Revista lereler 02

1.037 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.037
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revista lereler 02

  1. 1. Parceria: Parceria: Coordenação:Coordenação:
  2. 2. Parceria:Coordenação: Ler, ler e ler para proporcionar prazer em ler
  3. 3. “Estudo na Escola Estadual Nascimento Nunes Leal. Já conheço o projetoLer e Ler. Está na minha rotina vir até a Biblioteca da Ramacrisna. Isso me ajudoua ter interesse pela leitura. Quem me fez gostar de ler foi a coordenadora. Gosto deler para meus colegas da escola. Indico livros para eles. Alguns gostam, outros não.Na minha casa ninguém tem costume de ler. Só leio pra mim. Meus pensamentosmudaram porque me interessei. A leitura melhorou minhas notas.”Alessandra Estefani de Oliveira, 12 anos
  4. 4. ApresentaçãoDesde 2006, o Instituto C&A de Desenvolvimento Social mantém o programa Prazer em Ler“com o objetivo de promover a formação de leitores e desenvolver o gosto pela leitura, por meiode ações continuadas e sustentáveis e de articulações com distintos agentes envolvidos com aleitura no Brasil”. Seu princípio básico é fundamentado na afirmativa “Ler é uma prática socialfundamental à formação do cidadão e importante via de acesso ao conhecimento e à cultura”.Dos 15 polos de leitura do programa, dois estão em Minas Gerais. Os outros estados contempladossão Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte,Rio Grande do Sul e São Paulo.Em Betim, Minas Gerais, o Polo de Leitura Ler e Ler foi iniciado em 01 de março de 2010 e tem aInstituição Missão Ramacrisna como gestora proponente (localizada na região Vianópolis), maistrês organizações de outras diferentes regiões do município: Grupo de Crianças Carentes daVila São Caetano – Griasc (região Imbiruçu), Instituto Casa Santa – Incas (região Citrolândia) eServiço Assistencial Salão do Encontro (região Norte). A intenção de arregimentar Instituições devários pontos da cidade é estratégica para que haja eficácia na disseminação dos propósitos doprojeto. Essas organizações trabalham de forma articulada na formação de um projeto coletivode fomento à leitura, integrando atividades com a finalidade de despertar e incentivar a leituraliterária prazerosa, dentro e fora de suas bibliotecas, entre crianças, jovens e seus familiares.Para isso, o Instituto C&A libera verba destinada para os livros, recursos humanos, compras demóveis, equipamentos, e demais necessidades para a execução do projeto.Para incrementação do Polo de Leitura Ler e Ler, contamos com as seguintes parcerias:Secretaria Municipal de Educação de Betim; Conselho Municipal dos Direitos da Criança e doAdolescente; Ponto de Cultura Criarte (Secretaria Estadual de Cultura de Minas Gerais); LocalizaRent a Car; Fundo Cristão para Crianças; Escolas públicas adjacentes; Associação de Proteção àMaternidade, Infância e Velhice – APROMIV; Ministério da Cultura no Programa Ponto de Leitura;Petrobrás; Fundo da Infância e da Adolescência com destinação de recursos da empresas FIAT;Cemig e Mannesmann. “Ganhei um prêmio do Griasc por ter levado para casa o maior número de livros emprestados, durante o primeiro ano do ProjetoNo dia 11 de março de 2010, aconteceu o primeiro encontro de formação do Polo de Leitura Ler e Ler. Sempre que eu termino de contar uma historinha paraLer e Ler. Foi apresentado o “Programa Prazer em Ler”, a divulgação e distribuição do material minha filha, ela conta tudo de novo pra mim. Só olhando as figuras.recebido no Primeiro Encontro Nacional, ocorrido em Olinda/PB, e o cronograma de atividades Leio para a minha filha porque depois ela não vai ter preguiçapara 2010. de ler. Quando ela crescer, vai ler para a filha dela também.” Ivaneide Dias da Silva, 29 anos
