Training Within Industry2

2.425 visualizações

Publicada em

Apresentação feita para os alunos do curso de Engenharia de Produção da FUNEDI / UEMG Divinópolis - MG. Melhoramento de métodos de trabalho.

Publicada em: Educação
1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.425
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
398
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
100
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Training Within Industry2

  1. 1. Training Within Industry - TWI Melhoramentos de métodos de trabalho http://www.slideshare.net/lessa312
  2. 2. Ao final do programa o participante deverá... <ul><li>Conhecer o papel do estagiário no contexto da melhoria e inovação </li></ul><ul><li>Ter domínio da metodologia de 4 passos para melhoria de métodos. </li></ul><ul><li>Conhecer ferramentas de racionalização </li></ul><ul><li>Ter capacidade de elaborar, redigir e apresentar propostas de melhoramentos. </li></ul><ul><li>Estar apto a utilizar a Rede de Tecnologia </li></ul>
  3. 3. Programação <ul><li>Dia 27 de março de 2010 </li></ul><ul><li>Das 9 às 12h e 13 às 16h </li></ul><ul><li>Carga horária total: 6 horas </li></ul><ul><li>Carga horária teórica: 3 horas </li></ul><ul><li>Carga horária / prática: 3 horas </li></ul>
  4. 4. Conteúdo programático <ul><li>Conceitos básicos: melhoria e inovação </li></ul><ul><li>Racionalização de métodos de trabalho </li></ul><ul><li>Papel do estagiário </li></ul><ul><li>Análise e decomposição </li></ul><ul><li>Princípio da dúvida sistemática </li></ul><ul><li>Elaboração e implantação de métodos </li></ul><ul><li>Noções de produção e produtividade </li></ul><ul><li>Princípios de tempos e movimentos </li></ul><ul><li>Noções de lay out </li></ul><ul><li>Como redigir proposta de melhoria </li></ul><ul><li>Recursos na busca da informação tecnológica mg.retec.org.br </li></ul>
  5. 5. Melhoria e inovação <ul><li>Melhoria é transição para o melhor: </li></ul><ul><ul><li>Forma </li></ul></ul><ul><ul><li>Adaptação parcial </li></ul></ul><ul><ul><li>Lembra: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Metodologia </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Qualidade total </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Foco na operação </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>“ Fenômeno Físico” </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Melhoria do existente </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Eficiência operacional </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Referência própria Empresa </li></ul></ul></ul><ul><li>Inovação é um salto quântico: </li></ul><ul><ul><li>Conteúdo (essência) </li></ul></ul><ul><ul><li>Transformação total </li></ul></ul><ul><ul><li>Lembra: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Tecnologia </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Reengenharia </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Foco na estratégia </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>“ Fenômeno Químico” </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ruptura com o existente </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Eficácia mercadológica </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Referência é o mercado </li></ul></ul></ul>
