FUNDAMENTOS DA NOSSA CONFISSÃO                    EXPIAÇÃO 2                               ROMEU BORNELLI      Nós vamos l...
17   Nenhum homem estará na tenda da congregação quando ele entrarpara fazer propiciação no santuário, até que ele saia de...
Irmãos, então, nesse segundo tempo que nós vamos gastar em tornodesse assunto Expiação, nós vamos partilhar um pouco hoje,...
perdeu a posição de representante, embaixador, desde o Éden. Isso faz toda adiferença na nossa visão do Evangelho, porque ...
resolvido, a não ser que nós vejamos bem a Cristo. Irmãos, se a culpa não éum assunto bem resolvido, nós estamos vivendo u...
cabeça do bode, e confessa as iniqüidades, os pecados do povo de Israel,sobre aquele bode. Aquele ato de colocar a mão sob...
purificação com relação à carne. Isso significa uma purificação cerimonial.Mas havia virtude era na obediência à palavra d...
que Paulo fala em Romanos 7 assim: Eu até que quero fazer o bem. Até queexiste alguma coisa aqui dentro de mim que deseja,...
escravidão, de tal forma que nós não conseguimos nos livrar das suas garras,mas ele entrou por dentro, uma virulência, ele...
homem está falando? E o Senhor Jesus disse: Abraão viu o Meu dia e sealegrou. Coisa impressionante. Aqueles homens, aquele...
progresso de revelação. Então em Gênesis há uma vestimenta que Deus vesteaquele primeiro casal, e em Êxodo há mais. Em Êxo...
mas que Deus visse do lado de fora. Não é? Porque o sangue era para Deusem primeiro lugar, para que Deus ficasse satisfeit...
importante) por si mesmo, e pela sua casa, e por toda a congregação deIsrael. Essas duas palavras contém a mesma idéia. É ...
reunião a realidade, no Domingo que vem, mas quando os irmãos forem verHebreus, os irmãos vão ver que todo esse livro é ba...
Cordeiro dizendo assim: Tu és digno porque compraste para Deus com o seusangue. Aquele que procede de toda tribo, língua e...
é jeito. A roupa dele tinha azul, púrpura, carmesim, tipificava os ministériosde Cristo como sacerdote, rei. Tinha o linho...
sobre Levítico. Nos convinha. Hebreus 7:26 e 27. Nos convinha um sumosacerdote assim como esse. Esse Cristo. Está falando ...
minha vida. Tem pecado. Quero fazer o bem, mas não consigo fazer o bem. Etudo o que eu toco eu contamino, eu destruo. E eu...
condicional e que quando nós pecamos nós corremos o risco de perdemos asalvação, quando nós pecamos nós vamos tentar resol...
morto e outro bode para o deserto. Lá diz que os dois faziam uma única obra.Os dois eram apresentados juntos. Os dois bode...
o pai de família ver o sangue. A questão é Eu vir o sangue, o Senhor falou.Êxodo 12: 13. Quando eu vir o sangue passarei p...
sangue e o incenso, porque acima do propiciatório, o Senhor havia dito paraMoisés, ali Eu virei, ali Eu aparecerei. Então ...
vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por ele morreu eressuscitou.       Os irmãos estão vendo como que...
06 expiação 2
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

06 expiação 2

892 visualizações

Publicada em

06 expiação 2 - Romeu Bornelli

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
892
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

06 expiação 2

  1. 1. FUNDAMENTOS DA NOSSA CONFISSÃO EXPIAÇÃO 2 ROMEU BORNELLI Nós vamos ler alguns versos no capítulo 16 do Livro de Levítico.1 ¶ Falou o SENHOR a Moisés, depois que morreram os dois filhos de Arão,tendo chegado aqueles diante do SENHOR. 2 Então, disse o SENHOR aMoisés: Dize a Arão, teu irmão, que não entre no santuário em todo tempo,para dentro do véu, diante do propiciatório que está sobre a arca, para quenão morra; porque aparecerei na nuvem sobre o propiciatório. 3 EntraráArão no santuário com isto: um novilho, para oferta pelo pecado, e umcarneiro, para holocausto. 4 Vestirá ele a túnica de linho, sagrada, terá ascalças de linho sobre a pele, cingir-se-á com o cinto de linho e se cobrirá coma mitra de linho; são estas as vestes sagradas. Banhará o seu corpo em águae, então, as vestirá. 5 ¶ Da congregação dos filhos de Israel tomará doisbodes, para a oferta pelo pecado, e um carneiro, para holocausto. 6 Arãotrará o novilho da sua oferta pelo pecado e fará Expiação por si e pela suacasa. 7 Também tomará ambos os bodes e os porá perante o SENHOR, àporta da tenda da congregação. 8 Lançará sortes sobre os dois bodes: uma,para o SENHOR, e a outra, para o bode emissário. 9 Arão fará chegar obode sobre o qual cair a sorte para o SENHOR e o oferecerá por oferta pelopecado. 10 Mas o bode sobre que cair a sorte para bode emissário seráapresentado vivo perante o SENHOR, para fazer Expiação por meio dele eenviá-lo ao deserto como bode emissário. 11 Arão fará chegar o novilho dasua oferta pelo pecado e fará Expiação por si e pela sua casa; imolará onovilho da sua oferta pelo pecado. 12 Tomará também, de sobre o altar, oincensário cheio de brasas de fogo, diante do SENHOR, e dois punhados deincenso aromático bem moído e o trará para dentro do véu. 13 Porá oincenso sobre o fogo, perante o SENHOR, para que a nuvem do incenso cubrao propiciatório, que está sobre o Testemunho, para que não morra. 14Tomará do sangue do novilho e, com o dedo, o aspergirá sobre a frente dopropiciatório; e, diante do propiciatório, aspergirá sete vezes do sangue, como dedo. 15 ¶ Depois, imolará o bode da oferta pelo pecado, que será para opovo, e trará o seu sangue para dentro do véu; e fará com o seu sangue comofez com o sangue do novilho; aspergi-lo-á no propiciatório e também diantedele.
  2. 2. 17 Nenhum homem estará na tenda da congregação quando ele entrarpara fazer propiciação no santuário, até que ele saia depois de feita aExpiação por si mesmo, e pela sua casa, e por toda a congregação de Israel.19 Do sangue aspergirá, com o dedo, sete vezes sobre o altar, e o purificará,e o santificará das impurezas dos filhos de Israel. 20 ¶ Havendo, pois,acabado de fazer Expiação pelo santuário, pela tenda da congregação e peloaltar, então, fará chegar o bode vivo. 21 Arão porá ambas as mãos sobre acabeça do bode vivo e sobre ele confessará todas as iniqüidades dos filhos deIsrael, todas as suas transgressões e todos os seus pecados; e os porá sobre acabeça do bode e enviá-lo-á ao deserto, pela mão de um homem à disposiçãopara isso.27 Mas o novilho e o bode da oferta pelo pecado, cujo sangue foi trazidopara fazer Expiação no santuário, serão levados fora do arraial; porém assuas peles, a sua carne e o seu excremento se queimarão.29 ¶ Isso vos será por estatuto perpétuo: no sétimo mês, aos dez dias do mês,afligireis a vossa alma e nenhuma obra fareis, nem o natural nem oestrangeiro que peregrina entre vós. 30 Porque, naquele dia, se faráExpiação por vós, para purificar-vos; e sereis purificados de todos os vossospecados, perante o SENHOR. 31 É sábado de descanso solene para vósoutros, e afligireis a vossa alma; é estatuto perpétuo.34 Isto vos será por estatuto perpétuo, para fazer Expiação uma vez por anopelos filhos de Israel, por causa dos seus pecados. E fez Arão como oSENHOR ordenara a Moisés. Ó Pai, muito obrigado pela tua rica palavra, Senhor. Trás luz sobre oque o Senhor nos revelou neste texto que lemos. Aclara-nos Senhor, pela luzdo Teu Espírito. Que nós vejamos com clareza a pessoa e obra do Senhor,como revelada nas Escrituras. Abra os nossos olhos para que vejamos asmaravilhas da Tua lei. Muito obrigado porque o Senhor nos tem prazer emSi mostrar, em Si dar, em se fazer conhecer para que o nosso coração encontredescanso em Ti. Nós entregamos em Tuas mãos a Tua palavra nessa noite,para que o Senhor a utilize conforme a direção, conforme aquilo que está noseu próprio coração. Em nome de Jesus. Amém.
