História da hipnose ppt

7.743 visualizações

Publicada em

Hipnose, usada desde sempre numa vertente mais espiritual, para nos dias de hoje ser muito difundida, por Médicos, Dentistas, Psicólogos, etc...
Uma ferramenta muito poderosa, para muitos estados mentais, tais como, Fobias, ansiedades, vícios, perturbações de sono, etc...

Publicada em: Educação

História da hipnose ppt

  1. 1. História da hipnoseA hipnose é tão antiga quanto a própria humanidade. Osfenómenos hipnóticos fazem parte da vida quotidiana de todosos seres humanos. Todos nós passamos por eles várias vezesao dia de uma forma espontânea e aleatória. A hipnose éuniversal.As induções hipnóticas são tão antigas quanto a existência decivilizações. Estas práticas foram observadas na Índia, naGrécia e na Roma antiga.
  2. 2. No Egipto existiam os “templos dos sonhos”. Sacerdotesegípcios induziam os sujeitos ao estado hipnótico, existempapiros que falam do tema. Ao longo dos tempos, mais nooriente do que no ocidente, a pratica da hipnose vinha sendoexercida ininterruptamente, essencialmente com fins religiosos.
  3. 3. Os benefícios da hipnose foram usados por Hipócrates , paida medicina, para anestesiar os seus pacientes.O sábio, filósofo e médico iraniano do século XI (980/1037),Avicena aparece com grande destaque, em quase todas asgrandes obras desta especialidade.Assim como Paracelsus do século XVI (1493 – 1541), pai damedicina hermética.Mas é a partir da segunda metade do século XVIII, que se dáuma grande importância ao estudo da hipnose .
  4. 4. Nessa altura o padre jesuíta Johann Joseph Gassner,ordenado sacerdote em 1750, notabilizou-se pelas muitascuras que efectuou por intermédio de técnicas hipnóticas.Pensava-se que eram sessões espíritas (exorcismos).Rapidamente, dada a grande repercussão das actividadescurativas do padre Gassner, a classe médica indignadatornou pública a sua revolta, afirmando que esta era umaprática irracional!
  5. 5. Entre as várias comissões científicas criadas parainvestigar o trabalho do padre, a mais importante foiconduzida pelo médico Franz Anton Mesmer, cujasconclusões contribuíram para o impulso decisivodo hipnotismo actual.O referido Mesmer (1734–1815) estudou filosofia, teologia,astrologia, parapsicologia e concluiu a sua formação emmedicina, carreira que abandonou para se dedicar aquiloem que mais acreditava.
  6. 6. As curas pelos métodos magnetizantes, (uma grande partedos Historiadores, está de acordo quando se afirma, que oinício da história formal da hipnose, se deu em 1765 comos trabalhos de Mesmer sobre o magnetismo animal).A sua fama alastrou por todo o mundo e ficou conhecidocomo Mesmer, o magnetizador. Esta notoriedade nãopodia passar despercebida ás mais ilustres personalidadesda medicina oficial da época.
  7. 7. Uma campanha difamatória e impiedosa obrigou-o a sairdo país. Triste, por não poder aí exercer, procurou refúgioem Paris, cidade onde o “ mesmerismo ” passou a sermoda, com um êxito superior ao de Viena e Munique.A aristocracia francesa era a sua principal clientela,incluindo o rei, que lhe pagava uma pensão anual. Talcomo no seu país, este sucesso não podia passardespercebido.
  8. 8. Foi criada, então, uma comissão composta pelas maioressumidades da época, entre as quais figuravam o Dr.Lavoisier (criador da química moderna) e o Dr.Bailly (astrónomo de renome), que com o próprio rei LuísXVI, se negaram a assinar o relatório que condenavam asdemonstrações mesméricas, alegando que havia algo deextraordinário, incompreensível e positivo nelas.Mas, acaba por vencer a maioria, que na época só davacrédito a fenómenos materialmente evidentes. Mesmer édesacreditado, acusado de charlatão e votado ao ostracismo.
  9. 9. O Marquês de Puységur (1751–1825), discípulo deMesmer. Tratou de não deixar cair no esquecimento o“mesmerismo ” com a morte do seu fundador e descobriuo sonambulismo artificial.O Abade Faria (1755–1810) de origem portuguesa, travaconhecimento com o Marquês de Puységur, evoluindopara a doutrina da sugestão e desmistificando osfenómenos hipnóticos, que na altura eram consideradossobrenaturais.
  10. 10. Em pleno século XIX, o médico cirurgião JamesBraid (1795–1860) foi o autor da palavra “Hipnotismo”,que deriva do vocábulo grego “ hipnos” que significa sono.Propôs também o uso da auto-hipnose, considerando quea concentração era a chave do processo.Já no final da sua carreira, descobre que o sono não erapreciso para produzir certos fenómenos hipnóticos , peloque a palavra “Hipnotismo ” passava a não fazer sentido.
  11. 11. Procura trocar o nome para “Monoideísmo ” (tendência daactividade psíquica se concentrar em torno de uma sóideia, uma só sensação, uma só lembrança e/ou uma sóimagem), no entanto, já não foi possível, pois a palavra jáestava demasiado enraizada e divulgada.James Esdaile, médico cirurgião inglês, fez váriascirurgias utilizando como anestesia técnicas hipnóticas .
