Determinação da Produtividade de Soja por
Sensoriamento Remoto em Nível de Talhão
Pablo Fernandes
Kelly Taline Veiverberg
...
INTRODUÇÃO
• Saber a produção total de um talhão nos proporcionará a média de produtividade de
uma área, valor este import...
SOJA CULTIVADA NO BRASIL
• O Brasil viu a área cultivada com soja sofrer uma expansão considerável, passando de 1,3 milhõe...
SOJA CULTIVADA NO BRASIL
• A estimativa de produtividade de soja por meio de sensoriamento remoto sugere uma
ferramenta po...
NDVI
Sua geração se dá pela diferença entre a reflectância do infravermelho
próximo (IVP) e a reflectância do vermelho (V)...
GNDVI
• Muitos índices de vegetação (vegetation indexes) foram propostos e tem sua
base fundamentada na alta resposta espe...
Diferença Normalizada Índice de Vegetação
• O uso da banda verde foi mais sensível para detectar os diferentes níveis nutr...
GNDVI
NDVI é calculado a partir da
luz visível e do infravermelho
próximo refletida pela
vegetação. A vegetação
saudável (...
REFLECTÂNCIA
CATEGORIA DETALHES NDVI
Áreas não Vegetadas: Centros urbanos, vilas e terrenos
em preparos para atividade agr...
Metodologia de Trabalho
• Safra 2006/2007
• Talhões L6 (8,33ha) e L7 (2,16ha)
• Município de Ibirubá, no estado do Rio Gra...
Metodologia de Trabalho
• GPS Garmin Etrex Legend
• A projeção UTM e Datum Córrego Alegre
• Software TRACK MAKER Pro 4.3
•...
Metodologia de Trabalho
• Pontos para coletas das amostras de produtividade foram determinados de modo
aleatórios, represe...
Resultados e Discussão
• A Tabela 1 mostra os dados de produtividade coletados no Talhão L6 assim como os respectivos índi...
Resultados e Discussão
CONCLUSÃO
É possível determinar a produtividade da cultura de soja antecipadamente por
sensoriamento remoto em nível de ta...
OBRIGADO
Determinação da produtividade de soja por sensoriamento remoto
Determinação da produtividade de soja por sensoriamento remoto
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Determinação da produtividade de soja por sensoriamento remoto

427 visualizações

Publicada em

sensoriamento remoto

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
427
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Determinação da produtividade de soja por sensoriamento remoto

