Usando Hyper-v 2012 para virtualização do SQL Server

865 visualizações

Publicada em

Virtualizar o SQL Server de alto desempenho é possível? Será apresentado a arquitetura e as novidades do Hyper-v 2012, os cuidados na configuração para obter o melhor desempenho de um servidor SQL Server e também como escolher e dimensionar o seu hardware para o seu host.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
865
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
31
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Virtual Fiber channel  Ajuda a executar o Failover Cluster no Guest
    MPIO
    MPIO should be used for host access. Multiple FC ports can be installed on the host SQL Server database to provide highly available connectivity to the LUNs accessible by the host.
    MPIO can be used on the host for providing resilient connections from host to storage. Similarly, MPIO can also be used in guest machines for resilient connections from the guest operating system to FC storage.

  • D-VMQ
    Windows Server 2012 introduces Dynamic Virtual Machine Queue (D-VMQ) for Hyper-V, which dynamically distributes the processing of incoming network traffic to host SQL Server processors, based on processor use and network load. In times of heavy network load, D-VMQ automatically uses more processors; when the network load decreases, D-VMQ relinquishes these processors.
  • CPU Reserve é a configuração que garante o SLA. É a configuração que garante o VP:LP Ratio e desta forma não permite a criação das VMs acima da capacidade do HOST.
    Bin Packing – Host with 4 LP
    * VM with 4 vCPU with 50% CPU Reserve = 50% consumo do Host
    * VM with 2 vCPU with 50% CPU Reserver = 25% consumo do Host

    CPU Schedule permite a melhor utilização dos LPs na economia de energia. (TI Verde).
  • Falar sobre o comportamento do hyper-v antes do 2012
  • Usando Hyper-v 2012 para virtualização do SQL Server

