Frederick Winslow Taylor

1.726 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.726
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Frederick Winslow Taylor

  1. 1. Frederick Winslow Taylor Administração Científica e TGA
  2. 2. Biografia  Nasceu em 20/03/1856, em Germantown (que hoje faz parte da Filadélfia) no Estado da Pensilvânia – EUA.  Mesmo sendo aceito no curso de Direito em Harvard, decide seguir outra carreira.  Taylor começou como operário mas logo passou para escriturário, maquinista, contra-mestre (gerente) e finalmente em 1884 passa a engenheiro-chefe.  Um ano antes, formou-se em Engenharia Mecânica no Instituto de Tecnologia Stevens.  Em 1903 Taylor publica seu primeiro livro: “Shop Management” (Direção de Oficinas) onde trata pela primeira vez de suas ideias sobre a racionalização do trabalho.  Introduziu o conceito da chamada Administração Científica, assim como a Teoria Geral da Administração.
  3. 3. Biografia  Em 1906 publica “The Art of Cutting Metals” (A Arte de Cortar Metais) sendo eleito presidente da Associação Americana dos Engenheiros Mecânicos e recebe o título honorário de Doutor em Ciência pela Universidade da Pensilvânia.  Somente em 1911 é que Taylor publica sua obra mais importante revelando de vez os princípios da administração científica que se tornaria a base da Teoria Geral da Administração. Em “Principles do Scientific Management” (Princípios da Administração Científica).  Pai da Administração Científica.  Em 1915 Taylor contrai uma pneumonia e morre no dia 21 de março.
  4. 4. Na história  “A era das grandes invenções”: onde as empresas viriam a tornar-se grandes conglomerados.  Discussão sobre o aumento da eficiência nas empresas provindo desde a Revolução Industrial.  Paz armada  Depressão de 1873  A Guerra de Secessão e suas consequências para o povo americano.
  5. 5. Administração Científica  Baseava-se pelos fatos observados por Taylor durante o processo de produção dos trabalhadores.  Buscava ter um maior rendimento do serviço do operariado da época, o qual era desqualificado e tratado com desleixo pelas empresas. Isso significava baixa produtividade e lucros decrescentes, forçando as empresas a contratarem mais operários.  Criando assim a ORT (Organização Racional do Trabalho).
  6. 6. Administração Científica  De acordo com Taylor, a implantação da Administração Científica deve ser gradual e obedecer a um certo período de tempo, para evitar alterações bruscas que causem descontentamento por parte dos empregados e prejuízos aos patrões.
  7. 7. Princípios da Administração Científica  Planejamento: Com esse objetivo a administração deveria aplicar métodos de pesquisa para determinar a melhor maneira de executar tarefas.  Preparo: Os empregados deveriam ser cientificamente selecionados e treinados, de maneira que as pessoas e as tarefas fossem compatíveis.  Controle: Controlar o trabalho para se certificar de que o mesmo está sendo executado de acordo com as normas estabelecidas e segundo o plano previsto. A gerencia deve cooperar com os trabalhadores para que a execução seja a melhor possível.  Execução: Distribuir distintamente as atribuições e as responsabilidades para que a execução do trabalho seja bem mais disciplinada.
  8. 8. EXEMPLOS  Frank e Lilian Gilbreth : Obtiveram sucesso ao ensinar a um grupo de pedreiros a assentarem tijolos de maneira mais eficiente. Antes os pedreiros realizavam 18 movimentos e após o método de Frank passaram a realizar 5, eliminando assim, movimentos desnecessários e aumentando a produtividade, chamado therbligs.  Frank tinha a mania de cronometrar o desempenho de todas as suas atividades cotidianas para otimizar seu tempo.
