Promoção de vendas leandro 02

14.411 visualizações

Publicada em

Apresentação na Pós Graduação da Universidade Positivo - Promoção de Vendas e Marketing

Publicada em: Negócios
0 comentários
17 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
14.411
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
699
Comentários
0
Gostaram
17
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Promoção de vendas leandro 02

  1. 1. Promoções e ComunicaçãoemVendas<br />Parte 02<br />
  2. 2. O Conceito de <br />Promoção de Vendas<br />
  3. 3. PROMOÇÃO DE VENDAS<br />Promoção de vendas consiste de um conjunto diversificado de ferramentas de incentivo, em sua maioria a curto prazo, que visa estimular a compra mais rápida e, ou em maior volume de produtos e serviços específicos por consumidores ou comerciantes (Kotler, 2006 apud BLATTEBERG, Robert C., NELSLIN, Scott, 1998, p.577).<br />Promoção de vendas é o conjunto de esforços, métodos e/ou serviços com o objetivo de aumentar o nível de vendas de um produto durante um período determinado (Marc Legrain)<br />Promoção de vendas consiste no conjunto de atividades do marketing aplicada a produtos, serviços ou marcas, visando, por meio da interação, junto ao seu público-alvo, alcançar os objetivos estratégicos de construção de marca, vendas e fidelização (AMPRO).<br />
  4. 4.
  5. 5.
  6. 6. CAUSAS DO CRESCIMENTO DA PROMOÇÃO DE VENDAS<br />Comportamento do consumidor:<br /><ul><li> 82 % das decisões de compra são definidas no ponto de venda
  7. 7. 12% das compras são planejada e a marca é decidida antecipadamente</li></ul>Segmentação do mercado<br />O consumidor hoje tem poder de escolha e escolhe por identificação.<br />Economia<br />O alto custo dos veículos de comunicação tem levado as empresas a optarem pela promoção pelo custo e pelo resultado imediato percebido.<br />
  8. 8. CARACTERÍSTICAS<br />
  9. 9. OBJETIVOS<br />Acelerar Vendas;<br />Bloquear a penetração dos concorrentes;<br />Criar e despertar novas razões de consumo;<br />Reativar produtos em declínio;<br />Aumentar e eficiência;<br />Criar experiência com a marca;<br />Gerar buzz;<br />
  10. 10. PROMOÇÃO DE VENDAS FAZ:<br />Experimentação do produtos;<br />Introdução de novos produtos;<br />Introdução de novas tendências ou modificações em produtos existentes;<br />Diminui impacto da propaganda de concorrentes<br />
  11. 11. PROMOÇÃO DE VENDAS FAZ:<br />Canaliza atenção do mercado;<br />Repetir compras;<br />Estimula venda de produtos casados;<br />Desencalha estoque.<br />
  12. 12. PROMOÇÃO DE VENDAS NÃOFAZ:<br />Criar fidelidade à marca;<br />Substituir a propaganda;<br />Manter as vendas sempre em alto volume;<br />Substituir uma ineficiência de distribuição<br />
  13. 13. TÉCNICAS DE PROMOÇÃO<br />Campanha de incentivo. São aquelas que fazem parte do marketing de relacionamento e que estipulam metas de vendas com objetivos de diferenciar desempenho, motivar e melhorar os resultados.<br />Amostragem (Samppling). Ação de distribuição de amostra grátis do produto com objetivo de torná-lo conhecido em lançamento ou ampliar seu numero de consumidores, reforçando sua imagem.<br />Panfletagem. Distribuição de panfletos ou folhetos em espaços urbanos ou de venda. <br />Degustação. São oferecidos aos consumidores o produto para experimentação , geralmente realizados com auxilio de balcão ou bandejas.<br />
  14. 14. Feiras e eventos. Locais de concentração de expositores em estande. Onde podem ser realizados vendas, demonstrações, relacionamento com compradores ou divulgação em geral.<br />Redução de preço / bonificação. Redução aparente do valor a ser cobrado ou ação de bonificar o cliente.<br />Blitz. Ações em grupos de pessoas em locais definidos onde são realizados distribuições de produtos, realização de brincadeiras e entrega de brindes através de abordagem.<br />Concurso / sorteio / prêmio. Consumidor concorre a prêmios ou vale brindes mediante preenchimento de cupom.<br />A criatividade e necessidade de criar experiências marcantes da marca com o consumidor tem exigido criatividade cada vez maior das agências, no entanto, a criatividade normalmente é uma adaptação, uma “roupagem” personalizada das técnicas citadas.<br />
