OPUS Research
Group
LES | DI |PUC-Rio - Brazil
Leonardo da Silva Sousa –
lsousa@inf.puc-rio.br
INTEGRAÇÃO CONTÍNUA
Agenda

Introdução

Integração Contínua

Objetivo

Funcionamento

Benefícios

Boas Práticas

Ferramentas
 Roteiro
...
INTRODUÇÃO

Desenvolvimento de Software:

Processo Complexo.

Propenso a erros.

Caro.

Ambientes de Apoio à produção...
INTEGRAÇÃO CONTÍNUA

Prática de desenvolvimento de software.

Integração de trabalhos frequente.
 Verificação mais rápi...
OBJETIVO

Evitar o caos.

Estimula a equipe a integrar seu código.
 Encontrar e resolver problemas rapidamente.
 Visão...
FUNCIONAMENTO

Faço uma cópia:

Check out do código.

Cópia de trabalho.

Sistema de Controle de Versão.
 Implementaç...
FUNCIONAMENTO (cont.)

Atualizo minha cópia de trabalho:

Nova build.

Corrigir erros.

Sincronizada.

Commit

Build...
BENEFÍCIOS

Automatização de tarefas.
 Facilmente é possível saber a saúde do
projeto.

Código estável a qualquer momen...
BOAS PRÁTICAS

Manter um único repositório de código.
 Build:

Automatizar.

Auto-testável.
 Cada um lança suas modif...
BOAS PRÁTICAS (cont.)

Cada commit:

Atualizar o repositório principal.

Máquina de integração.

Mantenha a Build rápi...
FERRAMENTAS

Controle de versão

CVS, Subversion, GIT

Automação de Build

Ant, Maven, Make

Teste e Análise do códig...
ROTEIRO

Buscar trabalhos na área;
 Fazer um levantamento das ferramentas;

Levantar os contras.

Aplicar um estudo de...
BIBLIOGRAFIA

Continuous Integration

M. Fowler and M. Foemmel

www.martinfowler.com/articles/continuousIntegratio
n.ht...
Dúvidas
14Jul - 2013 lsousa@inf.puc-rio.br
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Integração Contínua - Introdução

357 visualizações

Publicada em

Apresentação introdutória sobre integração contínua baseada no artigo de Martin Fowler.

Publicada em: Software
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
357
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Integração Contínua - Introdução

  1. 1. OPUS Research Group LES | DI |PUC-Rio - Brazil Leonardo da Silva Sousa – lsousa@inf.puc-rio.br INTEGRAÇÃO CONTÍNUA
  2. 2. Agenda  Introdução  Integração Contínua  Objetivo  Funcionamento  Benefícios  Boas Práticas  Ferramentas  Roteiro  Bibliografia 2Abril - 2014 Processo e Ambientes de ES
  3. 3. INTRODUÇÃO  Desenvolvimento de Software:  Processo Complexo.  Propenso a erros.  Caro.  Ambientes de Apoio à produção:  Diminuir o trabalho/custo.  Aumentar o nível de confiabilidade.  Não é o suficiente. 3Abril - 2014 Processo e Ambientes de ES
  4. 4. INTEGRAÇÃO CONTÍNUA  Prática de desenvolvimento de software.  Integração de trabalhos frequente.  Verificação mais rápida possível.  Automatização. 4Abril - 2014 Processo e Ambientes de ES
  5. 5. OBJETIVO  Evitar o caos.  Estimula a equipe a integrar seu código.  Encontrar e resolver problemas rapidamente.  Visão geral do produto. 5Abril - 2014 Processo e Ambientes de ES
  6. 6. FUNCIONAMENTO  Faço uma cópia:  Check out do código.  Cópia de trabalho.  Sistema de Controle de Versão.  Implementação:  Alterar o código.  Teste automatizados.  Build automático:  Inclui teste. 6Abril - 2014 Processo e Ambientes de ES
  7. 7. FUNCIONAMENTO (cont.)  Atualizo minha cópia de trabalho:  Nova build.  Corrigir erros.  Sincronizada.  Commit  Build:  Máquina de integração. 7Abril - 2014 Processo e Ambientes de ES
  8. 8. BENEFÍCIOS  Automatização de tarefas.  Facilmente é possível saber a saúde do projeto.  Código estável a qualquer momento.  Feedeback rápido:  Facilidade em encontrar bugs.  Report. 8Abril - 2014 Processo e Ambientes de ES
  9. 9. BOAS PRÁTICAS  Manter um único repositório de código.  Build:  Automatizar.  Auto-testável.  Cada um lança suas modificações todos os dias.  Automatize a Implantação do Sistema. 9Abril - 2014 Processo e Ambientes de ES
  10. 10. BOAS PRÁTICAS (cont.)  Cada commit:  Atualizar o repositório principal.  Máquina de integração.  Mantenha a Build rápida.  Teste em uma cópia do ambiente de produção.  Todos podem ver o que esta acontecendo. 10Abril - 2014 Processo e Ambientes de ES
  11. 11. FERRAMENTAS  Controle de versão  CVS, Subversion, GIT  Automação de Build  Ant, Maven, Make  Teste e Análise do código  Junit, cobertura,PMD, Chekstyle, Findbugs  Sonar – agregador de métricas  Servidores de IC  Hudson/Jenkins, Bamboo, Continuum 11Abril - 2014 Processo e Ambientes de ES
  12. 12. ROTEIRO  Buscar trabalhos na área;  Fazer um levantamento das ferramentas;  Levantar os contras.  Aplicar um estudo de caso. 12Abril - 2014 Processo e Ambientes de ES
  13. 13. BIBLIOGRAFIA  Continuous Integration  M. Fowler and M. Foemmel  www.martinfowler.com/articles/continuousIntegratio n.html  10 de Setembro de 2000 13Abril - 2014 Processo e Ambientes de ES
  14. 14. Dúvidas 14Jul - 2013 lsousa@inf.puc-rio.br

×