevedo Junior et al, 2001) - Produção de asas em insetos. (Cividanes & Santos-Cividanes, 2010) Tangará preciosa 14 Vanellus cayanus 15 16 Myzus persicae
  11. 11. Orientação: Capacidade para retornarem a lugares específicos. Peixes: Olfato -Wisby e Hasler (1954), Oncorhynchus kisutch, durante migração reprodutiva, capturados em bifurcação de um rio em Washington, efetuado obstrução da cavidade olfatória. Métodos de estudo: marcação com tags e radiotransmissores. Salmão prateado 17 18
  12. 12. Anfíbios: - Sonorização → Anuros - Olfato Twitty et al (1966), Taricha rivularis (Salamandridae), migração reprodutiva, capturados em ribeirão da Califórnia, vendados os olhos. Tritão de barriga-vermelha 19
  13. 13. Répteis: direção pela corrente -Gomes et al (2006), Chelonia mydas, migração postura, Ilha de Ascenção, efetuada marcação, mesmo trajetória da Corrente Equatorial Sul. - Marcação para estudos. Tartaruga verde marinha 20 21
  14. 14. Aves: - Treinamento e memória (pombos-correio) - Orientação solar, celeste e campos magnéticos da terra → Alerstan (1990), hierarquia para orientação Posição do Sol → hora do dia → direção → relógio biológico -Dias claros, -Dias nublados, -Noite, - Todas situações. Aves: - Orientação campo magnético, Knorr (1954), irradiação de radar durante a 2ª guerra mundial em patos-marinhos - Presti & Pettigrew (1980), magnetita na musculatura pescoço de pombos e pardais - Marcação para estudos 22 23
  15. 15. Mamíferos: Indícios olfativos, visuais, auditivos, temperatura e correntes oceânicas. Eubalaena australis (Palazzo Junior & Flores, 1999). 25 24 Baleia Franca
  16. 16. Proteção das rotas Migratórias -Corredores de migração: espaço configurado na forma de faixas protegidas por cobertura vegetal nativa, situado próximo a cursos d'água, e que se conecta a outros elementos da paisagem, servindo de caminhos seguros por onde transita a fauna. (Malheiros, 1998) -Corredor ecológico: uma faixa de terreno linear, inserido entre duas unidades de conservação ou áreas protegidas, cuja função é a conectividade entre ambas, afim de favorecer o fluxo gênico e reprodutivo entre populações de organismos biológicos isolados. (Forman & Godron, 1981)
  17. 17. Discussão A ocupação humana pode impor riscos ao fenômeno das migrações? Quais são estes riscos?
  18. 18. Alerstam, T. Bird Migration. Cambridge, UK: Cambridge University Press. 1990. Alerstam, T. e Hedenström, A. The developmente of bird migration theory. J. Avian Biol. 29: 343-369, 1998 Azevedo Júnior S.M.de; Dias Filho M. M.; Larrazábal M. E. de. Plumagens e mudas de Charadriiformes (Aves) no litoral de Pernambuco, Brasil. Revista bras. Zool. 18 (3): 657 - 672, 200. Begon, M.; Harper, J. L.; Townsend, C. R. Ecology: Individuals, Populations and Communities. 2ºEd. Blackwell Scientific Publications, 1990. Cividanes F.J.; Santos-Cividanes T.M. dos. Ocorrência de formas aladas de pulgões e sua relação com fatores meteorológicos e plantas hospedeiras. Pesq. agropec. bras., Brasília, v.45, n.1, p.7-15, jan. 2010 Firme D. H.; Assis C. P. de; Straker L. C.; Silveira G.de A. Primeiro registro de Tangara preciosa (Cabanis, 1851) para o estado de Minas Gerais, Brasil (Passeriformes: Emberizidae). Revista Brasileira de Ornitologia, 16(3):274-276, 2008. Forman, R.T.T.; Godron, M. Patches and structural components for landscape ecology. Bioscience 31, 733- 740, 1981. Gomes, M. G. T.; Santos, M. R. D.; Henry, M. Tartarugas marinhas de ocorrência no Brasil: hábitos e aspectos da biologia da reprodução. Rev Bras Reprod Anim, Belo Horizonte, v.30, n.1/2, p.19-27, jan./jun. 2006. Bibliografia
  19. 19. Gullan, P.J.; Craston, P.S. Os insetos: um resumo de entomologia. 3.ed. São Paulo: Roca, 2007. 440p Knorr, O. A. The effect or radar on birds. Wilson Bull. 66-264, 1954. Malheiros, R. Corredores de migração: conceito e necessidades. Boletim Goiano de Geografia. 18(1):63-72, Jan/dez. 1998. ORR, Robert T. Biologia dos Vertebrados. 5ª. Edição. Editora Roca. São Paulo – 2000. Palazzo Junior, J. T.; Flores, P. A. de C. Plano de ação para a conservação da Baleia Franca, Eubalaena australis, no estado de Santa Catarina. Projeto Baleia Franca – IWC/BRASIL 1999. Pough, F. H. Janis, C. M. &. Heiser, J. B. A vida dos vertebrados. 4ª edição, Atheneu Editora São Paulo Ltda, São Paulo, 699 pp. Presti, D.; Pettigrew, J.D. Ferromagnetic coupling to muscle receptor as a basis for geomagnetic field sensitivity in animals. Nature 285: 99-101, 1980. Ricklefs, R.E. 2003. A Economia da Natureza. 5ª ed. Editora Guanabara Koogan, Rio de Janeiro. Twitty, V; Grant, D;. Anderson, O. Course and timing aof the homing migration in the new Taricha rivularis. Zoology. VOL. 56, 1966 p. 864-871. Wisby, W. J.; Hasler, A.D. Effect of olfactory occlusion on migrating silver salmon (O.Kisutch). J.Fish.Res. Bd. Canada. 11:472-478, 1954.