  15. 15. ALOCAÇÃO DE VERBA PARA A PROMOÇÃO DE VENDAS<br />
  16. 16. Devido a mudanças no comportamento do comsumidor, das normas e regras pra a propaganda, economia da atenção entre outros, a definição de alocação de verba tem mostrado mudanças. Especula-se que em breve as empresas voltem seus investimentos mais para a promoção de vendas que para a propaganda.<br />
  17. 17. MÉTODOS<br />
  18. 18. Método percentual de vendas. <br />Estabelece o orçamento de comunicação com base em um percentual determinado das vendas atuais ou estimadas.<br />Exemplo:<br />Previsão de vendas 2008: R$ 100 milhões<br />Percentual promocional: 10 %<br />Verba destinada<br />a promoção: R$ 10 milhões <br />Método valor fixo por unidade. <br />Aloca um valor fixo para o orçamento de comunicação baseado em cada unidade vendida ou produzida.<br />Exemplo<br />Produção: 80.000 unidades<br />Custo com comunicação: R$ 20,00<br />Verba destinada a promoção: R$ 1,6 milhões<br />
  19. 19. Método baseado na concorrência. <br />Estima-se quanto os concorrentes estão investindo para definir investimento similar<br />Método tudo-que-puder-gastar. <br />Investe tudo o que a organização pode em comunicação<br />Método objetivo tarefa. <br />Quantifica os objetivos de comunicação, determinando e orçando o composto de comunicação necessário para alcançar esse objetivo<br />
  20. 20. PROMOÇÃO DE VENDAS<br />PARA OS DIVERSOS PÚBICOS <br />
  21. 21. PÚBLICOS DA PROMOÇÃO DE VENDAS<br />
  22. 22. PROMOÇÃO DE VENDAS<br />PÚBICO INTERNO<br />
  23. 23. PROMOÇÃO DE VENDAS PARA PÚBLICO INTERNO<br />Conscientização da importância do público interno:<br /><ul><li> A força de vendas é o primeiro elo da cadeia comercial, que se estende do produtor ao consumidor;
  24. 24. O público interno é o primeiro comprador de um bem, entendendo-se com isso que se ele não tiver plena convicção e conhecimento da qualidade do produto ou serviço que esta vendendo dificilmente conseguirá apresentar uma argumentação eficiente de venda.</li></li></ul><li>ENDOMARKETING<br />São ações gerenciadas de marketing eticamente dirigidas ao público interno (funcionários) das organizações e empresas focadas no lucro, das organizações não-lucrativas e governamentais e das do terceiro setor, observando condutas de responsabilidade comunitária e ambiental.<br />O processo do endomarketing visa adequar a empresa ao atendimento do mercado, tornando-a mais competitiva a partir da integração de seus funcionários à estrutura organizacional. <br />
  25. 25. ENDOMARKETING<br />1. Chamamento a parcerias, à cooperação e à lealdade; <br />2. Valorização do indivíduo dentre de seu grupo; <br />3. Integração baseada nos valores e objetivos da empresa;<br />4. Reforço contínuo de uma atitude baseada em valores compartilhados; <br />5. Recompensas e prêmios dirigidos ao grupo para que todos se beneficiem dos resultados positivos; <br />6. Criação de um ambiente de interação dentro da empresa <br />7. Envolvimento dos funcionários no planejamento e na tomada de decisões; <br />8. Estímulo à iniciativa e à atitude criativa; <br />9. Delegação de poderes de acordo com a natureza da função exercida;<br />10. Remuneração adequada.<br />
  26. 26. FERRAMENTAS PROMOCIONAIS<br />
  27. 27. MATERIAL DE APOIO ÀS VENDAS<br />
  28. 28. ATIVIDADES DE APOIO AS VENDAS<br />São realizadas pela empresa com o objetivo de aperfeiçoar as técnicas de comercialização da equipe de vendas.<br /><ul><li>Reunião de vendas
  29. 29. Convenção de Vendas
  30. 30. Treinamento de vendas
  31. 31. Treinamento dirigido a venda
  32. 32. Treinamento dirigido ao produto / serviço</li></li></ul><li>REUNIÃO DE VENDAS<br />
  33. 33. CONVENÇÃO DE VENDAS<br />