  6. 6. Conceitos preliminares <ul><li>Racionalizar é influir com algo de racional, fazendo uso da razão, do bom senso e do raciocínio. </li></ul><ul><li>Técnica é em essência a execução (em si). Seu estudo é a tecnologia . </li></ul><ul><li>Método é o caminho para execução. Seu estudo é a metodologia . </li></ul><ul><li>Processo é o conjunto de etapas ordenadas, sucessivas e complementares </li></ul>
  7. 7. Racionalização e seus princípios <ul><li>Tudo pode ser constantemente melhorado; </li></ul><ul><li>Fazer melhor uso do que se tem à disposição; </li></ul><ul><li>As pessoas tendem a se habituar à forma tradicional de fazer as coisas (apego a rotina); </li></ul><ul><li>As pessoas resistem às mudanças (ao novo); </li></ul><ul><li>KAIZEN (pequenas melhorias todos os dias); </li></ul><ul><li>Eliminar movimentos desnecessários; </li></ul><ul><li>Mudar não significa evoluir; </li></ul><ul><li>yt4 </li></ul>
  8. 8. Mega tendência Responsabilidade Socioambiental <ul><li>Uso de fontes alternativas de energia </li></ul><ul><li>Racionalização de recursos naturais </li></ul><ul><li>Produção mais limpa – não poluente </li></ul><ul><li>Formas de inclusão </li></ul><ul><li>Saúde e bom ambiente de trabalho </li></ul><ul><li>Segurança no trabalho e patrimonial </li></ul><ul><li>Reciclagem de resíduos industriais </li></ul>
  9. 9. Qual o papel do estagiário no contexto da inovação e tecnologia? <ul><li>Seguir o plano de atividades com bom senso. </li></ul><ul><li>Aprender e intercambiar seus conhecimentos. </li></ul><ul><li>Observar e registrar pontos a serem melhorados. </li></ul><ul><li>Conhecer as metodologias próprias. </li></ul><ul><li>Elaborar propostas de melhoria e inovação </li></ul>
  10. 10. 4 passos para melhoria de métodos de trabalho <ul><li>Analise o trabalho </li></ul><ul><li>Critique cada detalhe </li></ul><ul><li>Elabore o novo método </li></ul><ul><li>Aplique o novo método </li></ul>Analise Critique Elabore Aplique
  11. 11. Análise <ul><li>Decomposição de um todo nos elementos que o constituem. </li></ul><ul><li>Exame de cada elemento de um todo. </li></ul><ul><li>Investigação, pesquisa, estudo. </li></ul><ul><li>yt3 </li></ul>
  12. 12. Exemplo: fazer café <ul><li>Colocar a água pra esquentar </li></ul><ul><li>Pegar o recipiente para colocar o café </li></ul><ul><li>Pegar o coador e pó de café </li></ul><ul><li>Adicionar o pó de café ao coador </li></ul><ul><li>Aguardar até a água chegar à temperatura ideal </li></ul><ul><li>Adicionar a água quente ao pó </li></ul><ul><li>Aguardar </li></ul><ul><li>Adicionar mais um tanto de água </li></ul><ul><li>Aguardar </li></ul><ul><li>Colocar o café preparado na garrafa térmica. </li></ul><ul><li>Servir o café </li></ul>
  13. 13. Passo 1 - Análise <ul><li>Observe e anote como o trabalho esta sendo feito (fotos e filmagens). </li></ul><ul><li>Obtenha dados com quem esta fazendo. </li></ul><ul><li>Diagrame o método atual. </li></ul><ul><li>Registre em cada fase informações do tipo: tempo, distância, risco,desperdícios, interrupções, atrasos, monotonia, fadiga, falta de sincronismo, ordem , etc. </li></ul><ul><li>yt2 </li></ul>
  14. 14. Fazer café <ul><li>O Colocar a água pra esquentar </li></ul><ul><li>Pegar o recipiente p/ colocar café </li></ul><ul><li>Pegar o coador e pó de café </li></ul><ul><li>O Adicionar o pó de café ao coador </li></ul><ul><li>D Aguardar até a água chegar à temperatura ideal </li></ul><ul><li>O Adicionar a água quente ao pó </li></ul><ul><li>D Aguardar </li></ul><ul><li>O Adicionar mais um tanto de água </li></ul><ul><li>O Aguardar </li></ul><ul><li>O Repetir a operação </li></ul><ul><li>O Repetir a operação </li></ul><ul><li>O