Entre o bem e o mal
Capítulo 10 – Entre o bem e o mal
FILOSOFAR COM TEXTOS:
TEMAS E HISTÓRIA DA
FILOSOFIA
A construção do sujeito ético
 A noção de moralidade ou de ser moral está
intimamente ligada ao reconhecimento do outro c...
A construção do sujeito ético
 O que nos faz um sujeito ético: a possibilidade de ser
flagrado pelos outros ou a introjeç...
A construção do sujeito ético
 Para uma distinção entre moral e ética, podemos dizer
que:
• A moral é o conjunto de regra...
A construção do sujeito ético
 Ao conjunto de valores e regras já
existentes, quando nascemos, damos o
nome de moral cons...
Liberdade e determinismo
 Podemos distinguir três concepções de liberdade.
• A liberdade como vontade ou livre-arbítrio r...
A ética aplicada
 O impacto dos acontecimentos históricos do século XX
(guerras, genocídios, totalitarismos) influenciou ...
A ética aplicada
 A ideia de uma ética aplicada se consolida como ramo
contemporâneo da filosofia que busca a justificaçã...
A ética aplicada
 A bioética se expandiu a partir de questões postas pelos
avanços da engenharia genética. Os conflitos d...
A ética aplicada
A guerra, tríptico de Otto Dix, artista veterano da Primeira Guerra Mundial.
Os conflitos mundiais do séc...
FILOSOFAR COM TEXTOS:
TEMAS E HISTÓRIA DA
FILOSOFIA
ANOTAÇÕES EM AULA
Coordenação editorial: Maria Raquel Apolinário, Edua...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

V dfilo cap10p_entre_bem_mal

396 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
396
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
25
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