  9. 9. EXEMPLOS
  10. 10.  Henry Gantt: Em 1888 tornou-se assistente direto de Taylor. Era também um inventor prático, e junto com Taylor registrou seis patentes.  Desenvolvido em1917 o diagrama de Gantt é um gráfico usado para ilustrar o avanço das diferentes etapas de um projeto. Os intervalos de tempo representando o início e fim de cada fase aparecem como barras coloridas sobre o eixo horizontal do gráfico.  É utilizado como uma ferramenta de controle de produção. Nele podem ser visualizadas as tarefas de cada membro de uma equipe, bem como o tempo utilizado para cumpri-la. Assim, pode-se analisar o empenho de cada membro no grupo, desde que estejam associados, à tarefa, como um recurso necessário ao desempenho dela. EXEMPLOS
  11. 11. EXEMPLOS
  12. 12. EXEMPLOS
  13. 13. EXEMPLOS  Hugo Munsterberg: foi quem estabeleceu as bases e justificativas da psicologia industrial na administração científica.  Relacionou as habilidades dos novos empregados com as demandas de trabalho da organização.  A psicologia de Munstreberg e a eficiência industrial estavam diretamente ligadas às propostas de Taylor e resumiam-se em 3 pontos principais:  1º: o melhor homem.  2º: o melhor trabalho.  3º: o melhor resultado.  No trabalho a psicologia da época se apoiava em dois aspectos fundamentais:  1º: análise e adaptação do trabalho ao trabalhador.  2º: análise e adaptação do trabalhador ao trabalho.
  14. 14. 1º período de Taylor  Corresponde à época da publicação do seu livro Shop Management (Administração de Oficinas) (1903) onde se preocupa exclusivamente com as técnicas de racionalização do trabalho do operário, através do Estudo de Tempos e Movimentos (Motion-Time Study):  1. O objetivo de uma boa Administração era pagar salários altos e ter custos unitários de produção.  2. Para realizar esse objetivo, a Administração tinha de aplicar métodos científicos de pesquisa e experimento para o seu problema global, a fim de formular princípios e estabelecer processos padronizados que permitissem o controle das operações fabris.
  15. 15. 1º período de Taylor  3. Os empregados tinham de ser cientificamente colocados em serviços ou postos em que os materiais e as condições de trabalho fossem cientificamente selecionados, para que as normas pudessem ser cumpridas.  4. Os empregados deviam ser cientificamente adestrados para aperfeiçoar suas aptidões e, portanto, executar um serviço ou tarefa de modo que a produção normal fosse cumprida.  5. Uma atmosfera de íntima e cordial cooperação teria de ser cultivada entre a Administração e os trabalhadores, para garantir a continuidade desse ambiente psicológico que possibilite a aplicação dos outros princípios por ele mencionados.
  16. 16. 2º período de Taylor  Corresponde à época da publicação de seu livro Princípios da Administração Científica (1911), quando concluiu que a racionalização do trabalho operário deveria ser logicamente acompanhada de uma estruturação geral da empresa e que tornasse coerente a aplicação dos seus princípios. Nesse segundo período, desenvolveu os seus estudos sobre a Administração geral, a qual denominou Administração Científica, sem deixar contudo sua preocupação com relação à tarefa do operário.  Taylor assegurava que as indústrias que as indústrias de sua época padeciam de males que poderiam ser agrupados em três fatores:  1. Vadiagem sistemática por parte dos operários, que reduziam propositadamente a produção a cerca de um terço da que seria normal, para evitar a redução das tarifas de salários pela gerência.
  17. 17. 2º período de Taylor  Há três causas determinantes da vadiagem no trabalho, que são: • o erro que vem de época imemorial e quase universalmente disseminado entre os trabalhadores, de que o maior rendimento do homem e da máquina terá como resultante o desemprego de grande número de operários; • o sistema defeituoso da Administração, comumente em uso, que força os operários à ociosidade no trabalho, a fim de melhor proteger os seus interesses; • os métodos empíricos ineficientes, geralmente utilizados em todas as empresas, com os quais o operário desperdiça grande parte do seu esforço e do seu tempo.  2. Desconhecimento, pela gerência, das rotinas de trabalho e do tempo necessário para sua realização.  3. Falta de uniformidade das técnicas ou métodos de trabalho.