Repetir a operação </li></ul><ul><li>O Colocar o café preparado na garrafa térmica. </li></ul><ul><li>Servir o café </li></ul><ul><li>Mais ou menos 1 litro </li></ul><ul><li>5 metros </li></ul><ul><li>Abaixar-se e pegar de baixo da pia </li></ul><ul><li>Mais ou menos 4 colheres </li></ul><ul><li>Não deixar ferver </li></ul><ul><li>Um tanto por vez </li></ul><ul><li>20 segundos </li></ul><ul><li>Mais um tanto </li></ul><ul><li>20 segundos </li></ul><ul><li>20 segundos </li></ul><ul><li>+ um tanto </li></ul><ul><li>Idem anterior </li></ul><ul><li>Com cuidado </li></ul><ul><li>Mais ou menos 5 metros à mesa </li></ul><ul><li>. </li></ul>
  15. 15. Diagramar <ul><li>Ao observar e anotar as etapas de cada processo, podemos fazê-lo de forma: </li></ul><ul><ul><ul><li>Geral – em passos menos detalhados ou mais resumidamente. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Detalhado – em passos minuciosamente observados e registrados em seus menores movimentos. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Misto – hora geral e hora detalhado de acordo com o interesse e objetivo da análise. </li></ul></ul></ul><ul><li>Ao fazer a diagramação, podemos utilizar a simbologia a seguir... </li></ul>
  16. 16. ...Simbologia <ul><li>= Operação – tudo que adianta, dá um </li></ul><ul><li>passo a mais na tarefa – agrega valor. </li></ul><ul><li>= Transporte – deslocamento – transferência de um lugar para outro. </li></ul><ul><li>= Demora – interrupção inerente ou não. </li></ul><ul><li>= Armazenamento – guarda – estoca </li></ul><ul><li>= Inspeção – verificação - comparação </li></ul>
  17. 17. Orientações analíticas <ul><li>O conjunto de operações, de modo geral, agregam valor ao processo. </li></ul><ul><li>As demais ações, ou seja, demora – transporte – armazenamento e *inspeção adicionam custos ao processo, ainda que inerentes ao processo. </li></ul><ul><li>Inspeções, em alguns casos podem ser encarados como elementos que agregam valor . </li></ul>
  18. 18. Orientações analíticas <ul><li>Observe os pontos de estrangulamento (gargalos) </li></ul><ul><li>Observe quais são os trabalhos pesados ou desagradáveis: </li></ul><ul><ul><li>Qual a freqüência e repetição. </li></ul></ul><ul><ul><li>Qual o nível de esforço físico e mental dispensado. </li></ul></ul><ul><ul><li>Onde a saúde e segurança são ameaçados: ruído, calor, periculosidade, insalubridade, etc. </li></ul></ul><ul><ul><li>Onde há maior índice de poluição ou qualquer risco ao meio ambiente </li></ul></ul><ul><ul><li>yt5 </li></ul></ul>
  19. 19. Passo 2 – Análise crítica <ul><li>Questione: </li></ul><ul><ul><li>Por que deve ser feito? </li></ul></ul><ul><ul><li>Qual a finalidade? </li></ul></ul><ul><ul><li>Onde pode ser feito? </li></ul></ul><ul><ul><li>Quando fazer? </li></ul></ul><ul><ul><li>Quem deve fazer? </li></ul></ul><ul><ul><li>Como deve ser feito? </li></ul></ul><ul><ul><li>É necessário? </li></ul></ul><ul><ul><li>Justifica-se? </li></ul></ul><ul><ul><li>Em que local? </li></ul></ul><ul><ul><li>Em que momento? </li></ul></ul><ul><ul><li>Qual é a pessoa? </li></ul></ul><ul><ul><li>Qual é o método? </li></ul></ul><ul><li>Anote somente as idéias (novas) para melhoria </li></ul><ul><li>yt6 </li></ul>