  34. 34. ORGANIZE UMA CONVENÇÃO DE VENDAS<br />Existem convenções de vendas interessantes, dinâmicas e produtivas, que provocam sinergia e mobilizam os participantes em torno dos objetivos do evento. Outras, em compensação, são monótonas, convencionais e deixam na platéia uma sensação de vazio. Quando os profissionais voltam para seus locais de trabalho, continuam fazendo o que sempre fizeram, sem que possam aplicar uma vírgula do que ouviram.<br />Organizar grandes encontros corporativos é uma tarefa complexa, que exige planejamento e dedicação. Para que dê tudo certo, portanto, é preciso levar em conta algumas regras básicas. Cleber Papa, sugere o que fazer para que uma convenção seja um sucesso:<br />Convenção é convenção, festa é festa – O primeiro passo para a realização de eventos bem-sucedidos é pensar neles não como festas ou reuniões informais, nas quais as pessoas irão apenas para se socializar e se divertir, mas como uma poderosa ferramenta de comunicação empresarial.<br />Escolha o lugar certo – A escolha do local para a realização da sua convenção deve seguir um princípio elementar: afastar os funcionários da rotina estressante do trabalho. Analise o que você pretende fazer, aonde, e as condições e equipamentos que o hotel ou centro de convenções oferecem.<br />Defina a mensagem - Toda convenção de vendas deve ter um objetivo, gerar um resultado, agregar algum valor. Caso contrário, a empresa estará jogando dinheiro fora. É fundamental, portanto, definir o tipo de mensagem que a companhia quer transmitir a seu público.<br />
  35. 35. Escolha o tema – Um evento bem planejado e criativo geralmente é elaborado a partir da escolha de um tema central de fácil assimilação, atrelado à realidade dos participantes e que tenha a ver com o propósito do encontro. Isso permite manter a unidade visual e conceitual - e será determinante na hora de escolher os palestrantes, o lugar, o cenário, o cardápio, os brindes, as atividades etc. “A inspiração para a escolha do tema pode vir de fontes como jornais, revistas, filmes e até novelas de TV ”, diz Papa. “A Copa do Mundo e as Olimpíadas, por exemplo, costumam ser assuntos bastante explorados.” <br />Injete ânimo - A convenção deve funcionar sobretudo como uma ferramenta de motivação. A pessoa tem de sair do evento com uma nova visão, pronta para enfrentar os próximos desafios.<br />Seja claro - Deixe claro para os participantes o propósito do encontro, os planos e a metas que devem ser alcançados. Em seguida, mostre como o bom desempenho de cada um será reconhecido e premiado.<br />Entretenha, emocione – Ao reunir as pessoas, não se pode perder a oportunidade de surpreendê-las, impactá-las, arrepiá-las. Só assim a mensagem que você quer transmitir ficarão devidamente guardada na mente dos participantes. Abuse dos efeitos especiais, recursos técnicos, lugares inusitados, shows, brincadeiras e jogos interativos.<br />Valorize os detalhes – Ao realizar uma convenção de vendas você está dirigindo um show ao vivo, pequenos deslizes podem acontecer. Antecipe os imprevistos. Trate de fazer um ensaio geral com todos os envolvidos – operadores de som, de vídeo, de luz, entre outros. É fundamental que todas as pessoas que trabalharão no evento saibam tudo o que vai acontecer, e quando.<br />
  36. 36. Envolva-se - Sua visão pessoal do projeto é fundamental. Mesmo que você não toque pessoalmente cada etapa do trabalho, é importante acompanhar o desenvolvimento do processo e a escolha dos elementos e das atividades.<br />Centralize o comando – Na hora de preparar o evento, chame para si a responsabilidade ou delegue para uma única pessoa a coordenação dos trabalhos. Sem uma liderança única, a confusão está armada. <br />
  37. 37. AÇÕES DE ESTÍMULO A VENDA<br />São realizadas pela empresa para incrementar a produtividade dos seus vendedores e são implementadas em situações mercadológicas específicas. <br /><ul><li>Programa de incentivo de vendas
  38. 38. Campanha de comunicação</li></ul>Objetivos / metas<br />Orçamento<br />Cronograma<br />Tema<br />Premiação<br />Comunicação<br />eventos<br />
  39. 39.
