Fitoterapia no idoso

1.698 visualizações

Publicada em

Palestra apresentada durante o I Ciclo de Palestras de Nutrição, apresentado na semana de nutrição da Universidade Federal de Pernambuco / Campus Vitória de Santo Antão.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.698
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
47
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
78
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fitoterapia no idoso

  1. 1. Mesa  redonda:  Envelhecimento   Fitoterapia  no  idoso Prof.  Leandro  Medeiros,  M.Sc.     ! Farmacêutico  e  doutorando  em  Inovação  Terapêutica  |  UFPE   Coordenação  do  Núcleo  de  Pesquisa  em  Saúde  e  Educação  |  Faculdade  dos  Guararapes/PE   Coordenação  de  pós-­‐graduação  em  Fitoterapia:  prescrição  e  aplicabilidade  clínica|  iPGS/RS   Coordenação  de  pós-­‐graduação  em  Fitoterapia  na  prática  multidisciplinar  |  IDE  Cursos/PE   Membro  do  Grupo  de  Trabalho  em  Fitoterapia  |  CRN6 Centro  Acadêmico  de  Vitória   Ciclo  de  Palestras  em  Nutrição
  2. 2. PLANTAS  MEDICINAIS   (Lei  5991/1973) DROGAS  VEGETAIS DERIVADO  VEGETAL   (EXTRATOS) FITOTERÁPICO MANIPULADO INDUSTRIALIZADO MEDICAMENTO   FITOTERÁPICO   (REGISTRO  COMUM   OU  SIMPLIFICADO)   (RDC  26/2014) PRODUTO   TRADICIONAL   FITOTERÁPICO   (REGISTRO   SIMPLIFICADO  OU   NOTIFICADO)   (RDC  26/2014  e   IN  02/2014) 
 FARMÁCIAS  DE   MANIPULACÃO   (RDC  67/2007  /   87/2008) FARMÁCIAS   VIVAS  (RDC   18/2013) Uso  medicinal Chás   alimentícios   (RDC  27/2010;   RDC  219/2006;   RDC  267/2005;   RDC  277/2005 Uso  não  medicinal Chás  medicinais   (RDC  26/2014) Uso  medicinal
  3. 3. • 4  em  cada  5  idosos  utilizam,  pelo  menos,  um  medicamento   por  dia   • 1  em  cada  3  idoso  consome  cinco  ou  mais  medicamentos,   simultaneamente   • Escassez  dos  aspectos  farmacocinéticos  e  farmacodinâmicos   de  medicamentos  em  idosos,  pela  sua  exclusão  em  grande   parte  dos  estudos  clínicos  de  medicamentos   • 10  a  20%  das  causas  de  interações  hospitalares  agudas  se   dão  por  reações  adversas  a  medicamentos Reflexões  iniciais Geriatrics  and  Gerontology.  2008;3(2):126-­‐131.
  4. 4. Alterações  farmacológicas   decorrentes  da  senescência • Aumento  da  biodisponibilidade  de  fármacos   hidrossolúveis  no  organismo  (menor  quantidade  de  água   no  corpo)   • Redução  da  biodisponibilidade  de  fármacos  lipossolúveis   (armazenamento)   • Redução  do  metabolismo  de  primeira  passagem  hepática   • Menor  redução  à  ao  fármaco  na  forma  conjugada  a   proteínas  plasmáticas  (albumina)   • Eliminação  renal  reduzida Ciência  e  Saúde  Coletiva,  10(2):  309-­‐313,  2005
  5. 5. Prescrição  adequada  ao  idoso • Considerar  estado  clínico  do  paciente   • Minimizar,  dentro  do  possível,  o  número  de  drogas   • Iniciar  em  pequenas  doses  e  ajustar,  se  necessário   • Evitar  uso  de  medicamentos  impróprios  para   idosos  relatados  na  literatura   • Em  situações  em  que  não  podem  ser  evitados,   utilizar  com  cautela  e  monitoramento  constante   Ciência  e  Saúde  Coletiva,  10(2):  309-­‐313,  2005
  6. 6. Aspectos  epidemiológicos  quanto   ao  uso  de  fitoterápicos Brazilian  Journal  of  Pharmacognosy  18  (Supl.):  754-­‐760,  Dez.  2008