  20. 20. Idéias surgidas da crítica <ul><ul><ul><li>Medir um litro exato + a perda por evaporação </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Armazenar todo material e insumos juntos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Utilizar medida padrão de café </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Controlar o tempo exato para não passar ponto </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Utilizar tempo livre p/ outras operações (colocar mesa) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Utilizar caneca graduada para despejar 200ml x vez </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Adquirir garrafa térmica nova </li></ul></ul></ul>
  21. 21. Passo 3 – Elabore o novo método <ul><li>Diagrame o novo método. </li></ul><ul><li>Descreva cada passo de como ficará a nova forma. </li></ul><ul><li>Faça testes e simulações antes da aplicação definitiva. </li></ul><ul><li>Faça comparativos entre um método e o novo método (proposto) </li></ul>
  22. 22. Fazer café – novo método <ul><li>O Apanhar todo material e insumos necessários </li></ul><ul><li>Colocar água para esquentar </li></ul><ul><li>O Colocar pó de café </li></ul><ul><li>D Aguardar </li></ul><ul><li>O Adicionar a água </li></ul><ul><li>O Colocar o café na garrafa </li></ul><ul><li>Servir o café </li></ul><ul><li>D eixar material e insumos reunidos previamente </li></ul><ul><li>1 litro e 100 ml utilizar caneca graduado </li></ul><ul><li>4 colheres exato </li></ul><ul><li>E xatos 12 minutos </li></ul><ul><li>200 ml +ou- 5 vezes </li></ul><ul><li>Fechando bem a garrafa </li></ul><ul><li>5 metros </li></ul>Resumo: - Método atual: 9 operações – 3 transportes – 5 Demoras Método proposto: 8 operações – 2 transportes – 5 Demoras
  23. 23. Passo 4 - Proposta para aplicação <ul><li>Vantagens </li></ul><ul><ul><li>Economia de pó de café </li></ul></ul><ul><ul><li>O café fica com mais qualidade – padronizado </li></ul></ul><ul><ul><li>Menor consumo de energia (gás de cozinha) </li></ul></ul><ul><ul><li>Café mais saboroso </li></ul></ul><ul><ul><li>Possibilidade do operador fazer outras atividades de forma controlada </li></ul></ul><ul><li>Modificações </li></ul><ul><ul><li>Utilizar a caneca graduada (marcada com escala ml.) </li></ul></ul><ul><ul><li>Providenciar local para guardar todo material reunido </li></ul></ul><ul><ul><li>Utilizar relógio de parede para marcar o tempo </li></ul></ul><ul><li>Investimentos </li></ul><ul><ul><li>R$ 50,00 – caneca graduada </li></ul></ul><ul><ul><li>R$ 60,00 – relógio de parede </li></ul></ul><ul><ul><li>Total: R$ 110,00 </li></ul></ul><ul><li>Amortização </li></ul><ul><ul><li>8 meses </li></ul></ul>
  24. 24. Conceito básico de Produtividade Cálculo <ul><li>Produtividade = Produção </li></ul><ul><li>Recursos </li></ul><ul><li>Onde: Produção = volume produzido Recursos = todos os materiais e insumos envolvidos no processo em questão: matéria-prima, energia, acabamentos e demais gastos (não contábeis) </li></ul>
  25. 25. Devem ser considerados <ul><li>Aspectos de fadiga do trabalhador </li></ul><ul><li>Princípios de economia de movimentos </li></ul><ul><li>Ergonomia: </li></ul><ul><ul><li>Adaptação do homem ao trabalho </li></ul></ul><ul><ul><li>Adaptação do trabalho ao homem </li></ul></ul>
  26. 26. Princípios de economia de movimentos <ul><li>RELACIONADOS AO USO DO CORPO HUMANO: </li></ul><ul><li>1- As duas mãos devem iniciar e terminar os movimentos no mesmo instante. </li></ul><ul><li>2- As duas mãos não devem ficar inativas ao mesmo tempo. </li></ul><ul><li>3- Os braços devem mover-se em direções opostas e simétricas. </li></ul><ul><li>4- Devem ser usados movimentos manuais mais simples. </li></ul>
