1551 Deficiencia Auditiva

12.777 visualizações

Publicada em

DEFICIENCIA AUDITIVA

1 comentário
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • i'd like to know if have tratment for toxoplasmoses
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.777
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
112
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
540
Comentários
1
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1551 Deficiencia Auditiva

  1. 1. DEFICIÊNCIA AUDITIVA Silvana Badin [email_address]
  2. 2. DEFINIÇÃO <ul><li>Deficiência auditiva é considerada genericamente como a diferença existente entre a perfomance do indivíduo e a habilidade normal para a detecção sonora de acordo com padrões estabelecidos pela American National Standards Institute (ANSI – 1989). </li></ul>Silvana Badin
  3. 3. DEFINIÇÃO <ul><li>QUALQUER ALTERAÇÃO OU DISTÚRBIO NO PROCESSAMENTO NORMAL DA AUDIÇÃO, SEJA QUAL FOR A CAUSA, TIPO OU GRAU DE SEVERIDADE, CONSTITUI UMA ALTERAÇÃO AUDITIVA, DETERMINANDO, PARA O INDIVÍDUO, UMA DIMINUIÇÃO DA SUA CAPACIDADE DE OUVIR E PERCEBER OS SONS. </li></ul>Silvana Badin
  4. 4. PERÍODO DE AQUISIÇÃO Silvana Badin
  5. 5. ADQUIRIDAS <ul><li>QUANDO O INDIVÍDUO PERDE A AUDIÇÃO NO DECORRER DA SUA VIDA. NESSE CASO A SURDEZ PODERÁ SER PRÉ OU PÓS-LINGUAL, DEPENDENDO DE SUA OCORRÊNCIA TER DE DADO ANTES OU DEPOIS DA AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM </li></ul>Silvana Badin
  6. 6. CAUSAS DA SURDEZ Silvana Badin
  7. 7. PRÉ-NATAIS <ul><li>FATORES GENÉTICOS </li></ul><ul><li>FATORES HEREDITÁRIOS </li></ul><ul><li>TOXOPLASMOSE </li></ul><ul><li>RUBÉOLA </li></ul><ul><li>CITOMEGALOVÍRUS </li></ul><ul><li>EXPOSIÇÃO DA MÃE A DROGAS ATOTÓXICAS </li></ul>Silvana Badin
  8. 8. PERI-NATAIS <ul><li>PREMATURIDADE </li></ul><ul><li>ANÓXIA </li></ul><ul><li>TRAUMA DE PARTO </li></ul>Silvana Badin
  9. 9. PÓS-NATAIS <ul><li>MENINGITE </li></ul><ul><li>CAXUMBA </li></ul><ul><li>SARAMPO </li></ul><ul><li>MEDICAMENTOS OTOTÓXICOS </li></ul><ul><li>AVANÇO DA IDADE </li></ul><ul><li>ACIDENTES </li></ul>Silvana Badin
  10. 10. TIPOS DE PERDA AUDITIVA Silvana Badin
  11. 11. CONDUTIVA <ul><li>QUANDO ESTÁ LOCALIZADA NO OUVIDO EXTERNO E/OU OUVIDO MÉDIO. </li></ul><ul><li>AS PRINCIPAIS CAUSAS DESTE TIPO SÃO AS OTITES, ROLHA DE CERA E ACÚMULO DE CERA. </li></ul><ul><li>NA MAIORIA DOS CASOS, ESSAS PERDAS SÃO REVERSÍVEIS APÓS O TRATAMENTO </li></ul>Silvana Badin
  12. 12. NEUROSSENSORIAL <ul><li>QUANDO A ALTERAÇÃO ESTÁ LOCALIZADA NO OUVIDO INTERNO, ESSE TIPO DE LESÃO É IRREVERSÍVEL </li></ul><ul><li>ESSE TIPO DE LESÃO É IRREVERSÍVEL; A CAUSA MAIS COMUM É A MENINGITE E A RUBÉOLA MATERNA. </li></ul>Silvana Badin
