Morfologia das angiospermas 2ª£

528 visualizações

Publicada em

Estágio no Ensino Médio BIOLOGIA, 2ª série. Morfologia das Angiospermas

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
528
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Morfologia das angiospermas 2ª£

  1. 1. Antonia Marta Custódio de Araújo & Larisse Roberto Rufino 1
  2. 2. 2 LARISSE
  3. 3.  As plantas com maior número de espécies e as que ocupam o maior número de habitats;  Dois grupos:  Monocotiledôneas  Dicotiledôneas. Spondias tuberosa-Umbuzeiro Victoria amazonica-Vitória régia 3
  4. 4. 4
  5. 5.  A estrutura relacionada com a reprodução sexuada é a flor. Formam, além de sementes, os frutos. Flor Fruto e Sementes 5
  6. 6.  Coifa: Células produzidas na zona meristemática. Função proteger a extremidade da raiz.  Zona Meristemática: células em constante mitose. Determina o crescimento das raízes em comprimento; 6
  7. 7.  Zona Lisa ou de alongamento; Crescimento das raízes.  Zona Pilífera: Células epidérmicas formam os pelos absorventes de água e sais minerais; 7
  8. 8.  Colo/coleto: Zona de transição entra a raiz e o caule;  Zona suberosa: local de onde partem as raízes secundárias. 8
  9. 9. Fixação e nutrição da planta – Absorve água e sais minerais (seiva bruta) • Reserva energética – Amido • Geotropismo positivo – Geo: terra – Tropismo: crescimento 9
  10. 10. Tuberosas: funcionam como órgãos de reservas nutritivas, principalmente do amido. Nabo. Beterraba. Cenoura. Mandioca. Batata-doce. 10
  11. 11. Respiratórias / Pneumatóforos: Ocorrem em vegetais de terrenos alagadiços e pobres em oxigênio: Ex: manguezais 11
  12. 12.  Sugadoras ou Hastórios: São raízes de vegetais parasitas;  Sugar-lhes a seiva bruta/elaborada. Erva-de-passarinho, 12
  13. 13.  Raízes Tabulares: Sobre a superfície do solo antes de mergulharem nele;  Tem a função de aumentar a estabilidade de vegetais de grande porte e aumentam a superfície respiratória. 13
  14. 14.  Raízes de suporte ou escora / adventícias: Partem diretamente do caule e tem por função aumentar a base de sustentação do vegetal.  EXS: Milho, samambaias, cana- de-açúcar. Milho (Zea mays) 14
  15. 15.  Raízes Aéreas: plantas epífitas, sem parasitá-las.  EXS: Orquídeas e sumarés. 15
  16. 16.  Raízes estrangulantes: Plantas epífitas parasitas; 16
  17. 17.  Funções: – Suporte de folhas, flores e frutos – Condução de seivas – Reserva energética- Amido [tubérculo]  Geotropismo negativo  Fototropismo positivo 17
  18. 18.  PARTES DO CAULE  – Gemas 1. Apical ou terminal 2. Laterais – Nós – Entrenós 18
  19. 19.  TRONCO:  caule bem desenvolvido, ereto, lenhoso e ramificado, característico angiospermas dicotiledôneas e de gimnospermas como o pinheiro-do- paraná. Mangueira 19
  20. 20.  ESTIPES:  São caules geralmente não ramificados, que apresentam em seu ápice um tufo de folhas;  São típicos das palmeiras;  EXS: Palmito, babaçu e açaí. Coqueiro 20
  21. 21.  COLMO:  São caules não ramificados, apresentando nós e enternós bem nítidos, ao contrário dos estipes;  Ocos ou cheios. Bambu Cana-de-açúcar 21
  22. 22.  HASTE:  Caule mole, geralmente verde e ramificado, flexível e delicado. A haste é própria de ervas e subarbustos; 22
