Hipnoterapia

922 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
922
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Hipnoterapia

  1. 1. Hoje em dia as sociedades modernas imprimemna maioria das pessoas um ritmo demasiadoacelerado, para que este possa ser suportado deuma forma saudável por todos nós. Os dias sãopassados a correr e parte das noites a pensar noque aconteceu ou no que pode nunca vir aacontecer, sem nos permitirmos apreciar edesfrutar os momentos da vida presente.
  2. 2. Quem é que não convive com sentimentos malresolvidos ou compreendidos que necessitam deser reajustados. Quem não arrasta na idade adultaconflitos ou traumas gerados na sua infância.Quem é que nunca cometeu erros, se condenouou lamentou por desperdiçar oportunidades.
  3. 3. Sentimentos de revolta, raiva, impotência,magoa, tristeza, solidão, vergonha, insegurança,desespero, repulsa, rancor, ódio, ciúme,desilusão, perda, desgosto, entre outros, sãosempre obstáculos para uma vida feliz eequilibrada.
  4. 4. Criamos atitudes negativas e difíceis de superar.Procuramos sair delas mas, muitas vezes, já nãotemos forças ou estamos demasiado fragilizadospara saber como e quando o fazer.Mas saiba que as repostas para as suas dificuldadese problemas estão dentro de si mesmo. Ahipnoterapia actua, com uma eficiência impar,directamente onde ocorrem os desajustes, a suamente.
  5. 5. A Hipnoterapia Educativa tem como funçãolevar o paciente a um pensar melhor, sobre si epor si mesmo, de acordo com a sua única formade ser, tornando-o mestre dos seus própriossentimentos e não escravo deles.
  6. 6. Da mesma forma que se aprendemcomportamentos indesejáveis, pode-se tambémaprender comportamentos desejáveis a partir dacompreensão da natureza dos pensamentos,sentimentos e emoções que geram alteraçõesfisiológicas e consequentemente vários estadospatológicos.
  7. 7. A nossa forma de pensar tanto nos pode fazerbem, livrando-nos assim da doença, comotambém nos pode fazer mal provocando-a.Nesta perspectiva, esta terapia visa melhoresformas de pensar, procurando o caminho damudança de estilos de vida e comportamentosnegativos, rumo à saúde, positivismo e bem-estar.
  8. 8. A Hipnoterapia de Regressão Analítica temcomo objectivo desbloquear a memória dopaciente e conduzi-lo aos momentos que geraramos seus problemas psíquicos. É nessesmomentos, que se faz a análise e compreensãodas patologias associadas ao indivíduo.
  9. 9. Esta terapia permite encontrar acçõespadronizadas ao longo do tempo e soluçõesterapêuticas para diferentes problemas, mesmoque estes estejam profundamente enraizados.O resultado proposto é a libertação doscondicionamentos negativos que se manifestamatravés das várias perturbações físicas e mentais.
  10. 10. A Hipnoterapia Condicionativa fortalece a mentedo paciente para que este seja capaz de melhorformas de comportamento, que não seriam possíveisde conseguir em outras situações.Nesta técnica, conduz-se o indivíduo a umrecondicionamento de hábitos e comportamentosmais saudáveis que estão na base do que o motivoua procurar a terapia.
  11. 11. O que é a hipnoterapia de Vidas Passadas?A hipnoterapia de vidas passadas é uma terapiade regressão analítica com projecções da mentepara vidas anteriores e para momentos antes donascimento. Pode parecer inacreditável oucompletamente irreal para o leigo, poremacontece, e mais importante, pode ajudar a curarpessoas de uma forma rápida, eficaz e duradoura.
  12. 12. É muito frequente, em poucas sessões, tratar patologias doforo psicológico em pacientes que sofreram durantemuitos anos dessas doenças.A terapia de vidas passadas é um nome dado a umatécnica hipnoterapêutica, que existe apenas com afinalidade de ajudar todo o ser humano,independentemente daquilo em que acredite, a melhorar asua saúde física e mental e não para provar ou refutar,qualquer verdade, crença ou religião.