  13. 13. MISTA <ul><li>QUANDO A ALTERAÇÃO AUDITIVA ESTÁ LOCALIZADA NO OUVIDO EXTERNO E/OU MÉDIO E OUVIDO INTERNO. </li></ul><ul><li>GERALMENTE OCORRE DEVIDO A FATORES GENÉTICOS, DETERMINANTES DE MÁ FORMAÇÃO. </li></ul>Silvana Badin
  14. 14. CENTRAL <ul><li>A ALTERAÇÃO PODE SE LOCALIZAR DESDE O TRONCO CEREBRAL ATÉ ÀS REGIÕES SUBCORTICAIS E CÓRTEX CEREBRAL. </li></ul>Silvana Badin
  15. 15. GRAU DE COMPROMETIMENTO <ul><li>AUDIÇÃO NORMAL – de 0 a 15dB </li></ul><ul><li>SURDEZ LEVE – de 16 A 40 dB </li></ul><ul><li>SURDEZ MODERADA – de 41 a 55 dB </li></ul><ul><li>SURDEZ ACENTUADA – de 56 a 70 dB </li></ul><ul><li>SURDEZ SEVERA – de 71 a 90 dB </li></ul><ul><li>SURDEZ PROFUNDA – acima de 91 dB </li></ul>Silvana Badin
  16. 16. RELAÇÃO ENTRE O GRAU DE SURDEZ E O DESENVOLVIMENTO INFANTIL Silvana Badin
  17. 17. SURDEZ LEVE <ul><li>A CRIANÇA É CAPAZ DE PERCEBER OS SONS DA FALA </li></ul><ul><li>ADQUIRE E DESENVOLVE A LINGUAGEM ORAL ESPONTANEAMENTE </li></ul><ul><li>O PROBLEMA GERALMENTE É TARDIAMENTE DESCOBERTO </li></ul><ul><li>DIFICILMENTE SE COLOCA O APARELHO DE AMPLIFICAÇÃO PORQUE A AUDIÇÃO É MUITO PRÓXIMA DO NORMAL </li></ul>Silvana Badin
  18. 18. SURDEZ MODERADA <ul><li>A CRIANÇA PODE DEMORAR UM POUCO PARA DESENVOLVER A FALA E A LINGUAGEM </li></ul><ul><li>APRESENTA ALTERAÇÕES ARTICULATÓRIAS (TROCAS NA FALA) POR NÃO PERCEBER OS SONS COM CLAREZA </li></ul><ul><li>TEM DIFICULDADE DE PERCEBER A FALA EM AMBIENTES RUIDOSOS </li></ul><ul><li>SÃO CRIANÇAS DESATENTAS E COM DIFICULDADE NO APRENDIZADO DA LEITURA E DA ESCRITA </li></ul>Silvana Badin
  19. 19. SURDEZ SEVERA <ul><li>A CRIANÇA TERÁ DIFICULDADES EM ADQUIRIR A FALA E A LINGUAGEM ESPONTANEAMENTE </li></ul><ul><li>PODERÁ ADQUIRIR VOCABULÁRIO DO CONTEXTO FAMILIAR </li></ul><ul><li>EXISTE A NECESSIDADE DO USO DE APARELHO DE AMPLIFICAÇÃO E ACOMPANHAMENTO ESPECIALIZADO </li></ul>Silvana Badin
  20. 20. SURDEZ PROFUNDA <ul><li>A CRIANÇA DIFICILMENTE DESENVOLVERÁ A LINGUAGEM ORAL ESPONTANEAMENTE </li></ul><ul><li>SÓ RESPONDE AUDITIVAMENTE A SONS MUITO INTENSOS COMO: BOMBAS, MOTOR DE CARRO, AVIÃO </li></ul><ul><li>FREQÜENTEMENTE UTILIZA A LEITURA ORO-FACIAL </li></ul><ul><li>NECESSITA FAZER USO DE APARELHO DE AMPLIFICAÇÃO </li></ul><ul><li>ACOMPANHAMENTO ESPECIALIZADO </li></ul>Silvana Badin