  3. 3. Irmãos, então, nesse segundo tempo que nós vamos gastar em tornodesse assunto Expiação, nós vamos partilhar um pouco hoje, e talvez umpouco na próxima reunião no Domingo, e encerrarmos esse assunto Expiação,mesmo que em linhas gerais, como tenho dito, o nosso encargo não é entrarfundo nesse assunto, já que são assuntos de base, são fundamentos, sãoalicerces, e se assim são, nós realmente teríamos que gastar muito tempo, emdetalhes, em pormenores, que nos mostram a grandiosidade de cada um dessestemas que nós então resolvemos partilhar durante esses dias, esses oitoalicerces. Nós estamos no terceiro, a Expiação. Então estamos passandopinceladas, sempre panoramicamente, sempre iremos fazer assim, e conformea direção que o Senhor nos der, quem sabe, em algum momento,mergulharmos um pouco em algum ponto mais específico, para maioresesclarecimentos. Mas a idéia é fazer uma panorâmica, para nos dar uma visãodessa coluna vertebral da nossa confissão, daquilo que há de central narevelação de Deus. Nós falamos, repetimos para os irmãos na reuniãoanterior, quais seriam esses oito aspectos. Desde a Trindade até aqueleSupremo Propósito de Deus, incluído ali a segunda vinda de Cristo, desde arevelação da Trindade até a revelação da consumação do propósito de Deus, asegunda vinda do Senhor, e essa visão do desígnio completo de Deus, dopropósito de Deus. Dentro desses pontos todos nós iremos passar por algunsaspectos específicos, mas sempre a idéia é traçar uma panorâmica para queentão uma visão possa nos nortear. Creio que isso é realmente importante. Nóspoderemos dentro desse esqueleto, termos condição de enquadrar aqui muitacarne, vários aspectos específicos que nós pudermos observar depois no nossoestudo particular da palavra, poderemos encaixar, debaixo do teto como temosfalado, desses grandes alicerces. Os irmãos se lembram na reunião anterior, quando falamos sobre esseaspecto Expiação, vamos continuar hoje, nós podíamos encaixar debaixodesse teto, algumas doutrinas importantes que nós quase que nada iremos falardelas, porque o motivo, o assunto não é esse, dentro desse tópico Expiação,por exemplo, nós teremos que encaixar, dentro desse alicerce, a questão dadoutrina do pecado, que na reunião passada falamos muito de leve, mastocamos em alguma coisa. Nós teríamos que falar da doutrina da queda. ABíblia é muito clara e incisiva sobre a queda do homem, o quanto isso temuma implicação em tudo o que cremos, tudo o que confessamos, em tudo oque pregamos. Se nós cremos, verdadeiramente, na queda do homem, entãonós cremos na inabilidade humana, nós cremos que o homem é incapaz,porque ele caiu, ele perdeu completamente a sua relação de união com Deus.Ele perdeu o propósito, ele perdeu a finalidade, ele perdeu a autoridade, ele
  4. 4. perdeu a posição de representante, embaixador, desde o Éden. Isso faz toda adiferença na nossa visão do Evangelho, porque se nós não cremos na queda,ou se a nossa visão da queda não é perfeita, nossa visão da Expiação não seráperfeita. Claro. Se nós precisamos apenas de um retoque, então o que oSenhor Jesus realizou na cruz foi um retoque, mas se nós precisamos de umaobra total, então o que o Senhor Jesus realizou na cruz foi total. Os irmãosvejam como que essas coisas estão interligadas. São uma corrente de oito elos.Nós não podemos tomar um elo sequer sem destruir a corrente. Precisamos deos oitos elos, bem vistos, bem encaixados, bem relacionados. Então nós estamos estudando este terceiro elo, já que o primeiro é aTrindade, o segundo é a Encarnação, já passamos por ele em outra época.Estamos no terceiro elo, a Expiação. Na reunião anterior, só fazendo um panorama rápido, antes de entrarcomo vamos fazer hoje no assunto Expiação, nós vimos um pouquinho dopecado. Se o assunto é Expiação do pecado, então precisamos ver algumacoisa do pecado. Então, mesmo que em linhas gerais, nós vimos na reuniãoanterior, e me lembro que nós terminamos tocando em três aspectos marcantesa respeito da visão Bíblica do pecado. Nós paramos aí na reunião anterior.Nós falamos que o pecado nos trouxe três problemas extremamente graves, evamos então, a partir desse ponto, prosseguir hoje. Primeiro o pecado nos trouxe culpa. Culpa. Irmãos, essa é umadoutrina Bíblica clara, e é uma experiência humana universal. A nossaexperiência só vai confirmar a doutrina, como sempre. A culpa é umaexperiência universal. Nós nascemos culpados, nós nascemos com senso deculpa e nada refresca essa culpa. A nossa prática, quem sabe, de boas obras, anossa educação, o atingirmos qualquer elemento de sucesso ou aprovaçãosocial, seja o que for, não muda essa questão da culpa na consciência humana.Culpa é uma experiência universal, porque o pecado nos alienou de Deus, etrouxe a nós um senso de culpa que só um reatar com Deus pode nos livrar.Esse reatar com Deus ele é dependente do assunto que nós vamos procurarentrar mais um pouquinho, em detalhes hoje, o assunto Expiação. Somenteuma visão da Expiação, somente a nossa relação com o Senhor Jesus, essenosso salvador, esse que fez Expiação por nós, pode resolver o problema daquestão culpa, que é uma questão universal, é uma questão que atinge todos oshomens. As pessoas tentam lidar com essa questão de muitas formasdiferentes. Alguns se suicidam por causa da culpa. Outros tentam promoverboas obras por causa da culpa. Outros tentam fazer o que podem para seremaceitos, seja socialmente, seja em que aspecto for, seja no seu próprio lar, porcausa da culpa. A culpa ela permeia a grande maioria das nossa atitudes, e agrande maioria dos nossos relacionamentos. A culpa é um assunto não
  5. 5. resolvido, a não ser que nós vejamos bem a Cristo. Irmãos, se a culpa não éum assunto bem resolvido, nós estamos vivendo uma vida infinitamenteaquém do que o Senhor planejou para nós, e consequentemente, gerando emoutros todas as conseqüências desse viver anormal, refletindo isso em outros.Então a culpa é um assunto muito sério na palavra de Deus. Nós falamos nareunião anterior, quando a Bíblia diz assim: A ira de Deus se revela do céucontra toda a impiedade e paixão dos homens, que detém a verdade pelainjustiça.(Romanos 1:18 A ira de Deus se revela do céu contra todaimpiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça;)Aquilo não é uma expressão figurada. Quando João no cap. 3 diz assim:aquele que tem o Filho tem a vida, mas aquele que não tem o Filho, não tem avida. Na sua epístola e no seu evangelho João repete a mesma idéia compalavras diferentes. No Evangelho ele diz que sobre ele - esse que não tem ofilho e que não tem a vida - sobre ele permanece a ira de Deus. Isso tambémnão é uma expressão figurada. É por causa da nossa alienação de Deus, econsequentemente dessa culpa em nossa consciência, que nós experimentamosesse resultado da ira de Deus em nosso coração, essa alienação: o fato de queDeus para nós não é alguém, como pessoa, que dá prazer, naturalmentefalando. Deus é alguém que naturalmente falando, nos dá medo. Em alguns,repulsa. .........tentam lidar com a culpa assim. Uma das maneiras de se lidarcom a culpa. Muito desse chamado ateísmo é resultado disso. Uma dasmaneiras de lidar-se com a culpa, é negar Deus. Quem sabe negando Deus,nós amenizamos a questão culpa. Mas irmãos, pobres dessas consciências,porque há um outro elemento na consciência humana junto com a culpa, queé a própria instilação da mão de Deus no fato dele ter criado o homem, e ohomem não consegue resolver a questão tão simplesmente assim: “eu negoque Deus existe, isso é uma bobagem, nada disso significa nada, o homem éuma questão de acaso, de evolução, seja lá do que for”, e então eu amenizo aculpa, resolvo a culpa na minha consciência. É claro que isso não é possível.Nenhum resolve a culpa, negando a existência de Deus. Então, quãoimportante é tratarmos com a questão culpa!! E a Bíblia trata com a questãoculpa. Os irmãos vejam no próprio texto que nós lemos que essa questão éabordada aqui com palavras diferentes, de uma forma ou de outra. Compalavra pecados, com palavra transgressões, com palavras iniquidade. Então,quando formos usar a simbologia mais tarde, para tentar entender, sóadiantando um pouquinho, quando Arão trás aquele bode, vivo, um bode eramorto, o outro ficava vivo. Os dois bodes. Os dois iam fazer a Expiação.Figura é muito linda. Depois procuraremos entrar um pouco mais nosdetalhes. Quando Arão trás aquele bode vivo, os irmãos, vejam no texto, lá noverso 20 e 21, mais ou menos desse texto, Arão coloca a sua mão sobre a