  20. 20. Créditos das Imagens 01 – Rhynchopsitta pachyrhyncha Fonte: http://www.scientificlib.com 02 – Bulbucus ibis. Fonte: http://www.birdingperu.com 03 – Thomomys bottae. Fonte: http://www.beavercreek.nau.edu 04 – Nucifraga columbiana. Fonte:http://www.public-domain-image.com/fauna-animals-public-domain-images-pictures/birds-public- domain-images-pictures/clarks-nutcracker-nucifraga-columbiana.jpg.html 05 – Brycon amazonicus. Fonte:http://t0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQAW1E6qa1ZKz9ey40pznop7AiL1TPUomdSfvRonL Qmo2gUP-f6JBYZyIYzJA 06 – Estação da seca. Fonte:http://1.bp.blogspot.com/_glyLfBk9Cic/TMDt7wlbMzI/AAAAAAAAT5s/2NAhqe_yAQ8/s400 /seca+2010+rio+negro.JPG 07 – Tempestade. Fonte: http://octaviosalles.files.wordpress.com/2008/12/tempestade.jpg 08 – Piracema. Fonte:http://www.ojornal.net/horaemhora/noticias/27318-gmp-encerra-fiscalizacao-da-piracema 09 – Salamandra salamandra. Fonte:http://retamatour.com/web/02web/fauna/fichas/anfbrept/Salamandra%20salamandra.htm 10 – Eretmochelys imbricata. Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/File:Eretmochelys-imbricata-K%C3%A9lonia-2.JPG 11 – Puffinus griseos. Fonte:http://www.biodiversityexplorer.org/birds/procellariidae/puffinus_griseus.html 12 – Equus burchelli, Chonochaetes taurinus e Gazella thomsoni 13 – Danaus plexippus. Fonte: http://www.inra.fr/papillon/papilion/nymphali/texteng/d_plexip.html 14 – Tangará preciosa. Fonte: http://amigopassaro.blogspot.com.br/2009/08/saira-preciosa.html 15 – Vanellus cayanus. Fonte: http://brunochavesanimais.blogspot.com.br/2012/03/batuira-de-esporao.html 16 – Myzus persicae. Fonte: http://www.mipfrutas.xpg.com.br/PragasPulgPessego.htm 17 - Oncorhynchus kisutch. Fonte: http://t3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQomChtb0nSzFV9rcoO_1KxD402nkaN6Iypr lIwMuJ9CQU5sLXzDA 18 – Marcação de peixes. Fonte: http://simbiota.blogspot.com.br/2012/03/estudo-de-peixes-migradores-da-bacia-do.html. 19 - Taricha rivularis. Fonte:http://t2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQQbeS6xLAynuRSVnyA55GXatR_X1rQ9c KnUrSZOivoKQSli3R27A 20 - Chelonia mydas. Fonte: http://t1.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTMwXvYJJBtLNRZKVDSBhHUxLiGhLOwdfgY- VopblxiiSfXKO6D 21 – Marcação de tartarugas. Fonte: http://tamar.org.br/tartaruga.php?cod=18 22 – Marcação com anilhas. Fonte: http://t2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTnWhfoEpXjLaqK7CYkT4u134VL AzesAZND4XXFIir_kS5jetNBBQ 23 – Marcação com radiotransmissores. Fonte: http://seguimentodeaves.domdigital.pt/aguias/satelite/colocacaoptt.htm 24 – Eubaleana australis. Fonte:http://t3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcR_LFb3Z8H0wodbvJ9V779KQg1Gb CgSaTtnUmq7K3frAd9ZQqmO 25 – Mapa área de proteção Baleia Franca. Fonte: http://www.baleiafranca.org.br/oprojeto/publicacoes/GuiaAPABaleiaFranca.pdf
  21. 21. Obrigada pela atenção!

×