  27. 27. Princípio de economia de movimentos <ul><li>5- Usar movimentos suaves, curvos e retilíneos das mãos, evitando mudanças bruscas de direção. </li></ul><ul><li>6- Os movimentos balísticos ou soltos são mais fáceis e precisos que os movimentos controlados(truncados ou limitados). </li></ul><ul><li>7- O trabalho deve seguir uma ordem compatível com ritmo suave e natural do corpo. </li></ul><ul><li>8- As necessidades de acompanhamento visual devem ser reduzidas </li></ul>
  28. 28. Princípios de economia de movimentos <ul><li>RELACIONADOS COM O ARRANJO DO POSTO DE TRABALHO: </li></ul><ul><li>09- As ferramentas e materiais devem ficar em locais fixos. </li></ul><ul><li>10- As ferramentas, materiais e os dispositivos de controle devem localizar-se perto de seus locais de uso. </li></ul><ul><li>11- Os materiais devem ser alimentados por gravidade até o local de uso. </li></ul><ul><li>12- As peças acabadas devem ser retiradas por gravidade. </li></ul><ul><li>13- Materiais e ferramentas devem localizar-se na mesma seqüência de uso. </li></ul>
  29. 29. Princípios de economia de movimentos <ul><li>14- A iluminação deve permitir uma boa percepção visual dos elementos de trabalho. </li></ul><ul><li>15- A altura do posto de trabalho deve permitir o trabalho de pé, alternado com trabalho sentado. </li></ul><ul><li>16- Cada trabalhador deve dispor de uma cadeira que possibilite boa postura. </li></ul>
  30. 30. Princípios de economia de movimentos <ul><li>RELACIONADOS COM O PROJETO DE FERRAMENTAS E </li></ul><ul><li>EQUIPAMENTO: </li></ul><ul><li>17- As mãos devem ser substituídas por dispositivos, gabaritos ou mecanismos acionados por pedal. </li></ul><ul><li>18- Deve-se combinar a ação de duas ou mais ferramentas. </li></ul><ul><li>19- As ferramentas e os materiais devem ser pré-posicionados. </li></ul><ul><li>20- As cargas, no trabalho com os dedos, devem ser distribuídas de acordo com as capacidades de cada dedo. </li></ul><ul><li>21- Os controles, alavancas e volantes devem ser manipulados com alteração mínima da postura do corpo e com a maior vantagem mecânica. </li></ul>
  31. 31. Lay out – produtividade e um melhor ambiente de trabalho <ul><li>Pontos a serem observados : </li></ul><ul><ul><li>Armazenagem e movimentação </li></ul></ul><ul><ul><li>Postos de trabalho </li></ul></ul><ul><ul><li>Utilização das máquinas </li></ul></ul><ul><ul><li>Substâncias perigosas </li></ul></ul><ul><ul><li>Iluminação </li></ul></ul><ul><ul><li>Bem estar </li></ul></ul><ul><ul><li>Instalações </li></ul></ul><ul><ul><li>Organização do trabalho </li></ul></ul>
  32. 32. 1. Armazenagem e movimentação <ul><li>Organize, facilite e reduza as operações: </li></ul><ul><ul><li>A produção toma ritmo </li></ul></ul><ul><ul><li>Evitam-se os atrasos </li></ul></ul><ul><ul><li>Evitam-se gargalos </li></ul></ul><ul><ul><li>Reduz o desperdício </li></ul></ul><ul><ul><li>Previne-se acidentes </li></ul></ul><ul><li>Estoque são estratégicos para as empresas: </li></ul><ul><ul><li>O mínimo de esforço e o máximo de organização (Just in time / kan ban) </li></ul></ul><ul><ul><li>Nada deve estar na área de produção até no máximo uma hora antes do necessário. </li></ul></ul>
  33. 33. 1.1 Armazenagem e movimentação <ul><li>Fique somente com o necessário: </li></ul><ul><ul><li>Estoques desnecessários significam perdas: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>requerem mais espaço, controle e movimentação </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Esta regra aplica-se a ferramentas e outros instrumentos: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Devem ser removidos do caminho </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Quanto mais cheias de coisas a área de produção, mais difíceis as operações: perde-se tempo e extravia-se material </li></ul></ul></ul>