V dfilo cap10p_entre_bem_mal

  1. 1. Entre o bem e o mal Capítulo 10 – Entre o bem e o mal FILOSOFAR COM TEXTOS: TEMAS E HISTÓRIA DA FILOSOFIA
  2. 2. A construção do sujeito ético  A noção de moralidade ou de ser moral está intimamente ligada ao reconhecimento do outro como um sujeito (outro-eu); a moral é adquirida pelos indivíduos num processo de construção do sujeito ético.  A constituição do sujeito ético nos conduz à ideia de autonomia e heteronomia. • O sujeito autônomo age e decide por si mesmo. • O sujeito heterônomo tem seu comportamento regulado pelo exterior.
  3. 3. A construção do sujeito ético  O que nos faz um sujeito ético: a possibilidade de ser flagrado pelos outros ou a introjeção em nós da moralidade, de uma convicção pessoal?  A primeira alternativa revela um comportamento pouco amadurecido ou infantil porque, como a criança, age-se para evitar a punição ou receber a recompensa.  O sujeito moral está aberto à intersubjetividade.
  4. 4. A construção do sujeito ético  Para uma distinção entre moral e ética, podemos dizer que: • A moral é o conjunto de regras socialmente aceitas a respeito do bem e do mal em determinada época e lugar. • A ética é uma reflexão sobre os princípios que fundamentam a vida moral. • Enquanto a moral responde pelo fazer concreto, a ética pergunta sobre o que é o bem e o que é o mal.  Pode-se dizer que há um caráter histórico da moral e que, a partir da segunda metade do século XX, ela tem variado de forma mais acelerada.
  5. 5. A construção do sujeito ético  Ao conjunto de valores e regras já existentes, quando nascemos, damos o nome de moral constituída.  Contudo, os indivíduos possuem liberdade e, por isso, a moral constituída precisará passar sempre pela aceitação consciente das pessoas.  A vida moral exige a aceitação da tensão entre o dever e a liberdade. A ideia de virtude decorre da disposição e da coragem para querer o bem, não como ato ocasional, mas pela repetição do agir moral. Escultura da série Virtudes e vícios, de Hans Walther, para o mercado da cidade de Erfurt, na Alemanha. O comportamento humano é resultado da “equação” entre dever e liberdade. JÜRGENRAIBLE/ALBUM/AKG-IMAGES/LATINSTOCK
  6. 6. Liberdade e determinismo  Podemos distinguir três concepções de liberdade. • A liberdade como vontade ou livre-arbítrio remonta a Aristóteles, ganha força nas discussões dos primeiros teólogos como Agostinho e influencia a filosofia moderna. • O determinismo enfatiza a necessidade e, portanto, a ausência da liberdade; parte da ideia de que determinada causa gera um efeito necessário; em ciências humanas, tem como referência o positivismo de Comte. • A liberdade situada é a concepção que afirma ao mesmo tempo a determinação e a liberdade, ou seja, há situações que não escolhemos, mas é sempre possível uma ação sobre elas.
  7. 7. A ética aplicada  O impacto dos acontecimentos históricos do século XX (guerras, genocídios, totalitarismos) influenciou decisivamente as discussões éticas e morais. Podemos salientar, ainda, o papel das reivindicações de minorias excluídas socialmente e os avanços proporcionados pela tecnologia e a decisão de aplicá-la. A degradação do ambiente, a pobreza, a injustiça social e a exploração do trabalho também estimulam o debate público.
  8. 8. A ética aplicada  A ideia de uma ética aplicada se consolida como ramo contemporâneo da filosofia que busca a justificação racional para problemas práticos postos pelos novos tempos. Por isso é uma disciplina que exige o diálogo multidisciplinar com os mais diversos profissionais.  A ética aplicada traz consigo a noção de ética da responsabilidade e o princípio da precaução. Seus principais campos são: bioética, ética ambiental (ecoética) e ética dos negócios.
  9. 9. A ética aplicada  A bioética se expandiu a partir de questões postas pelos avanços da engenharia genética. Os conflitos de valores levaram à criação de comitês de bioética. Os principais temas: relação médico/paciente, técnicas de procriação, envelhecimento e morte.  A ética ambiental se ocupa das relações do ser humano com a natureza, a fim de garantir sua sustentabilidade (capacidade de prover as necessidades atuais sem esgotar os recursos para o futuro). Também é assunto da ecoética a má distribuição de renda e suas nefastas consequências sociais.  A ética dos negócios trata da responsabilidade social das empresas, quando visam a conciliar lucro e ganhos sociais: compromisso com funcionários, consumidores, concorrentes, órgãos governamentais, comunidade e meio ambiente.
  10. 10. A ética aplicada A guerra, tríptico de Otto Dix, artista veterano da Primeira Guerra Mundial. Os conflitos mundiais do século XX provocaram grandes mudanças em todas as áreas do conhecimento humano. Na filosofia, sua influência se deu principalmente nas reflexões sobre moral e ética. ERICHLESSING/ALBUM/LATINSTOCK
  11. 11. FILOSOFAR COM TEXTOS: TEMAS E HISTÓRIA DA FILOSOFIA ANOTAÇÕES EM AULA Coordenação editorial: Maria Raquel Apolinário, Eduardo Augusto Guimarães e Ana Cláudia Fernandes Elaboração: Maria Lúcia de Arruda Aranha e Renato dos Santos Belo Edição de texto: Samir Thomaz Preparação de texto: José Carlos de Castro Coordenação de produção: Maria José Tanbellini Iconografia: Camila D'Angelo, Marcia Mendonça, Angelita Cardoso e Denise Durand Kremer EDITORA MODERNA Diretoria de Tecnologia Educacional Editora executiva: Kelly Mayumi Ishida Coordenadora editorial: Ivonete Lucirio Editoras: Jaqueline Ogliari e Natália Peixoto Assistentes editoriais: Ciça Japiassu Reis e Renata Michelin Editor de arte: Fabio Ventura Editor assistente de arte: Eduardo Bertolini Assistentes de arte: Ana Maria Totaro, Camila Castro, Guilherme Kroll e Valdeí Prazeres Revisores: Diego Rezende e Ramiro Morais Torres © Reprodução proibida. Art. 184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. Todos os direitos reservados. EDITORA MODERNA Rua Padre Adelino, 758 – Belenzinho São Paulo – SP – Brasil – CEP: 03303-904 Vendas e atendimento: Tel. (0__11) 2602-5510 Fax (0__11) 2790-1501 www.moderna.com.br 2012

×