  6. 6. cabeça do bode, e confessa as iniqüidades, os pecados do povo de Israel,sobre aquele bode. Aquele ato de colocar a mão sobre a cabeça daquele bodevivo, esse ato de imposição de mãos, implica em transferência. Por isso eleimpunha as mãos e confessava. É claro irmão, que não havia virtude nenhumanaquele animal. Era só um bode. Mas havia a promessa de Deus, através detoda a simbologia, o assunto envolvido não é o bode, mas é a palavra de Deus,e foi a palavra de Deus que ordenou que isso deveria ser feito assim. Essacerimônia toda, esse cerimonialismo todo, sangue daqui, o bode que vai sermorto, para o sangue ser passado lá, o bode que vai ficar vivo para um homemlevá-lo para o deserto, o novilho que Arão trazia e fazia Expiação por ele, osangue no propiciatório, o sangue nos chifres do altar, muita cerimônia,muitos detalhes, mas tudo falando de um assunto só, como sempre. Um temasó. A Bíblia só tem um tema: o Senhor Jesus Cristo. Esse é o tema da Bíblia.Sua gloriosa pessoa e sua gloriosa obra. Então, o que nós vemos lá emLevítico 16, não poderia ser diferente. Aquele animalzinho é trazido, vivo, eArão confessa os pecados com a mão na cabeça daquele bode e isso significatransferência. A idéia é que o Senhor queria comunicar àquele povo de Israel,e claro, a nós por tipologia, é que um animal inocente deveria ser oferecidono lugar do pecador, e somente uma vida inocente poderia agradar a Deus, quenada que o homem pudesse fazer agradaria a Deus porque tudo o que procededessa fonte está contaminado. Os irmãos se não virem essa idéia central,perdem todo o foco. Parece que Deus é sanguinário, parece que Deus é o deusdos pagãos. Os pagãos é que faziam assim. Sacrifícios até humanos, paraaplacar o que eles chamavam “a ira dos deuses”. Isso não é o Deus da Bíblia.A Bíblia é muito clara até no Velho Testamento, antes da revelação de Cristomesmo. Você se lembra do Salmo que Davi diz que se Deus se agradasse dosangue de bodes, de touros e de animais, Ele trazido a Ele? Ele fala assim:não basta todos os animais do campo para serem queimados, no altar deoferenda a Ti. Ele fala assim: sacrifícios e ofertas não quiseste. Antes corpome preparaste. Então, eis aqui estou para fazer a Tua vontade. É claro queessa tipologia, esse cerimonialismo todo, não satisfazia propriamente a Deus.Não satisfazia, mas tipificava aquele que satisfaria a Deus: o Senhor Jesus.Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Esse sim. Não foi assimque João Batista anunciou? Mas antes que Ele viesse, todo aquelecerimonialismo então apontava para Ele. E aquelas pessoas que praticavamesse cerimonialismo? Elas eram salvas? Purificadas pelo sangue do touro oudo bode, ou seja do que fosse? Também não. Elas eram santificadas,purificadas pela obediência à ordenação de Deus, à palavra de Deus. Nãotinha virtude no sangue do bode. Não tinha virtude no sangue do touro. Olivro de Hebreus é tão claro não é? Isso promovia uma santificação, uma
  7. 7. purificação com relação à carne. Isso significa uma purificação cerimonial.Mas havia virtude era na obediência à palavra de Deus que havia ordenado.Era como se eles estivesse fazendo algo na expectativa de algo maior. Eracomo um ensaio de núpcias. Não era o casamento real, era um ensaio. Era oensaio das núpcias, mas o ensaio das núpcias era feito para as núpcias. Oensaio de núpcias, sem núpcias não tem valor. Aqueles noivos vão ensaiar aentrada, como é que é faz isso, que hora que faz aquilo, porque tem asnúpcias. Isso é feito com vista às núpcias. Assim era todo o cerimonialismono Velho Testamento. Aquele era um ensaio que estava aguardando o noivo, epor isso quando o noivo se revela João Batista usa essa expressão. Eis oCordeiro de Deus. Nenhum sacerdote ou sumo sacerdote falava isso para oanimalzinho. “Esse aqui é o Cordeiro de Deus, que vai ser oferecido pelopovo”. Não!! Aquele era só um animal, figura do cordeiro. Nós falamos queo Senhor Jesus se encarnou, João Batista disse: Eis o Cordeio de Deus quetira o pecado do mundo. Então irmão, os três problemas básicos do pecadoque nós precisamos compreender muito bem, tem aplicação não sódoutrinária, mas profundamente experiencial para todos nós, é que o pecadonos trouxe culpa em primeiro lugar. E nós precisamos como é que Deusresolveu a culpa. Depois, uma outra questão relacionada ao pecado, o pecado nos trouxeescravidão. Ele não apenas gerou culpa. Culpa já seria um problema tãogrande. Já seria um assunto para vivermos mal durante toda a nossa vida, edurante toda a eternidade. Culpa, porque nós somos culpados. Nós estamosdebaixo da ira de Deus. E o que é que pode solucionar essa questão? Nada,senão Deus. Nada está à altura de Deus, senão Ele mesmo. Então culpa seriaum problema já muito grave, para agora e para toda a eternidade. Mas aindahá um outro problema, o segundo, que o pecado nos trouxe: escravidão. Nãoapenas culpa, mas escravidão. O pecado se assenhoreou de nós. Esse é umoutro ensino bíblico, claro. Quando os irmãos lêem Romanos 6 por exemplo,Paulo está contrastando o que o Senhor Jesus fez na cruz, mostrando comoque nós fomos libertos, e então ele fala assim: “E o pecado agora não terádomínio - lembra dessa palavrinha domínio? - sobre vós”. Por que é que elenão terá mais domínio? Porque agora ele não está mais debaixo da lei, massim da graça. Ele está mostrando o que Cristo fez. Então ele usa a palavradomínio, mostrando que o pecado em Romanos 6, ele é um senhor. Não éapenas questão do primeiro problema culpa. É mais grave. É questão doSenhorio. Dois problemas gravíssimo. Pecado nos trouxe uma culpatremenda, um senso de separação, de insatisfação, de não aceitação, e nadapode resolver isso. Nada. Nem boas obras, nem religião, nem cultura, nemnada. Culpa. Depois escravidão. Domínio. O pecado nos dominou. Lembra
  8. 8. que Paulo fala em Romanos 7 assim: Eu até que quero fazer o bem. Até queexiste alguma coisa aqui dentro de mim que deseja, de alguma maneira, fazero bem. Porque quando o homem caiu, a imagem de Deus no homem foiarruinada, mas ela não foi absolutamente destruída. Mesmo o homem pecador,ele continua com um senso de que há um Deus, com um senso de que deveresponder a este Deus, com um senso de que este Deus é bom, de que Elenão é bom, é mau, e então, quando nós lidamos com essa questão irmão,embora tenhamos de alguma maneira um senso, mesmo de forma limitada, umsenso de bondade - Paulo fala que embora esse querer estivesse nele, nãoestava nele o efetuar, miserável homem que eu sou – essa é a experiênciauniversal. O querer fazer o bem está em mim, mas não porém o efetuar. Deque é que adianta querer fazer o bem sem conseguir realmente fazer o bem?Não adianta nada. Então Paulo dá aquele grito primeiro, de derrota, naquelecapítulo 7, quando ele fala “miserável homem que eu sou”. Quem vai melivrar desse corpo do pecado? Tremendo grito de angústia, de agonia naexperiência espiritual. Imediatamente, na expressão seguinte, Paulo falaassim: “Graças porém a Deus por Jesus Cristo, o nosso Senhor. Esse é ocaminho da libertação”. No Senhor Jesus foi tratada a culpa, no senhor Jesusfoi tratado o senhorio do pecado. Agora, o querer o bem está em mim, e oefetuá-lo também. Porque Deus é quem efetua em vós tanto o querer quanto orealizar, segundo a sua boa vontade. Não é assim que ele fala em Filipenses?Então agora mudou: em Cristo. E para aqueles que são de Cristo, não paratodos nós. Não para aqueles que não crêem. Mas, para aqueles que vivemuma vida de união com Cristo, para aqueles que foram salvos por Cristo. Paraaqueles que vivem em comunhão com Cristo. Não mais vivo eu, mas Cristovive em mim. Então agora, o querer o bem, e o efetuá-lo está em mim, pormeio de Cristo. Mas há ainda o terceiro problema para completar o quadro dopecado. Como se não bastasse culpa, corrupção, aliás senhorio, domínio,escravidão do pecado sobre nós, e agora nós temos esse terceiro problema,corrupção. Grave demais a situação, não é irmão? Culpa na nossaconsciência, insolucionável, a não ser por Deus mesmo. Escravidão na nossavida. Não podemos controlar, não podemos dominar o pecado. Como se nãobastasse isso, corrupção. Terceiro problema do pecado. A Bíblia ensina que opecado não só gerou culpa na consciência, e domínio nos membros do nossocorpo, mas o pecado corrompeu - isso significa um câncer - contaminou tudoo que há dentro de nós e então a nossa mente é uma mente corrompida, nossavontade é uma vontade corrompida; nossos sentimentos são sentimentoscorrompidos; nossas afeições são afeições corrompidas. Tudo o que há emnós é corrompido. O pecado então ele contaminou, ele contagiou. É como sefosse uma virulência. Não só trouxe culpa na consciência, não só trouxe uma