  7. 7. Aspectos  epidemiológicos  quanto   ao  uso  de  fitoterápicos • EUA   • 27,7%  de  idosos  (≥  65  anos)   • Asiáticos  (48,6%)   • Hispânicos  (31,6%)   • Brancos  (27,7%)   • Negros  (20,5%) J  Gerontol  B  Psychol  Sci  Sco  Sci  (2007)  62,  S142-­‐9
  8. 8. Aspectos  epidemiológicos  quanto   ao  uso  de  fitoterápicos • Interações  potencialmente  perigosas  observadas  no  Cardiovascular  Health   Study  (n  =  5.052)   • Uso  concomitante  entre  medicamentos  e  fitoterápicos:  14,4%   • Combinações  potencialmente  perigosas:     • 379  (com  risco  potencialmente  perigoso)   • Observadas  em  291  indivíduos   • Uso  concomitante  de  alho,  ginkgo,  ginseng  e  ácido   acetilsalicílico,  varfarina,  ticlopidina  e  pentoxifilina   • 786  (risco  teórico/não  comprovado)   • Diversas  classes J  Gerontol  B  Psychol  Sci  Sco  Sci  (2007)  62,  S142-­‐9
  9. 9. Nomenclatura  botânica   Aesculus  hippocastanum  L. Nome  popular   Castanha  da  Índia   Parte  usada   Sementes   Padronização/Marcador   Glicosídeos  triterpênicos  expressos  em  escina  anidra Derivado  de  droga  vegetal     Extratos Indicações/Ações  terapêuticas   Fragilidade  capilar,  insuficiência  venosa   Dose  Diária   32  a  120  mg  de  glicosídeos  triterpênicos  expressos  em   escina  anidra Via  de  Administração   Oral   Restrição  de  uso   Venda  sem  prescrição  médica Fitoterápicos  de  interesse  ao  idoso   Brasil,  2014
  10. 10. Nomenclatura  botânica   Allium  sativum  L. Nome  popular   Alho Parte  usada   Bulbo Padronização/Marcador   Alicina Derivado  de  droga  vegetal     Extratos/óleos Indicações/Ações  terapêuticas   Coadjuvante  no  tratamento  da  hiperlipidemia  e   hipertensão  arterial  leve,  auxiliar  na  prevenção  da   aterosclerose   Dose  Diária   3  a  5  mg  de  alicina Via  de  Administração   Oral Restrição  de  uso   Venda  sem  prescrição  médica Fitoterápicos  de  interesse  ao  idoso   Brasil,  2014
  11. 11. Nomenclatura  botânica   Cynara  scolymus  L. Nome  popular   Alcachofra Parte  usada   Folhas Padronização/Marcador   Derivados  do  ácido  cafeoilquínico  expressos  em  ácido   clorogênico   Derivado  de  droga  vegetal     Extrato Indicações/Ações  terapêuticas   Colagogo  e  colerético.  Tratamento  dos  sintomas  de   dispepsia  funcional  e  de  hipercolesterolemia  leve  a   moderada Dose  Diária   24  a  48  mg  de  derivados  de  ácido  cafeoilquínico   expressos  em  ácido  clorogênico Via  de  Administração   Oral   Restrição  de  uso   Venda  sem  prescrição  médica Fitoterápicos  de  interesse  ao  idoso   Brasil,  2014
  12. 12. Nomenclatura  botânica   Glycine  max  (L.)  Merr. Nome  popular   Soja Parte  usada   Sementes Padronização/Marcador   Isoflavonas Derivado  de  droga  vegetal     Derivado  vegetal Indicações/Ações  terapêuticas   Coadjuvante  no  alívio  dos  sintomas  do  climatério Dose  Diária   50  a  120  mg  de  isoflavonas Via  de  Administração   Oral Restrição  de  uso   Venda  sem  prescrição  médica Fitoterápicos  de  interesse  ao  idoso   Brasil,  2014