  5. 5. Os pescadores de leitoresOrganizações participantes Salão do EncontroMostraremos, a seguir, um pouco da história das organizações participantes do Polo de Leitura O Serviço Assistencial Salão do Encontro é uma organização deLer e Ler, desses verdadeiros “pescadores de leitores” (que, aliás, é o nome dado ao projeto dos direito privado e sem fins lucrativos que promove a cidadaniamediadores, dentro do “Ler e Ler”). por meio da arte. Em 40 anos de atuação, a entidade busca a erradicação da pobreza e a dignidade de vida oferecendo educação, capacitação, cuidados com a saúde e moradia à população carente da cidade de Betim. Tudo isso com foco na arte e no fazer artesanal, preservando sua tradição e resgatando no cidadão carente a auto- estima, preparando-o para trilhar seu próprio caminho. Pela competência, seriedade e qualidade do trabalho desenvolvido Missão Ramacrisna – Organização Proponente o Salão do Encontro representa, na atualidade, um “centro de A Missão Ramacrisna foi fundada em 3/2/1959, em Belo Horizonte/ referência educacional e de difusão da arte popular”. Ao preservar e MG, por Arlindo Corrêa da Silva. É uma Instituição Social, sem fins valorizar uma arte que historicamente remete às origens do estado econômicos, sem vínculos religiosos ou partidários. Anualmente de Minas Gerais, a entidade conquista seu espaço, promove cultura atende em sua sede, 3.290 pessoas em situação de vulnerabilidade e forma pessoas para a vida. social, dos 6 a 80 anos de idade, moradores em bairros de periferia da Tem como missão “desenvolver ações estratégicas que garantam o cidade, priorizando a regional de Vianópolis, periferia em área rural. acesso à educação, cultura e a capacitação profissional de pessoas É uma instituição envolvida na rede alternativa de atendimento às de baixa renda e portadores de necessidades especiais, atuando em crianças e aos adolescentes. todos os pilares do núcleo familiar – pais, filhos e avós - promovendo Tem por objetivo promover a melhoria do nível de escolaridade a redução da desigualdade social e o crescimento do indivíduo e da de crianças e adolescentes através de ações que promovam a comunidade”. erradicação do trabalho infantil e evasão escolar, a promoção do ser humano visando sua proatividade e sustentabilidade e a geração de trabalho e renda para grupos em situação de vulnerabilidade. Dentre suas atividades, existe a Biblioteca Prof. Arlindo Corrêa da Silva que é um espaço amplo com 194 m² de área construída onde se localiza a biblioteca. Possui um acervo cultural de 2.500 livros didáticos e recreativos, variadas enciclopédias, periódicos e cd roms, aberta das 7 às 16 horas para uso de toda a comunidade, com empréstimo de livros e orientação em pesquisa e trabalhos escolares, por professoras formadas. Nesse espaço existe um palco para contação de histórias e dramatizações.