  9. 9. escravidão, de tal forma que nós não conseguimos nos livrar das suas garras,mas ele entrou por dentro, uma virulência, ele contagiou, ele contaminou.Terrível quadro, sem esperança. Os irmãos lembram qual é a figura maischocante, no Velho Testamento a respeito do pecado? Lembram? É aLEPRA. A lepra é a figura bíblica mais explícita sobre o pecado, na tipologiado Velho Testamento. A lepra era uma doença sem cura, uma doença quecondenava a pessoa à exclusão social. Ele era obrigado por lei, o leproso, aficar fora completamente do convívio social. Se alguma pessoa seaproximasse de um arraial, de uma casa de leproso, ele teria que vendo umapessoa de longe, gritar para ela que ele era imundo, para que aquela pessoanão se aproximasse. Era isso que ele tinha que fazer. Uma pessoacompletamente excluída, alienada do convívio social. Isso foi o que o pecadopromoveu em nós. Alienação de Deus, alienação de nós mesmos, alienaçãodos outros. Era o que a lepra fazia com o leproso. A lepra não era uma doençaque paralisava. Era uma doença que sempre prosseguia, contagiava,degenerava e corrompia e a pessoa ia se desfigurando completamente. Umaoutra figura do pecado. Ele é progressivo, ele destroi, ele degenera, ele tira asensibilidade. A lepra é a melhor figura bíblica sobre o pecado, e no VelhoTestamento há então todo aquele processo de como Deus tratava a lepra. Osirmãos se lembram. Figura da obra do Senhor Jesus na cruz. Então irmãos, oVelho Testamento é muito lindo, porque com a luz do Novo Testamento, nósvemos naqueles símbolos, em cada um deles, nos animais, no tabernáculo, nafigura da lepra como eu citei, tudo o que Deus estava anunciando o que Elefaria em Cristo. Lembra que Paulo escreve para os romanos, ele fala assimque Deus naqueles tempos de ignorância, no tempo do Velho Testamento,Deus considerou impunes aqueles pecados que foram cometidosanteriormente. Não diz que ele puniu um cordeirinho, puniu um bode, umtouro. Lá em Romanos 3. Ele fala assim que Deus considerou impunes. Eledeixou impunes mesmo os pecados anteriormente, no tempo do VelhoTestamento, aqueles que foram cometidos. Por que? Porque quando viesseCristo - irmãos o sacrifício de Cristo não foi feito pelos apóstolos da suaépoca - a morte de Cristo é a morte do Deus homem. E aquele sanguederramado tem valor universal: para aqueles que esperavam em Cristo, antesde Cristo, e aqueles que esperam em Cristo, depois de Cristo. O que é quevocê acha que o Senhor Jesus quis dizer quando ele falou que Abraão, queviveu dois mil anos antes de Cristo, dois mil, o que você acha o que o SenhorJesus quis dizer quando ele falou assim. Abraão viu o Meu dia e celebrou.Coisa impressionante. Os judeus não entenderam nada e pensaram: Essehomem é louco. Completamente louco. Ele não tem cinqüenta anos de idade,e viu Abraão nosso pai que já viveu tem dois mil anos? O que é que esse
  10. 10. homem está falando? E o Senhor Jesus disse: Abraão viu o Meu dia e sealegrou. Coisa impressionante. Aqueles homens, aqueles santos profetas doVelho Testamento, eles viam que Deus iria prover uma redenção em umsalvador que viria. Falaram sobre Ele. Ele foi tipificado em todos aquelesassuntos do Velho Testamento. Ele foi profetizado pelos profetas. ImaginaIsaías, naquele capítulo 53, falando sobre esse cordeiro. Isaías não deveriaestar entendendo nada sobre o que ele estava falando, porque ele nãoprofetizava para ele, como Pedro diz, mas ele profetizava para nós, nas coisasque viriam sobre nós, na dispensação da plenitude dos tempos. Então elefalou sobre esse cordeiro mudo que era levado perante os seus tosquiadores,que não abria a sua boca, que foi considerado aflito, oprimido de Deus, elevou sobre si as nossas iniqüidades. Olhe o que é que Isaías fala tanto tempoantes do Senhor Jesus. Não é? Porque essa idéia de Expiação ela correcomo um fiozinho de prata, já que prata na Bíblia é um símbolo da Expiação.Então a Expiação ela corre assim irmão, como um fio de prata por toda aBíblia. Muito lindo. Deixem-me citar um pouco dessa corrente para os irmãos aqui. Essacorrente começa em Gênesis e termina em Apocalipse, esse nosso terceiro eloaí, Expiação. A Expiação começa em Gênesis e termina em Apocalipse. Láem Gênesis 3, você começa a ver a Expiação. Antes não porque antes, ohomem não havia caído. Nem no capítulo 1, nem no 2. No capítulo 3 deGênesis, nós temos a queda do homem, e se o homem caiu, o homem temnecessidade de Expiação, porque ele não pode resolver o problema. Ele nãopode resolver o problema da culpa, nem da escravidão, nem da corrupção. Eleestá dominado pelo pecado. O assunto do pecado tomou conta dele, e entãonão adianta fazer folhas de figueira para tentar cobrir a sua nudez. Aquilo épaliativo. Desde Gênesis 3, quando o pecado aparece, a idéia de Expiaçãoaparece, e é claro que na mente, no conselho eterno de Deus, esse cordeiro,Senhor Jesus, no plano eterno de Deus, ele já havia sido imolado desde afundação do mundo, porque Deus não está limitado no tempo. Deus é eterno.A mente de Deus é eterna. Ele conhece o fim antes do começo, mas, no queconcerne à história, a idéia de Expiação aparece a primeira vez em Gênesis 3.Lá no verso 21 se não me engano. Gênesis 3 21, que diz assim: Deus fez.Veja que não é Adão. Pode ter sido até, talvez, através das mãos de Adão. Oversículo 21 de Gênesis é muito claro. Fez Deus vestimenta de pele para Adãoe a sua mulher e os vestiu. A primeira vez que a idéia de Expiação aparece naBíblia. Então o cordeiro ali ele está anunciado. Deus vestiu o homem comaquela pele. Depois a gente vai para Êxodo. Os irmãos vão ver que é um passosempre avante, porque há um progresso na revelação de Deus em todos osassuntos. O assunto da Expiação não é diferente. Em todos os assuntos há
  11. 11. progresso de revelação. Então em Gênesis há uma vestimenta que Deus vesteaquele primeiro casal, e em Êxodo há mais. Em Êxodo há um cordeiro.Lembra? Que é morto lá no Egito e Egito é uma figura do mundo. Faraó éuma figura do diabo. Aquele ambiente de pecado, de escravidão. O povoestava ali, e nunca podia sair dali. Era um povo absolutamente escravizado,mas algo acontece ali. Deus vai livrá-los. Vai livrá-los como? Ele não mandaMoisés e fala: Moisés chega lá e fala para o povo: Eu Sou o que Sou. Eu vimaqui buscar o meu povo e faraó sai da frente que eu estou carregando todomundo. Não foi bem assim. Ele foi julgando o Egito com aquelas pragas, osirmãos se lembram, e quando chegou naquele ápice final, Ele ia fazer algoque marcasse o povo com esse assunto Expiação. Olhe como esse assuntoExpiação é importante. Você não acha que Deus poderia carregar o povo doEgito do jeito que Ele quisesse? Não podia? Claro que Ele podia. Quemque ia impedir Deus? Mas Ele não ia fazer de qualquer maneira. Quando eletratou com o seu povo no Novo Testamento, ele também não tratou dequalquer maneira. Ele também não se achegou a eles de qualquer maneira.Para nos achegar a ele, foi preciso fazer algo. A cruz precisou acontecer, osangue precisou ser derramado, porque Deus é Luz, no qual não há trevanenhuma e nós, somos trevas, na qual não há luz nenhuma. Trevas e luz nãoficam juntas no mesmo ambiente. Então, para que Deus pudesse aproximar anós, igreja Dele, o Senhor Jesus tinha que ser oferecido na cruz do calvário.O seu sangue. E como esse é um fato eterno, então desde o VelhoTestamento, aquele ensaio de núpcias está acontecendo. Tudo o que o Senhorestá falando aqui, tem em vista aquele grande dia aqui. O dia da revelação deCristo, da obra de Cristo, da morte de Cristo. Então, o que é que aconteceu emÊxodo? Quando chegou na noite em que o povo ia sair do Egito, o Senhorfalou: Agora cada família do povo de Israel vai tomar um cordeiro. Para quefazer isso? Podia sair sem esse cordeiro, podia sair sem esse sangue. Nãopodia? Deus está com eles da mesma forma, se olhássemos apenas o lado doseu poder. Mas, nós temos que ver o lado da sua santidade. Ele não podia saircom esse povo de qualquer maneira. De novo, uma vida inocente tinha que serderramada. Então, naquela Noite do Senhor, descrita lá em Gênesis 12,Moisés diz assim para o povo: Essa será a noite do Senhor. Então elestomavam aquele animalzinho, colhiam o sangue na bacia, passavam do ladode fora da porta, para que o Senhor visse aquele sangue e passasse por cima dopovo de Israel. De novo, Expiação, não é? Agora a idéia está maiselaborada. Agora não é Deus vestindo aquele casal com peles. Agora tem aidéia do sangue, a idéia do sangue pelo lado de fora da porta. Uma idéiaimportante. Não tinha isso no Éden. Tem isso lá no Egito. Sangue do lado defora, porque não é para que o povo visse em primeiro lugar do lado de dentro,
