Curso de Artes Visuais – UFRGS- Polo: Porto AlegreDisciplina: REG130 - A - Metodologia da Pesquisa em ArteAluna: Lauralice...
Segundo Ana Mae                                                   Nas artes visuais ainda domina na sala de aula o ensino ...
REFERÊNCIAS:ALVES, Ruben. A alegria de ensinar. 4. ed. Campinas, São Paulo : Papirus, 2001.ALVES, Ruben. Ao professor com ...
VIEIRA,Wânia       Elias.   Educador      e     Educando     -     Uma      relação    de     aprendizagem      eprazer<ht...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aprendizagem de arte_visul_atraves_do_ensino_ludico 2012

571 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
571
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aprendizagem de arte_visul_atraves_do_ensino_ludico 2012

  1. 1. Curso de Artes Visuais – UFRGS- Polo: Porto AlegreDisciplina: REG130 - A - Metodologia da Pesquisa em ArteAluna: Lauralice Marcolin Heberle Aprendizagem de arte visual através do ensino lúdico Lauralice Marcolin Heberle1Resumo: Este trabalho pretende fazer uma breve análise da aprendizagem de arte visual através doensino lúdico .Palavras-chave: Arte visual,ensino lúdico, aprendizagem,Abordagem TriangularINTRODUÇÃO Este trabalho pretende fazer uma breve análise da aprendizagem de arte visual através doensino lúdico e a partir de Ana Mae Barbosa que posiciona o conteúdo da Arte nas instânciasda Abordagem Triangular (Fazer, Ler e Contextualizar);e a da abordagem de Cipriano CarlosLuckesi de ludicidade. Nas teorias dos dois autores, dialogicamente relacionadas, trazem uma re-significaçãosobre aprendizagem/ludicidade, sendo o foco a arte visual e atividades lúdicas como recursosde autodesenvolvimento . DESENVOLVIMENTO Na historicidade do ensino de Artes sua inclusão no currículo escolar acontece nareformulação da a Educação Brasileira, estabelecida em 1971 com objetivos e o currículoconfigurado na Lei Federal nº 5692 denominada "Diretrizes e Bases da Educação", de lá para poisavanços foram feitos no resultado final a sala de aula e o educando nas Artes(voltada ao desenho e ageometria),mantida neste currículo para demonstrar uma abertura a criatividade suprindo a retiradade História e Filosofia . Sendo sua implementação como graduação de licenciatura somente a partirde 1973, elaborado para todo pais com um formato de um currículo básico com curta duração(2anos)e ampla formação em música, teatro, artes visuais, desenho, dança e desenho geométrico, tudoao mesmo tempo,series finais do ensino fundamental e em alguns casos,ensino médio. Algumasuniversidades como a USP, UFRGS compreendem a precariedade desta formato e seus cursosmantêm um ensino de 4 anos para licenciatura.1 Graduação em :Licenciatura;Estatística. Professora nomeada para ensino técnico estadual. Professora contrata não ensino estadual de Matemática. Atuante no magistério desde 1980, tem exercido a prática docente e a gestão em escolas de Alvorada,Cachoeirinha e Gravataí.,RS.
  2. 2. Segundo Ana Mae Nas artes visuais ainda domina na sala de aula o ensino de desenho geométrico, o laissez-faire, temas banais, as folhas para colorir, a variação de técnicas e o desenho de observação, os mesmos métodos, procedimentos e princípios ideológicos encontrados numa pesquisa feita em programas de ensino de artes de 1971 e 1973 (BARBOSA, 1975, p.86-7). Arte na Apreciação artística e história da arte , em uma prática realizada na AbordagemTriangular (Fazer, Ler e Contextualizar) não tem espaço na escola de hoje. Sendo comum o recortede aprendizagem realizando atividades recreativas sem vínculos de aprendizagens teóricas da Arte. Para uma aprendizagem de arte visual através do ensino lúdico, sendo este últimovisto enquanto recurso pedagógico deve ser encarado de forma séria e usado de maneira correta,como afirma Almeida (1994, p. 53), “o sentido real, verdadeiro, funcional da educação lúdica estarágarantido, se o educador estiver preparado para realizá-lo”. Sendo assim, o papel do educador éintervir de forma adequada, deixando que o educando adquira conhecimento e habilidades