  6. 6. Grupo de Crianças Carentes da Vila São Caetano – GRIASC A Instituição foi fundada por mães da comunidade em 1985. O atendimento era para crianças a partir dos dois anos de idade e reforço escolar para os maiores dos seis anos. O Griasc adquiriu sua sede própria em 1986 e firmou convênio com o Fundo Cristão para Crianças em 1987. Atende atualmente 571 crianças e adolescentes com educaçãoInstituto Casa Santa – INCAS infantil, reforço escolar, ballet, dança, informática, projeto Casinha daO Instituto Casa Santa (Incas) é uma entidade civil sem fins Cultura, artes e artesanato, além de acompanhamento nutricional.econômicos com o obejtivo de promover e executar atividades A situação trabalhista da entidade foi regularizada em 1995, dentrosistemáticas de apoio ao desenvolvimento humano. Com sede das normas da CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas). A Instituiçãohá 10 anos na região de Citrolândia, apontada como área de risco conta com vários parceiros, entre eles a Apromiv e a Secretaria desocial em 2005. Essa constatação encontrou suporte na percepção Assistência Social de Betim que, através de projetos feitos pelado Instituto em buscar um foco de atuação que melhor atendesse equipe de funcionários, também tem abraçado essa causa.às demandas da comunidade.Em 2007, o INCAS reformulou sua estrutura em consonância coma Lei Orgânica de Assistência Social (8742.93) assumindo umapostura de gestão intersetorial. A iniciativa promoveu a interlocuçãocom o poder público, organizações sociais, empresas e cidadãoscom o objetivo de trabalhar em rede na promoção de práticasde desenvolvimento humano, fortalecendo o envolvimento dacomunidade nos processos de transformação social.O novo modelo de gestão possibilitou a abertura de fontes definanciamento, contribuindo para a melhoria da qualidade devida dessa comunidade. Ressaltar o foco na garantia dos direitosda criança e do adolescente através de atividades socioeducativas,acompanhamento sociofamiliar e participação na rede de proteçãoà criança e ao adolescente. Fomento aos grupos produtivos daeconomia solidária, à profissionalização de adultos desempregadose à candidatos ao primeiro emprego. Sempre apoiados nos critériosdo desenvolvimento sustentável.
  7. 7. As pessoas e o póloHábito da Leitura de leitura Ler e LerRealidade Municipal Tânia Cristina de Moura Silva, Bibliotecária formada pela UFMG, é coordenadora geral do Pólo de Leitura Ler e Ler Betim. Com ela, os gestores e os representantes de cada Instituição ajudam aO texto-base da Conferência Municipal de Cultura de Betim, ano de 2009, mostra um quadro desenvolver o Projeto, divulgando-o, incentivando e agindo de acordo com a realidade de cadasobre o hábito da leitura, uma realidade municipal que os participantes do Polo de Leitura Ler e comunidade onde a Instituição participante está inserida.Ler certamente gostariam de colaborar para sua mudança. Segundo o texto, a cidade conta compouquíssimas livrarias, sendo uma parcela dedicada a públicos específicos. Não há registro de São eles: Ramacrisna: Maria Vitória Santos Moura e Cleide Moura; Incas: Cínthia Melo, Gilmarasebos ou pontos de venda de livros usados, nem de editoras na cidade, assim como a ocorrência Ferreira e equipe pedagógica; Griasc: Jamile Martins, Valdênia Dias, Aparecida Alessandra dede grandes eventos literários. Constata, inclusive, que Betim é uma cidade que tem pouco fomento Andrade; Salão do Encontro: Maria de Lourdes Alves, Cristina Santos e Ângela Gumieri.para a área da literatura. Essas atividades são raras em Betim e constituem uma forte demanda do Baseados nos eixos acervo, espaço, mediação e gestão, propostos pelo Instituto C&A, elessegmento da literatura. As produções e ações relacionadas à literatura na cidade são escassas, transformam aquela biblioteca fechada, austera e sem atrativo numa biblioteca cheia deporém precisam ser destacadas e valorizadas. vibrações, com novos acervos, novas cores, novos mobiliários, etc. Nos relatórios para o InstitutoO referido texto da Conferência apresenta, também, conclusões positivas, como a constatação de C&A são apresentadas mediações que deram certo e também as que não foram bem sucedidas,que Betim possui uma biblioteca pública que ampliou seu espaço e acervo recentemente, além maneira eficaz de medir a qualidade e quantidade exigida pelo Instituto.das bibliotecas particulares e de instituições privadas como as Universidades. A sugestão é que se No início do projeto, acontecia uma visita semanal em cada biblioteca participante para aarticule essa rede de bibliotecas através de um Programa Municipal de Incentivo à Leitura. realização de um trabalho mais estrutural como organizar estantes, montar manual, catalogar,Nesse cenário é que o Polo de Leitura Ler e Ler traçou suas atividades a serem cumpridas até fazer treinamento de software, separar literatura infantil de infanto juvenil, avaliar catálogos,fevereiro de 2011. avaliar