  13. 13. Também é verdade que a maioria das pessoas queregrediram as outras possíveis existências, parecemconcordar, em que não se tratou de uma simplesinvenção, ou imaginação criativa das suas mentes.É comum os pacientes mudarem as suas directrizesde vida, com apenas uma ou duas sessões de terapiade vidas passadas .
  14. 14. A oportunidade das pessoas se confrontarem coma essência dos seus próprios problemas e com oseu verdadeiro eu, é uma característica semparalelos, desta terapia.
  15. 15. Conhecimento InteriorO conforto e a segurança são muitas vezesresponsáveis, por não nos aprofundarmos noconhecimento que regula a nossa existência.Ainda assim a nossa mente anseia por directrizesque afastem as nuvens da ignorância.
  16. 16. Muitos académicos preferem acreditar que aciência lida com a verdade absoluta, em vez deprocurarem uma aproximação limitada darealidade. Citando o pioneiro da física quânticaMax Planck: “Uma nova verdade científica nãotriunfa por convencer os seus opositores e fazê-los ver a verdade mas sim, porque essesopositores acabam morrendo e surge uma novageração que tem familiaridade com ela“.
  17. 17. Actualmente, em termos científicos não hácomprovação da existência da reencarnação.Mas, cada vez mais investigadores se esforçampara encontrar explicações plausíveis, com basescientíficas, deste e outros fenómenos, que aciência não tem explicado, ou pelo menos, nãoexplica bem.
  18. 18. Explicações para o fenómeno de vidas passadasImaginação- Os cépticos dirão que não existe areencarnação e que todas as recordações de vidaspassadas, por muito bem elaboradas que estejam,são fruto da imaginação criativa do indivíduo.
  19. 19. Falsa recordação- (criptomnesia), o indivíduopensa que recordou a sua própria experiência devida passada, quando na realidade, essa históriafoi captada na sua vida presente, através do queouviu, leu ou viu no percurso da sua existência.
  20. 20. Memória ancestral- Explicação de Carl Jung,para recordações de vidas passadas, é a de que oindivíduo acede a um vasto banco de memóriascomuns a todos e aí, obtém a informação.
  21. 21. Telepatia ou clarividência- As pessoas nãorecordam as suas próprias vidências passadas,mas sim as de outros indivíduos.
  22. 22. Reencarnação- Esta postura afirma que onascimento é apenas sono e esquecimento e quetodos nós, cépticos ou não, em determinadaaltura podemos ter acesso a recordações de vidaspassadas. A alma que surge com o nascimento,pode ter vivido outras vidas, em outros corpos,acumulando sempre, novas experiências e novosconhecimentos.
  23. 23. Reencarnação, fontes recentes desta crençaA tradução de textos Sânscritos, feita noprincípio do século XIX, revelou a culturaclássica indiana (aparentemente a origem dopensamento europeu) e a crença da reencarnaçãona nossa sociedade.
  24. 24. O espírita francês, Allan Kardec, contribuiucom o seu famoso trabalho “O Livro dosEspíritos”, em 1857, para difundir a crençareencarsionista.
  25. 25. A Teosofia , no final do século XIX, ligada àfilosofia indiana renovou o interesse pelareencarnação e tornou esse conceito maisaceitável.
  26. 26. O Coronel Albert de Rochashipnoterapeuta francês na transição do séculoXIX, descobre que pessoas em transehipnótico podiam regredir não apenas ásmemórias da mais tenra infância, como, também,às lembranças que considerou de vidas anterioresdos seus pacientes. É pioneiro na interpretaçãodas recordações de vidas passadas.
  27. 27. Em pleno século XX os seus sucessores, o suecoJohn Bjorkhem e o prestigiado psiquiatra inglês(com nove títulos outorgados por universidadeseuropeias), Alexander Cannon, são responsáveispor centenas de tratamentos bem sucedidos, porintermédio da terapia de vidas passadas.Influenciados pelo trabalho de Cannon, ArnallBloxham e Morey Bernstein e o seu famoso caso“Bridey Murphy”, desperta o interesse poresta terapia e consequentemente arrasta milhõesde pessoas a reflectir sobre o assunto.