    1. 1. Usando Hyper-v 2012 para virtualização do SQL Server Virtualizar o SQL Server de alto desempenho é possível? Leandro Ribeiro @sqlleroy | MCTS | MCSA | MTAC Chapter Leader – SQL Server RJ sqlleroy@hotmail.com http://www.sqlleroy.com
    2. 2. PATROCINADORES
    3. 3. Agenda  Por que virtualizar?  Melhorias no Hyper-v 2012  Configurações  Storage  Network  Failover Clustering  CPU  Arquitetura NUMA  Memória  “Causos”
    4. 4. Por que virtualizar?  Menor consumo de energia.  Melhor utilização dos recursos de Hardware.  Provisionamento de Recursos On Demand.  Agilidade para o negócio (VM Template x Compra de servidores).  Simplifica o Disaster Recovery.  Alta disponibilidade.
    5. 5. Melhorias no Hyper-v 2012 Hyper-v Server 2012  Free  Licenciar cada VM  Sistema operacional mais enxuto.  Hypervisor  Windows Server driver  Suporte ao Failover Clustering  Menor Downtime Windows Server 2012.  Licenciado  Todas as features  Windows Server Core  Standard x Datacenter  Standard: Duas VMs por licença  Datacenter: Ilimitado
    6. 6. Melhorias no Hyper-v 2012 Melhorias no Windows Server 2012 System Maximum number Improvement factor Windows Server 2008 R2 Windows Server 2012 Host Logical Processors on Hardware 64 320 5x Physiscal memory 1 TB 4 TB 4x Virtual processors per host 512 2048 4x Virtual Machine Virtual processors per virtual machine 4 64 16x Memory per virtual machine 64 GB 1 TB 16x Active virtual machine per server 384 1204 2.7x Cluster Nodes 16 64 4x Virtual machines 1000 4000 4x
    7. 7. Configurações de Storage no Hyper-v 2012
    8. 8. Configurações: Storage  VHDx  Suporte até 64TB.  Oferece proteção de dados (Log de transações).  Suporte a disco virtual com setor de 4K.  Use disco virtual do tipo Fixo.  SQL Server over SMB  Permite o armazenamento de banco de dados em pastas compartilhadas.  Windows Server inclui contadores I/O Size, I/O Latency, IOPS para SMB Client.  O SQL Server suporta Single-Node, Dual-Node e Multi-Node File Server  Virtual Fiber Channel  Oferece acesso direto a SAN ao Guest OS.  Suporte ao Live Migration  MPIO  Storage QoS (New in Windows Server 2012 R2)
    9. 9. Configurações de Network no Hyper-v 2012
    10. 10. Configurações: Network  SR-IOV  Permite dedicar uma interface de rede à uma VM.  Nic Teaming  Permite agrupar múltiplas interfaces de rede, aumentando a largura de banda.  Oferece tolerância a falhas.  Dynamic Virtual Machine Queue (D-VMQ)  Distribui dinamicamente o processamento de tráfego inbound.  Utiliza somente os núcleos físicos (Not use Hyper- Threading).  Placas de redes sem VMQ utilizam sempre o núcleo zero para este processamento.
    11. 11. Configurações de Failover Clustering no Hyper-v 2012
    12. 12. Configurações: Failover Clustering  Priority Settings  Define quais VMs serão iniciadas primeiro em um ambiente cluster e/ou terão prioridade nos recursos de hardware.  High Priority, Medium Priority, Low Priority e No Auto Start  Virtual Machine Affinity  Permite configurar VMS parceiras a fim de serem migradas simultâneamente em caso de failover.  Permite especificar que VMs não coexistam no mesmo host em caso de failover.
    13. 13. Configurações de CPU no Hyper-v 2012
    14. 14. Configurações: CPU  VP:LP Ratio  SQL Server ratio máximo: 4:1  CPU Reserve  Bin Packing  CPU Schedule 50% Reserve LP0 LP1 LP2 LP3 NUMA Node VM 1 50% Reserve VM 2 VM 2 VM 2 50% Reserve • 4 Logical Processors • VM1 com 1 VP (vCPU) com 50% de uso no LP0 • Cria VM2 com 2 VP (vCPU) na LP0 e LP1 • VMs são iniciadas no LP0 • CPU Schedule move a VM2 para o LP1 e LP2 • Após diminuir o consumo de vCPU da VM2, move de volta as vCPUs para o LP1 e LP2.
    15. 15. Configurações: CPU  Second Level Address Translation (SLAT)  Intel: Extended Page Table (EPT)  AMD: Nested Page Table (NPT) Guest Virtual Address System Physical Address SLAT Guest Virtual Address Guest Physical Address System Physical Address NORMAL Hypervisor não permite o acesso direto a memória. Utiliza Recurso chamado Shadow Pages Table.
    16. 16. Configurações NUMA no Hyper-v 2012
    17. 17. Configurações: NUMA Arquitetura NUMA  Processador e memória são agrupados em Nodes.  Chamamos de “Acesso Balanceado” quando os recursos são acessados dentro do mesmo nó NUMA. Processors Memory NUMA node 1 NUMA node 2 Processors Memory NUMA node 3 NUMA node 4 Host NUMA
    18. 18. Configurações: NUMA  Acesso desbalanceado ocorre quando o processador acessa memórias de outros Nodes. Processors Memory NUMA node 1 NUMA node 2 Processors Memory NUMA node 3 NUMA node 4 Host NUMA
    19. 19. Configurações: NUMA  Guest NUMA (vNUMA) Novidade no Hyper-v 2012, apresenta a arquitetura NUMA existente no Host para as Máquinas virtuais. vNUMAnode A vNUMAnode B vNUMAnode A vNUMAnode B NUMA node 1 NUMA node 2 NUMA node 3 NUMA node 4
    20. 20. Configurações de Memória no Hyper-v 2012
    21. 21. Configurações: Memória  Dynamic Memory  Monitora Committed Bytes  Hot Add Memory  Ballooning  Uso do Dynamic Memory com o SQL Server  Modelo de memória “Large Pages” (Trace Flag 834) não se beneficia do Dynamic Memory.  O SQL Server passou a suportar “Hot Add Memory” na versão 2005 Enterprise.  No SQL Server 2012, “Hot Add Memory” passa a ser suportado na versão Standard.  É recomendado configurar a conta de serviço do SQL Server com o recurso “Lock Pages in Memory”, a fim de evitar paginação em disco.
    22. 22. Configurações: Memória  O WhitePaper “Running SQL Server with Hyper-v Dynamic Memory” demonstra o comportamento com o Dynamic Memory.
    23. 23. Configurações: Memória  Smart Paging  Configuração da VM que utiliza o disco como memória para realizar o reboot de uma VM.  Recomendação: Definir local de armazenamento do Smart Paging em um disco rádido (SSD).  Cuidado principalmente em ambientes de hospedagem (Reboot não gerenciável).
    24. 24. “Causos”
    25. 25. Proteto de virtualização  Migração do SQL para versão Enterprise provendo HA  Antes  Configurações da instância  Tuning Queries (Protheus – customizadas)  Analise de IO (Storage e Stall)  Fill factor (Disperdício do Data Cache)  Compressão (318GB > 29 GB)
    26. 26. Troubleshooting  Sintoma: Aplicação apresentando timeout  Análise do time de VM: Host Hypervisor “Fritando”  Causa: NetBackup não estava configurado para liberar os vlfs das bases em um dos servidores, gerando alto tráfego na rede.. Que por sinal, estava utilizando a interface de rede errada.
    27. 27. Referências  White Paper Best Practices for Virtualizing and Managing SQL Server 2012- bit.ly/1jPHFzs  Blog do Hara – www.fabiohara.com.br  Team Blog SQLOS (Dynamic Memory) - http://bit.ly/1dY40Hc  Blog Ben Amstrong - http://bit.ly/cFJvSE  Pluralsight – SQL Server: Virtualization - http://bit.ly/13XZxzU  WhitePaper – Running SQL Server with Hyper-v Dynamic Memory - http://bit.ly/175aLSy
    28. 28. DÚVIDAS? OBRIGADO!

    ×