  34. 34. 1.2 Antes e depois
  35. 35. 1.3 Outras dicas de transporte e movimentação <ul><li>Não coloque materiais no chão </li></ul><ul><li>Prateleiras são ótimas soluções </li></ul><ul><li>Tenha um lugar exclusivo para cada coisa </li></ul><ul><li>Utilize o mínimo de transporte e movimentação </li></ul><ul><li>Tenha, à mão, o indispensável </li></ul><ul><li>Armazene em dispositivos móveis </li></ul><ul><li>Evite o levantamento de cargas </li></ul><ul><li>Movimente cargas na altura ideal </li></ul><ul><li>Levante cargas com segurança </li></ul>
  36. 36. 2. Postos de trabalho <ul><li>Produtividade depende de planejamento: </li></ul><ul><ul><li>Comodidade e facilidade multiplicam a produtividade </li></ul></ul><ul><ul><li>Há padrões e normas consagradas para o ajustamento do posto de trabalho às possibilidades e limitações do ser humano. </li></ul></ul><ul><ul><li>Cada posto apresenta combinação única de trabalhadores e tarefas. </li></ul></ul>
  37. 37. 2.1 Regras relativas ao posto de trabalho <ul><li>Permita fácil alcance dos instrumentos </li></ul><ul><li>Postura correta no trabalho </li></ul><ul><li>Use dispositivos que poupem tempo </li></ul><ul><li>Controles bem planejados evitam erros </li></ul>
  38. 38. 3. Utilização das máquinas <ul><li>Segurança e eficiência andam juntas. </li></ul><ul><li>O perigo das máquinas está localizado em diferentes pontos: </li></ul><ul><ul><li>Ponto de operação: onde a força elétrica é transmitida às máquinas e ao redor de qualquer outra parte móvel. </li></ul></ul>
  39. 39. 3.1 Normas gerais <ul><li>Cheque a produtividade das máquinas: </li></ul><ul><li>Existe algum atraso ou gargalo causado por alguma máquina em particular? </li></ul><ul><li>Alguma máquina trabalha mais vagarosamente devido a alimentação ou ejeção? </li></ul><ul><li>Há medo ou hesitação causado por máquinas ou processos perigosos? </li></ul><ul><li>Há situações em que os dispositivos de proteção das máquinas foram alterados, removidos ou destruídos? </li></ul>
  40. 40. 3.2 Outros aspectos em máquinas <ul><li>Siga a estratégia de eliminar riscos </li></ul><ul><li>Sugira aquisição de máquinas mais seguras </li></ul><ul><li>Use dispositivo de alimentação e ejeção </li></ul><ul><li>Use o tipo certo de proteção </li></ul><ul><li>Não se esqueça da manutenção periódica </li></ul><ul><li>Quando for o caso: use proteção individual </li></ul>
  41. 41. 4. Substância perigosa <ul><li>Evite os perigos da poluição ou contaminação à </li></ul><ul><li>saúde e ao meio: </li></ul><ul><li>Prefira produtos de menor risco </li></ul><ul><li>Evite evaporação e os vazamentos </li></ul><ul><li>Aqueça na temperatura certa </li></ul><ul><li>Limpe sem espalhar poeira </li></ul><ul><li>Use corretamente ventiladores e exaustores </li></ul><ul><li>Em último caso, use proteção individual </li></ul><ul><li>Tenha cuidado com alimentação e higiene </li></ul><ul><li>Observe as classes de risco dos produtos. </li></ul>
  42. 42. 5. Iluminação <ul><li>A iluminação incorreta faz cair a qualidade e a produtividade. </li></ul><ul><li>A maneira como as luzes são dispostas e como elas são mantidas é muito importante. O nível de iluminação necessário depende de três fatores: </li></ul><ul><ul><li>Da natureza da tarefa; </li></ul></ul><ul><ul><li>Da acuidade visual do trabalhador; </li></ul></ul><ul><ul><li>Do ambiente em que o trabalho é realizado. </li></ul></ul>