  12. 12. Paris, no final do século XIX, foi a época das escolas,onde se ensinava e investigava a utilizaçãoda hipnose na terapia.A “ Escola de Nancy ” ,liderada por Ambroise AugusteLiébault (1823–1904), considerou o transe hipnótico umestado natural e não patológico, (sendo denominado pormuitos historiadores o pai do hipnotismo científico ).
  13. 13. A “ Escola de Salpêtrière ” foi fundada por Jean MartinCharcot (1825-1893), um dos maiores neurologistas doséculo XIX. Este afirmou que o transe hipnótico sóacontecia como um estado patológico. Este princípio foiconsiderado completamente retrógrado, mesmo pelos seuscolegas da época, no entanto, deixou-nos como criaçãosua, três conceitos que classificou como estágiosda hipnose: a letargia, a catalepsia e o sonambulismo.
  14. 14. A “ Escola Mental ” foi criada por Hypolite Bernheim (1840-1919), um dos mais famosos médicos franceses, discípulode Liébault. Ele confluiu para a ideia do carácter subjectivodos fenómenos hipnóticos, tal como na necessidade deaprofundar as técnicas sugestivas. Contribuiu com o seuprestígio para o acolhimento, por parte da comunidadecientífica, das técnicas hipnóticas, usadas no controlo dasaúde física e mental.
  15. 15. Ivan Pavlov (1849 - 1936), médico russo, foi o criador daindução reflexológica . Condenou o aspecto psicológicoda hipnose dando relevo à fisiologia (capitulo da biologiaque trata dos fenómenos vitais, isto é, estuda as funçõesdos diferentes órgãos dos seres vivos). Com esta suaconfusão contribuiu para reforçar a predominância doaspecto psicológico na hipnose .
  16. 16. Émile Coué médico francês, estudou na “ Escola de Nancy ”e abriu caminho ao uso da auto-sugestão . Concluiutambém a famosa lei da reversão dos efeitos “num conflitoentre a vontade e a imaginação vence sempre,invariavelmente, a imaginação.Uma das suas auto-sugestões (auto-hipnose) consistia em,repetir ao acordar e antes de dormir, a seguinte frase:Todos os dias, sob todos os pontos de vista, eu soucada vez melhor !
  17. 17. Pierre Janet (1849-1947), psicólogo francês, estudou na“Escola de Salpêtrière “ e foi aluno do professor Charcot.Definiu o transe como uma dissociação da mente e criou otermo subconsciente para diferenciá-lo do inconsciente.Foi pioneiro da hipnoterapia regressiva ao descobrir queas pessoas tinham a faculdade de reprimir das suasmemórias episódios significativos da sua vida, ocorridosanteriormente.
  18. 18. Freud estudou na “Escola de Salpêtrière” com oprofessor Charcot e continuou a colaborar com Brener atéà elaboração da sua teoria sobre a sexualidade infantil.Fundou a “psicanálise”, que foi desde logo muitocontestada, mas acabou por ser aceite universalmentepela comunidade científica. Até aí, fez uso extensivoda hipnose na investigação do subconsciente,compreendeu que a descoberta da raiz dos problemas eraessencial para uma terapia bem sucedida.
  19. 19. Milton Hyland Erickson (1901-1980),psiquiatra e mestre em psicologia,reabilitou e modernizou a hipnoseclássica e é considerado o paida hipnose moderna.Erickson nasceu a 15 de Dezembro de1901, em Nevada, E.U.A. Filho defazendeiros, teve poliomielite aos 17anos e num estado terminal, pôde ouviro médico, dizer à sua mãe, que seriaimpossível ele resistir até aoamanhecer.
  20. 20. Indignado e revoltado, acreditou que se visse os primeirosalvores não morreria. Aguentou até ao nascer do sol e sóentão se entregou a um coma profundo, do qual sódespertou uns dias depois. Livre da morte, ficou paralisadonuma cadeira de rodas, até experimentar, mais uma vez, asua força interior, que contribuiu sem dúvida, para tornarpossível a sua recuperação.
  21. 21. Concluiu os seus estudos académicos em psiquiatria epsicologia em 1929. No exercício das suas funçõesapercebeu-se que os métodos terapêuticos da época, eramna sua opinião, muito lentos e poucos eficientes. Interessou-se pela hipnose e seguiu de perto os trabalhos deinvestigação de Clark Hull .Erickson este génio da hipnose inicia então a sua jornada ecria os seus próprios métodos e técnicas hipnoterapêuticas,a hipnoterapia naturalista.
  22. 22. Durante mais de 50 anos, desenvolveu extensos estudos epesquisas, sobre vários conceitos para o uso ecompreensão da hipnose, do ser humano e da suamudança. Pouco escreveu sobre os seus trabalhos epreferiu que os seus alunos, mais experimentassem suametodologia do que se prendessem à teoria.Considerou que cada paciente era um paciente, comexperiências individuais diferentes, não podendo portanto,ser encaixado em terapias padronizadas pré-estabelecidas.