  1. 1. Determinação da Produtividade de Soja por Sensoriamento Remoto em Nível de Talhão Pablo Fernandes Kelly Taline Veiverberg Elódio Sebem Alunas: Lidiane Ortiz e Regiane Zanolin Prof:Marcos Antonio Disciplina: sensoriamento remeto
  2. 2. INTRODUÇÃO • Saber a produção total de um talhão nos proporcionará a média de produtividade de uma área, valor este importante para sabermos se a lavoura é rentável ou não • Mas isso não é suficiente para conhecermos onde estão os pontos da lavoura que podemos melhorar esta média de produtividade e onde se está aplicando insumos desnecessariamente. • Agricultura de precisão vem a ajudar o produtor rural a melhorar o processo produtivo com a adoção de modernas técnicas que aliam os sistemas GNSS (Sistema Global de Navegação por Satélite), o sensoriamento remoto e o geoprocessamento.
  3. 3. SOJA CULTIVADA NO BRASIL • O Brasil viu a área cultivada com soja sofrer uma expansão considerável, passando de 1,3 milhões de hectares na década de 70 para os atuais 23 milhões de hectares (safra 2005/2006). • Do ponto de vista de exportação de grãos, a soja é a cultura com maior importância no cenário de produção agrícola, ( EMBRAPA 2005/2006) • As variações econômicas internacionais interferem diretamente na gestão econômica da lavoura. Se pudermos saber antecipadamente qual será a produtividade das áreas agrícolas, através de técnicas de sensoriamento remoto, poder-se-á estruturar de forma mais precisa o agronegócio em termos de logística e de armazenamento da produção visando um melhor preço na comercialização. • A globalização da economia e a competitividade de preços dos produtos têm direcionado setor agrícola a buscar maior eficiência e melhor controle de informações no campo.
  4. 4. SOJA CULTIVADA NO BRASIL • A estimativa de produtividade de soja por meio de sensoriamento remoto sugere uma ferramenta potencial para agricultura de precisão quantificando o potencial produtivo da lavoura, propondo classificar áreas de acordo com o desenvolvimento do cultivo e assim podermos realizar os tratos culturais adequados para cada situação mapeada. • Podemos através das relações existentes entre as respostas espectrais da plantas nos diversos comprimentos de onda utilizar relações físicas para realçar aspectos da vegetação
  5. 5. NDVI Sua geração se dá pela diferença entre a reflectância do infravermelho próximo (IVP) e a reflectância do vermelho (V), dividida, respectivamente, pela soma das duas reflectâncias (TOWNSHEND apud SOUZA, 2010). Essa equação gera um índice que varia de-1 a 1. Quanto maior o valor do índice maior a presença de vegetação. Fitomassa. Exprime a repartição espacial da massa vegetal, independentemente de sua natureza florística. A fitomassa é quantificada por toneladas de carbono por hectare.
  6. 6. GNDVI • Muitos índices de vegetação (vegetation indexes) foram propostos e tem sua base fundamentada na alta resposta espectral da vegetação sadia na faixa do infravermelho próximo e baixa na parte visível do espectro eletromagnético • Neste sentido, Staggenborg e Taylor (2000) propuseram o índice de vegetação da diferença normalizada do verde (GNDVI, “Green Normalized Difference Vegetative Index”) ou (Diferença Normalizada Índice de Vegetação) • GNDVI= (IVp-V) (Ivp+V) • IVp = faixa do espectro eletromagnético correspondente ao Infravermelho Próximo; • V = faixa do espectro eletromagnético correspondente ao Verde
  7. 7. Diferença Normalizada Índice de Vegetação • O uso da banda verde foi mais sensível para detectar os diferentes níveis nutricionais do que o uso da banda vermelha • GNDVI foi muito mais sensível que o NDVI para identificar diferentes taxas de concentração de clorofila em duas espécies de plantas. • “Conforme Chen et al (1986) e Vygodskaia et al (1989), o GNDVI tem duas vantagens, a) Permite reduzir a dimensão das informações multiespectrais através de um simples número além de minimizar o impacto das condições de iluminação e visada; b) Fornece um número altamente correlacionado aos parâmetros agronômicos” (Junior, 2007).
  8. 8. GNDVI NDVI é calculado a partir da luz visível e do infravermelho próximo refletida pela vegetação. A vegetação saudável (esquerda) absorve a maior parte da luz visível que o atingiu, e reflete uma grande parte da luz infravermelha Vegetação insalubre ou esparsa (direita) reflete a luz mais visível e menos luz no infravermelho próximo. Os números na figura acima são representativos de valores reais, mas a vegetação real é muito mais variada. (Ilustração por Robert Simmon).
  9. 9. REFLECTÂNCIA CATEGORIA DETALHES NDVI Áreas não Vegetadas: Centros urbanos, vilas e terrenos em preparos para atividade agrícola 0,18 a -0,20 Áreas com Vegetação Bastante Esparsa Áreas destinadas às atividades de criação de animais (bovinos e eqüinos), cana-de açúcar recém plantada. 0,18 a 0,23 Vegetação Esparsa Representam esta categoria as plantações de cana-de-açucar em estágio de crescimento 0,23 a 0,44 Vegetação Densa Enquadram-se as plantações de cana-de-açucar com a estrutura destes vegetais bem desenvolvida, ou em estágio próximo a colheita. 0,44 a 0,75
  10. 10. Metodologia de Trabalho • Safra 2006/2007 • Talhões L6 (8,33ha) e L7 (2,16ha) • Município de Ibirubá, no estado do Rio Grande Sul • A variedade de soja utilizada foi a 4910 • Ciclo super precoce, muito suscetível a estiagem • Plantio, 22 de novembro de 2006 • Espaçamento entre linhas de 0,45m • Ciclo fenológico de 91 dias • Colheita, 21 de fevereiro de 2007
  11. 11. Metodologia de Trabalho • GPS Garmin Etrex Legend • A projeção UTM e Datum Córrego Alegre • Software TRACK MAKER Pro 4.3 • Correções geométrica e radiométrica das imagens e calculo do GNDVI foram realizados através do software SPRING 5.0 INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) • Sensor CBERS 2, banda 2 , intervalo espectral de 0,52 a 0,59μm (verde), e a banda 4, intervalo espectral de 0,77 a 0,89μm (infravermelho próximo).
  12. 12. Metodologia de Trabalho • Pontos para coletas das amostras de produtividade foram determinados de modo aleatórios, representados por 1 m² referente a duas linhas de plantio, coletadas no dia 20/02/2007. • A massa dos grãos das amostras de soja foram mensuradas com balança de precisão de miligramas modelo AS2000C marca Marte. • Foi necessário aplicar um mapa de distância nos talhões em função de cada pixel sofrer interferência radiométrica de seus vizinhos, como o limite dos talhões localiza-se a beira de estradas, rios, campos e floresta esses alvos possuem reflectâncias diferentes foi criado um buffer(Tampão) interno de 20m aos talhões, descartando os pixeis dentro dessa faixa, restando uma áre aútil ao experimento do talhão L6 de 5,75ha e ao talhão L7 de 1,12ha
  13. 13. Resultados e Discussão • A Tabela 1 mostra os dados de produtividade coletados no Talhão L6 assim como os respectivos índices de vegetação (GNDVI) para as duas datas analisadas nas imagens orbitais.
  14. 14. Resultados e Discussão
  15. 15. CONCLUSÃO É possível determinar a produtividade da cultura de soja antecipadamente por sensoriamento remoto em nível de talhão utilizando GNDVI. Os modelos referentes aos índices de vegetação normalizados pelo verde são capazes de estimar os níveis de produtividade nas áreas de estudo objetos deste trabalho.
  16. 16. OBRIGADO

×