  43. 43. 5.1 Outras dicas em relação à iluminação <ul><li>Utilize ao máximo a luz natural </li></ul><ul><li>Elimine pontos de reflexo </li></ul><ul><li>Escolha o fundo mais apropriado </li></ul><ul><li>Encontre pontos de luz adequados </li></ul><ul><li>Evite que ocorram sombras </li></ul><ul><li>Faça manutenção regularmente </li></ul>
  44. 44. 6. Bem estar <ul><li>As pessoas fazem as organizações, e o respeito com que são tratadas determina o que se pode esperar delas. </li></ul><ul><li>Qualidade e produtividade não se obtém apenas com metas de produção pré-fixadas, mas fazem parte de um acordo tácito. </li></ul>
  45. 45. 6.1 Algumas dicas sobre Bem Estar <ul><li>Cheque se as dependências oferecem bem estar aos </li></ul><ul><li>colaboradores: </li></ul><ul><li>Bebedouros </li></ul><ul><li>Água tratada </li></ul><ul><li>Copos descartáveis </li></ul><ul><li>Banheiros limpos e em condições de uso: </li></ul><ul><ul><ul><li>Um vaso sanitário para cada 5 pessoas, máximo. </li></ul></ul></ul><ul><li>Pausas para descanso melhoram o desempenho </li></ul><ul><li>Preocupe-se com a satisfação dos colaboradores </li></ul><ul><ul><ul><li>Uniformes, roupas, armários e vestiários, refeitório, serviços de saúde,ginástica laboral, transporte, recreação, berçário, etc. </li></ul></ul></ul>
  46. 46. 7. Instalações <ul><li>Busca de soluções simples para grandes problemas. </li></ul><ul><li>Raramente prédios e instalações são 100% satisfatórios às necessidades. </li></ul><ul><li>Geralmente os altos custos tornam os ajustes inviáveis. </li></ul>
  47. 47. 7.1 Dicas quanto às instalações <ul><li>Encontre o clima ideal (temperaturas) </li></ul><ul><ul><li>Conte com a natureza </li></ul></ul><ul><ul><li>Melhore o isolamento térmico </li></ul></ul><ul><ul><li>Use bem as sombras </li></ul></ul><ul><li>Correntes de ar ajudam </li></ul><ul><ul><li>Ar quente sobre, aproveite (efeito chaminé) </li></ul></ul><ul><li>Ataque as fontes de poluição </li></ul><ul><li>Torne o piso mais seguro </li></ul><ul><li>Capriche no lay out da fábrica </li></ul><ul><li>Evite fontes de risco de incêndio </li></ul><ul><ul><li>Eletricidade </li></ul></ul><ul><ul><li>Calor </li></ul></ul><ul><ul><li>Ignição </li></ul></ul>
  48. 48. 8. Organização do trabalho <ul><li>Quando muitos outros melhoramentos já </li></ul><ul><li>foram introduzidos na área de produção: </li></ul><ul><li>Simplifique tarefas e operações </li></ul><ul><li>Combata a monotonia do trabalho </li></ul><ul><li>Opere com estoques temporários </li></ul><ul><li>Planeje tarefas flexíveis </li></ul><ul><ul><ul><li>Respeitando limites de cada trabalhador </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Facilite a substituição de um trabalhador por outro </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Responsabilize quem é responsável pelo que! </li></ul></ul></ul>
  49. 49. 8.1 Forme grupos autônomos <ul><li>Trabalhos individuais </li></ul><ul><ul><li>O ritmo é limitado pela função mais lenta da linha. </li></ul></ul><ul><ul><li>Uma mudança nos produtos significa que alguém terá de redesenhar todas as tarefa </li></ul></ul><ul><li>Trabalho em equipe </li></ul><ul><ul><li>Os trabalhadores podem ajudar a superar os gargalos pela troca e divisão de tarefas </li></ul></ul><ul><ul><li>Os trabalhadores podem planejar um novo fluxo de produção, por eles mesmos. </li></ul></ul>