  12. 12. mas que Deus visse do lado de fora. Não é? Porque o sangue era para Deusem primeiro lugar, para que Deus ficasse satisfeito. O sangue do cordeiro,tipológico. É claro que somente o sangue de Cristo, o próprio Deus encarnadopoderia satisfazer Deus. Aquilo ainda era uma tipologia. E depois então,quando a gente vai nos profetas, a gente vê um passo a mais. Lá em Êxodo eraum animal. Os profetas, quando começam a falar do cordeiro, nós vemos quenão é um animal, porque por exemplo Isaías, o texto que eu citei, 53, Isaíasnão fala de um animal. Fala de uma pessoa. Não é um avanço? Mais umavanço? Isaías chama essa pessoa de cordeiro. Coloca a idéia e do animal e dapessoa, juntas. Esse cordeiro que lá no Éden foi para pronunciado, lá no Egitofoi tipificado, esse cordeiro é uma pessoa. Isaías 53. Então ele diz: é umcordeiro mudo perante o seus tosquiadores. É um cordeiro, que Deus farácom que as nossas iniquidades caiam sobre Ele. Ele é o servo do Senhor. Ele éo justo. E com a sua oferta Ele justificará a muitos. Ele verá o penosotrabalho da sua alma. Veja só. Não é um animal. É uma pessoa. Sua alma vaifazer um trabalho. Ele vai ficar satisfeito com esse trabalho. Os irmãos estãovendo? Mais um progresso na revelação. Agora não é uma animal. É umapessoa, um cordeiro. Então nós temos um cordeiro anunciado no Éden, umcordeiro tipificado no Egito, um cordeiro profetizado ali pelos profetas edepois um cordeiro agora encarnado. Agora o cordeiro vem como Homem,encarnado, e aí João Batista diz; Eis o cordeiro de Deus. E depois Ele viveaqui três anos e meio, revelando a sua pessoa, a pessoa do Pai, a obra que Eleiria fazer, falando da cruz, três vezes para os discípulos: vou para Jerusalém. OFilho do Homem vai ser morto, vai ressuscitar, e no final dos evangelhos nósvemos esse mesmo cordeiro crucificado, a mesma idéia da Expiação, passandopor toda a Bíblia, cordeiro crucificado. E depois no comecinho de Atos, oCordeio ascenso. O cordeiro ressuscitou. Foi ascenso, e depois lá noApocalipse, o passo final: cordeiro foi entronizado. Lá em Apocalipse 4 e 5,quando João tem aquela visão. Lembra? Ele diz assim: Vi no meio do tronoum cordeiro como que recentemente imolado. Então a idéia da Expiação elacorre como um fio de prata por toda a Bíblia, do Gênesis ao Apocalipse e porisso ela é importante. Quando a gente então entra nessa assunto aqui emLevítico 16 - queria começar a fazer isso hoje e terminar Domingo - osirmãos vão ver porque nós selecionamos esse texto. Na tipologia talvez sejaum texto mais importante sobre a Expiação. O próprio dia leva esse nome.Esse dia é chamado: dia da Expiação. Os irmãos observem que vamoscomeçar a ver aqui alguns detalhes, observem que no versículo 17 diz assim:17 Nenhum homem estará na tenda da congregação quando ele (Arão osumo sacerdote) entrar para fazer(olhe essa palavrinha aqui) propiciação nosantuário, até que ele saia depois de feita a Expiação (primeiro detalhe
  13. 13. importante) por si mesmo, e pela sua casa, e por toda a congregação deIsrael. Essas duas palavras contém a mesma idéia. É claro. O versículo aquiestá muito evidente isso. O que é que Arão vai fazer? Ele vai fazerpropiciação ou vai fazer Expiação? Aí está dizendo que ele vai fazer os doise que as duas coisas são a mesma coisa. Ele vai entrar lá e fazer uma únicacoisa, que é Expiação ou propiciação. Então a primeira coisa a ver é que essaspalavras são intercambiáveis. A mesma idéia. Ela significa, em primeiro lugar,TIRAR A CULPA, REMOVER A CULPA, DESVIAR A IRA. É o primeirosentido dessa palavra Expiação ou propiciação. Existe uma tradução grega doVelho Testamento que é claro, no original é hebraico. Essa versão é chamada“dos setenta” ou Septuaginta. Nessa versão a palavra propiciação, é a palavrausada no grego para traduzir essa palavrinha Expiação do hebraico. Essapalavra “ilasterion”. (2433 ilaskomai hilaskomai )Talvez Domingo a gentefale um pouco dessa palavra, o conteúdo dela, a beleza dela, a profundidadedela. Ilasterion. Fala do propiciatório, desse acento de misericórdia, onde erafeita a propiciação. A idéia então, é a mesma. É importante os irmãosguardarem isso, porque no Novo Testamento, nós não vamos encontrar apalavra Expiação. Os irmãos vão encontrar a palavra propiciação. Domingo agente entra um pouco mais nesses detalhes. João quando escreve a suaepístola ele fala. Nós temos advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, e Ele é apropiciação pelos nossos pecados. É essa idéia. Propiciação, Expiação são amesma coisa. Agora, o que é que precisamos ver de importante então, emrelação com esse assunto do cap. 16 de Levítico? Vamos por partes aqui,irmãos. Versículo 29, primeiro. 29 ¶ Isso vos será por estatuto perpétuo: nosétimo mês(o mesmo mês daquela última festa do povo de Israel que elescelebravam a festa dos Tabernáculos), aos dez dias do mês, afligireis a vossaalma e nenhuma obra fareis, nem o natural nem o estrangeiro que peregrinaentre vós. Primeira coisa que nós então precisamos compreender: o dia daExpiação era um dia único no calendário do povo de Israel. Irmãos, só essefato já é assombroso, porque mostra o que é que Deus queria marcar na mente,na visão, na memória do povo de Israel de uma forma indelével, uma formairremovível. Era para ficar marcado como ferro na carne. Era esse dia. O diada Expiação. Por muitos motivos ele é singular. Talvez o maior motivo,seria que naquele dia então especial desse calendário, um dia por ano só, odécimo dia do sétimo mês, o Sumo Sacerdote, que era representante do povo,ele ia entrar em uma comunhão face a face com Deus. Ele não tinha direito defazer isso outros dias. Irmão, todo o livro de Hebreus, que se o Senhorpermitir, na próxima reunião, nós vamos ver à luz de Hebreus, sobre essetexto de Levítico, hoje nós vamos olhar um pouco a simbologia, em outra
  14. 14. reunião a realidade, no Domingo que vem, mas quando os irmãos forem verHebreus, os irmãos vão ver que todo esse livro é baseado nessa idéia. O livrode Hebreus tem esse pano de fundo. O assunto de Hebreus é Expiação. Oassunto de Hebreus é que Cristo é o nosso Sumo Sacerdote. Aliás, esse títulodado a Cristo, só aparece no livro de Hebreus. Nenhum escritor do NovoTestamento, nem Paulo, nem Pedro, nenhum deles, nem Tiago, nem Judas,nem ninguém, falou sobre o Senhor Jesus como Sumo Sacerdote. Só o autorde Hebreus. Essa idéia exclusiva de Deus, Ele é o nosso Sumo Sacerdote etodo o livro de Hebreus foi escrito como para lançar luz sobre esse Levítico16. Na verdade, outros aspectos do Livro de Levítico, mas essencialmenteesse capítulo 16. O Senhor Jesus é quem é o Cordeiro. O Senhor Jesus équem fez Expiação. O Senhor Jesus é quem entrou além do véu. Os irmãosveja que Arão levava o sangue além do véu. Os irmãos leram o texto. Entãoo livro de Hebreus vai dizer que o Senhor Jesus é quem entrou além do véu.Ele abriu esse caminho pelo seu próprio sangue. Arão oferecia aquelavitimazinha. Arão era o sumo sacerdote, a vítima era o animal. Quando vocêlê no livro de Hebreus, você vê que Jesus é os dois. Jesus é tanto o SumoSacerdote que Arão era um tipo, quanto é o cordeiro, o animal que foiimolado, a vítima. Ele é o sacrificador e Ele é o sacrifício. Ele é aquele quefez a oferta, e Ele próprio é a oferta. Idéia tremenda do livro de Hebreus. Issonão podia acontecer na tipologia, de maneira nenhuma. Ou a pessoa é oofertante, ou ela é a oferta. O livro de Hebreus mostra que Jesus era os dois.Ele é tanto o ofertante, aquele que ofereceu a Deus o perfeito sacrifício, que éEle mesmo. Que outro sacrifício Ele poderia oferecer a Deus senão Elemesmo, a própria vida Dele? Então Ele é o Sacerdote e Ele é o Cordeiro,tipificado aqui por duas entidades diferentes. Então a primeira idéiaimportante desse dia da Expiação, é que ele era um dia singular. A expressão do verso 29, ela é muito significativa. Metade do verso 29aí. Nenhuma obra fareis. Irmãos. Estão vendo aqui o que o Senhor quergravar na mente do povo? Irmãos. Nem sacerdote podia operar naquele dia.Muito menos o povo. Nenhuma obra fareis. Aquele sumo sacerdote, não ossacerdotes comuns. Tinham muitos sacerdotes, mas tinha só um sumosacerdote. Era uma linhagem. Quando morria um, o filho dele o sucedia, eassim ia. Um só era o sumo sacerdote. Naquele dia nem o povo e nemsacerdote nenhum fazia obra nenhuma. Era um dia em que tudo tinha queparar, tinham que observar uma única pessoa fazer uma única obra. Os irmãosestão vendo quão importante é essa idéia?E ressuscitaram, satisfez a Deus. Essa foi a visão de João, no Apocalipse. Osirmãos vejam aqueles seres viventes, aqueles anciãos, adorando em torno do