  18. 18. Sistema de remuneração
  19. 19. Remuneração
  20. 20. Estrutura
  21. 21. Teoria Geral da Administração  Conceito: é um corpo de conhecimentos a respeito das organizações e do processo de administrá-las.  É composta por princípios, proposições e técnicas em permanente elaboração.  Abordam-se as Teorias Administrativas que são, em seu conjunto, um compêndio de normas principais que se complementam, para levar a ciência administrativa ao dia-a-dia das pessoas e das organizações como um todo, no intuito de gerar desenvolvimento, com o objetivo precípuo de máxima eficácia e eficiência, gerando produtividade e lucro.
  22. 22. Teoria Geral da Administração  1916 – Teoria Clássica da Administração  1932 – Teoria das Relações Humanas.  1954 – Teoria Neoclássica da Administração  1909 – Teoria da Burocracia.  1947 – Teoria Estruturalista.  1957 – Teoria Comportamental.  1951 – Teoria dos Sistemas.  1972 – Teoria da Contingência
  23. 23. Gerentes  Definiam: Metas, condições e recompensas.  1º escolhiam a tarefa.  2º selecionar um operário modelo.  3º Cronometrar o tempo.  4º Redesenhar o ambiente de trabalho.  5º Treinar o trabalhador para o novo método. Obs.:Taylor dizia que todos deveriam ver que a administração é uma ciência, daí então: científica.
  24. 24. Doenças comuns aos operários  Pelo esforço e a necessidade de trabalhar, os operários ficavam facilmente adoecidos sem as corretas precauções, doenças como a tuberculose, o tifo, a cólera, a varíola e diversas DST’s eram comuns. Mas uma outra doença chama atenção, a doença de LER:  Causada por: Repetitividade de movimentos; Postura inadequada por um longo período de tempo; Atividades de trabalho que exijam força excessiva com as mãos; Atividades esportivas que exijam grande esforço dos membros superiores; Ritmo intenso de trabalho; Mobiliário mal projetado e ergonomicamente errado; Esforço físico; Trabalho muscular estático; Choques e impactos; Executar a mesma tarefa por tempo prolongado; Pressão mecânica sobre algumas regiões do corpo; Pressão no ambiente de trabalho; Cobrança por produtividade; Má divisão das tarefas.
  25. 25. Doenças comuns aos operários  A dor é seguida de outros sintomas como formigamento, dormência, insensibilidade ou falta de força para segurar objetos. Em estágios mais avançados, as inflamações podem se tornar um processo degenerativo que afeta nervos e vasos sanguíneos de maneira prejudicial, podendo causar deformidades como cistos, inchaços, perda de potência, sendo que a dor pode se tornar insuportável e tarefas rotineiras como escovar os dentes e amarrar os sapatos tornam-se impraticáveis.
  26. 26. Organização Racional do Trabalho  São técnicas e ferramentas melhores que as demais, podem ser encontradas, analisadas e aperfeiçoadas de forma científica através de um estudo de tempos e movimentos, substituindo métodos empíricos por métodos científicos.  Dessa forma é possível estabelecer um padrão para a organização através de uma pesquisa.
  27. 27. Organização Racional do Trabalho  Tempo-padrão  Plano de incentivo salarial  Trabalho em conjunto  Gerentes planejam, operários executam  Desenhos de cargos e tarefas  Divisão do trabalho e especialização do operário  Supervisão  Ênfase na eficiência  Homo economicus  Condições de trabalho  Padronização  Princípio da exceção  “Não nos importamos com a sua iniciativa.”