  40. 40. PROMOÇÃO DE VENDAS<br />PÚBICO INTERMEDIÁRIO<br />
  41. 41. PROMOÇÃO DE VENDAS PARA <br />PÚBLICO INTERMEDIÁRIO<br />Tem como objetivo estimular este público a comprar mais e auxiliá-lo a repassar as vendas ao público final, acelerando o giro de produtos e serviços.<br />
  42. 42. PROMOÇÃO DE VENDAS PARA <br />PÚBLICO INTERMEDIÁRIO<br />Por púbico intermediário compreende-se todos os profissionais que compõem uma empresa que represente ou revenda seu produto. <br />Ex.: <br /><ul><li>lojas mono ou multimarcas, distribuidoras,
  43. 43. franquias,
  44. 44. mercados,
  45. 45. supermercados, atacadistas e varejistas.</li></li></ul><li>MARKETING NO VAREJO<br />Segundo Kotler (2000, p. 540), todas as atividades de venda de bens ou serviços diretamente aos consumidores finais, são definidas como varejo. O local onde os produtos ou serviços são vendidos (lojas, rua ou residência do consumidor) não é importante. Da mesma forma, todas as maneiras pela qual estes bens ou serviços são vendidos estão incluídas no conceito de varejo, seja através de venda pessoal, correio, telefone ou máquina automática.<br />No marketing de varejo existem duas características específicas de grande importância: o atendimento e a exposição. Estes dois fatores são tão importantes que, além dos tradicionais produto, preço, promoção e praça (distribuição), Parente (2003) defende a teoria dos seis P’s, onde duas novas variáveis se destacam: o P de Pessoal (atendimento e serviços) e o P de apresentação.<br />O sucesso de um varejista seja ele pequeno ou grande, depende principalmente do quanto ele incorpora o conceito de varejo. Este conceito é uma orientação de gerenciamento que faz o varejista focar a determinação das necessidades de seus mercados-alvo e a satisfação das mesmas mais eficaz e eficientemente que seus concorrentes. Segundo Ruotolo & De Menezes (2001) ao idealizar um conceito de loja o varejista toma decisões sobre: nível de serviço oferecido; linha de produtos comercializados; política de preços; cobertura geográfica; acesso ao cliente; tamanho e localização da loja.<br />
  46. 46. TRADE MARKETING<br />É uma parte importante na estratégia de marketing das empresas que planejam maximizar a diferenciação dos seus produtos e serviços nos pontos-de-venda. <br />É, conseqüentemente, uma disciplina de Marketing que orienta o desenvolvimento das relações entre fabricantes e canais de venda, pelo entendimento das necessidades entre marcas, pontos-de-venda e consumidores.<br />
  47. 47. TRADE MARKETING<br />O Trade Marketing analisa os hábitos e preferências dos consumidores para o sucesso das estratégias de marketing e vendas. <br />Define quais canais de mídias serão utilizados, que produtos desenvolvidos e que canais de comercialização para atender as preferências de consumo do público-alvo.<br />O Trade Marketing estabelece ainda, a necessidade de se adaptar produtos, logística e estratégias de marketing, de modo a conquistar o consumidor nos pontos-de-venda, com um modelo de parceria entre os fabricantes e seus canais de vendas.<br />
  48. 48. ESTRATÉGIAS PROMOCIONAIS<br />Vantagens Financeiras.<br />Por meio de:<br />Desconto<br />Ampliação de prazo de pagamento<br />Bonificação<br />Para:<br />Lançamento de produto<br />Relançamento de produto<br />Liquidação de estoque<br />Sucesso da concorrência<br />Obsolência do produto<br />As vantagens são o meio mais fácil de se conseguir promover um produto nos pontos de distribuição. Para o público interno passa a idéia de bom negócio, segurança, confiança e parceria, para a marca, oportunidade de atingir resultados incluindo o acesso a realização de outras atividades que auxiliam o ponto e impulsionar a venda do seu produto<br />
  49. 49. MATERIAIS DE MERCHANDISING<br />Auxiliam no destaque e atenção<br />para seu produto.<br />Exemplo:<br />Displays;<br />Cartazes;<br />Faixas de gôndola;<br />Obler<br />Móbiles<br />