  15. 15. Cordeiro dizendo assim: Tu és digno porque compraste para Deus com o seusangue. Aquele que procede de toda tribo, língua e nação. É umacontemplação daquele que fez uma obra. Irmãos, é por aí que a nossa vidacristã começa. Essa idéia de “nenhuma obra fareis”, ela é muito importante.A nossa vida de segurança, a nossa vida de descanso, no Cordeiro de Deus, anossa vida que honra a Deus com esse descanso, com essa segurança, ela nãocomeça a não ser que vejamos a profundidade dessa obra. Irmão. Pense comvocê mesmo diante do Senhor. O que na sua vida pleiteia contra essaexpressão “nenhuma obra fareis”? Tudo o que decorre da nossa relação comDeus, vem resultado da nossa compreensão desse fato aqui. Cristo se ofereceupor mim e eu fui completamente aceito. Todo o erro que decorre da nossa vidacristã, tem por base a má compreensão dessa verdade. Quanto tempo vocêpassou ou ainda está passando, lutando com Deus para ser aceito? Quantotempo você passou ou quem sabe está passando, pleiteando com Deus paraquem sabe, produzir diante dele, um saldo maior na tua relação com Ele?Todo distúrbio na nossa vida cristã, tem como base a má compreensão dessaprimeira grande verdade que o dia da Expiação anuncia. O Senhor Jesusofereceu uma única oferta, como diz o livro de Hebreus, e com uma únicaoferta Ele aperfeiçoou para sempre, aqueles que hoje estão sendosantificados. Estamos no processo, estamos sendo santificados, mas esse é umoutro assunto. O assunto do dia da Expiação, não é santificação. O assuntodo dia da Expiação é que esse sangue foi derramado, para que nós, o quartoelo da corrente, que a gente vai falar aí mais tarde nos estudos, nós fôssemosjustificados. A Expiação é a base do próximo passo que vem aí naqueles oitoalicerces: Justificação. Sem a Expiação não poderia haver a Justificação.Deus vai nos justificar baseados no quê? No que que Ele vai nos justificar?Baseado no quê? Nas nossas obras? Na nossa boa vontade? Em nosso desejopor Ele? Nem sequer temos isso, naturalmente falando. Baseado no que queDeus pode nos justificar? No fato de que nós somos melhores que os outros?Será? A Bíblia diz: todos pecaram e destituídos da glória de Deus. Entãobaseado no quê Deus pode nos considerar justos? Nos justificar. Baseado nanossa fé no sangue precioso do Cordeiro derramado. Expiação. Então osirmãos vejam que tudo o que decorre da vida cristã, tem por base uma mácompreensão desse fundamento. Irmãos, nós podemos orar de forma errada,ler a palavra de forma errada, reunir de forma errada, nos relacionar de formaerrada, fazer tudo de forma errada, por causa da nossa má compreensão dessaverdade. Nenhuma obra servil fareis. Tudo parado. Outro detalheimpressionante. Quais eram as vestes do sumo sacerdote? São detalhes ricosnesse capítulo, todos eles. As vestes do sumo sacerdote, os irmãos conhecemmuito bem. Era uma veste que era uma parefernalha. Cores de tudo o quanto
  16. 16. é jeito. A roupa dele tinha azul, púrpura, carmesim, tipificava os ministériosde Cristo como sacerdote, rei. Tinha o linho fino retorcido, misturado comtudo isso. Tinha uma mitra da cabeça com uma lâmina de ouro, escritoSantidade ao Senhor. Era uma veste toda paramentada e multicolorida. Era aveste do sumo sacerdote. Agora veja um detalhe. Não era com essas vestesque ele entrava no Santo dos Santos no dia da Expiação. Não é impressionanteirmãos? Ele usava essa veste o ano inteiro. Se você olhasse para aquelafigura: “Aquele lá é o sumo sacerdote”. Ele era diferente de todo mundo.Aquelas vestes toda colorida, tipificando os ministérios de Cristo, aquela mitrana cabeça, mas o dia em que ele entrava no Santo dos Santos, no dia daExpiação ele não usava essas vestes. Esse é um detalhe impressionante eimportante. Se você ler o verso 4 está muito claro. E depois se você ler overso 24, você vai ver igualmente claro, quando mostra quando aquele bode élevado para o deserto, Arão vem para dentro da tenda da congregação - verso23 - e no 24 fala assim: ele banha o seu corpo com água, banho geral mesmo,em água no lugar santo e olhe agora: e porá as suas vestes. Agora são asvestes que ele usa, as coloridas. Agora ele vai por, porque aquela que ele usou,olhe lá no verso 23, depois Arão virá à tenda da congregação e despirá asvestes de linho, que havia usado quando entrara no santuário. Está muitoclaro, no verso 23, está vendo? Ele tira toda aquela colorida, aquela quetipificava os ministérios de Cristo e ele veste uma que está descrita no verso 4.Como que é essa veste que ele vestia no verso 4? Olhe aí. 4 Vestirá ele atúnica de linho, sagrada, terá as calças de linho sobre a pele, cingir-se-á como cinto de linho e se cobrirá com a mitra de linho; são estas as vestessagradas. Banhará o seu corpo em água e, então, as vestirá. Túnica de linho,calça de linho, cinto de linho, mitra de linho. Quatro elementos só. Os irmãosestão vendo que não é aquele homem plenamente manifestado nos seusofícios, no seu ministério sumo sacerdotal? Mas agora há um homem despidode tudo aquilo e vestido só com linho. Um detalhe impressionante. Por que?O linho fino, branco, puro, na Bíblia tem uma figura só, um símbolo só:Justiça de Deus. A Justiça de Deus. Era com essas vestes que ele entrava.Irmão. Que coisa impressionante. Imagina aquele homem todo branquinho,com essas vestes e entrando no Santo dos Santos. Todos os trezentos esessenta e quatro dias do ano ele vestia aquela veste, aquela parafernália toda,mas no dia da Expiação era aquela roupa branquinha, como você está vendoaí. Quatro itens, inclusive a mitra, de linho. Então, com aquela roupa eleentrava no Santo dos Santos. Aquilo significa perfeita justiça. A gente vai verno Domingo no livro de Hebreus que coisa linda, quando o livro de Hebreuslança luz sobre isso no cap. 7 de Hebreus. Cap. 7 diz assim que “nos convinhaum sumo sacerdote assim como esse”. Olha o livro de Hebreus lançando luz
  17. 17. sobre Levítico. Nos convinha. Hebreus 7:26 e 27. Nos convinha um sumosacerdote assim como esse. Esse Cristo. Está falando de Cristo, Santo,inculpável, ou sem mácula. Está vendo porque Arão entrava lá todobranquinho? Inculpável, Santo, sem mácula. Separado dos pecadores e feitomais alto do que os céus. E aí o autor de Hebreus diz assim: um sumosacerdote tal que não tem necessidade de oferecer sacrifícios por si mesmo.Arão fazia isso. Se você olhar aqui nos versos 11 a 14, Arão está oferecendosacrifício por ele mesmo. Por que? Porque ele não é o cordeiro de Deus,porque ele não é o Senhor Jesus, porque ele não é sem pecado. Arão era umpobre e miserável pecador, como qualquer um de nós. Então primeiro eleoferece sacrifício por ele, para que depois ele, coberto com esse sangue,mesmo que tipologicamente, ele pudesse oferecer sacrifício pelo povo. Osirmãos vêem a ordem? Como que Deus poderia aceitar da mão de Arão umsacrifício pelo povo? Arão era um pecador, e então, para que Arão pudesserepresentar o povo todo, ele próprio deveria estar coberto pelo sangue. Não élindo irmãos!! Você vê que Arão não tem suficiência nenhuma para oferecernada a Deus, assim como homem nenhum. Se o sumo sacerdote não tem,quem tem? Então Arão tinha que oferecer por ele mesmo e pela sua casa.Olhe lá o verso 11. Arão fará chegar o novilho da sua oferta pelo pecado. Elefará Expiação por si, pela sua casa. Mas aí, quando você vê em Hebreus otexto que eu citei, a gente vai ver na outra reunião, o Senhor Jesus não éassim. Ele é santo, inculpável, separado dos pecadores, ele não temnecessidade de oferecer sacrifício por Ele, porque Ele é perfeito, e Ele entãopenetrou os céus. Então você vai ver o tempo todo livro de Hebreus lançandoluz aí nessa tipologia. Então guarde essa primeira idéia importante. Arão,ele tira todas aquelas roupas coloridas. Ele veste uma roupa branca de linhofino, puro, branco, Justiça de Deus. E ele entra então ali nos Santo dos Santos.Todo sacerdote param. Ninguém faz nada. “Nenhuma obra fareis”. O Senhordisse que se alguém nesse dia fizesse alguma coisa seria exterminado do meiodo povo. Só Arão poderia oficiar, porque era uma figura de Cristo. Irmão nãohá nenhuma obra que nós poderíamos fazer para acertar a questão de culpa nanossa consciência. Nenhuma obra para nos livrar do domínio. São as questõesdo pecado. Nenhuma obra nos livraria do domínio do pecado. Nenhuma obranos livraria da corrupção do pecado. Irmão. Você está claro sobre isso? Está,suficientemente claro? Nenhuma obra sua te livraria da culpa. Nenhumaobra sua te livra do domínio do pecado. Sabe o que é que a religião faz? Omestre da religião é o demônio, é satanás. Ele usa a religião como um fole,para soprar dentro do homem, inflar o homem, para tentar produzir nele, umajustiça própria. Então, o que é que eu devo fazer? Eu estou com problemacom Deus. Eu tenho culpa na minha consciência. Estou com problema na