de formalúdica nas artes. O lúdico tem sua origem na palavra “ludus” que quer dizer “jogos” e “brincar”, masa ludicidade compreendida segundo Luckesi “é uma experiência interna de consciência , um estadode espírito ...” . Educar crianças ludicamente é estarauxiliando- as a viver bem o presente epreparar-se para o futuro. Educarludicamente adolescente e adulto significa estar criando condições de restauração do passado,vivendo bem o presente e construindo o futuro. E segundo Luckesi temos” Assim, ludicidade foi e está sendo entendida por mim apartir do lugar interno do sujeito; três abordagens diferentes: psicanalítica, piagetiana ebiossistêmica”.CONCLUSÃO Segundo Ruben Alves (2001), "A vida humana não se define biologicamente.Permanecemos humanos enquanto existe em nós a esperança da beleza e da alegria. Morta apossibilidade de sentir alegria ou gozar a beleza, o corpo se transforma numa casca de cigarravazia”. Na aprendizagem de arte visual através do ensino lúdico, apoiada na a abordagem de deLuckesi de ludicidade e de Ana Mae Barbosa que posiciona o conteúdo da Arte nas instâncias daAbordagem Triangular (Fazer, Ler e Contextualizar), o aprender tem a compreensão ampliada paraa espaço lúdico de arte onde não importa somente o resultado, mas a ação, o movimentovivenciado na fruição da arte..
  3. 3. REFERÊNCIAS:ALVES, Ruben. A alegria de ensinar. 4. ed. Campinas, São Paulo : Papirus, 2001.ALVES, Ruben. Ao professor com meu carinho. 5. ed. Campinas, São Paulo: Verus, 2004.BARBOSA, Ana Mae. A imagem no ensino da arte. 6.ed. São Paulo: Perspectiva, 2007.BARBOSA, Ana Mae. Arte-Educação no Brasil: realidade hoje e expectativas futuras,vol.3, no.7, p.170-182, 1989.BARBOSA, Ana Mae. Arte-educação no Brasil: realidade hoje e expectativas futuras. 3 (7): 170-82, 1989.http://www.scielo.br/cgi-bin/wxis.exe/iah/>Acesso em 14 jul.2012.BARBOSA, Ana Mae. Artes plásticas no Nordeste. 11 (29): 241-56,1997.BARBOSA, Ana Mae. Educação Artística. 8 (22): 491-4,1994. <http://www.scielo.br/cgi-bin/wxis.exe/iah/>Acesso em14 jul.2012.BARROS,Gabriela de Angelis. O Potencial Educativo da Arte na Formação do Pensamento no Ambiente escolar<http://www.ppe.uem.br/dissertacoes/2009_gabriela.pdf >Acesso em 15 jul.2012FERREIRA,Aurélio Buarque de Holanda .Dicionário Básico da Língua Portuguesa.1.ed.Rio de Janeiro. NovaFronteira.1988.GUERSON,Milena.Ana Mae Barbosa e Luigi Parayson-um diálogo em prol de “Re-Significações” sobre ensino/aprendizagem de Artes visuais. Disponível em:<http://www.ufsj.edu.br/portal2repositorio/File/existenciaearte/Edicoes/5_Edicao/ana_mae_brasosa_e_luigi_pareyson__milena_guerson_milena_guerson.pdf>.Acesso em 14 jun. 2012.Kopke, Regina Coeli Moraes. Ensino de geometria descritiva: inovando na metodologia. Rem: Rev. Esc. Minas, Mar2001, vol.54, no.1, p.47-50. ISSN 0370-446<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0370-44672001000100008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt>Acesso 14 jul. 2012.LAROUSSE, K. Pequeno dicionário enciclopédico Koogan Larousse. Rio de Janeiro:Larousse, 1982.LUCKESI,Cipriano Carlos .Educação, Ludicidade e Prevenção das Neuroses Futuras: uma proposta pedagógica a partirda Biossíntese. Disponível em: <http://www.luckesi.com.br/artigoseducacaoludicidade.htm>.Acesso em em 14 jun.2012.LUCKESI,Cipriano Carlos. Desenvolvimento dos estados de consciência e ludicidade. Disponível em:<http://www.luckesi.com.br/artigoseducacaoludicidade.htm>.Acesso em em 14 jun. 2012.LUCKESI,Cipriano Carlos. Ludicidade e Atividades Lúdicas. Disponível em:<http://www.luckesi.com.br/artigoseducacaoludicidade.htm>.Acesso em em 14 jun. 2012.Fontana,Maristela Vigolo. A possibilidade de uso de objetos de aprendizagem para o ensino de ArtesVisuais<http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/29284/000776535.pdf?sequence=1>Acesso em: 15 jul. 2012.
  4. 4. VIEIRA,Wânia Elias. Educador e Educando - Uma relação de aprendizagem eprazer<http://www.artigonal.com/ensino-superior-artigos/educador-e-educando-uma-relacao-de-aprendizagem-e-prazer-5078311.html>.Acesso em: 14 jul. 2012.

×