  28. 28. Posteriormente, psiquiatras e psicólogos comoDenys Kelsey, Joan Grant, Joe Keetom, MorrisNetherton, Edith Fiore, Brian Weiss, MichaelNewton, Roger Woolger, Hans Tendam, paracitar só os nomes mais conhecidos, publicaramos seus relatos terapêuticos de vidas passadas,com a forte e sólida convicção, que é aterapia mais eficiente e completa que conhecem,independentemente dos pacientes acreditarem ounão na reencarnação.
  29. 29. Os vários relatos de recordações de vidaspassadas escritos por investigadoresconceituados na área científica, estãoactualmente a levantar grandes questões sobre anossa existência, enquanto seres humanos.Saber se estas recordações de vidas passadas, sãoverdadeiras ou apenas fantasias, parece-nos seruma questão, que vai continuar a ser debatidapor muitos anos.
  30. 30. A reencarnação mais conhecida e aceitemundialmente, é possivelmente a de Sua Santidadeo Dalai Lama do Tibete.Há relatos, em variadas partes do globo e em todasas épocas, de indivíduos, algumas vezes aindacrianças, que forneceram informações detalhadas erigorosas, sobre eventos e pessoas que morreramantes do seu nascimento. Estes casos, são muitasvezes difíceis de explicar, com bases científicas eracionais, por uma qualquer entidade.
  31. 31. Entre vários investigadores, os Drs. KennethRing e Raymond Moody, desenvolveram umtrabalho exaustivo sobre experiências vividas dequase-morte. O testemunho de indivíduos queem determinadas circunstancias, foramdeclarados clinicamente mortos, sãoincrivelmente semelhantes. Estes investigadoresque utilizaram técnicas de investigaçãocientíficas formais e padronizadas, concluíramque estas experiências não são resultado dealucinações ou outras patologias cerebrais.
  32. 32. O psiquiatra Ian Stevenson, professoruniversitário em Virgínia, E.U.A., é talvez oinvestigador, desde 1960, que mais seriamentetem tentado provar a existência dareencarnação. Fazem parte do seu arquivocentenas de investigações de vidas passadas,que foram lembradas espontaneamente porcrianças, com recordações precisas de locais einventos passados.
  33. 33. A hipnoterapia de vidas passadas, não se propõeprovar ou reprovar a possibilidade da existênciada reencarnação, tal como, não tem de concordarnecessariamente com nenhuma doutrina oureligião. Deixamos os parapsicólogos,preocuparem-se em comprovar a veracidadedessas supostas memórias e para os religiosos, aapresentação da teoria da reencarnação comouma doutrina.
  34. 34. Nesta terapia não é de todo importante, acreditar ounão na probabilidade da existência de vidaspassadas, pois a terapia resulta da mesma formapara os que são mais cépticos.O hipnoterapeuta serve-se da projecção da mentedos pacientes a vidas passadas, que pode ocorrer deuma forma espontânea ou não, durante a sessãohipnótica como uma técnica pratica, das maiseficientes, que visa apenas a cura psicológica.
  35. 35. É tarefa do terapeuta ser completamenteimparcial, fazer a abstracção da suapersonalidade, ideologia, crença e só a sua forçaneutra deverá intervir. Deve também, respeitar alivre vontade de escolha dos pacientes e ajuda-los a encontrar o alivio e a compreensão dossintomas e comportamentos que os incomodam,sobre os quais não tem controle.
  36. 36. A resposta para esta questão, encontra-se dentrodo universo que habita em cada um de nós.É minha opinião, que cada pessoa deverá decidirpor si mesma, baseada no conhecimento das suasexperiências pessoais e na sua própria intuição, enunca por ouvir dizer ou por causa de certosdogmas.
  37. 37. Qualquer indivíduo, crente ou não, ateu ouagnóstico, que se sinta feliz consigo mesmo ecom tudo o que o rodeia, provavelmente estaráno caminho certo.Por uma questão de ética profissional prefiroomitir as minhas próprias crenças.
  38. 38. • Hipnoterapia, terapia de regressão.• Terapia natural, simples, indolor, eficaz, com resultados rápidos e duradouros.• Desbloqueie a sua mente, livre-se de preconceitos e dogmas que atrapalham a sua vida, descubra o universo que habita em si.• Vença as adversidades da vida e a própria doença com a sua força interior, o seu poder mental, a força da sua mente.
  39. 39. Luís Mendes- 2012

×