  50. 50. PROMOTORES<br />Realizam atividades no ponto de venda, auxiliando o cliente intermediário<br /><ul><li>Facing (encarar o cliente)
  51. 51. Substituição
  52. 52. Limpeza e organização
  53. 53. Instalação de material de merchandising
  54. 54. Montagem de pontos extras
  55. 55. Divulgação de promoções
  56. 56. Distribuição de amostras
  57. 57. Pesquisa</li></li></ul><li>CONCURSOS<br />Relacionados a comercialização:<br />Funciona de forma similar à campanha de incentivo para público interno, visa um programa saudável de incentivo a vendas dentro de uma empresa ou grupo de empresas.<br />Exemplo: campanha de incentivo a venda de um produto X pela equipe comercial de um distribuidor, que vende vários produtos, muitas vezes do mesmo segmento ou um concurso entre lojas de um grupo varejista como lojas insinuante. É importante planejar todas as etapas.<br />Relacionados a qualidade em atendimento:<br />O brinde neste caso é a possibilidade de uma empresa usar um símbolo representativo de melhor qualidade em atendimento no serviço ao produto com a sua marca. Como exemplo temos as concessionárias que disputam melhores pontuações em qualidade de atendimento para adquirir o certificado e criar diferencial de marca junto a outras concessionárias que revendem a mesma marca de automóvel.<br />
  58. 58. SORTEIOS<br />FEIRAS / EXPOSIÇÕES / SALÕES<br />CAMPANHA DE COMUNICAÇÃO<br />BRINDES / MINIATURAS<br />Materiais desenvolvidos para trazer a marca da<br />empresa como bonés, camisas, canetas.<br />As miniaturas são amostras do produto.<br />
  59. 59. PROMOÇÕES DE VENDAS PARA BALCONISTAS E VENDEDORES<br /><ul><li>São o elo mais próximo entre produto e consumidor final
  60. 60. Influenciadores na venda de produtos</li></ul>TIPOS DE AÇÕES PROMOCIONAIS:<br />CONCURSOS<br /> Quantitativo<br /> Qualitativo<br />SORTEIOS<br />
  61. 61. COMPRADOR FANTASMA<br />Case Herval<br />A Endereço Certo Soluções em Operações de Marketing promoveu a “Visita Premiada Herval“. Foram ações do tipo “Cliente Oculto” para incentivar a equipe de vendas da rede varejista a oferecer o cartão de relacionamento HS Card.<br />
  62. 62. ATIVIDADES PROMOCIONAIS PARA INTERMEDIÁRIO EXCLUSIVO<br />CONVENÇÕES DE VENDAS<br />PROGRAMAÇÃO VISUAL<br />LAYOUT DE INSTALAÇÕES<br />TÉCNICAS DE EXIBIÇÃO<br />TREINAMENTO TÉCNICO<br />
  63. 63. PROMOÇÃO DE VENDAS<br />INFLUENCIADORES<br />
  64. 64. PROMOÇÃO DE VENDAS PARA O INFLUENCIADOR TÉCNICO<br />Para Kotler, o influenciador é “uma pessoa que, explícita ou implicitamente, exerce alguma influência sobre a decisão final (de compra)”. <br />Pancrazio descreve o influenciador a partir das seguintes características:<br /><ul><li>Pessoa física ou jurídica que, pela profissão que exerce aliada à sua perícia, sugere, especifica, aconselha ou receita o uso de determinado produto ou serviço;
  65. 65. Profissional especializado que tem importante participação no processo de marketing, sem contudo, participar da comercialização dos bens;
  66. 66. Sua orientação é profissionalmente solicitada e paga pelo consulente;
  67. 67. Não existe qualquer vínculo empregatício ou contratual entre a empresa e esse profissional. Se existir, ele passa a ser um vendedor ou promotor.</li></li></ul><li>Relação de profissionais e empresas que tendem estas características<br />
  68. 68. PROMOÇÃO DE VENDAS<br />CONSUMIDORES FINAIS<br />
  69. 69. PROMOÇÃO DE VENDAS<br />PARA PÚBLICO FINAL<br />
  70. 70. CONSUMIDOR E <br />COMPRADOR EMPRESARIAL<br />As diferenças existentes entre os dois são importantes na definição de estratégias promocionais dirigidas a cada um deles.<br />
  71. 71. FERRAMENTAS PROMOCIONAIS<br />
  72. 72. CUPONS<br />São um dos tipos mais comuns de promoções ao consumidor. É um tipo de desconto direto concedido através de um vale-desconto e que assegura ao comprador pagar menos pelo bem adquirido.<br />Distribuição do cupom:<br /><ul><li>Mídia impressa
  73. 73. Mala-direta
  74. 74. Embalagem do produto
  75. 75. Dentro da embalagem