o perfil de cada biblioteca, fazer o reconhecimento do livro a ser trabalhado. Foi feito, então, uma avaliação do que já existia e o que precisaria ser comprado bimensalmente para o desenvolvimento do Projeto. No primeiro semestre de 2010, foi trabalhado o público interno, capacitação do pessoal, adaptar e remodelar o espaço e inovar o acervo. No segundo semestre, o trabalho foi mais abrangente, com participações esporádicas da comunidade. Para 2011, a ideia é promover ações cuja participação da comunidade seja mais efetiva. Para a coordenadora Tânia, o Polo Betim está indo muito bem. “Nós somos os caçulas, estamos no primeiro ano de caminhada. As análises são feitas de acordo com o tempo de participação do Polo no projeto. Estamos estudando, formando, mostrando o papel dos gestores, mediadores. “Gosto muito da biblioteca do Salão, local onde trabalho, e hoje eu gosto muito de leitura. Às vezes, eu leio para as minhas colegas de trabalho. Eu gosto tanto de ler que eu vou fazer o curso de mediação do Projeto Ler e Ler e depois fazer o curso para bibliotecária. A leitura me mostrou outros caminhos na minha vida.” Maria Aparecida da Silva, 41 anos
  8. 8. Mãos a obra literária Criar bibliotecas articuladas, comunitárias, equipadas e fortalecidas Tendo a implementação das bibliotecas participantes do Projeto e adequação do espaçoAtividades do Pólo de Leitura Ler e Ler utilizado como meta, foram adquiridos software, mobiliário, equipamentos, acervo literário e outros materiais, bem como o treinamento dos mediadores no uso do software. Foram feitas 34 visitas semanais da coordenadora às Instituições participantes.“O livro por si só encanta. O que é preciso fazer é transpor a barreira do não querer ler, pois, a partirdo momento em que a pessoa começa a ler, ela se interessa”. São muitas as melhorias ocorridas no espaço físico das bibliotecas: Aquisição do SoftwareTânia Cristina de Moura Silva Biblioteca Fácil e atualização do programa em todas as entidades do Polo; bibliotecas informatizadas, coordenadores treinados no uso do software; todas as bibliotecas do Polo estãoPromover a formação continuada dos mediadores informatizadas, sendo que três delas fazem somente empréstimos no programa, não usandoEm 11 de março, na Missão Ramacrisna, foi apresentado o Programa Prazer em Ler e definido o mais empréstimo manual.calendário de assessoria das organizações pela Coordenação do Pólo. Na Missão Ramacrisna foi necessário um novo olhar para a Biblioteca antes um espaço multiuso.Os integrantes do Polo de Leitura Ler e Ler estiveram presentes em encontros de formação, três Mudaram estantes, tapetes e almofadas, o que fez do local um espaço mais acolhedor. A trocalocais, dois regionais e dois nacionais, todos promovidos pelo Instituto C&A. Participaram também do piso, a reforma do palco e a pintura contribuíram muito para que o espaço ficasse mais levede palestras, oficinas e eventos como o III Encontro do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas e iluminado. A aquisição de estante e de malas de leitura para a Literatura infantil deu o toqueMunicipais de Minas Gerais, a II Bienal do Livro de Belo Horizonte, o Ciclo de Formação promovido final. Foram adquiridos, também, um computador e uma impressora.pela Secretaria Municipal de Educação de Betim, o Workshop de produção de poesias e do curso “A No Salão do Encontro, a nova biblioteca foi inaugurada em Novembro. Um espaço amplo,Cor da Cultura”. Evento patrocinado pela Fundação Roberto Marinho, Petrobras Desenvolvimento bonito, adequado e organizado para atender à comunidade. Foi adquirido um computador,e Cidadania – CIDAN, Rede Globo Minas, Futura, Ministério da Cultura, Ministério da Educação, uma impressora e materiais de instalação.Secretaria Especial de Políticas para a Promoção da Igualdade Racial. A biblioteca do GRIASC também foi reestruturada. O ambiente foi totalmente reorganizado para se tornar um espaço acolhedor. Já possui um grande número de leitores e é bastante visitada. Foi adquirido um computador. No INCAS, a Biblioteca começou dia 18/09/10, junto com o Polo. É uma biblioteca linda, acolhedora que permite livre acesso do leitor aos livros. O mobiliário foi adquirido com recursos do Instituto C&A, juntamente com a Petrobrás. Está registrado “o aumento da participação ativa e o interesse em ler. O fato de desejarem continuar as atividades, mesmo em período de férias, também é um indicativo do resultado positivo dos trabalhos”. Todas as bibliotecas se organizaram para que o livro seja o “ator” principal e encantador dos leitores, com muitas estantes expondo e valorizando suas capas. O espaço de circulação é bem sinalizado para facilitar a autonomia do leitor. As compras de livros acontecem periodicamente, atendendo, principalmente, as sugestões de obras feitas pelos leitores. Periodicamente os núcleos recebem doações de livros de editoras, leitores, instituições parceiras e comunidade.