  28. 28. Os princípios de eficiência de Emerson  1. Traçar um plano bem definido, de acordo com os objetivos. 2. Estabelecer o predomínio do bom senso. 3. Oferecer orientação e supervisão competentes. 4. Manter disciplina. 5. Impor honestidade nos acordos, ou seja, justiça social no trabalho. 6. Manter registros precisos, imediatos e adequados. 7. Oferecer remuneração proporcional ao trabalho. 8. Fixar normas padronizadas para as condições de trabalho. 9. Fixar normas padronizadas para o trabalho em si. 10. Fixar normas padronizadas para as operações. 11. Estabelecer instruções precisas. 12. Oferecer incentivos ao maior rendimento e à eficiência.  Emerson antecipou-se à Administração por Objetivos proposta por Peter Drucker por volta da década de 1960.
  29. 29. Lênin divulga Taylor  Em muitos outros países, as ideias de Taylor despertavam grande interesse e motivaram a criação de organizações para estudar e divulgá-las, bem como iniciativas similares. No Brasil, o Instituto de Organização Racional do Trabalhador (Idort) foi fundado em São Paulo para essa finalidade, nos anos 30. Na União Soviética, Lênin esteve entre os grandes advogados do taylorismo, que considerava uma das maiores realizações científicas no campo da análise dos movimentos mecânicos durante o trabalho, da eliminação dos movimentos supérfluos e desajeitados e do planejamento dos métodos corretos de trabalho•. Segundo Lênin, o taylorismo deveria a qualquer custo ser adotado como forma de aumentar a produtividade do trabalhador soviético.  A Rússia ficara impressionada com o poder bélico dos EUA e assim queria adotar o trabalho de taylor.
  30. 30. Herança de Taylor  “Hoje em dia, sabemos que temos que superá- lo, mas não sabemos o que colocar no seu lugar.”  Publicação no site Artigos, por Nelson de Sousa, 27 de novembro de 2008.
  31. 31. Teoria das Relações Humanas  Criada por Georges Elton Mayo, surgiu da necessidade de corrigir a forte tendência a desumanização do trabalho: métodos rigorosos, científicos e precisos.  Pesquisa de Hoxie (1911): considerada como um dos principais alertas à autocracia do “Sistema Taylor”.  O trabalho do operário não exigia escolaridade, o gerente comandava e ele obedecia produzindo muito e aprendendo pouco.
  32. 32. TRH - Experiência de Hawthorne:
  33. 33. Teoria das Relações Humanas Em essência, Mayo diz que o desempenho das pessoas depende muito menos dos métodos de trabalho, segundo a visão da administração científica, dos que dos fatores emocionais ou comportamentais. Destes, os mais poderosos são aqueles decorrentes da participação do trabalhador em grupos sociais. A fábrica deveria ser vista como um sistema social, não apenas econômico ou industrial, para a melhor compreensão de seu funcionamento e de sua eficácia.” (MAXIMIANO, 2002, p.238)
  34. 34. Teoria das Relações Humanas  Homo economicus (motivado pelo dim) X Homo social (aprovação social e reconhecimento): as grandes empresas estavam demonstrando grandes problemas como: produtividade inconstante, fadiga dos trabalhadores e a revolta dos mesmos.  Os maiores índices de acidentes no trabalho e ainda a rotatividade.  Daí a necessidade de criar um ambiente de trabalho mais humanizado e democrático.  Foi criado sistemas de sugestões e reclamações, obtendo mais integração e motivação.
  35. 35. Teoria das Relações Humanas  “A compreensão das relações humanas permite ao administrador melhores resultados de seus colaboradores.”
  36. 36. Bibliografia  http://revolucaoindustrial2f.blogspot.com.br/2008/09/as- conseqncias-da-revoluo-industrial.html  http://www.sato.adm.br/artigos/tga_taylor.htm  http://www.trabalhosfeitos.com  http://www.brasilescola.com.br  http://www.infoescola.com/administracao_/taylorismo/  http://www.slideshare.net  http://www.coladaweb.com/administracao/taylor-e-fayol  http://www.alunosonline.com.br/historia/primeira-crise- capitalista.html  http://www.algosobre.com.br/historia/eua-no-seculo- xix.html
  37. 37. Componentes  Alisson Dessoy  Daniela Pinheiro  Diúlia Beerbaum  Kelly Santos  Laura Marcht

×