  23. 23.  VOLÚVEIS / TREPADORES:  Enroscam-se em suportes - trepadeiras. 23
  24. 24.  RASTEJANTES:  São apoiados e paralelos ao solo, com ou sem raízes, de trechos em trechos.  Abóbora/Melancia 24
  25. 25.  RIZOMA:  Esse tipo de caule se desenvolve paralelamente à superfície do solo.  Do rizoma podem surgir várias folhas aéreas. Espada de são-jorge Bananeira 25
  26. 26.  TUBÉRCULO:  Caules que armazenam substâncias nutritivas;  Apresentam gemas laterais bem visíveis, das quais podem surgir ou brotar novas plantas. Batata inglesa 26
  27. 27.  BULBO:  São estruturas complexas, formadas pelo caule e por folhas subterrâneas modificadas  Bulbo simples: cebola, que possui uma parte central “prato” do qual partem as folhas. Da porção inferior parem as raízes.  Bulbo composto: é o alho, em que cada dente corresponde a um pequeno bulbo. Cebola 27
  28. 28.  Desenvolvem-se em meio líquido;  A vitória-régia é uma planta aquática que possui caule  subterrâneo, do tipo rizoma.  Vitória Régia 28
  29. 29.  ESTOLÃO:  É um tipo de caule que cresce paralelamente ao chão, produzindo gemas de espaço em espaço.  Essas gemas podem formar raízes e folhas e originar novas plantas; Pode ser aéreo, apoiado sobre o solo, subterrâneo ou aquático. 29
  30. 30. Modificações dos caules normais, consequência das funções que exercem/razão da influência do meio físico; Podem ser: cladódios e filocládios, espinhos, gavinhas, rastejantes, trepadores, subterrâneos, xilopódio.  Acúleos. 30
  31. 31. Cladódios e filocládios  Caules carnosos, verdes; 31
  32. 32. Acúleos  Tricomas rígidos, de origem epidérmica; 32
  33. 33. Importância • Metabolismo da planta, uso alimentar, medicinal, industrial entre outros. Definição • Órgão laminar, clorofilado , especializado na realização da fotossíntese. 33
  34. 34. 34  Limbo parte laminar e bilateral;  Pecíolo haste sustentadora do limbo;  Bainha parte basilar e alargada que abraça o caule;  Estípulas apêndices 2, laminares, que se formam de cada lado da base foliar.
  35. 35. Folhas compostas 35
  36. 36. FRUTOS 36 ANTª. MARTA
  37. 37.  Os frutos são estruturas que protegem as sementes das Angiospermas;  São formados pelo pericarpo; O pericarpo divide-se em três partes;  A mais externa – o pericarpo;  A do meio – o mesocarpo;  A mais interna - o endocarpo. 37
  38. 38. 38
  39. 39.  DRUPA- Os que possuem uma só semente,que fica unida ao endocarpo,formando um caroço;  BAGAS- Os que possuem várias sementes e não formam caroços. 39
  40. 40.  Os frutos secos apresentam seu pericarpo seco e alguns podem se abrir espontaneamente quando as sementes estão maduras;  Com pericarpo não-suculento;  Alguns exemplos de frutos secos;  Feijão,milho,arroz. 40
  41. 41.  Deiscentes –abrem -se espontaneamente quando estão maduros; Ex: A vagem da ervilha.  Indeiscentes -não se abrem quando estão maduros; Ex: Grãos de Arroz,milho. 41
  42. 42.  Nos pseudofrutos a porção comestível não corresponde ao ovário desenvolvido.  É o receptáculo floral que se desenvolve. 42
  43. 43. - Frutos simples: são frutos oriundos do desenvolvimento do pedúnculo ou do receptáculo de uma única flor. Ex.: Limão, pêra, maracujá, maçã, mamão. 43
  44. 44. - Frutos compostos: são frutos que se originam do desenvolvimento do receptáculo de uma única flor, porém com muitos ovários.  Ex: Morango. 44