  18. 18. minha vida. Tem pecado. Quero fazer o bem, mas não consigo fazer o bem. Etudo o que eu toco eu contamino, eu destruo. E eu não consigo resolver isso. Oque é que eu faço? A religião vai te ajudar. Você deve freqüentar reuniõestantas vezes por semana, deve dar as suas ofertas, deve fazer esse ou aqueleritual, você deve se penitenciar, e etc, etc, etc. Obras mortas. Livro deHebreus usa essa expressão. Obras mortas, porque nenhuma obra fareis. Nósnão podemos fazer nenhuma obra para resolver nenhum desses três assuntos.Nossa culpa foi tratada na cruz de Cristo pela morte Santo, puro e perfeitocordeiro de Deus. A nossa escravidão ao pecado, tratada lá da mesma forma.O pecado não terá domínio sobre vós, porque não está debaixo da lei e sim dagraça. E a corrupção do pecado, tratada lá também, porque aqueles que estãoem Cristo, são uma nova criatura. As coisas velhas já passaram, tudo se feznovo. Não vivo eu, mas Cristo vive em mim. Cristo está sendo formado emnós, à medida em que nós andamos em relação com Ele, em comunhão, peloespírito, pela palavra. Cristo está sendo formado em nós. Então os trêsassuntos estão resolvidos. Culpa, domínio e corrupção, através de uma obrasó. É o que o livro de Hebreus diz: Hebreus 10:14 Porque, com uma únicaoferta, aperfeiçoou para sempre quantos estão sendo santificados. Irmãos.Nós precisamos chover muito nesse molhado. Muito. Parece que você vemouvindo essas verdades há vinte anos. Talvez alguns aqui há trinta anos. Eumesmo venho tendo contato com essas verdades a vinte e cinco anos. Mas seráque é o suficiente? Será que a minha própria vida, o meu coração, a minhavontade, minha mente, as minhas emoções, minha consciência tem desfrutadopleno descanso nessa verdade? Cristo se ofereceu por mim. Sabe o que algunsdentro do cristianismo dizem? Dizem que essa verdade é perigosa. Sabe porque é que é perigosa? Porque se realmente você ver assim, que Cristo feztudo, que Ele realmente perdoou todos os seus pecados, que você nãocontribuiu com uma fagulha de obra alguma, tudo com o que você poderiacontribuir era contaminado, era sujo aos olhos de Deus, porque qualquer frutoque procede de uma árvore má, é mau. E a nossa árvore era má. A Bíblia dizque de dentro do coração do homem é que procede um monte de fruto.Furtos, impureza, maldades, lascívia, dolo, loucura, não é? A árvore é má,pois só produz mau fruto. Então nós não podíamos fazer nada com relação aesse assunto na nossa relação com Deus. Então será que nós temoscompreendidos suficientemente o que Cristo fez? Será que nós temos pelejadocom Deus para nos sentirmos mais aceitos, de alguma forma? Quando nóspecamos, o que é que nós fazemos? Nós corremos de Cristo, ou corremospara Cristo? Depende da nossa visão de Expiação. Se nós cremos que Cristomorreu por todos os nossos pecados, então quando nós pecamos nós corremospara Cristo. Agora, se nós cremos que a nossa relação com Cristo é
  19. 19. condicional e que quando nós pecamos nós corremos o risco de perdemos asalvação, quando nós pecamos nós vamos tentar resolver o problema dosnossos pecados por nós mesmos, para chegarmos diante de Cristo e falarmos:“Olhe aí Senhor. Foi o melhor que eu pude resolver, para acertar a situação.Agora estou eu aqui de novo.” Então as pessoas, muitas, entendem que ver agraça como ela é na Bíblia, nós temos que chegar nesse assunto com cuidado,porque isso poderia levar os cristãos à leviandade. “Mas então tudo está feitoassim? Então eu posso viver uma vida assim”. Irmão, ninguém que tenhavisto a graça, de verdade, vive de outro modo que não seja para agradar aDeus. Isso é um princípio Bíblico. A Bíblia diz assim: Quanto mais seperdoa, mais ama. Aquele a quem muito se perdoa, muito ama. Então,quanto mais claro nós estamos sobre a visão da cruz, mais nós queremosagradar a Deus, mais nós amamos a Deus, mais nós andamos perto Dele. Nãose deixe enganar. Se essa luta na sua vida não está resolvida, você vai darmaus passos na vida cristã. Agora, se esse assunto está resolvido, você vaicomeçar a caminhada de uma maneira que satisfaz a Deus. O assuntoenvolvido não é mais aceitação. Você sabe que o seu coração ainda é mau,ainda há coisas na sua vida que ainda devem ser mudadas. Quanto de Cristovocê ainda precisa? Esse é um outro assunto. Esse é um assunto santificação,mas você sabe que você é Dele e nada o separará do amor Dele. Você sabeque é Ele quem cuida da sua vida, e somente Ele, que Ele é quem disciplina asua vida, e somente Ele. Que Ele não dependurou você em uma linha e teficou balançando entre o céu e o inferno. Céu e inferno. Quando você não estácom as motivações muito boas, Ele põe do lado do inferno para você sentir ocalorzinho. Quando você melhora as suas motivações Ele ter puxa para o ladodo céu, para você sentir o bem estar. Você está balançando por um fio.Cuidado como você anda. Isso não é a visão bíblica. Visão Bíblica é queCristo se ofereceu uma única vez pelos pecados. O justo pelos injustos, paranos conduzir a Deus. Eu lhes dou a vida eterna. Jamais perecerão e ninguémlhes arrebatará da minha mão. Então irmão, se nós não temos clareza comrelação a esse ponto focal do dia da Expiação, nós nos perdemos em todas asoutras verdades. Um último ponto que eu quero colocar para os irmãos. NoDomingo a gente continua. Vamos falar um pouco sobre esses... Abra a sua bíblia em Ezequiel, cap. 44. Deixem-me dar um detalheaqui para os irmãos, a respeito desse serviço do sumo sacerdote, bem rápidopara nós terminarmos. Domingo se o Senhor permitir, nós vamos ler algunsversículos de Hebreus, procurar lançar mais luz sobre esse dia da Expiação,para compreender melhor. Principalmente aquela questão dos dois bodes. Éum detalhe que não se pode passar por alto ali, dentro dessa visão deExpiação. Por que dois bodes? Por que era tão singular assim? Um bode
  20. 20. morto e outro bode para o deserto. Lá diz que os dois faziam uma única obra.Os dois eram apresentados juntos. Os dois bodes juntos. O Senhor quer nosfalar algo duplo, a respeito da Expiação. Primeiro a base dela, o meio dela, edepois o resultado dela. A gente vê isso depois na próxima reunião. Mas sóum pequeno detalhe sobre o sumo sacerdote, que é o que a gente tem faladoaqui. Arão vestindo aquelas vestes de linho, entrando só com elas no dia daExpiação, mais nada, tipificando aquela perfeita Justiça de Cristo. Mas olhe ocapítulo 44 de Ezequiel. Verso 17 e 18. Como eu disse são muitos detalhes ea gente vai ter mais um que não aparece lá em Levítico e nos livros da Lei. 17¶ E será que, quando entrarem (ele está falando dos sacerdotes) pelas portasdo átrio interior, usarão vestes de linho (mesma coisa que nós vimos lá); nãose porá lã sobre eles, quando servirem nas portas do átrio interior, dentro dotemplo. Tiaras de linho lhes estarão sobre a cabeça, e calções de linho sobreas coxas(mesma coisa que em Levítico 16:4. Há porém, um detalhe aqui quenão está lá - por isso que diz para eles não usarem lã); não se cingirão aponto de lhes vir suor. O que é que os irmãos acham desse detalhe? Estáordenado ao sumo sacerdote, que ele não deveria suar quando ele estivesseoferecendo esse sacrifício no dia da Expiação. Por isso ele ia usar roupas delinho, e só roupas de linho, que são fresquinhas, que são absorventes, nãousariam lã - lã é muito quente – e então ele não deveria derramar suor quandoele estivesse oferecendo aquele sacrifício. Por que? Porque ali não tinha nadada obra do sumo sacerdote. Ali não tinha nada de Arão. Ali não era Arãofazendo uma obra dificultosa para produzir algo. Ali era Arão simplesmentecomo símbolo. Era Arão simplesmente como um tipo. Ele não podia suar,porque não era obra de Arão. Que linda figura. Arão estava ali apenas comotipo de alguém maior do que ele, muito maior do que ele. Cristo, que ofereceuentão aquela oferta perfeita a Deus, pela qual nós fomos justificados. Nãodeveria suar. No Livro de Levítico 16: “nenhuma obra servil fareis” Tudoparava. Até os sacerdotes. Eles ficavam contemplando aquele homem entrarno Santo dos Santos. Sabe o que ele fazia? Ele degolava o animal quando eleoferecia por ele mesmo, a oferta - vou colocar só o quadro para a gentecontinuar Domingo - ele matava o animal, degolava, ou seja, cortava opescoço, para facilitar extrair um pouco do sangue que era derramado naspontas dos chifres do altar do holocausto, o altar de bronze que estava lá fora,aquele primeiro móvel – os irmãos que conhecem o tabernáculo sabem,molhava as quatro pontas do chifre, a parte mais alta, as quatro pontas. Qualque é a simbologia disso? O sangue é para Deus. A parte mais alta. Deus é quedeveria ver o sangue. Quando aquele animal foi morto no Egito, lembra o queo Senhor falou? Passe o sangue do lado de fora da porta. “Quando Eu vir osangue, passarei por cima de vós”. A questão era Deus ver o sangue. Não era