  50. 50. Fluxograma <ul><li>Diagrama de representação esquemática de processo, feita através de gráficos que ilustram a transição de informações entre os elementos que o compõem. É o registro dos passos para a execução de um processo. </li></ul>
  51. 51. Brainstorming <ul><li>A Tempestade de idéias é uma atividade desenvolvida para explorar a potencialidade criativa do indivíduo quando se necessita de respostas rápidas a questões colocadas. </li></ul><ul><li>Todos devem contribuir (obrigatoriamente) e é proibido criticar idéias ou sugestões. Uma idéia que possa parecer ‘ absurda’ , acaba abrindo janelas mentais e, auxilia na criatividade do grupo. </li></ul>
  52. 52. Atividade <ul><li>Responder a pergunta: </li></ul><ul><ul><li>Quais as dificuldades que você encontra no dia – a – dia do seu estágio (ou trabalho) ? </li></ul></ul>
  53. 53. Técnica do Brainstorming <ul><li>Definir o tema a ser trabalhado </li></ul><ul><li>Elaborar uma pergunta-chave </li></ul><ul><ul><li>Ex.: o que fazer para padronizar o café servido na cantina da empresa. </li></ul></ul><ul><li>Não descartar nem censurar nenhuma das idéias – anotar todas </li></ul><ul><li>Promover a criatividade com artifícios tais como: filmes – gravuras – revistas – exemplos – histórias - ilustrações </li></ul>
  54. 54. Ferramentas de priorização GUT 1 Não vai piorar e pode até melhorar Não tem pressa Nada grave 1 6 Vai piorar a longo prazo Mais cedo possível Pouco grave 2 27 Vai piorar a médio prazo Médio prazo Grave 3 64 Irá piorar a curto prazo Curto prazo Muito grave 4 125 De imediato Imediata Extrema- mente grave 5 GxUxT Total Tendência Proporção!!! Se nada for feito o problema agravará: Urgência Prazo!!! é necessária uma ação: Gravidade Conseqüência!!! Se nada for feito os prejuízos ou dificuldades são: Valor
  55. 55. Princípio de Pareto Joseph M. Juran <ul><li>A Lei de Pareto (também conhecido como princípio 80-20 ), afirma que para muitos fenômenos, 80% das conseqüências advém de 20% das causas. Esta análise permite a priorização dos problemas . </li></ul>
  56. 56. Causa e efeito É uma ferramenta gráfica utilizada pela Administração para o Gerenciamento e o Controle da Qualidade (CQ) em processos diversos. Originalmente proposto pelo engenheiro químico Kaoru Ishikawa em 1943 e aperfeiçoado nos anos seguintes. Também é conhecido como Diagrama de Ishikawa ou Espinha-de-peixe.
  57. 57. Plano de ação simplificado Apoio Responsável Prazo Atividade
  58. 58. Início dos trabalhos Práticos <ul><li>Divisão dos grupos </li></ul><ul><li>Nomeações: </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>Líder </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Escrivão </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Porta-voz </li></ul></ul></ul></ul><ul><li>Escolha dos trabalho – temas </li></ul><ul><li>Analise </li></ul><ul><li>Critica </li></ul><ul><li>Elaboração </li></ul><ul><li>Aplicação </li></ul>
  59. 59. Para elaboração do Projeto Aplicativo <ul><li>Inicie com a descrição do objetivo ( seja claro e use objetividade). </li></ul><ul><li>Justifique seu objetivo: faça uma descrição sintética dos motivos geradores da necessidade do projeto. </li></ul><ul><li>Relacione as metas a serem alcançadas definindo prazos. </li></ul><ul><li>Junte a descrição da análise, idéias da crítica e descrição do novo método com as vantagens, modificações, investimento e amortização. </li></ul>

×