  45. 45.  Frutos múltiplos ou infrutescências: neste caso estes frutos se originam a partir do desenvolvimento de ovários de muitas flores de uma mesma inflorescência, e crescem juntos, unidos. Ex.: figo, amora e abacaxi. 45
  46. 46. DEFINIÇÃO Consiste na retomada do processo de desenvolvimento do embrião e da consequentemente a saída da plântula do interior da semente. 46
  47. 47.  As sementes das angiospermas têm estruturas chamada cotilédone.  Na semente do feijão há dois cotilédones;pertencem ao grupo das dicotiledôneas.  No milho há apenas uma;pertencem ao grupo das monocotiledôneas. 47
  48. 48. DOIS COTILÉDONE UM COTILÉDONE 48
  49. 49.  As dicotiledôneas têm um sistema radicular ramificado,com um eixo principal de onde partem as ramificações;  Esse tipo de raiz é conhecido como axial e pivotante. 49
  50. 50. RAIZ DE DICOTILÉDONEA RAIZ DE MONOCOTILEDÔNEA 50
  51. 51.  A semente é o óvulo modificado e desenvolvido. Toda semente possui um envoltório, mais ou menos rígido, um embrião inativo da futura planta e um material de reserva alimentar chamado endosperma ou albúmen.  Em condições ambientais favoráveis, principalmente de umidade, ocorre a hidratação da semente e pode ser iniciada a germinação. 51
  52. 52.  Todo embrião contido em uma semente de angiosperma é um eixo formado por duas extremidades:  a radícula, que é a primeira estrutura a emergir quando o embrião germina;  o caulículo, responsável pela formação das primeiras folhas embrionárias. 52
  53. 53. 53
  54. 54. FLORES 54
  55. 55. 55
  56. 56. 56
  57. 57.  A flor prende-se ao caule por meio de um pedúnculo,que tem uma dilatação superior,chamada de receptáculo;  É no receptáculo que geralmente se inserem os demais elementos florais. 57
  58. 58. ANDROCEU Estames (órgão produtor de gametas masculinos). 58
  59. 59. GINECEU Carpelos- órgão femininos. 59
  60. 60. Outros elementos constituem os chamados verticilos florais:  Cálice- formado por sépalas;  Corola- formada por pétalas;  Androceu- órgãos masculinos  Gineceu- órgãos femininos. 60
  61. 61. Quanto ao sexo  Feminina  Masculina  Hermafrodita- Dois sexo na mesma flor:  Estéril e neutra- Androceu e Gineceu não funcionais e ausente. 61
  62. 62. Transporte de pólen da antera até o estigma da mesma flor ou de outra da mesma espécie. Agentes polinizadores; Anemófila - por animais; Entomofilia – quando são os insetos; Quiropterofilia – quando são os morcegos. 62
  63. 63. MELITOFOLIA(POLINIZAÇÃO POR ABELHAS) ORNITOFOLIA(POLINIZAÇÃO POR PÁSSARO) 63
  64. 64. PSICOFILIA(POLINIZAÇÃO POR BORBOLETAS) CANTAROFILIA(POLINIZAÇÃO POR BESOUROS) 64
  65. 65. 65
  66. 66. UMBRELA CAPITULO 66
  67. 67. CORIMBO ESPÁDICE 67
  68. 68. GLOMÉRULO PLEIOCÁSIO 68
  69. 69. SICÔNIO CIÁTIO 69
  70. 70. OBRIGADA !!! 70
  71. 71. Páginas 110-111-113 questões 1,3,4,6,7,8,10,14,15, 16, 18,19 Páginas 136-137-139 questões 1,3,5,19,20 VALENDO 2.0 PONTOS, provável dia de receber dia 19 0u 26. 71
  72. 72. Sementes, flores, frutos, raízes, folhas, caules. EXS: batata inglesa e doce, macaxeira, cenoura, beterraba, ervas; Laranja, maçã, mamão, abacate, pêssego, manga, morango, abacaxi, caju; Diversos tipos de folhas e flores de Hibiscos e Lírio. 72

×