  21. 21. o pai de família ver o sangue. A questão é Eu vir o sangue, o Senhor falou.Êxodo 12: 13. Quando eu vir o sangue passarei por cima de vós. Mesma idéiaali. Arão pegava aquele sangue e punha nos quatro chifres. Deus é quemdeveria ver o sangue. Claro que simbolicamente. Deus vê tudo. A simbologia,eu queria deixar isso claro. Ponta dos chifres. Depois ele já estava com o seuincensário na mão, a cerimônia era assim: Ele pegava um pouco de brasadesse altar do holocausto do sacrifício, onde o animalzinho já foi degolado ali,o sangue já foi passado, ele pegava umas brasas deste altar, não poderia terfogo estranho, brasa dali, punha no seu incensário. Então ele saia carregando osangue em uma mão, um pouco do sangue que ele tirou na bacia, o seuincensário na outra. Aí ele ia lá para dentro daquele primeiro quartinho, queera o lugar santo - não era o santíssimo ainda - aí ele parava em frente aoaltar do incenso - se você ler a narrativa de 11 a 14 do capítulo 16 você vaiver. Ele parava na frente do altar de incenso e o que é que ele fazia? Elepegava incenso. Se não me engano aí no verso 12 ou 13 diz: dois punhados.Quer dizer, duas mãos cheias de incenso, aromático, bem moído. Então elepegava aquele incenso, em cima das brasas, e quando ele jogava, começava afumegar, e ele entrava, passando o segundo véu, dentro do santo dos santos.Quando ele entrava no Santo dos santos, ele tinha sangue em uma mão, nabacia, e na outra o incensário com as brasas e o incenso exalando aquelafumaça. E como diz a narrativa de Levítico 16 aquilo cobria o propiciatório.Quem que estava ali no propiciatório? Shekina. A própria presença de Deus.Irmão. Isso era algo tremendo, porque antes mesmo deles celebrarem essedia, lembram do que aconteceu com dois filhos de Arão? Lá é muito claro,qual foi o problema desses filhos de Arão que eles foram exterminados diantedo Senhor, mas eu creio que se você ler, faça isso depois, o capítulo 10 e o 16juntos, você vai ver que tem uma correlação imensa o 10 e o 16, e sugere,fortemente que os dois filhos de Arão, entenderam que os dois filhos de Arãotinham o direito de entrar no Santo dos Santos. Eles só tinham que fazer damaneira certa. Levar o incensário, as brasas, levar o que precisava e entrar lá,e os irmãos lembram que os dois entraram, e houve um incêndio tremendo. Osdois morreram queimados. Os dois filhos de Arão, filhos do sumo sacerdote.Então quando começa o capítulo 16 que tem relação com o 10, Deus falaassim para Moisés: Fala para o teu irmão Arão que ele não entrar no Santo dosSantos em todo o tempo. Ele não vai entrar lá em todo o tempo, e qual que erao motivo de nem Arão entrar lá todo o tempo? Sabe qual que era o motivo? Éque havia alguém lá dentro. Essa é uma idéia importante aí no dia daExpiação. Lá dentro havia a Shekina, a glória de Deus. Quando os dois filhosde Arão entraram, foram fulminados. Se Arão entrasse seria fulminadotambém. Ele só podia entrar uma vez ao ano e com essa simbologia toda, o
  22. 22. sangue e o incenso, porque acima do propiciatório, o Senhor havia dito paraMoisés, ali Eu virei, ali Eu aparecerei. Então Arão ia ter um contato diretocom a Shekina, a glória de Deus. Isso para o povo era muito importante. Parao povo era uma segurança de que Deus estava em comunhão com eles, seArão pudesse entrar lá e sair de lá vivo. Os irmãos compreendem essequadro? Para nós as vezes não parece muito nítido, sabe por que? Porqueaquele povo viu aquele monte fumegando. Aquele povo viu aquela voztremenda naquele monte. Tiveram um medo tremendo. Falaram para queMoisés subisse, tivesse com comunhão com Deus. Veja o que Ele quer, depoisvem e fala para a gente. Eles temiam diante daquele monte fumegante. Elestinham até literalmente, aquele medo, aquele terror da santidade de Deus.Então quando o Senhor disse que Ele estaria no propiciatório, aquilo eraterrível para ele. Então, quando Arão entrava lá e conseguia sair de lá, estavatudo bem. Deus estava satisfeito porque se Deus não tivesse satisfeito, Arãoentraria lá e morreria lá mesmo. Fulminado, como os seus dois filhosmorreram. Então, os irmãos vejam o quão importante era esse dia. Tudo issofala de Cristo. O Senhor Jesus entrou na morte, o senhor Jesus venceu amorte, o senhor Jesus ascendeu aos céus, Ele foi ressuscitado dos mortos poresta Shekina, diz o Novo Testamento – ressuscitado pela glória de Deus, pelaglória do Pai, e esse sacrifício então é perpétuo. Hebreus diz que ele é umaâncora da alma, além do véu. E Ele permanece lá por nós, como esse eternoSumo Sacerdote, vive para interceder por nós. Então, toda essa simbologia aíganha uma beleza maravilhosa quando a gente vai ao livro de Hebreus, que éo que a gente vai procurar fazer no Domingo para que o Senhor amplie anossa visão de Expiação. Mas irmão, leve ao Senhor, desde já, essas questões que nóspartilhamos hoje. Lá na sua consciência, no seu coração, você tem essamarca? Nenhuma obra servil fareis. Você tem essa marca bem marcada noseu coração? Nada que você fizesse poderia te tornar aceitável, agradável. Sevocê tem essa marca, o que é que ela produz em você? Adoração, segurança,louvor, motivo para realmente viver de uma forma agradável a Deus?Quando você vê o Senhor Jesus, como é que você o vê, esse que penetrou oSanto dos Santos? Na mesma figura que Arão nessas roupas de linho,perfeita Justiça? Satisfez plenamente a Deus. Quando você olha para osenhor Jesus, você vê o sangue e o incenso? Você vê essa vida pura oferecida,e essa intercessão perene diante do Pai, esse que vive para interceder por nós –figura do incenso? Vê isso? Se você vê isso, você é um adorador. Se você vêvocê está seguro. SE você vê você tem a única motivação para a vida santa.Nenhuma outra é. Nada. Somente essa. O amor de Cristo nos constrange. Ummorreu por todos, logo todos morreram, e Ele morreu por todos para os que
  23. 23. vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por ele morreu eressuscitou. Os irmãos estão vendo como que essa compreensão afeta tudo? Nãodeixe que a visão da graça, na sua vida, esteja aquém, senão não é a graça. Agraça fala de total e plena satisfação de Deus. Estamos salvos. Somos dele.Ele satisfez a Deus. Nós somos ovelhas do seu pastoreio. Ovelhas precisam terpernas quebradas, muitas vezes. Ovelhas tolas, muitas vezes, como nós vimosna reunião passada, mas ovelhas. Ovelhas de seu pastoreio. Então irmãos éisso que produz celebração em nós e o dia da Expiação era para que o povoficasse claro com relação a isso. Ninguém trabalha. É Sábado de descanso.Afligirei nas vossas almas, porque vocês são pecadores, era outra ordenançadesse dia. Vocês vão afligir as suas almas. Vocês não tem nada para fazer. Sóafligir as suas almas, porque vocês são pecadores. Afligireis as vossas almas enão vão fazer obra nenhuma. Só o sumo sacerdote vai fazer uma alma, umaobra que falava tudo de Cristo, de forma simbólica, mas falava tudo. Tudo demais importante. Que o Senhor então nos ajude a estarmos solidificados sobremais esse alicerce. Expiação. Ele realizou Expiação, e nós somos gratos aoSenhor por isso. Nós nos alegramos Nele, adoramos a Ele. Amém. Ó Pai. Pedimos ao Senhor, que gere em nós o Senhor mesmo pela tuapalavra, essa compreensão Senhor aprofundada em nossos corações. Nosajude ó Pai. Nos ajude a ver, sempre, de forma nítida aos nossos olhos, a nossainabilidade, a nossa insuficiência, a nossa total capacidade de fazer qualquercoisa aceitável a Ti, por nós mesmos. Ajuda-nos ver com mais clareza a glóriada obra do teu Filho, realizada ali na cruz do calvário. Ajuda-nos a contemplarcom mais exatidão, para que os nossos corações possam te adorar com maiorgratidão. Pedimos que o Senhor mesmo possa estar ministrando aos nossoscorações Senhor, aclarando a nossa visão da glória , da pessoa e da obra doTeu Filho. Nós entregamos a Ti, nossas vidas, os nossos corações, a Tuapalavra, para que o Senhor prossiga, ministrando aos nossos corações, emnome de Jesus, amém.

×