  13. 13. Nomenclatura  botânica   Mentha  piperita  L. Nome  popular   Hortelã-­‐pimenta Parte  usada   Folhas Padronização/Marcador   30%  a  55%  de  mentol  e  14%  a  32%  de  mentona   Derivado  de  droga  vegetal     Óleo  essencial Indicações/Ações  terapêuticas   Expectorante,  carminativo  e  antiespasmódico.  Tratamento  da  síndrome  do   cólon  irritável. Dose  Diária   60  a  440  mg  de  mentol  e  28  a  256  mg  de  mentona Via  de  Administração   Oral Restrição  de  uso   Venda  sem  prescrição  médica:  expectorante,  carminativo  e  antiespasmódico.   Venda  sob  prescrição  médica:  tratamento  da  síndrome  do  cólon  irritável. Fitoterápicos  de  interesse  ao  idoso   Brasil,  2014
  14. 14. Nomenclatura  botânica   Panax  ginseng  C.  A.  Mey. Nome  popular   Ginseng Parte  usada   Raiz Padronização/Marcador   Ginsenosídeos  Rb1,  Re,  Rb1,  Rc,  Rb2,  Rd,  Rf  e  Rg2  (Rf  e  Rg2  apenas  para   identificação) Derivado  de  droga  vegetal     Extratos Indicações/Ações  terapêuticas   Estado  de  fadiga  física  e  mental,  adaptógeno Dose  Diária   8  a  16  mg  de  ginsenosídeos  Rb1,  Re,  Rb1,  Rc,  Rb2  e  Rd Via  de  Administração   Oral Restrição  de  uso   Venda  sem  prescrição  médica.  Utilizar  por  no  máximo  três  meses. Fitoterápicos  de  interesse  ao  idoso   Brasil,  2014
  15. 15. Nomenclatura  botânica   Plantago  ovata  Forssk. Nome  popular   Plantago Parte  usada   Casca  da  semente Padronização/Marcador   Índice  de  entumescência Derivado  de  droga  vegetal     Droga  vegetal  pulverizada  (pó) Indicações/Ações  terapêuticas   Coadjuvante  nos  casos  de  obstipação  intestinal.  Tratamento  da  síndrome   do  cólon  irritável. Dose  Diária   3  a  30  g  do  pó Via  de  Administração   Oral Restrição  de  uso   Venda  sem  prescrição  médica:  Coadjuvante  nos  casos  de  obstipação   intestinal.  Venda  sob  prescrição  médica:  Tratamento  da  síndrome  do   cólon  irritável. Fitoterápicos  de  interesse  ao  idoso   Brasil,  2014
  16. 16. Nomenclatura  botânica   Frangula  purshiana  (DC.) Nome  popular   Cáscara  Sagrada Parte  usada   Casca Padronização/Marcador   Derivado  hidroxiantracênico  expressos  em  cascarosídeo  A Derivado  de  droga  vegetal     Extratos Indicações/Ações  terapêuticas   Constipação  ocasional Dose  Diária   20  a  30  mg  de  derivado  hidroxiantracênico  expressos  em  cascarosídeo  A Via  de  Administração   Oral Restrição  de  uso   Venda  sem  prescrição  médica.  Não  utilizar  continuamente  por  mais  de   uma  semana. Fitoterápicos  de  interesse  ao  idoso   Brasil,  2014
  17. 17. Nomenclatura  botânica   Senna  alexandrina  Mill. Nome  popular   Sene Parte  usada   Folhas  e  frutos Padronização/Marcador   Derivados  hidroxiantracênicos  expressos  em  senosídeo  B   Derivado  de  droga  vegetal     Extratos/tintura Indicações/Ações  terapêuticas   Laxativo Dose  Diária   10  a  30  mg  de  derivados  hidroxiantracênicos  expressos  em  senosídeo  B   Via  de  Administração   Oral Restrição  de  uso   Venda  sem  prescrição  médica. Fitoterápicos  de  interesse  ao  idoso   Brasil,  2014
  18. 18. Nomenclatura  botânica   Zingiber  officinale  Roscoe Nome  popular   Gengibre Parte  usada   Rizomas Padronização/Marcador   Gingeróis  (6-­‐gingerol,  8-­‐gingerol,  10-­‐gingerol,  6-­‐shogaol) Derivado  de  droga  vegetal     Extrato Indicações/Ações  terapêuticas   Profilaxia  de  náuseas  causadas  por  movimento  (cinetose)  e  pós-­‐cirúrgicas Dose  Diária   Crianças  acima  de  6  anos:  4  a  16  mg  de  gingerois;  adulto:  16  a  32  mg  de   gingerois. Via  de  Administração   Oral Restrição  de  uso   Venda  sem  prescrição  médica. Fitoterápicos  de  interesse  ao  idoso   Brasil,  2014