  9. 9. Promover a visibilidade das ações do pólo Ler e Ler A divulgação, em diferentes mídias, de atividades e eventos realizados pelo Polo de Leitura Ler e Ler é muito importante para visibilidade do Projeto. Foram feitas várias ações para esse fim, como colocar Outras atividades encarte de divulgação das atividades de leitura nos jornais de circulação em Betim, contatar órgãos de imprensa como TV Betim, Jornal Aqui, Jornal O Tempo, rádios da região, produção de Banners, faixas, • Planejamento do projeto Pescador de Leitores. Escolha dos mediadores. criação do Blog e desta revista. • Definição da logomarca do Polo Ler e Ler, produção de coletes para Os eventos regionais realizados contribuíram significativamente para a divulgação do Projeto Polo de o projeto Pescador de Leitores e produção de cartaz de divulgação do Polo. Leitura Ler e Ler. • Chá da Memória, realizado na Biblioteca Comunitária do INCAS, no dia No dia 13 de agosto de 2010, no GRIASC, foi realizado o evento Leitura na Praça, com apresentação da 04 de novembro/10, com o objetivo de resgatar aspectos da história do Biblioteca e do Projeto Ler e Ler à comunidade. Aconteceram mediações de leitura, literatura de cordel, artesanato da comunidade de Citrolândia. O encontro levantou os bens espaço montado com uma pequena biblioteca para o que os leitores conhecessem parte do acervo. materiais e imateriais, além de formar a população para o reconhecimento Participaram crianças da região, grupo da terceira idade, pessoas da comunidade, escolas particulares de seu patrimônio cultural. e públicas do bairro e parceiros do Polo. O evento tornou a Biblioteca bem conhecida e procurada na comunidade. • Foram realizadas intervenções literárias nos setores para funcionários No dia 18 de setembro de 2010, no INCAS, aconteceu o lançamento da Biblioteca e apresentação do Salão do Encontro, com o objetivo de divulgar o acervo. do Projeto Ler e Ler à comunidade. Evento aconteceu dentro do espaço da Instituição para que a • Participação do Pescador de Leitores na festa da Pastoral da Criança – comunidade conhecesse a Biblioteca. Aconteceram mediações de leitura, momento de leitura livre e Comunidade Nossa Sra. das Graças. sorteio de livros. A reinauguração da Biblioteca da Missão Ramacrisna aconteceu dia 20 de outubro de 2010, com apresentação do Polo de Leitura Ler e Ler à comunidade. Participaram do Evento, representantes do poder público: Secretaria Municipal de Educação, Conselho Municipal de Educação, Biblioteca do Educador, diretores de escolas, crianças e jovens da comunidade, Jovens Comunicadores Antenados e parceiros do Polo de Leitura Ler e Ler também estavam presentes. A Ramacrisna realizou, também, uma roda de leitura no Posto de Saúde da comunidade, o que repercutiu positivamente. Sucesso garantido Articular e ampliar parcerias é a “mala de leitura” usada pelas Instituições para motivar as crianças. Ao participar de eventos voltados a leitura, os integrantes do Polo de Leitura Ler e Ler fazem Já no Salão do Encontro, aconteceu um Sarau de Poesias dia 29 de outubro de 2010. Apresentação contatos com outros atores sociais para captar