  21. 21. IDENTIFICAÇÃO DA SURDEZ <ul><li>AUSÊNCIA OU INTERRUPÇÃO DO BALBUCIO A PARTIR DO OITAVO MÊS </li></ul><ul><li>AUSÊNCIA DE REAÇÕES A RUÍDOS AMBIENTAIS E FAMILIARES </li></ul><ul><li>AS PRIMEIRAS PALAVRAS COM APARECIMENTO TARDIO </li></ul><ul><li>EXCESSO DE COMUNICAÇÃO GESTUAL E POUCA EMISSÃO DE PALAVRAS </li></ul><ul><li>SOLICITAÇÃO CONSTANTE PARA QUE SEJAM REPETIDAS AS PALAVRAS E INSTRUÇÕES </li></ul>Silvana Badin
  22. 22. IDENTIFICAÇÃO DA SURDEZ <ul><li>FALA SEMPRE MUITO ALTO OU BAIXO </li></ul><ul><li>DORES OU SUPURAÇÕES CONSTANTES NOS OUVIDOS </li></ul><ul><li>CABEÇA VIRADA PARA OUVIR MELHOR, EM POSIÇÃO POUCO COMUM </li></ul><ul><li>OLHAR DIRIJIDO PARA OS LÁBIOS DE QUEM FALA E NÃO PARA OS OLHOS </li></ul><ul><li>RESPOSTAS MUITO FREQÜENTES A RUÍDOS ANTES DO QUE A VOZES </li></ul><ul><li>FALTA DE INTERESSE ÀS SOLICITAÇÕES DO PROFESSOR, DANDO A IMPRESSÃO DE DESATENÇÃO OU “PREGUIÇA” </li></ul><ul><li>FRASES NÃO ESTRUTURADAS </li></ul>Silvana Badin
  23. 23. PREVENÇÃO Silvana Badin
  24. 24. PREVENÇÃO <ul><li>REALIZAR CAMPANHAS DE VACINAÇÃO E SANEAMENTO BÁSICO PARA ERRADICAR AS DOENÇAS INFECTO-CONTAGIOSAS </li></ul><ul><li>FAZER ACOMPANHAMENTO PRÉ-NATAL, EVITANDO AS INFECÇÕES, AS DROGAS, A DESNUTRIÇÃO </li></ul><ul><li>NÃO LIMPAR OS OUVIDOS COM GRAMPOS, PALITOS OU OBJETOS PONTIAGUDOS </li></ul><ul><li>NO CASO DE SENSAÇÃO DE “OUVIDO CHEIO”OU COCEIRAS E DORES, PROCURAR UM MÉDICO OTORRINOLARINGOLOGISTA </li></ul><ul><li>CUIDAR DA FEBRE ALTA </li></ul>Silvana Badin
  25. 25. PREVENÇÃO <ul><li>NÃO EVITAR O ESPIRRO; ISTO DESEQUILIBRA O FUNCIONAMENTO DA TUBA AUDITIVA, PROVOCANDO DESARTICULAÇÃO DA CADEIA OSSICULAR </li></ul><ul><li>RUÍDOS MUITO INTENSOS PODEM MATAR AS CÉLULAS DO OUVIDO INTERNO. USAR PROTETORES </li></ul><ul><li>QUANDO HOUVER CASOS DE SURDEZ E/OU OUTRAS DEFICIÊNCIAS NA FAÍLIA, BUSCAR ACONSELHAMENTO GENÉTICO ANTES DE ENGRAVIDAR </li></ul><ul><li>EVITAR AUTOMEDICAÇÃO E NÃO PINGAR QUALQUER SUBSTÂNCIA NO OUVIDO SEM CONSULTAR O MÉDICO </li></ul><ul><li>TER CUIDADO COM ACIDENTES </li></ul>Silvana Badin
  26. 26. Silvana Badin                                                                    
  27. 27. <ul><li>SONHAR... É A LEI MAIOR DO SER HUMANO, O QUE DÁ SENTIDO À SUA EXISTÊNCIA </li></ul><ul><li>ACREDITAR... É UNIR FORÇAS DE TODOS E ELABORAR O SONHO </li></ul><ul><li>CONSTRUIR... COM A UNIÃO DE TODOS TORNAR O SONHO REALIDADE </li></ul>Silvana Badin
  28. 28. <ul><li>EDIFICAR... É SONHAR MAIS, ACREDITAR MAIS, CONSTRUIR CADA VEZ MAIS SONHOS </li></ul>                                                                                                                                                                                                             

×