  76. 76. Na embalagem</li></li></ul><li>OFERTAS ESPECIAIS<br />Ou descontos, são incentivos especiais para conseguir que os consumidores adotem comportamentos de visita e compra nas lojas. È uma promoção de resultados rápidos pois permite ao consumidor comprar um bem a preços menores. É muito utilizado por produtores e intermediários para acelerar o giro do produto.<br />São ofertas especiais:<br /><ul><li>Leve três pague dois
  77. 77. Leve 250g pague por 200g
  78. 78. 25% de desconto em toda sessão de eletro-eletrônicos
  79. 79. Notebooks divididos em 12 parcelas sem juros</li></li></ul><li>BRINDES OU PRÊMIOS<br />Esta técnica consiste em oferecer outra mercadoria grátis ou a preço baixo na compra do produto.<br />
  80. 80. BRINDES<br />1. Brinde veiculado compra de um bem. Pode vir dentro da embalagem ou fora dela ou na forma de serviços grátis.<br />2. Brinde como estímulo à fidelidade de compra. Pode ser usado como estratégia para incentivar a fidelidade à marca de produtos de compra repetitiva e periódica, como produtos alimentícios, de limpeza e de higiene pessoal. <br /><ul><li>Brindes colecionáveis
  81. 81. Álbum de figurinhas
  82. 82. Compra continuada
  83. 83. Compra de brindes</li></ul>3. Brinde sem vínculo de compra do bem. Quando a empresa deseja fazer uma ampla distribuição de brindes com fins institucionais.<br />
  84. 84. CONCURSOS E SORTEIOS<br />O concurso é uma promoção na qual, para se ganhar o prêmio, o participante usa sua habilidade na criação de uma frase ou slogan, na solução de um jogo, no acerto de uma resposta.<br />O sorteio é a promoção em que o comprador do bem ganha o brinde com base em um critério único: a sorte.<br />Esta ação pode ser implementada por:<br /><ul><li>Vale-brinde
  85. 85. Sorteio público ou pela loteria</li></li></ul><li>AMOSTRAS<br />Dá ao público alvo a oportunidade de conhecer o produto ou serviço antes de ser comprado. A amostragem se baseia na teoria de que, se o publico aprova uma parte do bem, provavelmente aprovará o todo.<br />A distribuição de amostras pode acontecer por (Sampling):<br />Mala-direta<br />Mídia impressa<br />Entrega domiciliar<br />Entrega nos pontos de venda<br />Entrega em locais públicos<br />Variações:<br />Degustação<br />Demonstração<br />
  86. 86. EXPERIÊNCIAS GRÁTIS<br />COM O PRODUTO<br />Se distribuir amostras é uma opção inviável, pode-se usar como estratégia ações promocionais que permitam o consumidor ter uma experiência gratuita com o produto ou o serviço. <br />Isso acontece no caso de produtos de alto valor de compra, como tests drives em automóveis, experimentações de softwares e serviços.<br />PROGRAMAS DE FIDELIZAÇÃO<br />Utilizada para formar lealdade e repetir negócios. Funciona como uma lógica de pontuação, quanto mais se compra, mais se acumulam pontos para novas compras ou abatimentos.<br />
  87. 87. EXPOSIÇÕES / EVENTOS<br />A participação de empresas em feiras, exposições e eventos, também podem ter como objetivo atingir o consumidor final. Eventos para esse público cresce todos os anos no país, são boas oportunidades pois concentram boa quantidade de público num mesmo local e com interesses semelhantes.<br />Patrocinar eventos, montar um estande em uma feira é cada vez mais um instrumento utilizado por empresas para alcançar o consumidor final. Nestes locais é possível, impactar o consumidor, abordar e demonstrar produtos e serviços, ouvir a opinião dos consumidores com relação a marca ou produto e proporcionar ao consumidor uma experiência com a marca visando aproximação e estima.<br />
  88. 88. ATIVIDADE COMPLEMENTAR<br />Atividade em Grupo.<br />Cada grupo deve em preparar e apresentar projeto adequado ao briefing sorteado com ação voltada para o público interno e/ou intermediário.<br />
  89. 89. LEGISLAÇÃO DA<br />PROMOÇÃO DE VENDAS<br />
  90. 90. Ações promocionais nas modalidades sorteio, concurso e vale-brinde são regidos pela Lei n° 5.768, de 20 de dezembro de 1971, e o Decreto Lei n° 70.951, de 9 de agosto de 1972, que dispõe sobre a distribuição gratuita desses tipos de prêmios.<br />