parcerias para sustentabilidade do projeto. As do Polo de Leitura Ler e Ler à comunidade. O evento aconteceu no Circo do Salão do Encontro, foi ações nesse sentido consistem em contato pessoal feito com representantes da Secretaria montada uma pequena mostra de poesias que fazem parte do acervo da Biblioteca. Aconteceram Municipal de Educação, Coordenadora do Programa Municipal de Incentivo a Leitura, com o mediações poéticas com a participação do grupo Pescador de Leitores. Participaram crianças, pais e Superintendente de Cultura, parceria com a Editora Lê para aquisição de doações de livros e pessoas da comunidade além de parceiros do Polo. futuras visitas de autores e/ou ilustradores. Pesquisa sobre potenciais parceiros, contato com outros atores sociais via e-mail, visitação e contato pessoal para novas parcerias. A Missão Ramacrisna foi uma das Instituições participantes no curso “A Cor da Cultura” um estudo sobre a lei 10.639 e 11.645, que estabelece a inclusão no currículo da rede de ensino a“Moro perto do Incas. Gosto dos livros interessantes que eu descubro aqui na biblioteca. Eu leio muito aqui obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro Brasileira e Indígena”.e levo pra ler em casa. Eu conto história pra todos lá de casa. Eles gostam muito. A leitura me ajuda na No dia 21 de dezembro, o Polo de Leitura Ler e Ler participou do 4º Encontro de Formação dosaprendizagem. Quando eu crescer, quero ser uma boa leitora.” Polos de Leitura em Olinda (PB), realizado pelo Programa Prazer em Ler do Instituto C&A, com oBaetriz Helena da Silva, 9 anos tema “Desenvolvimento de Uma Sociedade Leitora”.
  10. 10. Alguns númerosMissão Ramacrisna339 livros adquiridos com recursos do Instituto C&A; 02 assinaturas de revista; 228 leitorescadastrados; 81 livros recebidos em doação; 6.042 pessoas entre alunos e pessoas da comunidadetiveram acesso à biblioteca; 918 livros foram emprestados de março a novembro/2010.Salão do Encontro215 livros adquiridos com recursos do Instituto C&A; 12 áudio Books; 02 assinaturas de revista;172 leitores cadastrados; 666 livros recebidos em doação; 1.358 empréstimos de março anovembro/2010.GRIASC204 livros adquiridos com recursos do Instituto C&A; 01 assinatura de revista; 358 leitorescadastrados; 253 livros recebidos em doação; 1.453 empréstimos de março a novembro/2010.INCAS260 livros adquiridos com recursos do Instituto C&A; 01 assinatura de revista; 63 livros recebidosem doação; 118 leitores cadastrados; 776 empréstimos de março a novembro/2010.Fontes “ Agradecemos a presença da equipe do Projeto Ler e Ler na UBS Marimbá.www.ramacrisna.org.br / www.institutocea.org.br / www.institutocasasanta.blogspot.com O trabalho estimula a interação, aproxima a comunidade e o serviço dewww.salaodoencontro.org.br / www.lereler.blospot.com saúde simultaneamente à promoção do hábito de leitura. Gostaria que atividade fosse frequente, principalmente no dia de atendimento doProjeto da Missão Ramacrisna ao Instituto C&A para o programa Prazer em Ler. médico pediatra”.Material encaminhado pelas Instituições participantes do Projeto. Camila F. Campos – enfermeira UBS Marimbá

×