  23. 23. Erickson revelou-se a maior autoridade em hipnoterapiabreve e estratégica do século XX. As suas intervençõesrápidas, com excelentes resultados, foram algumas vezesincompreendidas.As características mais predominantes que marcaram apersonalidade deste ser humano de excepção, são a suadeterminação, perseverança, criatividade e genialidade.Destaca-se também, como um excelente comunicador,com uma perspicácia e intuição altamente desenvolvida,tal como, um enorme sentido de respeito pela vida.
  24. 24. Foi presidente fundador da American Society of ClinicalHypnosis e deixou como herança o contributo do seutrabalho, a Hipnoterapia Ericksoniana .Actualmente, os hipnoterapeutas exercem a suaactividade profissional em todo o mundo, seguindo asvárias correntes das diferentes escolas de psicoterapia,que merecem também destaque pelo trabalho quedesenvolvem através das técnicas hipnóticas.
  25. 25. A hipnoterapia é uma arte e uma profissão, que é cadavez mais adoptada por clínicos gerais, dentistas,psiquiatras, psicólogos e outros especialistas rendidos àsimplicidade, à unidade de propósitos, à eficácia e aosucesso dos resultados obtidos.
  26. 26. O que é a Hipnose?A hipnose é um estado modificado de consciência, quepermite direccionar com intensidade a concentração de umapessoa, para um ou outro assunto. Nesta perspectiva, é umaforma de comunicação que leva o individuo a pensar, sobre simesmo e por si mesmo. A percepção de tudo o que está forado foco da atenção diminui consideravelmente e até a noçãodo tempo se modifica.
  27. 27. O que é a hipnoterapia?A hipnoterapia é uma forma de psicoterapia que utiliza ahipnose. Desenvolve-se num estado derelaxamento induzido naturalmente, semelhante ao sonoleve. Neste relaxamento, o indivíduo fica mais permeável àsugestão e com uma maior capacidade de discernimento, oque lhe permite ver mais além do que seria possível no seuestado de vigília.
  28. 28. Liga o subconsciente sem desligar o consciente, são estesdois pontos focais que resultam numa consciência conjunta elevam o paciente, no final das sessões a lembrarem-se detudo o que ocorreu nesse estado hipnótico .Surge então, a possibilidade da auto-compreensão, assimcomo o acesso e alívio dos conflitos internos do presente edo passado.
  29. 29. Esta terapia, desenvolve no momento, a perspicácia e aintuição, o que permite ao individuo, conduzido peloterapeuta, pressentir, compreender e analisar de uma formasimples, mas objectiva, as suas próprias necessidadesterapêuticas, com vista ao restabelecimento da sua saúdefísica e mental.
  30. 30. Hipnoterapia EducativaA Hipnoterapia Educativa tem como função levar o paciente aum pensar melhor, sobre si e por si mesmo, de acordo com asua única forma de ser, tornando-o mestre dos seus própriossentimentos e não escravo deles.Da mesma forma que se aprende comportamentosindesejáveis, pode-se também aprender comportamentosdesejáveis a partir da compreensão da natureza dospensamentos, sentimentos e emoções que geram alteraçõesfisiológicas e consequentemente vários estados patológicos.
  31. 31. Hipnoterapia de Regressão AnalíticaA Hipnoterapia de Regressão Analítica tem como objectivodesbloquear a memória do paciente e conduzi-lo aosmomentos que geraram os seus problemas psíquicos. Énesses momentos, que se faz a análise e compreensão daspatologias associadas ao indivíduo.Esta terapia permite encontrar acções padronizadas ao longodo tempo e soluções terapêuticas para diferentes problemas,mesmo que estes estejam profundamente enraizados.
  32. 32. Hipnoterapia de Vidas PassadasA hipnoterapia de vidas passadas é uma terapia deregressão analítica com projecções da mente para vidasanteriores e para momentos antes do nascimento. Pode parecerinacreditável ou completamente irreal para o leigo, porémacontece, e mais importante, pode ajudar a curar pessoas deuma forma rápida, eficaz e duradoura.É muito frequente, em poucas secções, tratar patologias do foropsicológico em pacientes que sofreram durante muitos anosdessas doenças.
  33. 33. Hipnoterapia CondicionativaA Hipnoterapia Condicionativa fortalece a mente do pacientepara que este seja capaz de melhor formas de comportamento,que não seriam possíveis de conseguir em outras situações.Nesta técnica, conduz-se o indivíduo a um recondicionamentode hábitos e comportamentos mais saudáveis que estão nabase do que o motivou a procurar a terapia.
  34. 34. Perguntas mais frequentes?(1)Qualquer pessoa pode ser hipnotizada?(2)Quais são as contra indicações?(3)Pode o hipnoterapeuta interagir de modo contrário aos princípiosmorais e éticos do paciente?(4) – O que é que o paciente deve fazer?(5) – Como se irá sentir a pessoa durante o transe hipnótico?(6) – Quantas sessões são necessárias para o tratamento das váriaspatologias?(7) – A hipnoterapia substitui a medicina convencional? Lui s Mendes -2011

×