  91. 91. É IMPORTANTE SABER:<br />Obter autorização prévia do Departamento de proteção e Defesa do Consumidor da Secretaria de Direito Econômico do Ministério da Justiça. Para poder divulgar uma promoção, é obrigatório possuir esta autorização.<br />O pedido de autorização deverá ser formulado através de requerimento endereçado ao Diretor do Departamento de Proteção de Defesa do Consumidor. No pedido devem constar todos os dados cadastrais da empresa e plano promocional. <br />O valor dos prêmios não devem ultrapassar 5% da receita operacional mensal da empresa.<br />4. Deve ser paga uma taxa de 10% do valor total dos prêmios ao Ministério da Justiça, dividida em quantos meses forem os da premiação. A multa pelo não comprimento deste item é de 50% na importância não recolhida.<br />
  92. 92. DEFINIÇÕES LEGAIS<br />
  93. 93. SORTEIO<br />Obedecerão aos resultados da extração da Loteria Federal ou a uma combinação de números com os mesmos resultados. <br />Os cupons do sorteio deverão constar de todas as informações pertinentes a empresa e a ação promocional. <br />
  94. 94.
  95. 95. VALE – BRINDE<br />Nos cupons devem constar todas as informações cadastrais da empresa, a autorização do Departamento de defesa do Consumidor e regulamento da campanha.<br />Os vale-brindes devem ser distribuídos, no mínimo um para cada cem unidades de produtos entregues a consumo, devendo corresponder ao número de prêmios que serão distribuídos.<br />
  96. 96. CONCURSO<br />Os concursos podem ser de previsões, cálculos, testes de inteligência, seleção de predicados ou competição de qualquer natureza. No plano de operações deve constar o regulamento do concurso e as condições necessárias para se obter o prêmio.<br />Pode-se exigir a apresentação de rótulos, cintas, embalagens, etc como condição para participação, desde que não se constituam série ou coleção.<br />Concursos exclusivamente culturais, artístico, desportivo ou recreativo independem de autorização, desde que não haja subordinação a qualquer modalidade de sorte ou pagamento.<br />A ficha de inscrição deverá conter o regulamento aprovado para conhecimento prévio dos participantes.<br />Os cupons deverão, também conter informações sobre a empresa realizadora, autorização federal e informações da promoção. <br />
  97. 97.
  98. 98. DESCRIÇÃO DAS MECÂNICAS PROMOCIONAIS<br />O plano deve ser claro e objetivo. As datas para inicio, término, apuração, local onde serão exibidos os prêmios, local e data da entrega do premio, deverão estar previamente planejados pois o Ministério da Justiça não autoriza qualquer modificação no plano apresentado.<br />PENALIDADES<br />A realização de ação promocional de natureza de sorteio, vale-brinde e concurso, realizados sem prévia autorização da justiça esta sujeito a:<br />Multa de até 100% no valor dos prêmios prometidos;<br />Proibição de realização de ações semelhantes por 2 anos<br />
  99. 99. PARA EMPRESAS QUE DESCUMPRIREM O PLANO AUTORIZADO:<br />Cassação da autorização<br />Proibição de realização de ação semelhante por 2 anos<br />Multa de até 100% no valor dos prêmios prometidos.<br />A aplicação dessas penalidades administrativas não exclui a responsabilidade e sanções de natureza civil e penal.<br />Concluído a promoção é necessário comunicar no prazo de 30 dias o termino da ação, com comprovação do cumprimento do plano e a entrega dos prêmios.<br />PRAZOS<br />O prazo ideal para planejar a promoção é de 3 meses antes da data de seu início, devido ao tempo necessário para conclusão de todos os tramites referentes a autorização da promoção. <br />
  100. 100. LINKS IMPORTANTES<br />Código de Ética - AMPRO<br />Lei de regulamentação da promoção de vendas<br />Lei de regulamentação da promoção de vendas<br />Informações legais sobre promoções segundo a CEF – instituição fiscalizadora<br />

×