  19. 19. Nomenclatura  botânica   Arnica  montana  L. Nome  popular   Arnica Parte  usada   Capítulo  floral Padronização/Marcador   Lactonas  sesquiterpênicas  totais  expressas  em  tiglato  de   diidrohelenalina Derivado  de  droga  vegetal     Extratos Alegação  de  uso Equimoses,  hematomas  e  contusões   Concentração  da  forma   farmacêutica 0,16  a  0,20  mg  de  lactonas  sesquiterpênicas  totais  expressas  em     tiglato  de  diidrohelenalina  por  grama  ou  0,08  mg  de  lactonas   sesquiterpênicas  totais  expressas  em    tiglato  de  diidrohelenalina  por   mL. Via  de  Administração   Tópica Restrição  de  uso   Venda  sem  prescrição  médica.  Não  usar  em  ferimentos  abertos Fitoterápicos  de  interesse  ao  idoso  
  20. 20. Nomenclatura  botânica   Calendula  officinalis  L. Nome  popular   Calêndula Parte  usada   Flores Padronização/Marcador   Flavonóides  totais  expressos  em  hiperosídeos; Derivado  de  droga  vegetal     Extratos Alegação  de  uso Cicatrizante,  anti-­‐inflamatório Concentração  da  forma   farmacêutica 1,6  a  5,0  mg  de  flavonóides  totais  expressos  em  hiperosídeos  por  100  g   ou  0,8  a  1,0  mg  de  flavonóides  totais  expressos  em  hiperosídeos  por   mL Via  de  Administração   Tópica Restrição  de  uso   Venda  sem  prescrição  médica. Fitoterápicos  de  interesse  ao  idoso   Brasil,  2014
  21. 21. Nomenclatura  botânica   Matricaria  recutita  L.. Nome  popular   Camomila Parte  usada   Capítulos  florais Padronização/Marcador   Apigenina  -­‐7-­‐  glicosídeo    e  derivados  bisabolônicos  calculados  como   levomenol Derivado  de  droga  vegetal     Extratos/tinturas Alegação  de  uso Uso  oral:  antiespasmódico  intestinal,  dispepsias  funcionais.  Uso   tópico:  antiinflamatório   Dose  diária Uso  oral:  4  a  24  mg  de  apigenina  -­‐7-­‐  glicosídeo   Concentração  da  forma   farmacêutica Uso  tópico:  0,005  a  0,05  mg  de  apigenina  7-­‐glicosídeo  por  100  g  ou  10   0mL  e  0,004  a  0,07  mg  de  derivados  bisabolônicos  calculados  como   levomenol  por  100  g  ou  100  mL.   Via  de  Administração   Oral  e  tópica,  tintura  apenas  tópica Fitoterápicos  de  interesse  ao  idoso   Brasil,  2014
  22. 22. Nomenclatura  botânica   Maytenus  ilicifolia  Mart.  ex  Reiss.   Nome  popular   Espinheira-­‐santa Parte  usada   Folhas Padronização/Marcador   Taninos  totais  expressos  em  pirogalol Derivado  de  droga  vegetal     Extratos/tinturas Alegação  de  uso Dispepsias,  coadjuvante  no  tratamento  de  gastrite  e  úlcera   gastroduodenal   Dose  diária 60  a  90  mg  taninos  totais  expressos  em  pirogalol Via  de  Administração   Oral Restrição  de  uso   Venda  sem  prescrição  médica. Fitoterápicos  de  interesse  ao  idoso   Brasil,  2014
  23. 23. Considerações  finais Qualidade SegurançaEficácia OMS,  2011
  24. 24. Obrigado   ! Email:  leandro.a.medeiros@gmail.com   Facabook:  leandro.a.medeiros   Twitter:  @PharmD_Leandro   Instagram:  @leandro_a_medeiros www.idecursos.com.br

×